segunda-feira, abril 25, 2011

Não é recomendável enviar mulheres a Marte


     Elena Serova, atualmente a única mulher cosmonauta russa (foto)

O vice-diretor do Instituto de Problemas Médico-Biológicos da Rússia, Valeri Bogomolov, considera que as mulheres exercem influência positiva nos astronautas homens, mas não aconselha a sua participação em viagens a Marte.
“A mulher no espaço disciplina a tripulação. No sentido em que a tripulação trata de si, preocupa-se com o seu aspeto externo, etc. Quando há uma mulher na tripulação, isso é um fator positivo”, declarou ele numa entrevista à agência Interfax.
Porém, Bogomolov, que dirige o instituto russo que estuda o comportamento das tripulações no espaço, não tem a certeza de que seja recomendável incluir mulheres nas tripulações que irão viajar para Marte.
“Há questões a que não posso responder e essa é uma delas. Penso que ninguém sabe a resposta”, considerou ele.
Segundo este perito, as viagens a Marte implicam, além de um grande período de permanência nas condições duras do espaço, “sérias cargas físicas, psíquicas e emocionais”.
“Desse ponto de vista, é preferível enviar uma tripulação puramente masculina”, sublinhou.
Foi isso que levou o Instituto de Problemas Médico-Biológicos da Rússia a escolher apenas homens para a experiência de uma imitação do voo a Marte, que decorre atualmente em Moscovo.
O cientista russo revela que essa decisão se deve também ao fato de terem ocorrido problemas na Estação Espacial Internacional, que se encontra atualmente em órbita.
“Nas conversas particulares connosco, os cosmonautas assinalam que não foi fácil voar com uma certa mulher. Ela não se comporta como é devido, tenta comandar, não se submete ao gráfico geral, sublinha constantemente a sua igualdade mesmo com o comandante da estação”, exemplica ele.
Mas sublinha: “Isso é raro, mas aconteceu. Não há casos desses na cosmonáutica russa”, frisou.
“Frequentemente, uma aitute atenciosa para com a mulher pode ser por ela entendida como uma ofensa, uma humilhação da dignidade ou mesmo assédio sexual. A igualdade de sexos na atividade profissional é um fetiche para os americanos. Na Rússia e nos Estados Unidos há mentalidades e tradições diferentes quanto às relações entre sexos, o que se reflete em diferentes abordagens deste problema e na prática da medicina espacial”, precisa o cientista.
A União Soviética enviou para o espaço duas mulheres: Valentina Terechkova e Svetlana Savitskaia e a Rússia tem apenas uma mulher cosmonauta: Elena Serova.
Esta mulher não concorda com a posição de que a viagem a Marte é “uma tarefa puramente masculina”.

9 comentários:

Fábio Paulos disse...

desta não sabia xD

Soturno disse...

Mas as mulheres não são de lá?

Soturno disse...

Mas as mulheres não são de lá?

Anónimo disse...

«««««O cientista russo revela que essa decisão se deve também ao fato de terem ocorrido problemas na Estação Espacial Internacional, que se encontra atualmente em órbita»»»»»».


Cuidado que a palavra facto não sofreu alteração ortográfica. Continua a escrever-se com as mesmas letras em Portugal.



Obrigado.

Jose Milhazes disse...

Leitor anónimo, segundo o novo acordo ortográfico, em Portugal passou-se a escrever fato em vez de facto. Se for concultar os órgãos de informação, verá que assim é.

PortugueseMan disse...

Foi sempre um tópico que me suscitou curiosidade.

Deve ou não haver tripulações mistas em viagens longas?

Sempre pensei que deve ser complicado o relacionamento de uma tripulação mista, durante um largo periodo de tempo num ambiente hostil.

É um tópico que esteve sempre em aberto e pelos vistos estão a caminhar para uma tripulação exclusivamente masculina.

Só falta mesmo fazer a viagem e ver como a coisa corre.

Pippo disse...

Note-se que nem sequer se equaciona enviar uma tripulação puramente feminina, o que demonstrará aquilo que já se verifica, empiricamente, nos nossos bem terrenos ambientes de trabalho: as mulheres, infelizmente e por uma qualquer razão que desconheço, originam conflitos.
E isto não é devido a supostos "egos masculinos" a quererem chamar a atenção das "fêmeas". Em ambientes de trabalho femininos há essa propensão para o conflito, a qual é muito menor em ambientes masculinos. Assim me ensina a experiência. O porquê desconheço.

Do texto destaco como especialmente negativo a parte em que uma astronauta "protesta a sua igualdade" perante um superior hierárquico! Em certos ambientes isso valeria uma expulsão imediata ou um processo disciplinar.

Anónimo disse...

Pois é meu Caro Senhor afirmativamente garanto-lhe que a palavra "facto" não sofreu qualquer alteração com o acordo ortográfico.

Informe-se bem, constatará quem tem razão. Tenha cuidado porque existem outras palavras onde o "c" não foi extinto.

Cumps.

Maquiavel disse...

"Facto" näo foi extinto em Portugal, tal como "recepção" näo foi extinto no Brasil.
É um facto! :D

E Soturno, as mulheres säo de Vénus, os homens é que säo de Marte. E qualquer astronauta que se preze, deve trazer, pelo menos, uma camisa de Marte e uma gravata de Vénus! :D