quinta-feira, janeiro 14, 2010

Tribunal de Kiev condena José Estaline

José Estaline e outros dirigentes soviéticos foram considerados culpados de “genocídio do povo ucraniano em 1932-1933” pelo Tribunal de Apelação de Kiev, anunciou hoje o Serviço de Segurança da Ucrânia.
“No dia 13 de Janeiro, o Tribunal de Apelação examinou o processo penal sobre o Holodomor (genocídio) na Ucrânia em 1932-1933. Ele confirmou as conclusões tomadas pelos juízes de instrução do Serviço de Segurança da Ucrânia, segundo as quais, os dirigentes do regime totalitário bolchevique organizaram o genocídio do povo ucraniano em 1932-1933”, lê-se num comunicado desse Serviço.
Os outros dirigentes soviéticos reconhecidos culpados são os colaborades de Estaline Viatcheslav Molotov, Lazar Kaganovitch e Pavel Postichev, bem como Stanislav Kossior, primeiro-secretário do Partido Comunista da Ucrânia, Vlas Tchubar, dirigente do Governo ucraniano, e Mendel Khataievitch, secretário do Comité Central do Partido Comunista da Ucrânia. O Tribunal de Kiev encerrou o processo “devido ao falecimento dos acusados”.
A palavra Holodomor significa literalmente “extermínio pela fome”, nome dado na Ucrânia à Grande Fome dos anos 30 do séc. XX que afectou imensas regiões agrícolas da URSS: Ucrânia, Rússia Central, Baixo e Médio Volga, Sibéria Ocidental, Urais Meridionais, Cazaquistão e Cáucaso do Norte.
Segundo várias fontes, a fome matou de 7 a 8 milhões de pessoas, das quais mais de três milhões na Ucrânia, dois milhões no Cazaquistão e mais de dois milhões na Rússia.
Kiev considera que a fome se tratou de um genocídio para exterminar precisamente o povo ucraniano e tenta fazer com que a comunidade internacional reconheça isso, mas Moscovo opõe-se a isso.
Victor Iuschenko, Presidente da Ucrânia, considerou essa sentença “legítima”.
“Essa decisão restabelece a justiça histórica e permite construir a Ucrânia em princípios honestos e democráticos”, lê-se no sítio electrónico do dirigente ucraniano.
Esta sentença foi tomada na véspera das eleições presidenciais, marcadas para 17 de Janeiro, e pode trazer alguns votos a Iuschenko, mas não deverá ser suficiente para o fazer passar à segunda volta.

12 comentários:

PortugueseMan disse...

...Esta sentença foi tomada na véspera das eleições presidenciais, marcadas para 17 de Janeiro, e pode trazer alguns votos a Iuschenko, mas não deverá ser suficiente para o fazer passar à segunda volta.

Quando estava a ler este artigo pensei nisso mesmo, esta proximidade de datas não é inocente.

Mas Iuschenko, pelas percentagens que falam, não terá a mínima hipótese.

Ao fechar esta página, a "Revolução Laranja" vai ser um "case study". Tanto esta como a "Rosa", ambas vão ser motivo de reflexão.

Ítalo Tavares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
MSantos disse...

Saiu hoje num pequeno artigo de rodapé na revista "VISÃO" desta semana que haveria a eventualidade do Sr Iuschenko estar a preparar o apoio a Ianukovich na eventual 2ª volta, numa monumental cambalhota política apenas para a sua revanche em relação a Timoshenko, revelando-se assim um político com total ausência de escrúpulos.

Relativamente ao veredito, e além de representar uma inconsequente vitória de Pirro à laia de estretor, há que recordar que este assunto se mantém na agenda dos nacionalistas ucranianos com intuito de imputar responsabilidades à Rússia e exigir desta compensações tal qual o estado alemão ainda hoje o faz a Israel.

Cumpts
Manuel Santos

sergio disse...

ou melhor,o comunismo é muito mais genocida que o nazismo.
O nazismo contribuiu para travar o avanço comunista e todos sabem que se o comunismo tomasse conta da Europa seria o fim da nossa civilização!
O nazismo mesmo se tivesse ganho a guerra nunca seria tão mau quanto foi o comunismo.

OTONIEL AJALA DOURADO disse...

DENÚNCIA: SÍTIO CALDEIRÃO, O ARAGUAIA DO CEARÁ – UMA HISTÓRIA QUE NINGUÉM CONHECE PORQUE JAMAIS FOI CONTADA...




"As Vítimas do Massacre do Sítio Caldeirão
têm direito inalienável à Verdade, Memória,
História e Justiça!" Otoniel Ajala Dourado




O MASSACRE APAGADO DOS LIVROS DE HISTÓRIA


No município de CRATO, interior do CEARÁ, BRASIL, houve um crime idêntico ao do “Araguaia”, foi o MASSACRE praticado por forças do Exército e da Polícia Militar do Ceará em 10.05.1937, contra a comunidade de camponeses católicos do Sítio da Santa Cruz do Deserto ou Sítio Caldeirão, que tinha como líder religioso o beato "JOSÉ LOURENÇO", paraibano de Pilões de Dentro, seguidor do padre Cícero Romão Batista, encarados como “socialistas periculosos”.



