sábado, janeiro 23, 2010

Contributo para a História (GRU - espionagem militar soviética -em Portugal)


O Comité de Segurança do Estado (KGB) e a Direcção Principal de Reconhecimento (GRU)da URSS aumentaram significativamente o número de seus agentes e intensificou a sua actividade em Portugal depois da Revolução de Abril de 1974.
Alguns dos seus agentes “passaram para o outro lado” e começaram a trabalhar para a CIA dos Estados Unidos. Um deles foi Guennadi Smetanin.
“Smetanin estudou francês e português na Academia de Comando das Tropas de Kiev e, depois, terminou a Academia Militar-Diplomática do Estado Maior, onde aprendeu bem as instruções de conspiração. Em 1982, começou a trabalhar no aparelho do Adido Militar da URSS em Lisboa. Em Janeiro de 1984, por razões egoístas, estabeleceu contactos criminosos com os órgãos de espionagem dos EUA, tendo assinado o seguinte documento: “Eu, Smetanin Guennadi Aleksandrovitch, recebi do Governo americano 265 mil dólares, pelo que assino e prometo ajudá-lo”. Durante o processo de recrutamento, Smetanin foi experimentado no detector de mentiras. Ele passou o teste. Natália Smetanina testemunhou que, com o apoio do marido, ela foi recrutada a 04 de Março de 1984 por agentes da CIA em Portugal e, a troco de dinheiro, dfedicava-se à espionagem a favor do serviço americano. Entre Janeiro de 1984 e Agosto de 1985, Smetanin realizou 30 encontros com funcionários da CIA, onde lhes entregou informação, cópias de documentos secretos. Natália Smetanina, por incumbência da CIA, tornou-se secretária e dactilógrafa, tinha acesso a documentos secretos da embaixada. A causa do fracasso dos Smetanin consistiu no aparecimento da esposa, numa das recepções diplomáticas, com roupas e pedras precisosas que não correspondiam aos rendimentos da família. Isso foi notado por um dos agentes do KGB.
Smetanin foi detido no comboio Kazan-Moscovo, tendo-lhe sido apreendida uma pasta onde levava uns óculos, com uma ampola de veneno instalada numa das hastas, um pequeno balão de gás e instruções de contacto com a espionagem americana.
Em 1 de Julho de 1986, o Colégio Militar do Supremo Tribunal da URSS condenou-o à morte por fusilamento e confisco dos bens. A esposa foi condenada a cinco anos de prisão, mas libertada um ano depois devido a uma amnistia”.
Memórias do coronel do KGB na reserva Iúri Chimanovski, que participou na detenção de Smetanin, publicadas no jornal “Vostotchnii ekspress”.

P.S. Smetanin foi descoberto pelo KGB depois de ter recebido informações de Aldridge Ames, agente da CIA que trabalhava para os soviéticos.

17 comentários:

MSantos disse...

No livro "DINFO - Histórias secretas do serviço de informações militares" de Paula Serra, esta história é mencionada. Guennady Smetanin não pertencia ao KGB mas sim ao GRU (informações militares). Inicialmente terá pedido um milhão de dólares aos americanos e apesar das suspeitas suscitadas, provavelmente terá sido Aldrich Ames que o terá denunciado. Foi fuzilado em Moscovo em 1985.

No mesmo livro também se menciona o estranho desaparecimento de cena de outro oficial do GRU destacado em Lisboa, Vladimir Ovetsky, que superviosionava a colheita de informações classificadas da NATO através de dois milicianos da FAP.

Contrariamente à imagem transmitida pelo cinema e pelos romances, as histórias de espionagem são sórdidas, tristes e geralmente com fim trágico.

Cumpts
Manuel Santos

Anónimo disse...

Na frase onde se lê "ele passou o texto", será "ele passou no teste"?

Jose Milhazes disse...

Caro MSantos, efectivamente ele pertencia ao GRU. Quanto ao milhão de dólares, não encontrei esse episódio, mas é certo que ele foi denunciado por Aldrich Ames.
Foi fusilado em Moscovo em 1985 e não 1986.

ALONE HUNTER disse...

Primeiro lugar: Quem se importa com um país como Portugal! Um país pífio, com baixa população, um território irrisório, sem recursos naturais, totalmente dependente da Espanha?

