segunda-feira, março 29, 2010

Ataques terroristas bem planeados e com alvos bem definidos

Poucas horas após os tentados terroristas de hoje, o Presidente russo, Dmitri Medvedev, declarou que "a política do Estado com vista ao esmagamento do terror no país e a luta contra o extremismo irá continuar sem vacilações e até ao fim".
No entanto, essa política voltou a falhar de forma flagrante.
Todos os indícios apontam para o facto de os atentados terroristas terem sido previamente bem planeados e com um objetivo claramente definido: desacreditar o Serviço Federal de Segurança (FSB) e o Ministério do Interior da Rússia.
A primeira explosão aconteceu na estação de metropolitano de Lubianka, que outrora tinha o nome de Dzerinskaia, em honra do fundador da polícia política soviética, e está situada por debaixo da sede do Serviço Federal de Segurança. Além disso, a bomba transportada pela suicida explodiu dentro do comboio "Flecha Vermelha", um dos poucos comboios que possui nome próprio na linha de Moscovo.
A segunda explosão aconteceu na estação de Park Kulturi, mas algumas informações indicam que a bomba deveria ter rebentado na estação seguinte, Oktiabrskaia, onde se situa o Ministério do Interior da Rússia. O erro teria ocorrido por a suicida não conhecer bem o metropolitano de Moscovo.
Nos últimos tempos, a polícia russa tem sido alvo de duras críticas por dirigir a sua ação para o combate às manifestações da oposição, bem como por frequentes arbítrios em relação aos cidadãos. Quanto aos serviços secretos russos, são acusados de se preocuparam mais com os seus negócios do que com a segurança das pessoas. Numerosos agentes do FSB dirigem empresas públicas ligadas à exploração e venda do petróleo e gás.
Dmitri Medvedev, respondendo às críticas dos cidadãos, demitiu, há algumas semanas, numerosos generais da polícia e prometeu continuar a "limpeza", mas não mexeu na direção dos serviços secretos, estreitamente ligados ao primeiro ministro Vladimir Putin.
Também já ninguém duvida que estes atentados terroristas, tal como tem acontecido antes, são obra da guerrilha islamita separatista que atua no Cáucaso do Norte: Tchetchénia, Inguchétia e Daguestão.
A guerrilha ainda não reivindicou o atentado, mas, na notícia dos atentados publicada no seu sítio eletrónico kavkazcenter, chama às suicidas "mártires".
Nos últimos tempos, as forças policiais e militares russas têm lançado frequentes operações de combate à guerrilha no Cáucaso do Norte, mas, aparentemente, desprezaram a retaguarda e a capacidade dos separatistas de atuarem em outras regiões da Rússia. Em novembro passado, uma bomba fez descarrilar o comboio rápido que liga Moscovo a São Petersburgo, provocando dezenas de mortos e feridos.
O Presidente russo já chegou à conclusão de que o problema do terrorismo no Cáucaso do Norte não pode ser resolvido apenas por meios militares e tomou uma série de medidas com vista a resolver problemas como o desemprego e a corrupção na região, mas elas ainda não passaram à fase da concretização real.
Medvedev criou mesmo o Círculo Federal do Cáucaso do Norte para concentrar forças e meios nesse sentido, mas os resultados só virão a longo prazo.
P.S. O terrorismo é sempre um ato execrável, sem qualquer justificação e as vítimas inocentes merecem todo o respeito.

28 comentários:

João Gil disse...

Os atentados de hoje demonstram uma vez mais o quão longe a Rússia está de controlar a actividade dos grupos islamitas do Cáucaso do Norte. Isto deve-se não só às consecutivas más estratégias empregues pelas agências de segurança russas a actuar nessas regiões, mas também à fragilidade das cúpulas operacionais, que estão em constante desconcerto interno.
O terrorismo é um inimigo difícil de derrotar, provavelmente até impossível. Mas na Rússia, devido à displicência, à corrupção e à ineficácia das agências governamentais, que utilizam métodos em desuso, controlar o problema terrorista no país é ainda mais difícil.

