quinta-feira, março 04, 2010

No Governo russo é proibido falar de “sociedade civil”, Mikhail Gorbatchov

Mikhail Gorbatchov, antigo Presidente da União Soviética, faz duras críticas à política do dueto Putin-Medvedev, sublinhando que a modernização da Rússia é impossível sem a democratização do país.

A 11 de Março de 1985, Gorbatchov foi eleito Secretário-Geral do Partido Comunista da União Soviética, tendo dado início a alterações revolucionárias na sociedade soviética. 25 anos depois, não está arrependido do percurso percorrido, mas lamenta que a sua iniciativa não tenha tido seguimento na Rússia.

Numa conversa on-line com os leitores do diário Kommersant, o pai da “perestroika” (reestruturação) e “glasnost” (transparência) elogia o trabalho de Vladimir Putin feito “na primeira parte da sua direcção” (2000-2004), mas critica “o segundo mandato” (2004-2008).



“Quando tivemos há nossa disposição montes de dinheiro, deveríamos tê-lo gasto a sério, e isso não foi feito. É preciso dar às pessoas a possibilidade de se sentirem cidadãos. Não haverá modernização se as pessoas ficarem de fora”, considera ele, e acrescenta: “eu aperfeiçoaria e elevaria até a um alto nível a democracia no país”.

Gorbatchov critíca a corrupção no país, considerando que “sem subornos nada se pode fazer no país”, e o Presidente Medvedev “que fala muito nisso, mas não vai além das palavras... tudo fica na mesma”.

“As elites preocupam-se não com o país, mas com o proveito próprio, com a sua prória pele. Só a mudança do sistema político no país trará resultados reais”, sublinha.

O antigo dirigente soviético diz ter recebido informação de que, na Casa Branca (sede do Governo russo), ter sido proibido o emprego da expressão “sociedade civil” e afirma que o Partido Rússia Unida, do primeiro-ministro Putin, lhe faz recordar o Partido Comunista da União Soviética, mas “numa versão pior”.

No campo da política externa, Gorbatchov apoia a intervenção da Rússia na Abkhásia e Ossétia do Sul, em Agosto de 2008, considerando que “das hipóteses possíveis, essa foi a melhor”, frisando que “quando existir uma Europa una, esses problemas serão de mais fácil solução”.

A pretexto da defesa dos cidadãos russos, Moscovo enviou tropas para a Ossétia do Sul que, tal como como a Abkhásia, constituem regiões separatistas da Geórgia. Elas proclamaram a sua independência com o apoio do Kremlin, decisão que não é reconhecida pela comunidade mundial.

21 comentários:

Bremm disse...

Infelizmente o governo russo de hoje pensa pequeno como diversos países que sustentam-se com a venda de petróleo e gás. Um dia estes recursos hão de esgotar-se, e aí será tarde demais para mudar o rumo.

Sinto falta da garra de um povo inteligente que mesmo com o embargo tecnológico americano, sobreviveu e mostrou aos povos que de fato é possível encontrar soluções alternativas.

ALONE HUNTER disse...

Mikhail Gorbatchov destruíu a União Soviética. Com suas políticas de reformas montadas com a participação da CIA, NSA e outras agencias, trilhou o caminho da sua nação para o colapso...

Quem é este cidadão para criticar Vladimir Putin? Putin é o CZAR russo, UM VERDADEIRO REVOLUCIONÁRIO, que montou o caminho para a Rùssia iniciar o seu retorno ao topo!

Foi Vladimir Putin que recuperou a economia russa, após a crise de 1999, foi Vladimir Putin que acabou com o terrorismo na Chechenia,etc... Putin está no topo das paradas, capa da revista TIME, personalidade do ano... Ficará para sempre na história da Rùssia como o visionário!!!!

Vida eterna á este visionário!!!

Rod disse...

Desde quando o arauto da destruição da União Soviética, e garoto propaganda das bolsas Louis Vouiton tem autoridade moral para criticar quem quer que seja? Respeito mais a opinoão do meu cachorro.

antonio everardo disse...

Caro José Milhazes,

O que Mikhail Gorbatchov está a propor novamente?

Que a Rússia se iguale ao Haiti?

Qualquer um com senso normal o reprovaria de novo. Francamente, eu não acreditava e nem acredito nas tais “perestroikas” e “glasnosts” idealizadas por ele.

Como podemos acreditar em reformas para melhorias orientadas por pessoas como Margareth Teacher e Ronald Reagan, dois ferrenhos inimigos da União Soviética? Como? Só mesmo na cabeça do Gorby é coube isso.

