sexta-feira, fevereiro 19, 2010

Estaline de regresso a Moscovo


Os dirigentes russos tencionam celebrar o 65º aniversário da vitória do Exército Vermelho na Segunda Guerra Mundial, no próximo dia 09 de Maio, com pompa e circunstância, esperando ter na capital russa Presidentes e primeiros-ministros de numerosos países do mundo.

Porém, as discussões em torno de algumas personagens históricas, nomeadamente sobre o papel do ditador comunista José Estaline, poderão gorar os esforços do Kremlin no sentido de fazer desse aniversário uma celebração da unidade nacional.

O Comité de Publicidade, Informação e Decoração da Câmara de Moscovo decidiu lembrar aos moscovitas “o papel de José Estaline na Grande Guerra Pátria (como é conhecida a Segunda Guerra Mundial na Rússia)” instalando retratos do ditador comunista, acompanhados de relatos sobre os seus feitos militares, nas ruas da capital russa.

“O mostruário sobre o papel do Comandante Supremo será instalado devido a numerosos pedidos das organizações de veteranos de guerra”, justificou Vladimir Makarov, dirigente desse comité.

A imagem de Estaline desapareceu da decoração das ruas de Moscovo depois da queda do regime comunista na URSS em 1991, mas, periodicamente, surgem tentativas da sua reabilitação.

“É inaceitável a instalação de publicidade a glorificar Estaline. Irão ter lugar acções de protesto. Nós não iremos só participar nelas, como também convocá-las”, declarou à Lusa Lev Ponomariov, dirigente da organização “Pelos Direitos Humanos”, sublinhando que isso “irá insultar os milhões de pessoas que morreram devido às repressões estalinistas”.

“Os que querem colocar em Moscovo retratos de Estaline querem que se repita o terror de Estado da época estalinista”, defende Liudmila Alekseeva, dirigente do Grupo de Helsínquia, frisando que “a vitória não foi conquistada graças a Estaline, mas aos soldados e oficiais que lutaram contra o fascismo”.

“O meu pai não voltou da frente de combate, ele lutou pelo bem da Pátria, e não por Estaline, em cuja era morreram milhões, antes, durante e depois da guerra”, concluiu.

Boris Grizlov, dirigente da Duma Estatal (câmara baixa) do Parlamento russo, manifestou-se também contra a decisão das autoridades de Moscovo.

“O papel contraditório de Estaline na vida do nosso país não pode ser emendado por cartazes. Se essa decisão for tomada, será incorrecta. O vencedor não foi Estaline, mas o povo”, declarou Grizlov, que é também dirigente do Partido Rússia Unida.

Guennadi Ziuganov, presidente do Partido Comunista da Rússia, tem uma posição diametralmente oposta.

“Se as autoridades de Moscovo tomarem realmente essa decisão, ela será não só correcta, mas corajosa”, declarou à agência Interfax.

“É preciso ser honesto até ao fim e reconhecer, dizendo principalmente à geração jovem, que essa grande vitória teria sido impensável sem o generalíssimo Estaline, sem os marechais Jukov, Konev, Rokossovski, sem a unidade do povo soviético”, defende Ziuganov.

29 comentários:

Jest nas Wielu disse...

E o facto do Stalin ser o maior colaborador do nazismo não tem nenhuma importância aos olhos dos actuais dirigentes russos. Porque? Pois foi por bem da URSS / Rússia. E Bandera? Ah, este foi um grande malandro, pois pretendia beneficiar a Ucrânia. E não pode. Porque? Porque entre os irmãos iguais existem os irmãos “mais iguais que outros”. Ponto final.

PortugueseMan disse...

Caro JM,

Como não se fala muito da Geórgia, achei este artigo interessante:

Georgia under increasing fire over media freedoms

Authorities in Georgia are coming under increasing fire for manipulating the media, especially television news, damaging President Mikheil Saakashvili's reputation as a democratic reformer...

