quarta-feira, abril 13, 2011

KGB avança três versões para explicar atentado terrorista no metropolitano de Minsk


Vadim Zaitsev, presidente do Comité de Segurança do Estado (KGB) da Bielorrússia, avançou, hoje, três versões para explicar o atentado terrorista que teve lugar na véspera no metropolitano da capital bielorrussa.
A explosou provocou 12 mortos e mais de 150 feridos.
“Hoje, temos três versões. A primeira é a desestabilização da situação na Bielorrússia”, declarou Zaitsev aos jornalistas.
A segunda versão está ligada à participação de jovens extemistas no atentado terrorista.
“Há representantes de organizações juvenis extremistas. Está a chegar ao fim o processo judicial contra anarquistas. Não excluímos que semelhantes ações poderiam ser realizadas por vingança, principalmente em relação ao KGB”, acrescentou.
Segundo ele, esta versão está indiretamente ligada às eleições presidenciais de dezembro passado, quando a oposição ao Presidente Alexandre Lukachenko se manifestou no centro de Minsk contra a falsificação do escrutínio.
A polícia carregou sobre os manifestantes e deteve numerosos dirigentes da oposição.
“A terceira versão é um ato de uma pessa anormal, não só do ponto de vista psíquico, mas também do ponto de vista das ambições pessoais”, disse ele.

Zaitsev anunciou também que a polícia deteve três presumíveis autores do ato terrorista, mas reconheceu que ainda não foi preso o principal autor, “um homem com idade até 27 anos, altura entre 175 e 178 cm, vestido de casaco e boné castanho”.
Conhecidos dirigentes da oposição bielorrussa já vieram desmentir qualquer ligação ao ato terrorista, não excluindo a possibilidade de ele ter sido organizado para o KGB para justificar nova onda de repressão contra os adversários de Lukachenko.
P.S. Caros leitores, peço desculpa de só agora ter publicado algo sobre este atentado terrorista, mas ele apanhou toda a gente de surpresa. É difícil encontrar uma explicação racional para isto. 
O atentado ocorreu numa região de Minsk extremamente vigiada, controlada por dezenas de câmaras de vigilância, a poucos metros da residência do Presidente Lukachenko. A polícia tenta mostrar rapidamente trabalho feito, mas, por enquanto, a situação é pouco clara.

2 comentários:

dok disse...

Caro Milhazes, antes de tudo quero dar-lhes os parabéns por este excelente Blog de que sou leitor assíduo, apesar de pouco interveniente. Depois gostaria de lembrar que este é o terceiro “atentado” na era Lukashenko sem que se conheçam autores/motivações concretos para tais acontecimentos. Em 2005 em Vitebsk (40 feridos), foi reivindicado por um grupo desconhecido anti-lukashenko e do qual nunca mais se ouviu falar, não ouve condenados, mas ouve prisões entre os membros da oposição. Em 2008 no dia da independência (50 feridos), apesar das investigações terem sido conduzidas por um investigador de alto gabarito, não deram em nada, anão ser … priões emtre menbros da oposição.
Depois deste historial, e numa altura em que dá tanto jeito a Lukashenko desviar atenções (crise económica, embargo europeu, oposição, etc), é provável que seja mais um atentado em que nunca se vai saber quem foi o culpado ou o porquê do mesmo. Aliás vir a publico falar num hipotético grupo terrorista islamita como culpado, num país onde não é conhecida a existência de tais grupos é talvez “hilariante”…mais a mais quando o Presidente do país até faz negócio com ditadores/terroristas, mas como quem manda pode, até acredito que criem um culpado desses para a ocasião.As outras versões é mesmo para prender alguem quiçá da oposição.
É uma opinião falível mas é a minha pelo que tenho visto nos anos Lukashenko.
Abraços

anónimo russo disse...

Como se vê, aqui tambem, inclusive nos comentários, está presente a opinião de uma parte da internet-"oposição" russa, e, provavelmente, da oposição belorussa: como sempre, de acordo com eles, quem mais ganha em qualquer dos atos terroristas, quer na Rússia, quer na Belorússia (desta vez), são os poderes vigentes. Quer dizer (se alguns dos leitores não sabem), eles sempre acusam os poderes vigentes de terem organizado qualquer ato terrorista. Uma opinião nada nova entre os representantes da internet-"oposição" russa (provavelmente, agora isso será moda entre a oposiçaõ belorussa tambem). Mas o que interessa agora são os organizadores reais deste ato terrorista, e aqui, repito, eu pessoalmente já vi opiniões, que nem tudo pode estar tão claro como alguns quisessem ver, que "a luta pela democracia" em todo o mundo (luta pelos interesses geopoliticos, seria melhor dizer, ao meu ver), e os maiores "lutadores" podiam ter participado nisto, de uma maneira ou de outra. Claro que é dificil imaginar que uma opinião destas aparecesse de repente nos media ocidentais. Mas, enfim, a realidade existe independetemente daquilo que alguns media querem ou não mostrar ou dizer...