O que Gorby fez foi enfraquecer a Rússia, fragmentando a União Soviética dando mais liberdade a NATO para fazer o que bem quer, e isso hoje está bem claro.

Abraço

Gilberto Mucio disse...

Esse cidadão é um bandido cínico e oportunista.

Gilberto Mucio disse...

O bandido a quem me referia é obviamente Gorbatchev.

-----------------

««Foi Vladimir Putin que recuperou a economia russa, após a crise de 1999, foi Vladimir Putin que acabou com o terrorismo na Chechenia,etc... Putin está no topo das paradas, capa da revista TIME, personalidade do ano... Ficará para sempre na história da Rùssia como o visionário!!!!

Vida eterna á este visionário!!!»»

Esse Alone é um brincalhão. Ele está brincando. Ninguém é tão imbecil assim.

Anónimo disse...

Cá estão os nossos amigos do FSB, do género deste inenarrável antónio everardo, a louvar o status quo e a utilizar demagogia barata. Toda a gente com dois dedos de testa sabe que o Gorbatchov, por mais discutível que tenha sido a sua acção há 20 anos, tem razão e que muitos intelectuais na Rússia dizem o mesmo: sem democratização não haverá modernização. Ó António everardo, aprenda português antes!
José L.

aferreira disse...

Mikhail Gorbatchov
-Deverias responder em tribunal por crimes contra o Povo Soviético -Traidor, vendido, pulha, falhado!
Serás sempre lembrado na memória dos Povos como um reles Traidor.

Jest nas Wielu disse...

Enquanto França vende os Mistral aos ursos, os EUA (o bom rapaz Barack Obama, pelos vistos se vendeu a CIA, só pode), fazem exercícios conjuntos com Geórgia.

Fonte & Fotos:
http://cyxymu.livejournal.com/661020.html

Jaime disse...

Alone Hunter (quem é Alone Hunter?) disse tudo o que eu penso. Como pode ainda estar a se abrir espaço para um tipo da estirpe desse tal de Михаил Сергеевич Горбачёв depois de todo o serviço que ele entrogou para o ronald regan e o papa joão paulo segundo????

Dom Miotto disse...

Esse Alone é um brincalhão. Ele está brincando. Ninguém é tão imbecil assim.



Qual a necessidade disso???

MSantos disse...

Como é seu apanágio, Gorbachov representa sempre a voz da sensatez e da razão, caractrísticas da sua grandeza política e humana.

Lamentavelmente mais uma vez não será ouvido mas talvez a História, daqui a uams décadas, lhe faça a devida justiça aos seus nobres ideais.

Cumpts
Manuel Santos

José Manuel disse...

Gorbatchov tornou-se o bode expiatório da desagregação da União Soviética. Muito conveniente para muitos que assim branqueiam as suas próprias responsabilidades.
A culpa que se lhe pode imputar é o de ter aberto o espaço por onde entraram Ieltsin, Berzovski e outros oligarcas. Todo um conjunto de traidores e oportunistas que enriqueceram da noite para o dia através do roubo organizado do povo e do estado.
Vladimir Putin também não é nenhum D. Sebastião da Rússia. Aliás prossegue e reforça a aliança entre o estado e os oligarcas, que legalizaram o seu roubo e agora passam por "empresários". Apenas sobressai por comparação com o período negro de Ieltsin.

Pippo disse...

"Elas proclamaram a sua independência com o apoio do Kremlin, decisão que não é reconhecida pela comunidade mundial."

"Comunidade Mundial", JM? Qual??? Não existe nenhum processo (maioria dos países, maioria dos países "que interessam", etc., que permita identificar essa "Comunidade Mundial".
As independâncias são reconhecidas pela Rússia, que tem poder, e isso basta para ninguém as contestar.

Quanto às palavras do Gorbachov, ele está correcto. O problema é que o que ele aponta (falta de democracia) está a alastrar-se para todo o mundo.
As elites governativas governam-se, não governam os países. As decisões estão totalmente arredadas da vontade popular, aliás, muitas das vezes vão contra a vontade popular, contra os programas eleitorais, ou seja, violam flagrantemente o contrato social estabelecido entre os eleitores e os eleitos, sem que daí venha qualquer punição.

A diferença entre a Rússia e o mundo Ocidental é que lá a realidade será mais flagrante, enquanto aqui as coisas fazem-se de forma encapotada, mais profissional.

E para expormos essas situações, nada mais nos resta a não ser escrevermos em blogs.

MSantos disse...

100% de acordo Pippo.