...The Georgian authorities are guilty of "persistent state manipulation of news media, particularly television broadcasting," the Committee to Protect Journalists (CPJ) said in a report this week...

...Transparency International said in a report in November that "today Georgia's media is less free and pluralistic than it was before the Rose Revolution" which brought Saakashvili to power...

...The CPJ pointed to coverage of the European Union report released last year into Georgia's 2008 war with Russia.

It said "the networks were either silent about the report's findings or chose to air only conclusions favourable to the Georgian side."...

...Previously a pro-opposition channel under tycoon Badri Patarkatsishvili, the channel was shut down by police during anti-government protests in 2007. Patarkatsishvili fled Georgia for London, where he later died of a heart attack...


http://news.yahoo.com/s/afp/20100219/wl_afp/georgiamediademocracytelevision_20100219045447

Será que ele vai se aguentar até ao final do seu mandato?

Espanta-me que aquilo internamente não tenha dado uma grande volta.

As coisas devem andar muito bem controladas.

Ítalo Tavares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jest nas Wielu disse...

Exposição fotográfica “Nikita Khrushev e o seu tempo”
http://www.kommersant.ru/doc.aspx?DocsID=1323106

“Resistência. 1989-2009” foto documentos dos protestos populares na Rússia
http://www.vedomosti.ru/newspaper/print/2010/02/08/224952

Anónimo disse...

Caros senhores,

Alguém mais inteligente e conhecedor desse país, pode me explicar como um ditador que matou milhões de pessoas, pode, neste governo, depois de anos no ostracismo, ser reverenciado na Rússia moderna de hoje?

Gilberto Mucio disse...

Realmente, essa glorificação de Stalin me enoja profundamente.

O grande vencedor na batalha contra o fascismo foi o povo SOVIÉTICO.

ALONE HUNTER disse...

Josef Stalini foi o maior estadista de todos os tempos!!! Um verdadeiro visionário, criador de um ideologia invejada por todos no planeta!!! Foi da mão desse gênio que saiu as maiores glórias da URSS, o seu legado que infesta a vida de milhões hoje em dia!!!

Sob a liderança deste HOMEM, a União Soviética desempenhou um papel absolutamente esmagador na derrota da Alemanha Nazista, e tornou a União Soviética a maior potencia do planeta, expandindo o território para um tamanho que sempre mereceu!!!

Tendo decisiva participação nos destinos deste conflito internacional, o governo soviético se consolidou no cenário político estabelecendo várias zonas de influência política, ideológica e econômica com a instalação da ordem bipolar.

Da Ucrânia ás ilhas Kuril no extremo-oriente, o território russo foi o que era devido á mente brilhante de Stalin!!!!

Nenhum homem na face da Terra teve mais poder do que Stalin entre 1924 e 1953!!! Stalin era tão poderoso que difundiu a sua ideologia por toda a Europa oriental, que cairam em suas mãos, assumindo o seu poder político!!!

O fim da União Soviética se iniciou quando ele morreu!!! Uma grande tragédia geopolítica,iniciada pelo fiasco Leonid Brejnev!!!!

Anónimo disse...

Alguns mortos não merecem a ressurreição!

Anónimo disse...

Não é só na Rússia que acham que Estaline foi bom, cá em Portugal temos uma grande defensora, a dra. Odete Santos, ex colega de partido do dr. Milhazes, também ele um antigo defensor das virtudes de Estaline.

Até Trotski, outro psicopata admitia quando os comunistas da altura tentavam atenuar as criticas a Estaline comparando-o a Hitler, que Hitler, pelo menos, tinha um sonho de criar uma sociedade melhor e defendia o seu povo, enquanto que Estaline massacrava os próprios cidadãos do seu país, digo cidadãos e não povo, porque este ser abjecto nem fazia parte do povo Russo.

Estou certo que por detrás destas tentativas de "reabilitar" Estaline estão os judeus.