O CRIME DE LESA HUMANIDADE


O crime iniciou-se com um bombardeio aéreo, e depois, no solo, os militares usando armas diversas, como metralhadoras, fuzis, revólveres, pistolas, facas e facões, assassinaram na “MATA CAVALOS”, SERRA DO CRUZEIRO, mulheres, crianças, adolescentes, idosos, doentes e todo o ser vivo que estivesse ao alcance de suas armas, agindo como juízes e algozes. Meses após, JOSÉ GERALDO DA CRUZ, ex-prefeito de Juazeiro do Norte, encontrou num local da Chapada do Araripe, 16 crânios de crianças.


A AÇÃO CIVIL PÚBLICA AJUIZADA PELA SOS DIREITOS HUMANOS


Como o crime praticado pelo Exército e pela Polícia Militar do Ceará É de LESA HUMANIDADE / GENOCÍDIO é IMPRESCRITÍVEL pela legislação brasileira e pelos Acordos e Convenções internacionais, por isto a SOS - DIREITOS HUMANOS, ONG com sede em Fortaleza - CE, ajuizou em 2008 uma Ação Civil Pública na Justiça Federal contra a União Federal e o Estado do Ceará, requerendo que: a) seja informada a localização da COVA COLETIVA, b) sejam os restos mortais exumados e identificados através de DNA e enterrados com dignidade, c) os documentos do massacre sejam liberados para o público e o crime seja incluído nos livros de história, d) os descendentes das vítimas e sobreviventes sejam indenizados no valor de R$500 mil reais, e) outros pedidos



A EXTINÇÃO SEM JULGAMENTO DE MÉRITO DA AÇÃO


A Ação Civil Pública foi distribuída para o Juiz substituto da 1ª Vara Federal em Fortaleza/CE e depois, redistribuída para a 16ª Vara Federal em Juazeiro do Norte/CE, e lá foi extinta sem julgamento do mérito em 16.09.2009.



AS RAZÕES DO RECURSO DA SOS DIREITOS HUMANOS PERANTE O TRF5


A SOS DIREITOS HUMANOS apelou para o Tribunal Regional da 5ª Região em Recife/PE, argumentando que: a) não há prescrição porque o massacre do Sítio Caldeirão é um crime de LESA HUMANIDADE, b) os restos mortais das vítimas do Sítio Caldeirão não desapareceram da Chapada do Araripe a exemplo da família do CZAR ROMANOV, que foi morta no ano de 1918 e a ossada encontrada nos anos de 1991 e 2007;



A SOS DIREITOS HUMANOS DENUNCIA O BRASIL PERANTE A OEA


A SOS DIREITOS HUMANOS, igualmente aos familiares das vítimas da GUERRILHA DO ARAGUAIA, denunciou no ano de 2009, o governo brasileiro na Organização dos Estados Americanos – OEA, pelo desaparecimento forçado de 1000 pessoas do Sítio Caldeirão.


QUEM PODE ENCONTRAR A COVA COLETIVA


A “URCA” e a “UFC” com seu RADAR DE PENETRAÇÃO NO SOLO (GPR) podem encontrar a cova coletiva, e por que não a procuram? Serão os fósseis de peixes procurados no "Geopark Araripe" mais importantes que os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO?



A COMISSÃO DA VERDADE


A SOS DIREITOS HUMANOS deseja apoio técnico para encontrar a COVA COLETIVA, e que o internauta divulgue esta notícia em seu blog, e a envie para seus representantes na Câmara municipal, Assembléia Legislativa, Câmara e Senado Federal, solicitando um pronunciamento exigindo do Governo Federal que informe o local da COVA COLETIVA das vítimas do Sítio Caldeirão.



Paz e Solidariedade,



Dr. OTONIEL AJALA DOURADO
OAB/CE 9288 – 55 85 8613.1197
Presidente da SOS - DIREITOS HUMANOS
Membro da CDAA da OAB/CE
www.sosdireitoshumanos.org.br

antonio everardo disse...

Agora mesmo me ponho sob dúvida.

Não foi em 1991 que a Ucrânia ficara oficialmente independente da Rússia?... vou expor uma lógica: Se Estaline “é” condenado na Ucrânia, logo, eu imagino, que as suas estátuas ou símbolos ligados a ele devam assim permanecerem intactos. Correcto? Um abraço.

Felipe Pinheiro disse...

Volto a repetir mais uma vez nesse blog. Não confundamos os crimes cometidos por Stalin com o comunismo. Os crimes cometidos por Stalin devem ser vinculados unicamente a ele.

Senão, devemos dedicar os crimes cometidos pelas ditaduras militares da América Latina ao capitalismo, pois foram praticados por governos capitalistas. Bem como a todas as guerras, invasões e genocídios cometidos pelos países imperialistas (leia-se EUA).

Também não podemos vincular os crimes cometidos pelas Cruzadas, ou à Santa Inquisição, à doutrina cristã, embora fossem feitos em seu nome. A doutrina cristã não nos ensina isso.

Saibamos diferenciar os agentes dos ideais. Confundí-los é um ato de desonestidade intelectual, ou má-fé dos que não querem admitir isso.

Ítalo Tavares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ítalo Tavares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
the.guide disse...

quando começa o julgamento dos países ocidentais pela fome provocada ao "terceiro mundo"?

Ítalo Tavares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maquiavel disse...

Um anormal qualquer escreveu

"O nazismo mesmo se tivesse ganho a guerra nunca seria tão mau quanto foi o comunismo."

Há limites para a estupidez, JM, gaita! Este energúmeno (e nós) seria morto pelo nazismo APENA E SÓ por estar vivo e tez a tez mais morena. E ele nem isso atinge! Permitir este tipo de estupidez concentrada no seu blog é dar apoio tácito. Obrigado.