Os "visionários" afirmavam que novas sociedades orwelianas vinham a caminho com o desenvolvimento tecnológico que controlaria tudo e todos, mas essas mesmas sociedades estão a matar as nossas democracias através da economia, sistema judicial e comunicação social controladas por uma determinada elite ou conjunto de interesses. A tecnologia é apenas um meio.

Cumpts
Manuel Santos

Francisco Lucrecio disse...

Oh José Manuel tem mesmo necessidade urgente em informar-se melhor quem é essa figura sinistra que dá pelo nome de Mikhail Gorbatchov.
É um traidor que programou tudo ao pormenor para destruir o país. Ele mesmo já confessou isso em entrevistas que deu.

Leia os seus primeiros discursos aquando ascendeu à direcção do país, eram imbuídos do mais puro e vibrante marxismo/leninismo, para ganhara a simpatia do povo.

Depois foi afastando progressiva e cautelosamente os adversários, foi-se rodeando de gente da sua confiança ligados ao contra poder e aos grupos obscuros da economia paralela, foi arruinando o abastecimento de bens de consumo, criando escassez dos produtos essências para criar descontentamento na população, às paginas tantas começou a apontar o El-dorado capitalista como salvação para os problemas que o país enfrentava que pioraram exponencialmente com a sua chegada ao poder.

Até que chegou o momento em que deixou de ser útil aos seus ex-amigos dos países capitalistas. Retiram-lhe o tapete e começaram a apoiar aqueles mesmos que ele tinha em tempos promovido, por serem mais dinâmicos na destruição do sistema.

Acabou por ser afastado vergonhosamente.
Mesmo assim ainda hoje conspira na sombra contra o seu próprio país.
Só o apoia quem defende os mesmos pontos de vista dele.

Francisco Lucrecio disse...

Gorbi não tem qualquer direito moral e ainda menos legitimidade politica para acusar quem quer que seja dentro da Rússia por quaisquer falhas. Ninguém provocou mais danos e contribuiu para os graves riscos que o país ainda hoje enfrenta como ele próprio.
E fê-lo com consciência das consequências que daí poderiam resultar.
Porque quando Tatcher depois do primeiro encontro que mantiveram, teve aquele desabafo “é uma pessoa que merece confiança e com quem se pode conversar”. Ela sabia muito bem do que estava a falar.
Aquela cedência vergonhosa que fez à NATO ao retirar as forças Soviéticas dos países do Pacto de Varsóvia sem qualquer contrapartidas nem o mínimo de garantias evidenciam bem a traição que cometeu.
Poucos anos depois a Rússia estava a ver a NATO instalar-se ameaçadoramente junto das suas fronteiras.
Isso é um traidor imbecil, só tem valor para os amos a quem prestou e ainda presta os “valiosos serviços”.

Noutras circunstancias esse homem já tinha sido julgado e executado

Jest nas Wielu disse...

Imaginemos que todos os camaradas que aqui opinaram têm a razão e Gorbachov traiu o "seu" povo (será que ele é o dono do povo?) e de fato, deveria ser "julgado e executado". Mas então, o que seria de toda a classe política portuguesa, de todos os capitães de Abril? Será que eles não traitam a confiança do vosso povo? Não entregaram as parcelas do vosso próprio "território nacional"? Porque uns são bons rapazes e outros são traidores?

Maquiavel disse...

Já viram em retrospectiva em que posiçäo estaria a Rússia neste momento após 25 anos de presidência Gorbatchyov, esse visionário?

Logo a seguir a ser apeado o preço do petróleo disparou... e se ele tinha tanta vontade em deixar entrar capital estrangeiro, e tornar os residentes em cidadäos... se calhar a RSFSR agora estaria como a China, com os t*m*at*s da economia americana nas mäos, mas bem mais democrática! E quem sabe, já com uma democracia mais livre que a "democracia" russa actual.

Pois é, que coisa horrorosa! Por isso foi corrido rapidamente...

Francisco Lucrecio disse...

Em sentido inverso defende até à exaustão a independência da sua Ucrânia e verdasca os tiranos Russos ocupantes da sua terra.
Esconde e não tem coragem para dizer que muitos Ucranianos ascenderam aos mais altos cargos do país que vocês todos comungavam. Porque não existia qualquer tipo de restrições de natureza étnica.
As pessoas movimentavam-se livremente para onde desejassem sem impedimentos.

Quando da separação em 1991 a taxa de escolaridade rondava os 99% (encontra alguma diferença entre as colónias Portuguesas?).

