terça-feira, março 30, 2010

Serviços secretos receberam informação, mas não souberam impedir atos terroristas

O diário Kommersant noticia hoje que, “segundo dados não confirmados, as forças de segurança podiam dispor informação sobre o possível ataque no metropolitano”, sublinhando que “ontem de manhã cedo, numerosas mulheres com aspeto de caucasianas foram detidas sob o pretexto de controlo de documentos, revistadas e conduzidas a esquadras”.
Este jornal falou com uma dessas mulheres que afirmou que soube dos atos terroristas quando o chefe da esquadra para onde tinha sido conduzida entrou a gritar: “Como puderam permitir isso, tinham informações!”.
Quanto à autoria dos atentados, que provocaram pelo menos 38 mortos, a maioria dos órgãos de informação inclina-se para a “pista caucasiana”, mas apela às autoridades a impedir uma campanha contra os habitantes do Cáucaso do Norte.
“É preciso mostrar a todos que os terroristas não são só caucasianos, mas pessoas concretas que não querem a paz. Deve-se organizar muito inteligentemente a propaganda. Uma resposta militar dura não será construtiva”, defende o jornal Nezavissimaia Gazeta.
O Kommersant cita as palavras de altos funcionários russos que consideram que os atos terroristas foram “um desafio aos “tchekistas”, como são conhecidos os agentes dos serviços secretos russos, e ao Partido Rússia Unida, do primeiro-ministro Vlsdimir Putin.
“Lubianka! Isso é um desafio aos tchekistas! Ainda temos de ver quantos morreram lá”, afirmou Anatoli Kvachnin, representante do Presidente Russo na Sibéria, citado pelo Kommersant.
O Nezavissimaia Gazeta recorda, a propósito, que Vladimir Putin teve de suspender a realização de um mini-congresso da Rússia Unida na Sibéria “que se deveria tornar o símbolo da campanha eleitoral de 2011”.
Porém, algumas forças políticas não excluem a possiblidade de os atentados terem sido obra dos próprios serviços secretos russos.
“O objetivo é mostrar a instabilidade do sistema e provocar medo para, desse modo, legitimar a exigência da criação de um “estado forte”, escreve o jornal Moskovski Komsomolets, citando uma fonte no Partido Comunista da Rússia.
Este matutino considera que “infelizmente, os comunistas exprimiram a opinião de muitos e muitos russos simples, que já não acreditam nas permanentes justificações com guerrilheiros impossíveis de apanhar”.  
A imprensa russa chama a atenção para o fato de as televisões públicas terem noticiado os atentados com atraso.
“O trabalho das televisões na Rússia é asqueroso. Não há qualquer informação. As pessoas, sem saberem de nada, dirigem-se para o metro e vêem um pesadelo”, declara a analista política Marina Litvinovitch, citada pelo diário Novie Izvestia.

15 comentários:

ALONE HUNTER disse...

E qual é o problema? A CIA, que recebe bilhões do orçamento dos USA, não consiguiram descobrir que, bem antes dos atentados terroristas de 11 de setembro, terroristas eram treinados no Afeganistão pelo Talibam e pela Al Qaeda para perpetrarem o ataque!!!

Qualquer país no mundo poderia ser vitimado por um ataque deste gênero!!! Mais uma vez, uma crítica injusta á Rússia.

E se esquecem, por exemplo, de atentados terroristas bem piores do que o que ocorreu na Rússia ontem. Se esqueceram dos ataques terroristas de Madri, em 11 de março de 2004?? Se esqueceram dos ataques terroristas em Londres no dia 7 de julho de 2005? Se esqueceram dos ataques terroristas em Istambul, no dia 20 de novembro de 2003???? Forem muito, muito piores do que os de ontem!!!! E olha que a Al Qaeda está longe destes países. Então, como entraram???

Não fiquem culpando os serviços secretos russos apenas com o objetivo de criticar mais uma vez a Rússia!!!

