quinta-feira, novembro 11, 2010

Imprensa revela o culpado do maior escândalo de espiões depois da guerra fria

O diário russo Kommersant revelou hoje o principal culpado do escândalo de espionagem que rebentou entre Moscovo e Washington em junho passado, pouco depois da primeira visita do Presidente russo, Dmitri Medvedev, aos Estados Unidos.
Segundo o jornal, trata-se do tenente-coronel Cherbakov, do Serviço russo de Inteligência Externa (SVR).
Onze presumíveis agentes do SVR foram detidos nos Estados Unidos em finais de junho e foram trocados, em Viena, por quatro cidadãos russos que cumpriam penas de prisão por espionagem a favor do Ocidente. Este foi o maior escândalo de espionagem entre a Rússia e os Estados Unidos depois do fim da guerra fria.
O Kommersant considera que os agentes do SVR foram denunciados por Cherbakov, que, durante muito tempo, dirigiu a secção americana do chamado “Departamento S”, divisão do SVR que se dedica ao trabalho com os infiltrados.
Uma fonte da investigação contou ao diário que a filha de Chervakov vivia há muitos anos nos Estados Unidos, “sem que ninguém tenha estranhado que uma pessoa nesse cargo tivesse parentes no estrangeiros”.
Também não levantou suspeitas a sua recusa em aceitar a promoção que o SVR lhe propôs quase um ano antes do escândalo. Segundo o Kommersant, a oferta foi declinada para evitar o teste do polígrafo, ou detetor de mentiras, obrigatório nesses casos.
O filho de Cherbakov, que trabalhava no organismo russo de controlo de drogas, apressou-se a apanhar um avião de Moscovo para os Estados Unidos pouco antes da detenção dos agentes do SVR em território norte-americano. E o próprio delator fugiu três dias antes da chegada de Medvedev aos Estados Unidos.
“Os americanos procederam às detenções por recearem que suspeitássemos de uma traição e começássemos a retirar dos EUA os nossos infiltrados. Isso colocou a Casa Branca numa situação muito embaraçosa, com os nervos à flor da pele, pois ninguém queria comprometer a primeira visita de Medvedev aos Estados Unidos”, precisou a fonte.
Um alto funcionário do Kremlin disse ao Kommersant que a traição não ficará impune.
“Sabemos quem e onde está ele... Não duvidem que já foi enviado um Mercader para tratar dele”, frisou.
Em 1940, Ramon Mercader, agente dos serviços secretos soviéticos, assassinou Leão Trotski com golpes na cabeça no México. A ordem desse assassínio partiu do ditador comunista, José Estaline.



16 comentários:

Cristina disse...

Sabendo muito bem como trabalham os serviços secretos no país e como costumam "neutralizar" os que os traem e se passam para "o outro lado", ficamos no entanto perplexos quando tais planos e ameaças são feitas abertamente e, ainda por cima, por parte de "um funcionário do Kremlin".
Putin já tinha dado o mote no Verão, quando se soube do escândalo. Disse ele na altura: "Isto é resultado de uma traição e os traidores acabam sempre mal. Acabam geralmente, pela bebida ou pela droga, em total degradação".

Anónimo disse...

Cherbakov não era um jogador de futebol?

Anónimo disse...

"Um alto funcionário do Kremlin disse ao Kommersant que a traição não ficará impune.
“Sabemos quem e onde está ele... Não duvidem que já foi enviado um Mercader para tratar dele”, frisou."

É o típico estado pária.


Nessas horas acho que a Europa ocidental merece o que tem passado. Continuem adulando-os.


A conta um dia vai chegar, e vai ser salgada.

Jest nas Wielu disse...

Grande Sherbak(ov), mais um que escolheu a liberdade. A história de Merkader é uma piada de mau gosto, primeiro é má pois sugere que FSB precisa de estrangeiros fanáticos para matar os inimigos seus no estrangeiro; depois, desde os anos 1950-1960 KGB difundia os rumores na URSS que um determinado espião seu que escolheu viver no Ocidente “morreu no acidente de viação”, etc., insinuando que foi assassinado pelo KGB. Após o início de Perestroica, descobriu-se que estes ex – espiões “assassinados” vivem no Ocidente sem nenhum problema, casos de Viktor Suvorov, Oleg Gordievski, Oleg Kalugin, etc.

Anónimo disse...

Medvedev agora é uma tia em agonia, quem diria.Deeve estar a ficar com os pés frios, sabe-se lá porquê:
http://rt.com/politics/medvedev-internet-conference-citizens/

Alcibiades disse...

Provavelmente também terá sido um destes merkader que até soa a Terminator que terá despachado o Dr David Kelly, o engº que desenhou o supercanhão do Sadam e outros tantos que nem ouvimos falar, alguns até aparecem suicidados.