Os titulares de Cursos Superiores era das mais altas do mundo.
A Ucrânia ficou com o sistema de produção de aço mais avançado que existia.
Ficou com os maiores estaleiros de construção naval da URSS.
Grandes fábricas de construção de motores para barcos, submarinos e aviões.
A maioria da população tinha casa própria.
Assistência médica gratuita, ensino gratuito do nível mais baixo ao mais elevado.
Essa peste do desemprego era desconhecido na Ucrânia.
Tinha uma mão de obra altamente especializada.
A Ucrânia em 1991 era a 10-ª economia mundial.

Em que lugar se situa hoje? No tocante à pobreza a nível Europeu só a Moldávia está pior.
A Ucrânia de hoje exporta miséria para todo o mundo. Os bordeis de todos os continentes estão atafulhados com jovens Ucranianas.
Mais de 1 milhão de pessoas vivem na rua.
Dez milhões de Ucranianos vivem com menos de 1 € por dia. Em duas décadas a Ucrânia perdeu mais de 10% da sua população de 52 Milhões desceu para os 46 M actuais.
1/5 da população emigrou.

São factos que não podem ser negados.

Em sentido oposto estão as cinquenta pessoas mais ricas que controlam um terço do PIB.


Excelente recorde que os dirigentes Ucranianos conseguiram bater em duas décadas.

É disto que se orgulha, quando aqui faz a defesa férrea do status quo actual do seu país?

Eu denunciava esta situação vergonhosa ou então calava-me.

Francisco Lucrecio disse...

Jest; mas será que os que discordam dos seus pontos de vista estão sempre errados?
Por essa mesma razão de Gorbatchov não ser o ser o dono do Povo da URSS, não tinha qualquer direito de decidir em seu nome, enclausurando-se com os “amigos” em reuniões secretas ora dentro de navios de guerra em pleno Mediterrâneo, ora em locais remotos longe dos olhares da imprensa.
Tudo o que fez e decidiu foi nas costas do povo a quem tinha o dever de dar conhecimento das decisões que estava a tomar. Se actuou em contrário. Não é traição então o que é?
Relativizar estes factos para sonegar a monstruosa tragédia que se abateu sobre a maioria dessas populações, revela que a demagogia não tem limites.
Se associada à ignorância então não deixa qualquer espaço vazio.
Afinal o que há de comparável entre os acontecimentos na URSS de Gorbatchov e os militares de Abril em Portugal?
Para si há! Tanto que há que lançou essa pérola.
A revolução de Abril aconteceu exclusivamente por dois motivos.
Primeiro; A situação critica na Guiné.
Segundo; o descontentamento dos Oficiais do QP (Quadro Permanente) em relação aos Milicianos.
O resto veio tudo por arrastamento.
Quanto ao seu álibi de “entregar parcelas” e “território nacional”. Se soubesse um pouco da história de Portugal e qual foi o tratamento dado aos povos dessas Colónias durante a ocupação Europeia, certamente não se atreveria a escrever tais disparates.
Portugal tem um diferendo territorial com Espanha, não existe nenhum organismo Internacional que reconheça essa ocupação. No entanto Salazar quando da Guerra Civil Espanhola podia muito bem ter reavido essa “parcela” ou esse “território” (como melhor lhe agrade) legitimamente nacional, não o fez. Pelo contrario, aliou-se ao seu amigo Franco outro fascista da mesma índole (que depois de terminada a guerra mandou fuzilar cerca 240 000 prisioneiros, outros tantos milhares trabalharam como escravos a escavar rochas no Vale de los Caídos a construir um monumento à sua gloria.
E sabe a razão que Salazar não o fez? Porque Olivença não tinha “pretos” para escravizar nem riquezas para saquear por a oligarquia fascista dominante em Portugal!

Se reside em Moçambique como diz, então pergunte às pessoas mais velhas o que era o estatuto do assimilado? Quantas câmaras foram presididas por negros? Quantos negros existiam com cursos académicos num país com mais de 12 milhões de habitantes? Quantos mainatos brancos haviam a servir os negros? Do que constava “reservado o direito de admissão” nos espaços públicos? Em que sentido se processavam os fluxos migratórios? Aos Africanos só era permitido deslocarem-se à Metrópole para estudar, mesmo assim com severas restrições? Quantos oficiais negros com o posto de capitão existiam na forças armadas Portuguesas? Aos negros não era permitido sequer ocupar o posto de director em qualquer repartição ou empresa.
Sabe qual era a taxa de analfabetismo entre a população autóctone em 1974, quando os colonialistas brancos começaram a ser expulsos? Simplesmente de 98%.
Se estive a par destas descriminações monstruosas (para não mencionar os crimes) não me contemplava com as sua preciosas asneiras.