Segundo lugar: Qual a importância de Portugal no cenário geostratégico mundial? Nada!!!

Portugal é apenas um membro-fantoche da OTAN ( ou NATO ), sem importancia para a Organização, apenas por ter saída para o Oceano Atlântico! Um país sem perspectivas futuras. Com certeza o futuro apenas reserva a anexação do território pela Espanha!

Em compensação, o Brasil, com uma população de 190 milhões de habitantes, um PIB que ultrapassa 1 trilhão, e com imensos recursos naturais e minerais como o Pre-Sal, etc... Desponta para o Mainstream, e também como líder incondicional no Hemisfério Sul!!!!

E isso sem precisar se prostituir para Organizações Fantoches que servem apenas aos Estados Unidos!!!!

Anónimo disse...

JM, one se lê "A caso do fracasso dos Smetanin", poderá ser "A razão do fracasso dos Smetatin"?

MSantos disse...

José Milhazes

No livro da jornalista Paula Serra, o pedido inicial de um milhão de dólares é mencionado, tendo até a CIA atribuído o nome de código a este espião de GTMILLION (algo aproximado a "saca-milhões").

Cumpts
Manuel Santos

Ítalo Tavares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cristina disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
ALONE HUNTER disse...

Portugal saqueou o Brasil!!! Roubaram nossos recursos naturais, em troca da satisfaçao pessoal do Rei!!! Eles acabaram com o Brasil, no período colonial, saquearam tudo o que puderam, e depois levavam para a Senhora Majestade!!!! A ocupação portuguesa nunca deveria ter se materializado!!!!

Anónimo disse...

GRANDE HERÓI...... UM ÍCONE PARA AS SOCIEDADES LIVRES E DEMOCRÁTICAS DO MUNDO.

Jorge Almeida disse...

1º) Entre o Ames e o Smetanin, "venha o diabo e escolha".

2º) AloneHunter, sem Portugal, não haveria Brasil!

Quem levou para aí os jesuítas? Será que desconhece a acção do Marquês de Pombal no Brasil? E a acção de D. João IV quando esteve desde 1808 a 1821 no Rio de Janeiro?

Não sei se já reparou que Portugal saiu do Brasil em 1821, há quase 200 anos! E ainda culpam Portugal pelo atraso do Brasil!

Ítalo Tavares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ítalo Tavares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
sérgio disse...

alone hunter:
quem lhe dera viver num país racialmente homogéneo...
esse ódio a Portugal revela inveja...

Anónimo disse...

Só quem é muito burro realmente é que não percebe na posição geofrafica e geopolitica que teria uma união lusofona.

Portugal,Brasil e as ex colonias africanas estão destinadas a mudar paradigmas e a unirem se mais do que nunca.

NN

Anónimo disse...

"quem lhe dera viver num país racialmente homogéneo...
esse ódio a Portugal revela inveja...''

R. Mas nós vivemos, português. Nós vivemos.


Aqui são quase 200 milhões de representantes da RAÇA humana.


Brasileiro

max feedback disse...

@Alone Hunter_ Na verdade Portugal antés da Revolução de Abril foi um País muito importante - político e geoestratégico - naquela altura. Havia bases do OTAN em Beija, permitia a passagem dos aviões e navios nos Açores (vejam-se nos anos 1943 e também na Guerra do Yom Kippur de 1973), Salazar era anticomunista (esta é a razão que lhe permitiu permanecer ainda no poder depois da secunda guerra mundial) e inserido plenamente no Ocidente norte-americano, em Lisboa havia uma base da Aginter Press (provavelmente dentro da operação Stay Behind) e - por essa razão - sede ao mesmo tempo da GRU soviética. Com a Revolução tudo poderia cair. Caindo Portugal poderia cair todo o "lado Sul do Mediteraneo" e arrastar consigo a Espanha franquista, e - sobretudo - dar coragem aos maiores partidos comunistas ocidentais: aquele da Itália e da França, no meio da terceira via para o socialismo ou do assim chamado e conhecido "Eurocomunismo". Não parece assím importante a posição - subestimanda - de Portugal?
Boa tarde, um italiano.