Estaline foi a coisa mais tenebrosa que aconteceu desde sempre à Rússia, quem o defende devia ser acusado de alta traição.

A.J

Jose Milhazes disse...

Leitor A.J., os judeus por detrás da reabilitação de Estaline. Não me falça rir. É o mesmo que dizer que eles estão por detrás da reabilitação de Hitler na Alemanha.

Anónimo disse...

Sr jose milhazes quem ganhou com a rescontrução da alemanha?
Quem concedeu os emprestimos e agarrou os europeus á banca?

Anónimo disse...

AJ
Os judeus são, às vezes, um pouco esquisitos...mas nem tanto ao mar nem tanto à terra. Com o Ze dos bigodes nunca tiveram uma relação muito intima e foram mesmo convenientemente "apagados". Claro que como bons masoquistas, os judeus querem agora reabilitar o pai dos povos! Bem feita!
Fm

Anónimo disse...

Sim, pois claro, acusar os judeus de alguma coisa é anti-semitismo.

eles não fazem mer**, só os europeus é que podem e devem ter sentimento de culpa pela escravatura, guerras e claro pelas perseguições aos pobres coitadinhos durante 5000 anos.

Sem duvida que foram perseguidos sem qualquer culpa, todo o mundo esteve sempre errado e eles estavam certos!!


Gostava que algum judeu me explicasse o que aconteceu aos povos que habitavam a Palestina quando os judeus lá entraram a 1ª vez.. terão sido exterminados..? Que ironia, um povo que vive do sentimento de culpa dos outros por um crime que eles próprios cometeram há milhares de anos.

os judeus exterminaram os povos da que habitavam a Palestina sob a liderança de Moises(FACTO).

qual é a diferença dessa época para 1945? aliás os alemães foram mais humanos porque se mataram com gás(disputado por muitos historiadores, alguns na prisão por delito de opinião) então foram mais humanos que os judeus que degolaram crianças, mulheres e homens, um autentico povo de carniceiros.


O actual primeiro ministro de Israel, que caso não saibam é um criminoso de guerra à poucas semanas afirmou que no país iriam erguer uma estátua de homenagem ao exercito vermelho, claramente esta operação sem escrúpulos serve para seduzir Moscovo a juntar-se ao cerco ao irão, que é uma ditadura que os sionistas ainda não controlam.

mas claro, se o dr. Milhazes falar mal dos judeus ele seria saneado, ele sabe-o bem..
Ele como todos os jornalistas sejam do oeste ou este, estão impedidos de criticar os judeus.

Há judeus, cidadãos normalíssimos que professam a fé judaica e os sionistas que são autênticos gangsters que de forma sistemática causam sofrimento aos povos.

Só uma coisa doutor, eu não seria tão peremptório em considerar absurdo que há judeus que procuram reabilitar Hitler, por 2 razões antagónicas;

1-Há judeus que acreditam que Hitler foi o Messias que Deus enviou para os castigar e obrigar a regressar à terra prometida.

2-Procuram associar o nacionalismo branco ao nazismo, fazendo passar a imagem que os europeus nacionalistas brancos são paranóicos e violentos. procuram criar um sentimento de culpa colectivo para impedir o ressurgir de qualquer tipo de nacionalismo branco, Hitler é uma boa arma ao dispor deles.


J.

Francisco Lucrecio disse...

Todos nós sabemos que quem lutou foi o povo. Tal como noutros períodos críticos da história da Rússia foi sempre o povo o mais sacrificado.
Mas o povo organizado, o povo preparado e dirigido foi obra de Estaline.
Depois dos exércitos Hitlerianos terem dado um passeio triunfal por toda a Europa e terem esmagado e subjugado forças muito mais poderosas que as suas, viraram-se contra a jovem e debilitada URSS que estava braços com uma guerra contra o Japão nos confins da Sibéria onde se encontravam as suas melhores forças. As hordas fascistas lançaram-se com a sua infernal máquina de guerra pensando que os resultados seriam idênticos aos obtidos a Ocidente. Mas enganam-se, porque depois dos êxitos iniciais a situação inverteu-se e os desaires nunca mais param, até que foram levados a casa por o glorioso Exercito Vermelho.

