sábado, abril 24, 2010

Blog dos leitores (Festa da língua portuguesa na MGIMO)



Texto e fotos enviados por João Mendonça João, leitor do Instituto Camões em Moscovo:

Teve lugar na sala de conferências da Universidade de Relações Internacionais de Moscovo, no dia 22 de abril, a trigésima-sexta edição da festa da língua portuguesa. Durante duas horas e meia estudantes de português de várias universidades da capital russa divertiram e deleitaram um público de cerca de duzentas pessoas, com um programa intitulado este ano “1º Carnaval Lusófono de Moscovo”. Representantes do corpo diplomático de Portugal, Brasil e Mocambique marcaram presença no evento, entre eles o Embaixador de Portugal, Pedro Nuno Bártolo, que deu o pontapé de saída dos festejos, premiando os vencedores do concurso de interpretação recentemente realizado na MGIMO: Elena Bitziukova, Denis Sobe- Panek, Ekaterina Kazakova,
Alena Pepolva, e Elena Smolentseva.
O adido de imprensa da Embaixada de Angola seguiu-lhe o passo e ofereceu à Universidade a bandeira do seu país.
Aliona Peplova, Ekaterina Kazakova (4º ano de Relações Internacionais), Elena Bitsiukova, e Evgueni Skobkarev (4º ano de Jornailsmo Internacional) foram exímios anfitriões, e apresentaram com brio os sketshes, canções e um florilégio de números exibidos ao público.
Ao palco subiram os estudantes do 1º ano de Relações Internacionais, e interpretaram “À Minha maneira”, dos Xutos & Pontapés, e “Não Tente me impedir”, dos brasileiros Bruno & Marrone, acompanhados à guitarra.
As estudantes do 2º ano de Jornalismo Internacional mostraram os seus dotes na sétima arte , parodiando as telenovelas, num divertido enredo de faca e alguidar da sua própria realização e interpretação. Enquanto as estudantes do 1º ano do mesmo curso ilustraram a realidade contemporânea da internet e das suas virtualidades matrimoniais.
Chegou a vez do virtuoso guitarrista Denis Sobe-Panek (4º ano de Relaçãoes), acompanhado ao piano por Andris Dubrovskis, deliciar o público com duas composições suas, “Atlântico” e “Saudade”, inspiradas de Lisboa. Acompanhou Liza Vinogradova e Alina Aderkhaeva (3º ano de Relações Internacionais) num primoroso “Samba do Amor e Ódio”, de Roberto Samba.
O espírito do “desenrasca” estudantil foi evidenciado na peça do 3º ano de Relações Internacionais.
O conjunto “Grenada”, laureado de festivais internacionais, esteve em grande destaque com a sua interpretação de 3 temas tradicionais , e “Grândola Vila Morena”, de José Afonso, com participação especial do Professor e amigo da lusofonia, Andrei Tokarev.
Estudantes do 1º, 3º, 4º anos, e mestrandos de Relações Internacionais puseram a sala ao rubro com a dança tradicional angolana do Batuque.
O 2º ano de Relações Económicas Internacionais cantou, e encantou com as suas bossas, tal como o duo Denis Sobe- Panek/ Ksenia Voevodina nua sua interpretação de “Garota de Ipanema”.
Num registo mais lírico, os colegas da Universidade Linguística de Moscovo declamaram poemas de Fernando Pessoa, e entoaram o fado “Caravelas”, de Mariza.
O humor foi uma constante nos sketshes apresentados ao longo desta tarde. Exemplo disso foi a apresentação de uma cena dos Gato Fedorento, inspirada nas histórias de incestos das telenovelas, pelo 4º ano de Relações Internacionais.
O acordo ortográfico e as diferenças lexicais entre Portugal e o Brasil foram alvo da veia humorística do 4ºano de Jornalismo Internacional, e Nikita Muravev e David Peleg (3º ano de R.I) por sua vez também proporcionaram belas gargalhadas aos convidados, com a sua representação do sketsche “Sinónimos” dos Gato Fedorento.
Os estudantes do 1º ano de Filologia Portuguesa da Universidade Lomonossov- MGU trouxeram ao palco o espírito vanguardista de António Variações com“Mudar de Vida”, e Evgueni Kostrikov e Ana Martchenko (2º ano de Relações Económicas Internacionais), o calor do samba.
A cena “Robô” do 1º ano de Relações Internacionais não poupou a época das altas tecnologias, e provou que “nada substitui a alma e os corações humanos”.
Bakhtior Mansurov declamou versos dos grandes poetas da lusofonia, com carismo e emoção. Denis Sobe- Panek e o leitor do IC fecharam o programa, com ritmo e cor, cantando “Tive Razão” de Seu Jorge.
O convívio continuou seguiu com um banquete em que não faltou o vinho português, oferecido pelo AICEP, a quem agradecemos, na pessoa da sua representante em Moscovo, Dra Maria José Rézio, presente durante o evento.
Tivemos também o prazer de poder contar com a presença do Director da TAP em Moscovo, Dr Pedro Pinto.
É de salientar o esforço colectivo dos professores da Cátedra de Línguas Românicas da MGIMO: Galina Petrova, Marina Konovalov, Elena Gavrilova, Irina Tolmachetva, Nikolai Ivanov e Maria Khvan, que tornaram possível a realização deste evento, e que ano após ano não poupam esforços no sentido de dignificar a lingua e a cultura portuguesas na Rússia."

6 comentários:

João Gil disse...

Gostei bastante de ler este post. Guardo saudades dos dias que passei nessa universidade.

nomatter4u disse...

Eu participei nesta festa e estive muito contente! Graças ao nosso professor João Mendonça João!
A festa foi muito vária: interessante, séria, engraçada, lírica etc! Gostei muito!

A estudante do 1º ano da Faculdade de Letras (MGU)

Jest nas Wielu disse...

Maria Khvan

Será que é filha do realizador de cinema russo Alexander Khvan?
http://www.imdb.com/name/nm0452047/

O seu filme "It is easy to die" tem alguns rasgos de jovem Tarantino.

Valdecy Alves disse...

Amigos poetas blogueiros, parabéns por utilizarem a internet como forma de dividir com o mundo o seu pensar, o seu compreender, desempenhando a missão do poeta que é se afirmar como ser humano, sobretudo perante si mesmo, captar os arquétipos coletivos de sua época e princípios universais, permitindo após compreender-se ou não compreender-se, que pela sua obra os da sua época tenham referência alternativa para fazer a leitura do mundo e as gerações posteriores entenderem a própria história da humanidade. Tudo temperado pelo sonho, pela sensibilidade e pela utopia. PASSOU A ÉPOCA DE ESCREVERMOS E GUARDAR NA GAVETA NOSSAS CRIAÇÕES DEPOIS DOS MAIS PRÓXIMOS FINGIREM TER LIDO PARA NOS AGRADAR. Através do meu blog quero aprensentar-lhes a video-poesia, que usa várias linguagens de uma só feita, a serviço do texto. Se gostar divulgue e compartilhe com os seus contatos. Acessar em:

www.valdecyalves.blogspot.com

leia roberto disse...

Olá Patrícios!
Bem sou brasileira da cidade paulista de Mogi Mirim, que em tupi guarani quer dizer, pequeno rio da cobra.
Quando seus conterrâneos chegaram aqui índios guaranis já viviam neste vale...
Conto sobre o Vale no meu livro SÃO JOSÉ DO MADEIRO ENTRE HISTÓRIAS MOJIANAS" da editora corifeu.

leia roberto disse...

Olá Patricios!