quarta-feira, maio 26, 2010

Torneios de xadrez podem passar a ser interplanetários

No passado dia 14 de Maio, realizou-se em Moscovo a sessão do Conselho de Observadores da Federação de Xadrez da Rússia, que tinha como único objectivo apresentar o candidato da Rússia ao cargo de presidente da FIDE (Deferação Internacional de Xadrez). O Kremlin tentou impôr o seu candidato, mas sem êxito.

Arkadi Dvorkovitch, assessor do Presidente Medvedev e chefe do citado Conselho, anunciou, ainda antes da reunião, que a Rússia apoiava o actual dirigente da FIDE, Kirsan Iliumjnov, conhecido também por se ter encontrado com extra-terrestres e dirigir a mais pobre das repúblicas da Federação da Rússia: Kalmúkia.

O Kremlin accionou os seus recursos para impôr a decisão: tentou alterar o local da reunião a fim de limitar a presença da imprensa, mas, quando não conseguiu, declarou a reunião “ilegítima”. Todavia, não obstante as pressões, 17 dos 32 delegados do Conselho ficaram no local e decidiram apoiar a candidatura de Anatoli Karpov, 12º campeão do mundo de xadrez.

Entre os apoiantes de Karpov está Garri Kasparov, 13º campeão do mundo de xadrez. Para quem se recorda das relações de rivalidade (para não empregar um termo mais forte) existentes, há alguns anos atrás, entre os dois génios do xadrez mundial, será fácil entender a importância deste duelo com o Kremlin.

Recordo que, em 2004, quando Kasparov foi detido pela polícia por ter participado numa manifestação da oposição liberal russa, Karpov, que não esconde as suas ideias políticas de esquerda, foi visitá-lo à prisão num gesto de solidariedade.

Na reunião acima citada, Karpov apresentou o seu programa eleitoral. Depois de constatar que a situação actual do xadrez enquanto desporto internacional se encontra “nas ruas da amargura”, que o xadrez abandonou as primeiras páginas dos mídias e que as competições internacionais se mudaram das grandes capitais para locais periféricos, ele propôs medidas para reconquistar as glórias antigas deste desporto com meios modernos: projectos a realizar na Internet, virados também para as crianças, colaboração com a UNESCO e outras organizações internacionais.

No dia em que se realizou a reunião do Conselho de Observadores, Karpov tinha já conseguido o apoio de federações de 22 países, enquanto Iliumjinov obteve apenas o apoio da Turquia.

Quem é esta personagem apoiada pelo Krelim?

Vou-me valer de um artigo da conhecida jornalista russa, Elena Massiuk, que, há alguns anos atrás, realizou um documentário sobre esta personagem estravagante.

Segundo Elena Massiuk, Iliumjinov prometeu construir na república que dirige várias empresas industriais, mas terminou apenas uma: de lavagem de lã de ovelha, e esta fechou uma semana depois da abertura. Prometeu criar estações de energia eólica, um Silicon Valey, um cosmódromo, construir na Kalmúkia uma cidade semelhante a Las-Vegas.

Mas nada passou do papel. Entretanto, Iliumjinov transformou a Kalmúkia na mais pobre república da Federação da Rússia, onde 38% dos habitantes vivem na pobreza.

Porém, considera Elena Massiuk, o actual presidente da FIDE não se esquece do seu bem-estar. Ilumjinov reconheceu, numa entrevista, que possui seis rolls-royces: um de cor branca para circular na ardente Elista (capital da Kalmúkia), um preto para Moscovo, um vermelho para ir até às cavalariças, etc.

Embora declare não possuir terras, imobiliário, etc., gosta de contar aos seus hóspedes a história de quando foi almoçar a um dos restaurantes chiques de Moscovo. Quando pediu a conta, o empregado disse: “Nem pense nisso, o restaurante é seu!”.

Este é também o homem que declarou, numa entrevista à televisão russa, que, em Setembro de 1998, foi contactado por extra-terrestres e levado para um local desconhecido. O deputado Andrei Lebedev, filho do estravagante político russo Jirinovski, enviou uma carta ao Presidente Medvedev para ordenar uma investigação com vista a determinar se Ilumjinov revelou ou não segredos de Estado aos extra-terrestres (!!!).

Em prol do xadrez, Iliumjinov construiu, na sua república, a cidade de New-Vassiuki, idealizada por Ostap Vender, herói de livros satíricos como “Bezerro de Ouro” e “Doze Cadeiras”, escritos no início do séc. XX.

Esse genial vigarista , cujo sonho era ir viver para o Rio de Janeiro, disse aos habitantes de Vassiuki a fim de lhes roubar os últimos cobres dos bolsos: “O pensamento xadrezista transformar-se-á numa ciência aplicada e descobrirá formas de comunicação interplanetários... E em Vassiuki realizar-se-á o primeiro torneio de xadrez interplanetário na história da Criação... Viva, camaradas!”.

6 comentários:

anónimo russo disse...

Presumo que, provavelmente, Kasparov é um dos amigos do sr. Milhazes. Mas neste caso seria mais justo dizer quem é na Rússia atual essa criatura chamada Kasparov. E acrescentar, que não ficou preso apenas por ter participado numa manifestação. (É um dos lideres, se não o principal, deste movimento radical e, graças a deus, pouco numeroso, que luta desesperadamente contra o "regime sangrento" do Kremlin e que ninguem já leva muito à sério. Comprou, não há muito, como cidadão americano um apartamento de luxo na Nova York, mas prefere correr terriveis perigos mortais na Rússia, lutando pela democracia, pela paz em todo o mundo etc. Atras de cada porta vê a "mão sangrenta" de Putin, de Kremlin etc. Costuma escrever coisas repulsivas na internet, revelando a essencia criminosa do kremlin sangrento etc. etc. etc.)


P.S. Daquele deputado, parece que foi uma brincadeira e nada mais.

Jose Milhazes disse...

Leitor anónimo, em português diz-se que eu falei em alhos e você veio falar em bugalhos. Falei de Kasparov como um dos maiores xadrezistas da História. E não desvie a conversa.
Para si é melhor ter dirigentes como Iliumjinov...

Jose Milhazes disse...

Leitor anónimo, a do deputado não é brincadeira, você não deve andar ao corrente do que acontece no seu país. Procure as notícias sobre o assunto e verá que foi mesmo assim.
Eu não costumo brincar em serviço.

Jest nas Wielu disse...

Para ser justo com Ilumzhinov, convêm lembrar, que a sua terra natal sempre foi bastante pobre e que bem ou mal, ele a desenvolveu, nem que seja um pouco.

A história de extraterrestres, me parece como uma clara tentativa do Kirsan de passar pelo um bobo inofensivo, assim, Kremlin não irá se meter com um tipo meio “avariado”.

Agora, que uma boa parte dos seus empreendimentos se tornou “as aldeias de Potiomkin” (só para inglês ver), isso é verdade, infelizmente.

António disse...

Caro José,

É verdade que a Federação foi despejada dos seus escritórios na sequência deste seu atrevimento?

António Campos

Jose Milhazes disse...

Caro António, parte da sede da Federação de Xadrez da Rússia foi ocupada. Segundo se escreve por aqui, isso ocorreu por ordem do Kremlin e pelo facto de a maioria dos membros do Conselho de Observadores dessa Federação terem apoiado Karpov.