Se Estaline não estivesse a dirigir a URSS não teriam havido “apenas” os 27 milhões de mortos. Porque também de certeza que não teria havido vitória.
Portanto os méritos são todos do povo que foi quem se bateu e quem deu a vida. Mas quem comandou o povo e o impulsionou para essa enorme façanha foi Estaline.

Se Churchill e Eisenhawer são aceites e considerados os grandes obreiros da vitória a Ocidente porque razão roubar esse direito a Estaline? Se Kutuzov é considerado o herói na derrota de Napoleão. Estaline não terá o mesmo direito na derrota de Hitler?

Gilberto Mucio disse...

Esse Vasco(?)/J é uma piada de português ambulante.

Gilberto Mucio disse...

Stalin não só não teve mérito nenhum na vitória dos soviéticos frente aos nazistas, como PREJUDICOU e muito.

Primeiro por ter expurgado o Exército Vermelho no final dos anos 30, e depois por ter assinado o pacto de não agressão e ter confiado nele.

O Exército Vermelho estava tão desmoralizado que levou uma surra da Finlândia em 40. Depois dessa, Hitler pensou "Opa, eles estão tão fraquinhos assim? Vamos entrar".

Após a invasão, Stalin se tranca num quarto, em depressão, e deixa o país sem comando por uma semana. Ninguém tinha coragem de tomar nenhuma iniciativa, e com isso a Alemanha entrou quase sem resistência.

Se não fosse a bravura do povo, e a perspicácia de gênios militares do porte de Vassili Chuikov(o papel de Zhukov é deveras superestimado), a URSS não teria sido vitoriosa.

Creditar a vitória soviética a Stalin é de uma ignorância COLOSSAL.

Pippo disse...

Está correcto o que o Gilberto disse. O Exército vermelho estava grandemente enfraquecido com as purgas de oficiais dos anos 30, dado que 85% dos oficiais superiores havia sido executada. Alguns (felizmente bastante competentes) foram poupados, outros, autênticas nódoas (ex. Vorochilov e Kulik), mantiveram-se no cargo, sendo responsáveis por muitos dos desaires sofridos pelas tropas soviéticas na Grande Guerra Patriótica.

Por outro lado, a inexplicável confiança de Stalin em Hiltler cegou-o por completo, mesmo quando alertado para o ataque eminente. E temos ainda a políticado do "nem mais um passo atrás", que condenou inúmeras divisões a serem cercadas quando poderiam optar pela fuga para combater num outro dia.

Enfim, não digo que o homem não fosse responsável pela vitória soviética sobre os nazis, mas também foi responsável por muitas das derrotas que de outro modo poderiam ter sido evitadas.

Em 1941 o problema com o Japão já estava resolvido. As forças nipónicas haviam sido aniquiladas em Khalkhyn Gol e a questão oriental ficou arrumada.

PS - Gilberto, vejo que colocou como imagem um quadro de El Lissitski, o que não dixa de ser irónico pois há aqui um personagem que fala muito contra os judeus. Sorte a do Lissitski ter morrido em '41, caso contrário poderia ter apanhado com a onda de anti-semitismo de lavrou de '45 em diante...

Jose Milhazes disse...

Estou plenamente de acordo com o Pippo e Gilberto.
Quanto aos judeus, como entre todos os povos, há bons e maus. Não tenho qualquer preconceito em relação a eles. Se eles entre si são mais solidários, isso deve ser um exemplo.
Entre os meus melhores amigos estão judeus e orgulho-me dessa amizade porque são pessoas muito inteligentes e trabalhadoras.

MSantos disse...

