domingo, dezembro 05, 2010

Foguetão russo cai com três satélites no Oceano Pacífico

O foguetão russo “Proton-M”, que transportava três satélites do sistema de navegação GLONASS, desviou-se da rota e foi cair no Oceano Pacífico, perto das ilhas Hawai, informam as agências russas.
“Os lançadores verificaram tudo: o bloco de lançamento DM-3 com os aparelhos espaciais não se encontra em nenhuma das órbitas: nem na principal, nem na intermédia, nem naquela para casos de avaria. Os cálculos mostram que o mais provável é que o foguetão com os satélites tenha caído no Oceano Pacífico na região das ilhas Hawai”, declarou uma fonte da Ria-Novosti.
Os três satélites russos deveriam juntar-se aos 21 que já se encontram no Espaço.
O sistema de navegação russo GLONASS, criado em 1993, é um análogo do sistema norte-americano GPS.

12 comentários:

Francisco Castelo Branco disse...

Quem nao viu a Cimeira da Nato até pode pensar qe se trata de um passo rumo a guerra fria..

MSantos disse...

Dado o que está em jogo e face à limpíssima folha de serviço do foguetão PROTON, não deixa de ser um acontecimento estranho que vai dar azo a teorias da conspiração.

O GLONASS está na iminência de retirar o monopólio ao GPS e pela primeira vez uma grande potência mundial estará na posse de navegação e tiro de alta precisão por satélite, sem estar dependente dos humores norte-americanos para cortar o sinal.

Mais ainda quando acontece numa área aonde os EUA têm feito expriências com armas espaciais, nomeadamente lasers, a integrar no sistema SDI ou aquilo em que se tornou actualmente.

For o que for, será só um mero adiar pois o GLONASS será uma inevitabilidade.

Cumpts
Manuel Santos

PortugueseMan disse...

Tenho estado a acompanhar este tema. Frustrante ver a última missão necessária para ter a cobertura global ter este destino.

Parece que a última secção do foguetão falhou. Azar. Os lançamentos dos GLONASS até têm corrido muito bem ao longo destes anos.

Vamos ter um atraso de alguns meses até completarem o sistema. Já não vai ser para 2010.

Vai haver aqui algum impacto político, pois o bloco DM-3 era uma versão nova e dado a importância destes 3 satélites para a Rússia, alguém vai ser questionado pelo facto de ter decidido usar um sistema novo.

Caro JM, não estão no espaço 21 como indica mas sim 26 satélites.

Jose Milhazes disse...

Caro PM, nas agências russas aparecem números diferentes, o que se pode dever ao facto de alguns serem satélites de reserva.

PortugueseMan disse...

Eu não sei onde as agências russas se baseiam para dar a informação.

Já vi várias vezes a Novosti fornecer um número errado de satélites.

A Roscosmos criou um site para fornecer a informação e é por aí que me baseio, como pode constatar aqui:

http://www.glonass-ianc.rsa.ru/pls/htmldb/f?p=202:50:8960197630790195::NO

e para saber o número de satélites, basta consultar, aqui:

http://www.glonass-ianc.rsa.ru/pls/htmldb/f?p=202:20:8960197630790195::NO

Faz-me confusão, ainda por cima num sistema tão importante para a Rússia como é o GLONASS, os órgãos de informação russos serem incapazes de fornecer informações correctas.

MSantos disse...

"Faz-me confusão, ainda por cima num sistema tão importante para a Rússia como é o GLONASS, os órgãos de informação russos serem incapazes de fornecer informações correctas."


Faz todo o sentido pois o GLONASS assim como o GPS, antes de tudo é uma arma.

Num hipotético confronto global entre superpotências, o primeiro alvo seria precisamente a constelação destes satélites de cada uma das forças.

Conhecendo o secretismo dos russos, é perfeitamente compreensível essa desinformação.

Cumpts
Manuel Santos

PortugueseMan disse...

Caro MSantos,

É claro que num sistema destes haverá informação classificada, mas não quanto ao nº de satélites.

Este projecto é também de uso civil e muito informação tem que estar obrigatoriamente disponível.

Todas as empresas que vão fabricar dispositivos que usam o sistema GLONASS terão que aceder a muita informação de como usá-lo.

Isto não é desinformação, isto é jornalistas que não estão para se dar ao trabalho de pesquisar e terem a preocupação de informar devidamente e acho incrível a NOVOSTI não ter essa preocupação.

A Reuters que não é um órgão russo, informou correctamente a informação que está disponível a toda a gente, conforme os links que forneci anteriormente.

...There are currently 26 Glonass satellites in orbit, many of them launched by the Proton-M carrier. Twenty of the 26 are in working condition; two satellites are on standby; and four satellites are under maintenance, Belyanko said...

http://ph.news.yahoo.com/rtrs/20101205/tbs-russia-satellite-crash-7318940.html

Jose Milhazes disse...

Caros, segundo dados prévios, a queda do foguetão deveu-se a erros matemáticos nos cálculos. Além dos prejuízos económicos, que não são poucos, este acidente está a causar prejuízos políticos.

PortugueseMan disse...

Os prejuízos económicos deste acidente não são grandes, para o tipo de projecto que é.

E prejuízos políticos a meu ver só haverá, caso a falha se deva ao novo segmento usado. E mesmo neste caso a questão será a pressão política para que alguém seja punido por terem tomado a decisão de usar um elemento novo exactamente quando o sistema iria tornar-se global.

Mais do que isto não acredito que haja. O projecto acarreta riscos e durante estes anos todos de modernização as coisas correram de modo muito satisfatório.

Infelizmente e para não variar, circula mais rápido o acidente de um lançamento, do que todos os outros que foram lançados ao longo destes anos.

Da mesma forma que quando apareceram problemas na nova versão do satélite, artigos apareceram a criticar todo o sistema, como já cheguei a referir aqui.

Nada é imune a problemas e não é esta situação que vai pôr em causa o objectivo de ter a cobertura global, simplesmente vai atrasar algus meses.

Até está previsto outro lançamento para este mês, com um satélite de uma nova geração e não vai ser lançado por um PROTON, portanto não deve ser adiado.

Wandard disse...

Amigos,


Todas as informações tornadas públicas neste sentido, fazem parte do jogo de informações. Faz parte da estratégia russa subestimar sua capacidade e comunicar falhas e atrasos. É claro que os americanos não comem nada de primeira ou completamente mas gastam tempo e recursos para averiguar.

MSantos disse...

Ora bolas!

Lá se foram as minhas teorias da conspiração pelo cano abaixo.

O PROTON foi vítima da principal causa de falhanço dos programas espaciais hoje em dia:

erro de software!

Cumpts
Manuel Santos

Jest nas Wielu disse...

Lada Bulava de novo não conseguiu, é pá, para próxima é de vez!