E a Scotland Yard? E os serviços secretos da Espanha, Turquia e outros... Todos eles falharam!!!!!

Jest nas Wielu disse...

off top:

Mini – sensação, na Rússia, no canal de TV Cultura, no dia 2.04.2010 às 19h50, será demonstrado o filme do Andrzej Wajda “Katyn”, sobre o extermínio de soldados e oficiais polacos pela NKVD em 1940:

http://www.tvkultura.ru/
news.html?id=438574
http://pt.wikipedia.org/wiki/
Massacre_de_Katyn

Jest nas Wielu disse...

Explosão em Kizliar:

http://news.mail.ru/incident/3590532

e para não dizerem que só falo mal do país que todos os dias se levanta do chão, em Maputo também temos:
http://www.verdade.co.mz/destaques/
latest-news/explosao-de-bomba-em-maputo.html

Jest nas Wielu disse...

off top:

Porque as bailarinas e os gays se afiliam no partido “Rússia Unida”?
http://www.newsru.com/russia/
30mar2010/esquire.html
http://ed-glezin.livejournal.com/123650.html

PortugueseMan disse...

O diário Kommersant noticia hoje que, “segundo dados não confirmados, as forças de segurança podiam dispor informação sobre o possível ataque no metropolitano”, ...

Caro JM,

Dados não confirmados e podiam dispôr de informação?

Confesso que me faz confusão este tipo de notícias.

Já não basta as confusões/tensões que estas situações criam, para ainda os jornais andarem a dar palpites para venderem.

Enfim, é assim por todo o lado. O que interessa é vender.

Anónimo disse...

Então e os de hoje no Daguestão também estavam previstos?

Está na Hora ! disse...

Chegou a hora de Medvedev ir para férias prolongadas. Putin deve voltar ao poder ou arranjar outro sucessor à altura e ir embora. Este PR é um desastre para a Rússia. Desta forma acaba tudo à pancada. Está na hora de Medvedev ir embora!

Bremm disse...

Se ficar provado que os atentados recentes em Moscou/Moscovo têm participação de membros da FSB ou outros órgão ligado a segurança na Rússia, tais incidentes ficarão para os anais da história como boa parte da farsa de 11/Set que não pode ser encoberta, como o suposto avião que caiu no Pentágono e que na verdade tratava-se de um míssil.

Mentiras repetidas milhares de vezes acabam tornando-se verdades.

Jorge Almeida disse...

Isto cheira a notícia plantada pelo Kremlin para consumo interno, como que a dizer que as autoridades policiais recolheram bem a informação, mas que houve um "caramelo" (ou uma série deles) qualquer que foi incompetente, e que não processou a informação convenientemente.

Não me espantava nada que tentassem arranjar um "bode expiatório" dentro das autoridades, se possível implica-lo com os terroristas islâmicos, e dizer que foi este "calhau" que impediu a prevenção deste atentado.

Quanto à ideia que este atentado pode ter sido obra do FSB, não é uma ideia original. Basta recordar as teses expostas no livro "Terror na Russia", da autoria de Alexander Litvinenko e Yuri Felshtinsky, em que o FSB é acusado de "proezas semelhantes".

ALONE HUNTER disse...

Como os europeus estão cheios de teorias conspiratórias!!!

É por isso que a população está em declínio, tá faltando mulher aí!!!

Caiam na real!!!

Jest nas Wielu disse...

Metro de Moscovo

Ficção científica russa (súb - género: militar), autor Dmitri Glukhovski: “Metro 2033” (comecei ler e gostei, o autor é jornalista, no Ocidente julgam que trabalha(ou) para SVR.

http://http/flibusta.net/b/
102773/read

Pippo disse...

É muito fácil executar-se um atentado no Metro de Moscovo. Por lá circulam milhões de pessoas todos os dias e é virtualmente impossível fazer-se uma fiscalizaçao individual. Separar os que têm aspecto de "caucasiano" seria políticamente incorportável, como sabemos.