Penso ser um facto histórico indesmentível o facto de uma das principais razões de Hitler ter invadido a URSS ter sido o seu conhecimento da decapitação do exército vermelho da maioria dos oficiais capazes e competentes e como tal iria encontrar menos oposição à sua investida.

Outro factor importantíssimo teria sido a aliança no qual Estaline estava totalmente confiante, estando até a mandar matérias primas para os nazis até ao momento em que estes cruzaram a fronteira. Aqui a incompetência e falta de visão do carniceiro foram tais que até negligenciou os relatórios dos serviços secretos, em especial do espião richard Sorge.

Estes dois factos por si só apontam como único e grande responsável, Estaline, pela invasão da URSS pela Alemanha nazi.

Caso não tivesse havido purgas nos comandos do exército e tivesse havido uma postura de cautela e vigilância assim como de prontidão das FAs soviéticas, obviamente Hitler seria dissuadido a não atacar.

Os grandes responsáveis pela vitória soviética sobre a Alemanha terão sido basicamente três:

- O exército soviético comandado pelos poucos líderes valorosos que ficaram, como Zukhov ou Konev.

- O povo soviético

- O inverno e a imensidão dos territórios soviéticos

Cumpts
Manuel Santos

Anónimo disse...

Acho que não é nenhuma novidade, mas aqui algumas pessoas já deviam saber que o exercito vermelho não travou sozinho a guerra..

o exercito vermelho recebeu ajuda militar dos EUA e R.Unido, tanto é que a logística do exercito vermelho dependia quase na totalidade do programa land lease.

Além disso,a industria Alemã foi fortemente abalada pelos bombardeamentos dos aliados ocidentais.

sem esquecer a 2ªfrente que os aliados abriram na Normandia, nessa altura ainda os soviéticos não tinham conseguido acabar com o cerco a Leninegrado, estando as pessoas nessa cidade a viver como ratos.

O exercito vermelho lutou sobretudo em terra e sempre com pesadas baixas, cada vitória soviética foi sempre obtida com grande custo.

Li a uns tempos que os homens na URSS nascidos em 1920 foram exterminados na ordem de 80%

A URSS era um país de 200 milhões com recursos incontestáveis e com uma liderança sanguinária que estaria disposta a sacrificar o povo todo para ganhar a guerra todo custo.

Em 1945, os aliados ocidentais desaceleraram propositadamente o avanço para a Alemanha para dar tempo aos soviéticos para conquistarem Berlim.

Alguns defendem Zuckov, mas uma analise às baixas nas suas tropas demonstra que as vitórias que obteve foram sempre contra um inimigo em inferioridade numérica e mesmo assim o número de baixas foi sempre muito superior às do inimigo.

Se os soviéticos tivessem um qualquer general da qualidade de um Rommel ou politicos com o minimo de inteligência a alemanha nunca se atreveria a atacar uma país como a URSS.

A burrice e estupidez de Estaline revelou-se mais nítida nos ultimos anos de governação, quando impôs o embargo a Berlim em 48/49. Só não foram arrasados nessa altura porque a opinião publica americana era contra a guerra com uma recente aliado, senão, essa idiotice de Estaline poderia ser mais uma calamidade para o povo

As pessoas parece que se esqueceram que nos anos a seguir à 2ºgerra, Estaline meteu na cabeça que as armas nucleares eram inofensivas e tenho mesmo a convicção que se durasse mais uns 5 anos a URSS seria destruída pelos aliados ocidentais,

Mesmo em 1962, com a crise de cuba, os soviéticos tiveram que meter o rabinho entre as pernas e bater em retirada, o bom senso prevaleceu e seria estúpido atacarem os EUA quando os americanos possuíam 10*mais armamento que os soviéticos.

j.

Francisco Lucrecio disse...

