quarta-feira, março 24, 2010

Pouco ou nada sabíamos de Portugal e do português

Na era soviética, a língua portuguesa foi quase desconhecida até ao 25 Abril de 1974, dia em que a “revolução dos cravos” abriu caminho à independência das colónias de Portugal em África.

Antes dessa data, eram muito poucas as pessoas que estudavam ou sabiam falar português. Havia apenas pequenos núcleos de ensino da língua lusa em Moscovo e Leninegrado.

“Na esmagadora maioria dos casos, nós não fazíamos ideia onde ficava Portugual e que se falava português no mundo”. Declarou à Lusa o sociólogo Andrei Lymar, que veio estudar da Ucrânia para a Universidade de Moscovo na segunda metade dos anos 70.

“Quando os estudantes começavam a compreender que estudar português podia ser vantajoso do ponto de vista financeiro, então esforçavam por aprender essa língua. Ela permitia ir trabalhar em África, onde se ganhava bom dinheiro”, acrescenta.

Entre 1974 e 1991, pelas antigas colónias portuguesas passaram mais de 20 mil especialistas militares e civis soviéticos, que recebiam salários altos e numa moeda especial (cheque) que dava acesso a bens de consumo raros na URSS: aparelhagens de áudio e vídeo estrangeiras, automóveis de fabrico nacional, bem como permitia comprar mais rapidamente um apartamento.

Como, naquela altura, era necessário um grande número de especialistas que soubessem português, os dirigentes das universidades aconselhavam ou obrigam mesmo a estudá-lo.

“Faltaram-me duas centésimas para estudar inglês e o reitor aconselhou-me a optar pelo português. Eu não fazia ideia de que tal língua existia, mas aceitei a proposta”, recorda Evgueni, que, mais tarde, trabalhou em Moçambique.

Após o fim da União Soviética, em 1991, o interesse pela língua portuguesa desceu bruscamente e muitos dos que a tinham estudado começaram a esquecer-se, pois não necessitavam dela.

Hoje, é frequente encontrar russos, e entre eles altos funcionários governamentais, que estudaram português e passaram pelas ex-colónias em África, mas, hoje, já não arriscam a conversar na língua de Camões.

“Há tantos anos que não falo português”, recorda Andrei Lymar com dificuldade uma das línguas que aprendeu na Universidade, mas que quase nunca utilizou.

Mas outros utilizaram isso como mais-valia e voltaram para fazer negócios na África lusófona, como, por exemplo, em projectos como a exploração de diamantes e petróleo em Angola.

Entre os mais famosos “lusófonos” russos pode-se citar, o primeiro-vice-primeiro-ministro Igor Setchin, braço direito de Vladimir Putin, que trabalhou para os serviços secretos soviéticos em Angola e Moçambique; o senador russo Alexandre Dzassokhov, que, na era soviética, realizou tarefas de grande responsabilidade junto dos movimentos da guerrilha em África; o deputado e milionário Vladimir Gruzdev, que foi tradutor militar em Moçambique e Angola.

12 comentários:

Gilberto Mucio disse...

"Mal sabíamos que Portugal existia".

Ora, os soviéticos mal sabiam que existia um mundo fora da Cortina de Ferro.

O que sabiam viam de notícias filtradas. No máximo que existia tal país, e que se falava tal língua -- ou, no máximo, que em tal país tinha tal escritor e tal poeta.

Gilberto Mucio disse...

E por falar nisso, dá pena de conversar com estudantes chineses recém chegados.

É um grau de alienação assustador. São sabem de rigorosamente nada de fora das fronteiras do país deles.

Na URSS não chegava a tanto.

Jest nas Wielu disse...

O tele - jornalista Sergey Dorenko passou pela Angola, enquanto o jornalista da RTP Evgeny Mouravich trabalhou em Moçambique (era o colega do actual embaixador da Ucrânia em Portugal, Sr. Rostyslav Tronenko).

Maquiavel disse...

Os soviéticos e os chineses é porque tinham censura.

Entäo e os americanos, que sabem tanto ou menos sobre o mundo exterior, e säo tanto ou mais alienados que chineses e soviéticos, é de quê? Demasiada informaçäo?

Realmente dou-me por muito feliz por viver na Europa... até ver!

ALONE HUNTER disse...

E pouco sabemos sobre o cirilico! Aqui no Brasil, eu não consigo encontrar uma só escola de idiomas que ensine a lingua russa!!!

Há anos e anos estou procurando aprender essa lingua, para sair fora!!!

Alguem nesse planeta pode me dar uma dica de como eu posso aprender á falar o russo????

Jest nas Wielu disse...

2 Alone Hunter

Como as línguas russa e ucraniana são duas línguas irmãs (de dois povos irmãos), aceita aprender o idioma ucraniano? Se a sua resposta for positiva, dou lhe o endereço de uma escola onde poderá aprender ucraniano no Brasil.

ALONE HUNTER disse...

Aprender ucraniano??

Nunca!!! O que eu vou ganhar com isso? Eu quero aprender russo!!! Ucraniano e russo tem as mesmas diferenças de portugues e espanhol. Dá pra entender alguma coisa, mais não é a mesma!!!

Se alguem souber se tem algum tipo de escola aqui, ou pela internet, para brasileiros que queiram aprender russo, por favor, me digam!!!

Será que é complicado aprender? Para quem fala portugues? É difícil?

Eu quero sair fora!!!

Jest nas Wielu disse...

2 Alone Hunter

Pois, pois, as línguas irmãs, quem diria...

Jacob disse...

No passado conheci diversas pessoas que entendiam russo porquê estudaram na União Cultural Brasil-URSS; era uma casa que ficava em uma travessa da rua Frei Caneca em São Paulo. Pode ser que essa união cultural ainda exista, evidentemente com o nome atual do país.

Roman disse...

Para ALONE HUNTER:

Pode ver aqui, aqui e aqui.

Anónimo disse...

Senhores,

Os habitantes de países de dimensões continentais (Rússia, China, EUA e Brasil) geralmente pouco conhecem do outras culturas, pois as fronteiras se localizam a centenas, às vezes a milhares de quilômetros de suas casas.

Assim, a tendência é que se conheça apenas e tão somente a cultura natal, e que esta seja onipresente.

Mesmo aqui no Brasil, sem censura e culturalmente receptivo, tem dificuldade em compreender outros povos e culturas.

Além disto, a Língua Portuguesa é tão pouco conhecida que, uma vez, certo autor disse não se tratar de uma língua, mas de um código.

Anónimo disse...

Eu posso ensinar russo através da internet ellada_k@yahoo.co.uk