sexta-feira, janeiro 28, 2011

Presidente Medvedev ratifica Tratado START-3, mas deixa recados


O Presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, anunciou hoje ter assinado o documento ratificativo do Tratado de Redução de Armamentos Estratégicos (START-3), mas deixou alguns recados à NATO e Estados Unidos.
“Hoje, eu assinei o documento ratificativo que diz respeito ao Tratado START”, declarou ele numa reunião do Conselho de Segurança da Rússia.
Segundo ele, o tratado entrará em vigor depois da troca de documentos ratificativos entre os ministros dos Negócios Estrangeiros dos dois países, que terá lugar em Munique no início de fevereiro.
Porém, Medvedev sublinhou que a Rússia continuará a ocupar-se do sistema de defesa antimíssil europeu e que tomará decisões dependentemente da reação da NATO às suas propostas.
“Os americanos percorreram o seu caminho, nós também o fizemos. A Duma Estatal e o Conselho da Federação analisaram o respetivo documento. Foram feitas algumas observações em grande parte equivalente àquelas que foram feitas pelo Parlamento americano, simétricas, que correspondem aos receios que existem nos nossos deputados em relação à forma como se interpretam os parágrafos do tratado”, acrescentou.
Segundo os deputados russos, o tratado START estabelece de forma vinculante a relação entre armas estratégicas ofensivas e defensivas. Além disso, Moscovo reserva a si o direito de, através de uma declaração especial, abandonar o acordo se o escudo de defesa antimíssil dos Estados Unidos puser e, causa os interesses nacionais da Rússia.
Os EUA e a Rússia comprometem-se, segundo o START-3, a reduzir o seu arsenal de armas estratégicas ofensivas até 1.550 ogivas nucleares e 800 portadores.
O acordo foi assinado pelos Presidentes russo e norte-americano, Dmitri Medvedev e Barack Obama, a 08 de Abril de 2010 em Praga. 
No passado 22 de Dezembro, o documento recebeu luz verde do Senado norte-americano.

2 comentários:

PortugueseMan disse...

É incrível como este tratado está a ser desprezado.

Não tem nenhum tipo de validade.

E ainda se diz que a guerra fria acabou...

Pois então estamos em algo muito pior.

FAB FLANKER disse...

O recado é o seguinte: "Vamos assinar este contrato mas iremos pesquisar e desenvolver projetos de novos mísseis,para qualquer tipo de emergência".

Só que este Tratado especifica os mísseis "estratégicos" e não os "táticos".

E a Rússia possui dezenas de milhares de mísseis nucleares táticos, do mesmo tipo americano ( B-61). Lançado de um SU-35, poderá fazer um belo estrago em qualquer ponto da Europa!

E não se esqueçam dos "ISKANDER"!!!