Qualquer Comunista que se preze de tal não deve recear falar sobre Estaline (para o bem ou para o mal). Porque Estaline a par de todos os seus actos, foi um devorador de Comunistas.
Portanto por uma questão de grandeza moral os Comunistas não precisam das lágrimas vertidas por as carpideiras ao serviço da burguesia imperialista para chorarem os seus mártires.
A “compaixão” dos anti-Estalinistas por conseguinte anti-comunistas deve ser dirigidas às vitimas inocentes do sistema em que se revêem e defendem, o capitalismo.

Não será preciso fazer um grande exercício de imaginação nem recuar muito no tempo para se tirarem conclusões aterradoras que deixam Estaline e o Comunismo fora desse palco de encenações montado por os dirigentes capitalistas e seus sequazes.

Esse cenário tem sido montado peça a peça ao longo de décadas. Só que os seus construtores falharam na montagem, na medida em que deixaram o fosso da orquestra no centro do palco , e os actores, conforme entram em cena vão-se estatelando. Ou seja; os fabricantes dessas “verdades” indiscutíveis vão caindo um após outro no alçapão que deixaram aberto.

Essa pantomina propagandística foi montada por Hearst um nazi que em 1933 visitou Hitler pouco depois deste tomar o poder na Alemanha. Enquanto a cadeia de jornais por ele controlada fazia a sua campanha anti-comunista nos EUA, Goebbels e o regime Nazi desempenhavam o seu trabalho na Europa.
E a partir daí os promotores dessas campanhas ou era alguém confessadamente de direita ou manobrados e financiados por ela. Entenda-se; Anti-comunistas.


Por essa razão Trotsky, Bukarine e todos os comunistas que morreram às ordens de Estaline não necessitam

Após a queda da URSS desenvolveu-se um esforço tenaz nos países capitalista para mostrar Estaline numa imagem de vilão incontestado. Toda a literatura que se expunha era apenas para denegrir a sua imagem como pessoa ou como politico. Essa situação inverteu-se face à crise que o capitalismo está mergulhado, e ao fracasso do modelo politico imposto nos antigos países Socialistas.
Nos dias de hoje existe já muita literatura publicada sobre Estaline a sua obra e o seu tempo. E as responsabilidades que o capitalismo teve na deriva do processo politico da URSS.
CinNaroda

Francisco Lucrecio disse...

Vilipendiar o tratado Molotov/Ribentropp e rasgar da história o tratado de Munique assinado um ano antes, só pode ser considerado um exercício da mais pura demagogia. Vamos ver qual os objectivos de um e de outro, e daí concluir-mos qual deles era absorto das piores intenções.
Quem se atreve a tal perversão da história diz logo de que lado está e a verdade que defende!

Mais; não deixa de ser outro exercício de demagogia grotesca quando se exige que a URSS tivesse feito aquilo que os vencedores da I GG não conseguiram. Foram esmagados em apenas 40 dias sem quase oferecer resistência. Com melhores e mais equipamentos militares.
A URSS ainda exangue da IGG e das agressões levadas a cabo pelos países da Entente durante a guerra civil em que perdeu 6 milhões de cidadãos, ficou com a quase totalidade das suas incipientes infra-estruturas destruídas, depois disso foi submetida a um bloqueio económico criminoso imposto por os países capitalista que tudo fizeram que fosse ela (URSS) a primeira vitima das ambições guerreiras de Hitler.
Se os aliados não conseguiram deter as ainda pouco experientes forças Alemãs, era a URSS que dois anos depois tinha o dever de lavar a honra da humilhante derrota sofrida. Frente a um exercito altamente motivado e dotado da mais eficiente máquina de guerra até então vista?
Isto diz tudo sobre a isenção de quem profere estes comentários. Não defendem Hitler porque seria atrevimento a mais. Mas de vez em quando lá vão comparando o nazismo ao Socialismo, como se os dois sistemas se entroncassem minimamente.

Só existe uma razão para explicar estas tomadas de posição. É a aversão à União Soviética e o que ela representou para a emancipação do movimento operário a nível mundial. E a burguesia capitalista e os seus leais defensores jamais perdoarão isso!
Os ses e os mes nada contam para o caso. Qual extensão territorial? Qual inverno? Era extensão de território para uns não o era para os outros? Se a Wehrmacht controlava todas as vias de comunicação a Ocidente! O inverno nesse período foi permanete?

