sábado, janeiro 29, 2011

Autoridades identificaram autor do atentado terrorista no Aeroporto Domodedovo


O Comité de Investigação da Procuradoria-Geral da Rússia anunciou hoje que as autoridades identificaram o autor do atentado terrorista no Aeroporto Domodedovo.
“Trata-se de um homem de 20 anos, originário de uma das repúblicas do Cáucaso do Norte”, declarou Vladimir Markin, porta-voz desse comité, sublinhando que “não iremos revelar hoje o nome do terrorista porque, atualmente, estão a ser tomadas medidas para descobrir e deter os organizadores e cúmplices do atentado terrorista”.
 Markin acrescentou que “o atentado terrorista foi dirigido especialmente contra estrangeiros”.
O atentado, que ocorreu no passado dia 24, provocou a morte de pelo menos 8 cidadãos estrangeiros e 19 ficaram feridos.
O número total de vítimas do ato terrorista foi de 35 mortos e mais de 100 feridos.
O porta-voz do Comité de Investigação revelou também que as autoridades policiais detiveram “várias pessoas envolvidas na preparação de um atentado terrorista em Moscovo no dia 31 de Dezembro”.
Porém, ele sublinhou que os atentados foram organizados por grupos terroristas diferentes, sem ligações entre si.
P.S. Só não compreendo como é que se pode afirmar que o atentado foi dirigido especialmente contra os estrangeiros. Porque a explosão foi num aeroporto internacional, mas a maioria dos passageiros são cidadãos russos. Talvez a investigação venha a revelar dados que solidifiquem esta versão...

8 comentários:

MSantos disse...

É importante referir que a área onde se deu a explosão era na zona aberta ou seja, onde geralmente se espera os passageiros, consequentemente aí a segurança é menos apertada.

Talvez o motivo por só ter mencionado estrangeiros tenha a ver com o facto de ser dirigido à opinião pública internacional.

Nestas alturas, geralmente as autoridades russas são alvo de grande criticismo.

Como exemplo, na BBC News quando isto foi noticiado foi referido que as forças russas que combatem os extremistas no Cáucaso usam brutalidade.

Cumpts
Manuel Santos

PortugueseMan disse...

É importante referir que a área onde se deu a explosão era na zona aberta ou seja, onde geralmente se espera os passageiros, consequentemente aí a segurança é menos apertada...

Hum, eu desconfiava disso. Parece-me que a mensagem principal é que por mais segurança que coloquem nos locais, há sempre locais alternativos cheios de pessoas.

E não há volta a dar quanto a isso.
Esta é a realidade. Ou os serviços de segurança conseguem descobrir a tempo de modo a evitar o atentado ou então temos sempre estas desgraças.

MSantos disse...

Caro PortugueseMan

Você que é um interessado nestas coisas veja estes links que um companheiro de outro blog, me deu a conhecer:

http://www.globalresearch.ca/index.php?context=va&aid=22140

http://www.globalresearch.ca/index.php?context=va&aid=22170

http://www.globalresearch.ca/index.php?context=va&aid=22169

Cumpts
Manuel Santos

PortugueseMan disse...

Caro MSantos,

Obrigado pelo os links.

A minha opinião é muito parecida com o que é dito no artigo, como você já deve ter reparado.

Está a haver um choque entre grande potências que pode culminar em algo muito grave. Os anos passam e cada vez me parece mais que a coisa piora.

PortugueseMan disse...

Caro MSantos,

Encontrei alguns dos artigos que fui colocando ao longo dos tempos e que pensava que estavam perdidos.

Aqui está um onde eu chamo a atenção para o problema do sistema anti-míssil em 2005.

US: Another step for Global War, Floating Missile Defense Radar Completed

O artigo foi convertido para um ficheiro "pdf", mas está lá tudo.

Ao ler o artigo que me indicou, fez-me relembrar que a maioria das pessoas associa o sistema antí-míssil, com mísseis na Polónia/Rep. Checa e os problemas associados com a Rússia.

Mas o sistema antí-míssil é uma coisa global, onde a grande diferença é que outras potências não fazem tanto barulho como a Rússia está a fazer com esta questão.

Este artigo tenta mostrar uma das facetas que é praticamente desconhecida tanto hoje como na altura.

Destaco o último parágrafo:

...Building a sea-based X-band radar was not part of the Clinton
administration’s missile defense plans. A sea-based radar would have
violated the 1972 Anti-Ballistic Missile (ABM) Treaty, which is now no
longer in force following the June 13 U.S. withdrawal. (See ACT,
July/August 2002.) The ABM Treaty ruled out, among other things,
development, testing, and deployment of sea-based components for
defenses against strategic ballistic missiles.


www.nogw.com/download/2005_sbx.pdf

MSantos disse...

Caro PM

Artigo interessantíssimo.

O conceito é o mesmo das "Texas Towers" dos anos 50, um conjunto de plataformas marítimas para pré-detecção de ataques nucleares.

http://en.wikipedia.org/wiki/Texas_Tower_3

De qualquer das formas tudo bate certo com a rescisão do tratado ABM e da crescente obssessão norte-americana em obter a supremacia total do controlo militar do espaço.

E o relógio continua a sua contagem decrescente.

Cumpts
Manuel Santos

Francisco Lucrecio disse...

««««««««Combate ao terrorismo passa por compreender a sua natureza»»»»»»

É precisamente isso que os Americanos e os seus vassalos estão fazendo?

Primeiro analisar as razões, depois tentar resolver a situação de modo pacifico e negociado, a guerra só em ultimo recurso.

Aliás; em legitima defesa das suas fronteiras.

PortugueseMan disse...

Caro MSantos,

Obrigado por essas Texas Towers, pois não as conhecia!

Cumprimentos,
PortugueseMan