Cristina disse...

Era disto que eu tinha medo quando vivia em Moscovo!
Mesmo estando em Portugal, esta manhã foi de desassossego com estas notícias vindas da Rússia.
Quantas vezes não percorri os lugares que os jornais mostram, os mesmos lugares onde agora se vê gente assustada a passar e pessoas ensanguentadas!
Estive também muito perto da morte em Fevereiro de 2004, quando houve uma explosão semelhante perto da Paveletskaya. Era a linha de metro que eu utilizava todos os dias para ir para o trabalho, saindo precisamente na estação Park Kulturi! Nesse dia, resolvi ir mais tarde e soube então que, meia hora antes, tinha havido uma explosão numa carruagem do metro. Fiquei nos meses seguintes com um medo irracional e difuso, só conseguindo entrar no metro com um livro de orações que ia lendo ao longo do percurso!
O meu principal medo era que, se me acontecesse alguma coisa, os meus filhos não saberiam e ficariam sozinhos num país estranho…
Mesmo passado muito tempo, tinha consciência que o metro era um dos locais mais perigosos de Moscovo, apetecível para os terroristas por passar lá um enorme número de pessoas e quase não haver controlo à entrada.
Esta é mais uma tragédia para a Rússia, uma tragédia quase inevitável para um país com várias repúblicas muçulmanas. Arrisco-me a dizer que as cidades russas irão continuar a viver assim, debaixo do medo, porque os que espalham o terror infelizmente já estão infiltrados em todo o país.

Ricardo disse...

A Rússia é um país muito complexo e não pode ser visto como algo parecido com Portugal ou com o Brasil. Derrotar os extremistas passar primeiro por mudar a mentalidade dos grupos do caucaso norte, o que levará no mínimo decádas!

ALONE HUNTER disse...

Isso só pode ser resolvido por meios militares. Com esse tipo de gente não se negocia, e não estou tão otimista com as ações russas que seguirão...

Com certeza será uma nova Guerra da Chechenia, o negócio vai feder no Cáucaso...

A primeira coisa á se fazer agora é enviar para o Cáucaso mais 4 brigadas de outros distritos militares, para dar apoio áo Distrito Militar do Cáucaso Norte.E também enviar para esta região centenas de veículos do tipo BTR-90 e similares,veículos BMP-3 para infiltrar tropas de infantaria bem fundo dentro do território inimígo. Eu acho que esses tanques do tipo T-80 não serão muito úteis, pois será batalha urbana, e sua mobilidade é muito prejudicada.

Apoio de helicópteros do tipo MI-24 serão impressindíveis, assim como o Apoio-Aéreo Aproximado dos SU-25 FROGFOOT. As batalhas serão do tipo guerrilha, similares á daquele filme "Blackhawk Down".

Ainda bem que existe um canal de notícias na internet chamado RT! Quero aqui indicar á todos os amigos que postam neste blog o website http://rt.com/On_Air.html, é um canal de televisão de notícias russas em ingles...

Eu sou completamente viciado por este website, eu fico 24 horas por dia com ele no ar, no trabalho, em casa, em qualquer lugar!!!

Eu vou ficar colado neste website acompanhando passo a passo, todos os desdobramentos sobre este atentado, sentado confortavelmente em minha poltrona, tomando cerveja e comendo pipoca!!!

Gilberto Mucio disse...

Moro perto da Park Kulture, e de frente à Oktyabriskaya.

As cenas que vi hoje de manhã foram bem tensas. Trânsito interrompido, ambulâncias pra lá e prá cá, carros de polícia por todos os lados, bombeiros, pessoas no meio da rua sem saber para onde ir...

Também perdi compromisso, pois teria que passar pela Park Kulture, e ela obviamente ficou interrompida.

Bem tenso mesmo. A sensação de insegurança que atentados terroristas passam é uma coisa indescritível.