Se não tivessem sido eliminados os conspiradores em 37/38 em vez de um Vlassov tinham aparecido uma dúzia.
Rokossovsky também foi uma das vitimas dos expurgos no entanto ele não traiu.
Apareceu aqui um Senhor que teve a desfaçatez em afirmar que Estaline na primeira semana de guerra se escondeu. Por aqui está patente até onde pode chegar o atrevimento anti-comunista.
Se quando os nazis estavam às portas de Moscovo a Luftwaffe era a senhora dos céus Estaline não deixou de organizar a parada do 7 de Novembro. Escondia-se quando estavam a centenas senão a mais de um milhar de kms? Era muito importante que esclarece-se melhor onde foi rabiscar essa fantasia!
Este Senhor sabe qual foi o primeiro dirigente Soviético que falou ao país e quando o fez? E quais foram as medidas que foram tomadas de imediato?
Quanto a heróis cada um pode eleger o que mais lhe agrade. Não é por isso que a história vai ser alterada.

Além disso quando se fazem todos os reparos e criticas aos erros cometidos pelos dirigentes Soviéticos. Os seus inimigos esquecem que a Rússia Czarista era o país mais atrasado da Europa, em cercas áreas estava mais de cem (sim 100) anos atrasada em relação aos países capitalistas mais desenvolvidos.
Ignoram esta realidade? Depois têm o atrevimento de exigir que os Soviéticos colmatassem as brechas abertas por potências detentores de vastas possessões coloniais onde dispunham de mão de obra escrava abundante e riquezas infindáveis! Ao passo que os Soviéticos apenas podiam contar com os próprios recursos.


Por enquanto estamos embrenhados em assuntos de retórica mas lanço o desafio a quem queira para discutirmos as questões práticas. Ou seja; os êxitos e os fracassos da URSS durante esse período.

Jose Milhazes disse...

Caro Francisco Lucrécio, quem é que quer rasgar da história o Acordo de Munique? Qualquer historiador minimamente sensato lhe diz que esse acordo é dos piores erros da diplomacia europeia na sua história. O acordo de Molotov/Ribbentrop não pode ser justificado por ele. Se Estaline ganhou tempo, Hitler também ganhou. Mas nem isso é exacto. Enquanto Hitler aproveitou o tempo para concentrar as suas tropas na fronteira soviética, Estaline não conseguiu criar novas linhas de defesa. E isto é apenas um exemplo.
Quanto à sua suposição de que se não fossem as purgas de 37/38, teriam aparecido mais Vlassov's, apenas a posso atribuir a má fé ou ignorância crassa. Vlassov era querido e protegido por Estaline e traiu. Rokossovski regressou a Moscovo do campo de concentração estalinista sem dentes e não traiu. Porque não se tratava de ser fiel ou não a Estaline, mas à Pátria.
E para terminar, a Rússia czarista não era o país mais atrasado da Europa, longe disso. Era um país de desenvolvimento fortemente assimétrico, com pólos industriais muito desenvolvidos e grandes zonas de miséria. Ou o Sr. pensa que a Rússia só se começou a desenvolver depois da revolução comunista?

Anónimo disse...

"Acho que não é nenhuma novidade, mas aqui algumas pessoas já deviam saber que o exercito vermelho não travou sozinho a guerra.."

Pois, mas imagine só o que teria sido dos seus queridos EUA se a Alemanha não tivesse invadido a Rússia e se esta nunca tivesse entrado na guerra.

Seria bonito de ver os ianques e os beefs a chegarem à muralha do atlântico com o exército nazi completo e fresquinho para os receber.

antonio everardo disse...

