terça-feira, dezembro 07, 2010

Moscovo dará apoio a alegada espiã se for cidadã russa

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia dará apoio a Ekaterina Zatuliveter, acusada de espionagem no Reino Unido, se se constatar que ela é cidadã russa, declarou Serguei Lavrov.
“Estamos a tentar saber se ela é nossa cidadã. Se realmente for nossa cidadã, garantiremos apoio consular e iremos conversar com ela”, declarou o chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov.
A Embaixada da Rússia no Reino Unido já enviou um pedido de esclarecimento às autoridades britânicas nesse sentido.
“A secção consular da Embaixada está disposta a fazer todos os esforços para garantir o apoio consular indispensável à cidadã russa Ekaterina Zatuliveter, se o fato da sua detenção for oficialmente confirmado”, declarou um diplomata russo à agência Ria-Novosti.
Zatuliver, 25 anos, assistente do deputado liberal-democrático Mike Hancock, arrisca-se ser deportada do Reino Unido por alegadamente trabalhar para os serviços secretos russos.
P.S. Não vou discutir se a jovem trabalhou ou não para os serviços secretos russos, pois isso compete aos órgãos competentes britânicos.
Porém, pela experiência que tenho de vida na Rússia, é-me difícil compreender como é que uma estrangeira é assistente de um deputado que faz parte do Comité para a Defesa do Parlamento Inglês.
As autoridades russas, bem como alguns órgãos de informação tentam convencer-nos que a jovem apenas fazia trabalho legal, mas deixo apenas uma pergunta: será que alguém que conhece a Rússia pode imaginar um estrangeiro ou estrangeira a trabalhar na Duma Estatal da Rússia? Tanto mais assistente de um deputado membro de comités como o da Defesa ou da Segurança?

9 comentários:

FAB FLANKER disse...

Se for cidadã russa,que seja deportada! E se trabalha para o Serviço Secreto Russo, estava lá cumprindo a sua missão, que foi por alguem ordenada!

Seja qual for a situação, ela deve ser deportada de volta para a Rússia, caso confirme sua cidadania!

Cristina disse...

Pois é, JM, tens toda a razão... Os russos sabem muito bem defender-se na questão de terem estrangeiros a trabalhar em determinados órgãos, já dos ocidentais não podemos dizer o mesmo.
Aproveito para lançar uma questão que há muito me intriga e preocupa: a presença de diversos trabalhadores russos na nossa embaixada em Moscovo, creio que até uma secretária pessoal do embaixador era ( ou é)cidadã russa, para além do principal tradutor da embaixada... Será que isto não nos deve preocupar? Todos sabemos que os funcionários russos das embaixadas ocidentais (e não estamos a falar de canalizadores ou de electricistas, mas de funcionários administrativos que têm contacto com documentos) costumam geralmente ter outro tipo de funções (para meio entendedor...)
Em comparação, nunca existiu nenhum funcionário administrativo português na embaixada russa em Lisboa e tal seria mesmo impensável...
JM, nunca pensaste neste assunto? ou ele é demasiado sensível?

Jose Milhazes disse...

Cara Cristina,pensei nesse assunto porque isso já acontece há muitos e muitos anos, mas, como sabes, não sou eu que ocupo o cargo de ministro dos NE ou do Interior, ou do que quer que seja. Esses cargos são ocupados por pessoas muito mais inteligentes do que eu e, pelo vistos, consideram isso uma situação normal.

Cristina disse...

Pois é, mas não deviam considerar.

Cristina disse...

E, já agora, mesmo sendo os governantes provavelmente mais inteligentes, nada impede os cidadãos de fazerem ver aos ministros que estão a agir mal...

Muito sinceramente, isto merecia uma investigaçãozinha...

MSantos disse...

Se a Rússia não permite que cidadãos estrangeiros ocupem cargos relacionados com a defesa ou áreas sensíveis apenas está a ser correcta, competente e a zelar pelos seus legítimos interesses.

De qualquer das formas o antagonismo britânico relativamente à Rússia está a crescer de tom, dia para dia.

Por exemplo os britânicos não estão a aceitar mesmo nada bem a perda do Mundial de 2018 para a Rússia.

Quase numa base diária, saem artigos nos principais jornais ingleses em tom muito depreciativo sobre a forma como a Rússia ganhou a organização e a vai pôr em prática.

Cumpts
Manuel Santos

Gilberto Mucio disse...

Na embaixada do Brasil também é cheio de funcionários russo. Inclusive na adidância militar...

Na embaixada e consulados russos no Brasil até os "peões", os jardineiros e encanadores são russo.

Mas sei lá... deve ser porque nem Brasil, nem Portugal têm a esconder.

Cristina disse...

Gilberto, se calhar até têm coisas para esconder, mas ingenuamente acham que está tudo bem... Sinceramente não entendo esta postura, será que não há ninguém que lhes explique umas coisas óbvias?
Amigos jornalistas (nem só o JM), não seria boa ideia levantarem a questão? Talvez chegassem a conclusões bem interessantes...

Jest nas Wielu disse...

Zatuliveter, é uma russificação do apelido dos cossacos ucranianos Zatulyviter, ou seja “tapa o vento”. Eles tiveram vários apelidos engraçados, como Umcasacoemeio (dava-se para um cossaco magricela), Nãocometoucinho, etc.