------
E no mais, por mais que a intenção tenha sido desmoralizar o governo russo, esse atentado vai acabar beneficiando o mesmo.

Logo agora que estavam a pipocar ondas de protestos contra o governo -- esses canalhas terroristas fazem uma m***a dessa contra trabalhador inocente.

Quer queira, quer não, politicamente será vantajoso para o governo Putmad.

Gilberto Mucio disse...

Só uma coisa:

É MATERIALMENTE IMPOSSÍVEL se evitar um atentado desse tipo em Moscou.

Não há como revistar 5 - 7 milhões de passageiros por dia.

Anónimo disse...

"Eu vou ficar colado neste website acompanhando passo a passo, todos os desdobramentos sobre este atentado, sentado confortavelmente em minha poltrona, tomando cerveja e comendo pipoca!!!"


Esse Alone Hunter é uma comédia!!!

kkkkkkkkkkkkkkkkk!!!!

Jest nas Wielu disse...

As vezes penso: “mas será que Caçador Sozinho é real? A escrita tão tres naíve poderá ser real?”

Helena Ferro de Gouveia disse...

Obrigada pelas suas palavras lúcidas e corajosas.

Gostava que explorasse no seu Blogue a temática das "viúvas negras" e a sua explicação socio-histórica.

Jest nas Wielu disse...

Discussão no blogue do Andrey Illarionov sobre quem é responsável pelas explosões moscovitas:
http://aillarionov.livejournal.com/188783.html
Duas mulheres muçulmanas foram espancadas em metro de Moscovo:
http://http/echo.msk.ru/news
Medvedev & Luzhkov no local da tragédia (foto):
http://ed-glezin.livejournal.com/122928.html

Anónimo disse...

Já disse noutro post que o Alone Hunter é uma personagem criada provavelmente pela Embaixada russa no Brasil (ou alguém pago por ela)para fazer contra-informação pró-russa.
Por isso, à semelhança do outro "anónimo russo" que já aqui não escreve, não vale a pena dar-lhe atenção nem levá-lo a sério.

Anónimo disse...

Coisas do outro mundo: como sabe o sr. Milhazes das intenções da suicida? Porque é que a bomba tinha de ser para o Ministério do Interior?

Anónimo disse...

E quanto às "viúvas": não eram duas adolescentes as suicidas? Foi o que li. Então, já eram viúvas? Bem se sabe que no Islão há casamentos de menores, mas é capaz de ser coisa nova, movimento juvenil , ou pior.

Anónimo disse...

E o que interessa o comboio ter nome ou não? realmente, o terrorismo afecta mesmo as pessoas. Até na racionalidade.

Maria e Flavio disse...

"Coisas do outro mundo: como sabe o sr. Milhazes das intenções da suicida? Porque é que a bomba tinha de ser para o Ministério do Interior?" - Não é uma teoria do Sr. Milhazes, apenas informação explorada na imprensa russa. Embora também acho que é pouco provável, que as suicidas estavam a caminho do FSB e MID.
Toda a situação com o Caucaso do Norte é muito compicada. É uma longa história que começou há seculos. Quando é que isto vai acabar?
Agora os casos de vingança, como aquele com duas mulheres muçulmanas no metro pouco depois das explosões, vão acontecer cada vez mais. Violência gera violência.
Talvez a Rússia realmente devia dar a independência às republicas do Caucaso, já que eles querem-na tanto. Não vão conseguir sobreviver sozinhos, mas que se desenrasquem!

Jose Milhazes disse...

Maria e Flavio, leiam com atenção o texto. Eu escrevi, segundo algumas informações, que, no caso, foram difundidas pela imprensa russa.

kauskas disse...

Possivelmente não se pode controlar o metro mas uma quantidade pequena de cães treinados para explosivos teriam sido mais eficazes que a quantidade de policias alcoolatras que foram destacados.

Roman disse...