Caro Milhazes,

Eu sou todo a favor da presença seja em vida ou não de Estaline na Rússia e Leste Europeu. Por que não há como não vincular os 65 anos do Dia da Vitória a esta grande personalidade da História Contemporânea.

Se por um lado, o Fuher é pesadamente extirpado dos nossos meios, não seria justo que Estaline também o fosse; afinal, Estaline foi aliado dos USA e Inglaterra, inimigos mortais da Alemanha aquela época.

Se “excomungarmos” Estaline dessas celebrações, seria o mesmo que não enaltecêssemos o PM inglês, Roosevelt e De Gaulle, dentre outros vencedores.

Falam uns entendidos, que Estaline matou muito. Mas quem não matou muito? O domínio das Américas pelos USA desde o início do Século Dezenove causou milhões de óbitos, mas isso não se vê nos medias por ordem deles. V.Sa. vê justiça?

Falam que Estaline atrasou o leste (a Rússia). Mas por onde andam os avanços tecnológicos da África e da América Latina? E note-se que os “sábios” e “desenvolvimentistas” anglo-americanos ainda há pouco estiveram a comandar as economias e direitos daqueles cidadãos. Quem é o dono da segregação racial no sul da África? Seria produto das ações de Estaline ou dos “sábios” democratas do Ocidente?

Quem é o dono da grande distância entre ricos e pobres nas três Américas? Fruto do Estaline ou dos “sábios”?

Pois então? Entre as estátuas e reverências aos “sábios e desenvolvimentistas” e os monumentos a Estaline, eu prefiro mesmo as daquele grande líder russo.

Os Ocidentais estão na situação que seriam capazes de culpar a Russia de Estaline pela poluição do planeta, de tão desesperados....

Esta, caro JM, é a realidade, e por isso é que Estaline deve ser reverenciado e respeitado também como uma pérola de cidadania.

No dia 9/5, prepare, por favor, sua câmera digital e não economize os cliks. Mesmo que naquela manhã tenda a chover, peça a Medvedev que não destrua as nuvens. Isso seria anti-stalinismo.

Abraço de Teresina, Brasil.

Anónimo disse...

"Esta, caro JM, é a realidade, e por isso é que Estaline deve ser reverenciado e respeitado também como uma pérola de cidadania."


É incrível ver ocidentais odiando a propria civilização.

Pedro disse...

Ainda há por aqui quem afirme que a URSS só veceu por caua da ajuda dos USA em meios militares elogistcos. Isso é um dos maiores mitos que se criou no Ocidente.
Qunado muito os russos receberem umas carrinhas velhas e umas espingardas enferrujadas da I Guerra Mundia.
As amras decisivas foi o tanque T-34 e os misseis Katiusha, ambos projectados e fabricados na URSS.
Os Nazis até se borravam quando viam o ceu coberto por vagas de rockets katiusha. Era dantesco.
Em relaçãoa Estaline, só sabendo de factos concretos e das razões que o levou a comeeter certos crimes, mas aquela da execução dos militares Polacos é imperdoavel e grotesca. Um santinho nunca foi.

Anónimo disse...

Quem quiser saber a verdadeira história sobre a Grande Revolução Socialista de Outubro e sobre o funcionamento da democracia soviética deve ler os "Dez Dias Que Abalaram o Mundo", de John Reed.
Depois de ler esse livro, escrito por um jornalista que assistiu aos eventos em primeira mão, pode deixar de dar importância à propaganda do capital, porque por muitos crimes que o Stalin tenha cometido, que realmente cometeu muitos, as ditaduras da burguesia que existiram durante o século XX e que infelizmente continuam hoje a dominar o mundo cometeram muitos mais crimes.

Anónimo disse...

"(...) mas aquela da execução dos militares Polacos é imperdoavel e grotesca. Um santinho nunca foi."

Houve uma investigação na Duma que pôr sérias dúvidas à tese de esse massacre ter sido cometido pelo exército vermelho. Suponho que esteja a falar do massacre de Kátine...