sexta-feira, janeiro 29, 2010

Blog do leitor


Texto enviado pela leitora Cristina Mestre


"GOVERNO RUSSO SUBESTIMA FUNÇÃO ANTIDEPRESSIVA DA VODKA


O actual Governo russo subestima a função antidepressiva da vodka, pelo que dificilmente alcançará o objectivo proclamado de reduzir o consumo de álcool para metade nos próximos dez anos, escreve a Nezavisimaya Gazeta no seu editorial de ontem.
O alcoolismo é realmente o principal problema da Rússia, país onde o consumo aumentou de 0,83 litros anuais de álcool puro em 1914-1917 para 5,4 litros no princípio dos anos noventa e 18 litros na actualidade. No entanto, as medidas propostas pelo Governo não levam em conta que a vodka, durante a transição do socialismo para o capitalismo, se converteu numa espécie de “antidepressivo acessível às massas”.
Só uma melhoria das condições de vida e um aumento do grau de protecção social poderão levar os russos a abdicar deste remédio. O jornal assinala também que será imprescindível dar tratamento médico forçado a cerca de 25 milhões de pessoas – na sua maioria, elementos marginais, de baixo nível económico – que consomem bebidas alcoólicas de forma sistemática e em grandes quantidades.
Resta saber se as autoridades e os defensores dos direitos humanos aceitarão uma restrição das liberdades constitucionais e democráticas para uma parte da população.
Outro factor que faz a Nezavisimaya Gazeta questionar o êxito da nova campanha contra o alcoolismo na Rússia é a inexistência de um monopólio do Estado no que se refere à produção e comercialização de vodka. A corrupção generalizada, em particular nos órgãos de segurança, será um obstáculo à luta contra o mercado ilegal de bebidas alcoólicas.
Artigo original:
http://www.ng.ru/editorial/2010-01-28/2_red.html "

6 comentários:

Gilberto Mucio disse...

Alcoolismo não é causa de nada, e sim consequencia.

Consequencia da falta de perspectivas e horizontes por parte da população de meia idade pra cima.

Um sujeito que passou dos 40(ainda novo) e não tem uma estabilidade financeira para o resto da vida, sabe que terá uma velhice desgraçada. Acabam se entregando ao álcool.

O alcoolismo chega a ser uma atitude suicida nesse caso.

Ítalo Tavares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

O alcolismo é um problema de facto difícil de resolver. Uma cultura forte entre os russos que em minha opinião o melhor meio de diminuir o alcolismo é educar as crianças para rejeição da Vodka!

Anónimo disse...

As geracoes ja estragadas pelo alcool mais valem morrer cedo. O que se pode fazer e concentrar-se na educacao das criancas. Tanta crianca esta fisicamente afectada pelo abuso do alcool do pai e mae. Tem de se tratar as criancas o melhor possivel, com paciencia, e dar-lhes outros incentivos mais positivos. Em 10 anos, que passam depressa, e possivel diminuir consideravelmente esta praga que tambem estraga metade dos portugueses.

lili-one disse...

Ah,Gilberto, então a causa para o eventual suícidio terá sido o álcool.

lili-one disse...

Ah,Gilberto, então a causa para o eventual suícidio terá sido o álcool.