Jest nas Wielu disse...

Vários jornais russos desconfiam da veracidade de história da “traição do coronel Sherbakov”, os principais pontos fracos da história publicada pelo Kommersant são:

1. Quem disse o nome do alegado agente é o deputado da Duma, vice-chefe do Comité se Segurança Gennadiy Gudkov. Ele não é um profissional do SVR.
2. O chefe do Departamento “S” que controla os EUA tem outro apelido, que não é Sherbakov.
3. É pouco provável que SVR deixaria passar o facto de filha de Sherbakov viver nos EUA.
4. No Departamento de Controlo de Droga não trabalha nenhum funcionário com este apelido (alegado filho do alegado coronel Sherbakov).
5. É pouco provável a história de tortura alegadamente sofrida pelo agente russo Mikhail Vasenkov (Juan Lazaro), pois se até os terroristas islâmicos levam apenas com Waterboarding, não há nenhuma razão de partir “costelas e um pé” de um agente russo.
6. Os directores do SVR não passam o teste no detector das mentiras (pois sabem como enganá-lo).
7. Uso de um Ramon Mercader para matar o alegado Sherbakov.
8. É possível que toda a história de Sherbakov foi inventada pelo FSB para forçar a fusão entre FSB e SVR. Pelo sim, pelo não é esperada a demissão do chefe do SVR Mikhail Fradkov.
http://www.aif.ru/politic/article/38940

Anónimo disse...

Para Putin, com amor:
Cavaco almoça no dia 19 com Sócrates e Cavaco. Só falta Medvedev. Ou será que estará lá incógnito?
ahahah

Anónimo disse...

Eis que Medvedev chegou ao Japão, depois da polémica da visita às Curilhas e do supeito passeio do embaixador japonês. Para quem tanto gosta de heavy-metal, agora a música escolhida para dançar é outra: "Turning Japanese", lembram-se?
http://www.youtube.com/watch?v=gEmJ-VWPDM4

Pippo disse...

É verdade, o Gerald Bull morreu assassinado, ningém sabe bem porquê.

Já o rapazote da Wikileaks, o Julian Assange, está vivo e de saúde. Mas depois de ter exposto algumas verdades inconvenientes sobre a Guerra do Afeganistão, foi subitamente alvo de uma tentativa de "assassinato de carácter" ao ser acusado de violação de uma mulher. Uma estranha coincidência, não foi?
A tentativa foi boa mas ninguém engoliu a história, nem sequer os tribunais. Quem sabe se um dia destes alguma entidade não perde o pudor e trata da saúde ao rapaz?

Cristina disse...

Anónimo das 10:59
Olhe que não, olhe que não..
Medvedev usa regularmente a Internet, interessa-se por todas as novas tecnologias de comunicação e, em parte por isso, tem bastante bom conhecimento do que se passa realmente no país. Ao contrário do seu antecessor, mostra prezar a democracia e os direitos dos cidadãos. Era bom que continuasse no cargo após 2012 mas, provavel e infelizmente tal não deverá acontecer.

MSantos disse...

"ao ser acusado de violação de uma mulher."

Correção, Pippo, foram duas mulheres, antigas colaboradoras de Assange que apresentaram simultâneamente e logo após da 1ª divulgação do WikiLeaks queixa de assédio e violação.

E claro, as autoridades suecas não foram na cantiga.

Uns são brutos e descarados, fruto da sua cultura totalitária e de impunidade, outros inteligentes e refinados (alguns até escrevem livros) pois os trâmites do seu sistema exigem que fiquem bem na fotografia.

Cumpts
Manuel Santos

Machu Pichu disse...

Olhe que sim, Cristina. Os pés frios é do gosto por múnias, indústria em que Portugal se está a especializar, sobretudo para exportar para a Rússia. Mas não diga a ninguém, que isto é top secret, militares e policias sacretas e essas coisas.

Tiago Pereira disse...

Caro MSantos, olhe que não exactamente... Assange foi ilibado no tribunal sueco, mas as autoridades suecas recusaram o seu pedido para uma autorização de residência. Portanto a alegada conduta sexual teve algum peso, além das óbvias questões políticas...

MSantos disse...

Caro Tiago

Não é de espantar dado a viragem que o panorama político sueco está a sofrer. E se os tribunais o ilibaram é porque ainda estão independentes do poder político.

Sobre a veracidade das acusações...

Cumpts
Manuel Santos

Cristina disse...

Para quem tinha dúvidas:
http://www.publico.pt/Mundo/medvedev-confirma-que-coronel-desertor-denunciou-espioes-russos-nos-eua_1465974