quarta-feira, setembro 01, 2010

A guerra pode voltar a Nagorno-Karabakh


O Ministério da Defesa do Azerbaijão acusou hoje a Arménia de ter atacado as suas posições na fronteira de Nagorno-Karabakh, território separatista apoiado por Erevan, confronto que custou a vida de três soldados arménios e dois azeris.
“As forças arménias tentaram atacar (as posições azeris) junto da aldeia de Tchaily, na região de Terter, no dia 31 de Agosto”, lê-se num comunicado desse ministério.
“Os militares azeris responderam ao ataque. Três soldados arménios e dois soldados azeris morreram”, acrescenta.
Porém, o centro de imprensa do Ministério da Defesa de Nagorno-Karabakh dá uma versão diferente do sucedido, comunicando que “um soldado do Exército de Nagorno-Karabakh foi ferido durante um ataque das Forças Armadas do Azerbaijão contra as nossas posições”.
Os confrontos entre arménios e azeris têm lugar periodicamente nas fronteiras de Nagorno Karabakh, região azeri onde a maioria da população é arménia.
Enclave no Azerbaijão durante a era soviética, este território proclamou a independência depois de uma guerra que causou 30 mil mortos e centenas de milhares de refugiados. Só a Arménia reconheceu essa proclamação.
Em 1994, tendo como intermediário o Grupo de Minsk da OSCE (Estados Unidos, Rússia e França), foi assinado um cesssar de fogo, mas Baku e Erevan não conseguem chegar a um acordo sobre o estatuto da região, que continua a ser uma fonte de tensão na Transcaucásia, zona estratégica para o Irão, Rússia e Turquia.
O Azerbaijão, que acusa a Arménia de bloquear as negociações, ameaça recorrer à força para reaver o controlo da região separatista.


6 comentários:

Maquiavel disse...

Seria pertinente referir que a faixa de território entre a fronteira ocidental do Nagorno-Karabakh e a Arménia é controlado pelos arménios (no ämbito da República de Artsakh), sendo que na prática há cerca de 15 anos que o Nagorno-Karabakh deixou de ser enclave.

Eu sei, e sei que o JM sabe, mas haveräo muitos a näo saber.

Jose Milhazes disse...

Caro Maquiavel, tem razão de facto. De jure, Nagorno-Karabakh é um enclave, mas a sua nota é pertinente.

Pippo disse...

Note-se a ligação que esta notícia tem com a notícia e os comentários relativos ao acordo de prolongamento da presença russa na Arménia por mais umas dezenas de anos.
O Azerbeijão rearma-se a uma velocidade alucinante, velocidade essa que a Arménia não consegue acompanhar (logo para começar porque, apesar das remessas dos emigrantes, a Arménia não tem petróleo).

Em caso de conflito, qual seria a posição da Rússia? Deixaria cair o seu mais precioso aliado na região ou defendê-lo-ia contra o agressor?

PortugueseMan disse...

...Em caso de conflito, qual seria a posição da Rússia? Deixaria cair o seu mais precioso aliado na região ou defendê-lo-ia contra o agressor?...

Caro Pippo,

É melhor não pensarmos em conflito por aí porque a coisa pode complicar.

Tenha em mente o seguinte: Você sabe concerteza a razão porque a Geórgia é um aliado fundamental para os EUA, a passagem de pipelines, nomeadamente o BTC o primeiro a conseguir a chegar ao Cáspio.

E porque a Geórgia é fundamental? tente lá passar um pipeline por outro lado...

E se houvesse um conflito, entre a Arménia e o Azerbeijão onde a Arménia perdesse parte do território, o suficiente para haver uma ligação entre o Azerbeijão e a Turquia?

As implicações seriam tremendas. Portanto, todos os interessados nesta região iriam mexer-se cada um defendendo os seus interesses.

Os interessados, são todos pesos-pesados e a coisa poderia ficar muito feia.

O melhor mesmo é não haver conflito e caso houvesse, duvido muito que a Rússia ficasse sossegada.

Anónimo disse...

O Irão não está a dormir.

Anónimo disse...

There is ԁеfinіtely nо hassle; there are no
оthеr factoгs to do aside from putting
it arоund уοur waist.

mу sіtе; visit Homepage