Obrigado a todos pelas condolências. Vocês são muito "compassivos" em falar das autoridades corruptas e "policias alcoolatras".

Gilberto Mucio disse...

Kauskas,

(Justiça seja feita)

Mesmo assim, com cães farejadores, é MUITÍSSIMO difícil prevenir.

Com certeza você nunca esteve no metrô de Moscou, no qual passam diariamente cerca de 7 milhões de passageiros(às vezes quase 10 MIlhões!!!), onde na maioria das estações se tem aquele gigantesco mar de gente.

Na estações de metrô, diariamente se tem cães farejadores, mesmo sem ameaça eminente de atentados.

Claro, evidente, que aumentar o efetivo, tanto de homens quanto de cães ajuda, mas ainda assim, por si só, não é suficiente para evitar atentados.

A solução para isso não é fácil, mas tem que passar por algo como:

-- Melhoria das condições de vida nas repúblicas do Cáucaso do Norte - criação de empregos, geração de riquesas, respeito aos direitos humanos lá. Essas loucas terroristas são gente desesperada de vida desgraçada. São é justo que Moscou concentre cerca de 70% do PIB russo, e deixa essas cidades e regiões ao deus dará, terra de ninguém.

-- Ainda mais investimento em inteligência. Tem que pegar os terroristas ANTES deles cometerem o atentado.

Gilberto Mucio disse...

Errata:

«Iminete»(e não «eminente»)

Gilberto Mucio disse...

Errata 2:

«Não é justo(...)»

Jest nas Wielu disse...

Cães farejadores: nunca vi nenhum cão farejador no metro de Lisboa e parece que a capital portuguesa consegue não sofrer com as explosões. Porque será?

PortugueseMan disse...

...nunca vi nenhum cão farejador no metro de Lisboa e parece que a capital portuguesa consegue não sofrer com as explosões...

E em Madrid, consegue ver os cães?

ALONE HUNTER disse...

Portuguese Man

Vai ver que o cão era portugues!!!

kkkkk....

Jest nas Wielu disse...

2 PortugueseMan

Na minha última deslocação ao Madrid não vi nenhum cão lá, nem as patrulhas da polícia, se calhar até há, mas não vi.

Pippo disse...

"nunca vi nenhum cão farejador no metro de Lisboa e parece que a capital portuguesa consegue não sofrer com as explosões..."

Talvez porque Portugal não sofre com movimentos independentistas no seu território. E em Espanha, inavariavelmente, eles sofrem com os ataques bombistas da ETA. A diferença é que os vizinhos de Espanha ajudam-na contra os terroristas, ao passo que os vizinhos da Rússia parecem olhar para o outro lado quando toca a debelar os terroristas que atacam Moscovo...

Jest nas Wielu disse...

2 Pippo

/os vizinhos da Rússia parecem olhar para o outro lado quando toca a debelar os terroristas que atacam Moscovo... /

Mais um cliché seu, pois confundes a opinião das pessoas com a política do Estado, os serviços secretos da Ucrânia (SBU) sempre colaboraram com os seus homólogos russos na questão do terrorismo. Algum agradecimento em resposta? Apenas as histórias de sempre sobre as “atiradoras da Estónia” e os «nacionalistas ucranianos à cavalo»…

p.s.
E se Portugal não sofre com movimentos independentistas no seu território, é porque saiu das suas colónias, desligando-se do passado colonial & imperial, algo que não foi feito pela Rússia.

Pippo disse...

Mas estás muito enganado! O Cáucaso do Norte não é uma colónia russa! A Criméia, essa sim, é que é uma colónia ucraniana, pois nunca pertenceu aos ucranianos, que nem sequer a conquistaram. Devolvam-na aos tártaros e rapidamente! Olhem que os tártaros não são tão pacíficos como os russos... :O)

Colaboração com os ucranianos? Qual? Detiverem algum checheno recentemente? E os chechenos que se acoitavam na Geórgia, em Pankisi? Foram detidos ou entregues às autoridades russas?