O trabalho de recolha de informação por parte dos serviços de segurança nõ é fácil pois depende, sobretudo, da infiltração de informadores nas células terroristas as quais, por regra, são herméticas. É possível adquirir pistas indirectas sobre a existência de grupos subversivos (reuniões de gente suspeita, existência de casas seguras, a eventual aquisição de equipmento, etc., mas dado que estamos sob a alçada de um crime civil há que adquirir provas irrefutáveis de que se preparava um atentado, caso contrário os suspeitos serão apenas detidos pela posse de material proibido (armas e explosivos, por exemplo).

Mesmo nos aeroportos, onde a fiscalização é mais exigente, com meios de detecç]ao de Raio-X, cães e dispositivos de detecção de droga e explosivos (para além da detecção humana, que é inestimável), é possível furar as malhas policiais, como foi comprovado no voo Amesterdão-EUA no Natal passado. E não foram as forças policiais quem travou o terrorista somali mas sim meros civis.

Anónimo disse...

Muita asneira junta, pode levar a vermos o mundo, segundo uma perspectiva propagandista. Dizer que o FSB não soube impedir um acto terrorista, após terem recebido informação é o mesmo que afirmar a incompetência de uma das mais altas estruturas como CIA, NSA ou MOSSAD. Confundir o problema do Caucaso com o passado anti-semita de Estaline, legitimando os actuais ataques e toda a guerra, como que se não conhecessem o regime federal russo, aprovado em 1993, seria o mesmo que admitir a invasão de Portugal a partir de uma região autónoma. O problema turco-otomano terminou no sec. XVII. As raizes do conflicto actual são puramente económicas e têm que ver com o controle e exploração de áreas com gáz natural. Travar a Rússia e o seu crescimento económico, começa a ser um dos factores de maior relevância internacional. O aumento do PIB russo na economia internacional e uma maior abertura ao comércio internacional, através do fornecimento de recursos naturais, essenciais para as economias industrializadas dos países desenvolvidos, leva à crise da economia norte-americana e europeia, face à transferência do eixo geopolítico, estratégico e económico para o continente ASIÁTICO.
Após a crise financeira e económica de 2008 era suposto assistirmos a um crash significativo nos países asiáticos, contudo são as economias que mais lucram com a crise internacional. O anti-islamismo e a guerra do Iraque e Afeganistão serviram para existirem pólos anti-ocidentais no Médio-Oriente e a difusão da religião segundo uma perspectiva bélicista. O Irão e a Líbia são dois exemplos, com contornos diferentes, do apoio a movimentos extremistas islâmicos. A transformação da sociedade turca e aproximação a valores pró-islâmicos, desviando-se do modelo de sociedade ocidental, assim como em muitas ex-repúblicas da URSS islâmicas, servem para criar um vazio e uma pergunta pertinente: 'Quem tem interesse em financiar estes grupos extremistas e quais são os seus objectivos ?'
Oligopólios económicos, actores na especulação financeira internacional, têm um poder imcomensurável, sendo capazes de determinar as linhas de orientação económica e política dos estados. A Rússia de Putin foi o triunfo do Estado sobre a degradação da sociedade, passando os russos a ter 'orgulho no seu país e a vê-lo como uma potência mundial.' O centralismo do poder e organização das estruturas federais de poder. A reorganização do sistema de defesa russo, tem um papel chave em todo o crescimento e consolidação do poder de Putin, mas Primakov foi a chave principal para a mudança de visão e orientação da Rússia face ao Ocidente e ao mundo. Primakov defendeu uma aproximação ao Médio Oriente, como forma de politica externa mas também ao nível de política interna, e das repúblicas federadas russas islâmicas.
Quem quer travar o poder da Rússia ?

Jest nas Wielu disse...

Discussão após a demonstração do filme “Katyn” na canal de TV russo Cultura:
http://aldevot.livejournal.com/42152.html

Consultora Educacional disse...

Gosto muito dos artigos de seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver meu Curso de Informática online.Emily Nascimento