sexta-feira, abril 29, 2011

Pequenas dicas grátis para atrair mais turistas russos


Este ano espera-se um número recorde de turistas russos em Portugal, não obstante as autoridades portuguesas pouco fazerem para isso. Vale-nos o facto de as empresas turísticas russas desenvolverem um grande trabalho para dar a conhecer o nosso país aos russos.
Além disso, a situação instável no Médio Oriente e Norte de África, o sismo no Japão e as inundações da Tailândia fazem com que um número cada vez maior de russos queira descansar em Portugal. A crise económica não os assusta e até pode jogar a favor do nosso país, pois os preços portugueses, nomeadamente dos comes e bebes,  estão muito aquém dos preços noutros países europeus, para já não se falar da própria Rússia.
Mas há algumas pequenas coisas que podemos fazer para tornar o nosso país ainda mais atractivo. Não se pode esquecer que um russo gasta em Portugal tanto quanto dez turistas alemães ou britânicos.
Por exemplo, não ficaria mal renovar o aspecto do interior do Consulado de Portugal em Moscovo, pois trata-se do primeiro contacto que um turista russo tem com o nosso país. Está claramente a precisar de umas obras e seria boa ideia aumentar a sua área tendo em conta o volume crescente de trabalho.
Podem dizer-me que não há dinheiro para isso, mas quero recordar que um turista russo paga mais de 30 euros por um visto e, por conseguinte, trata-se de um investimento que certamente irá dar lucro.
A Transportadora Aérea Portuguesa (TAP) tem pessoal de bordo simpático e um serviço bom, mas também podia fazer alguns melhoramentos.
Tendo em conta que o bilhete de avião Lisboa-Moscovo-Lisboa não é barato, custa, em média, mais de 400 euros, os passageiros, no Aeroporto de Lisboa, podiam entrar no aparelho através de mangueira. Mas se só é possível fazer isso de autocarro (não compreendo porquê), então ele não deve estar estacionado 5, 10 e mais minutos junto do avião até que as empregadas acabem as limpezas. Isto é tanto mais incómodo para os passageiros nos dias quentes. É desagradável.
Também não compreendo porque é que a TAP não pode anunciar as normas de segurança no interior do aparelho em língua russa. Sei que a cassete ou cd com a gravação estão prontos, é apenas necessário introduzi-los no gravador.
Os russos gostam muito quando ouvem falar a sua língua, tal como os portugueses, por isso seria simpático da nossa parte fazer um pequeno esforço para ir ao encontro dos turistas russos. Eles dão valer a essas coisas.
Em tempo de crise, o turismo é uma importante fonte de receitas, mas para isso os portugueses têm de se mexer mais um bocadinho. Não custa nada e só dá lucro.

16 comentários:

PortugueseMan disse...

Caro JM,

Eu acho que essa questão da mangueira tem a ver com a dimensão dos aviões.

Para os de maior porte, não dá.

Posso estar errado, mas acho que é isto.

Jose Milhazes disse...

Caro PM, não se trata do problema do avião, porque os que voam para Moscovo são de médio alcance e não são grandes. Se não me engano, o avião utilizado é um A 320.

PortugueseMan disse...

Um A320? Ainda é uma distância considerável. Os voos são directos?

Anónimo disse...

A questão da mangueira é absolutamente ridícula. Não me lembro de nenhum outro aeroporto grande onde sistematicamente se tem de usar autocarros para ir até ao avião. Muito, mas muito raramente (e voo bastante) consegui ir em voos que usassem a mangueira. Mesmo da TAP, o que é muito estranho (tanto à chegada como à partida).

PortugueseMan: já estive em vários aeroportos (PDG, SYD, LAX, por exemplo...) em que até ao A380 se usam as mangueiras para embarque, portanto não me parece que seja uma questão técnica a falta de uso de mangueiras na Portela.

Jose Milhazes disse...

Caro PM, o voo é duirecto: 5horas e 30 minutos. O avião nunca pode ir com a lotação completa, para que o combustível chegue. Uma das vezes em que voo, como o vento era forte, tivemos de aterrar em Praga para reabastecer.

PortugueseMan disse...

Anónimo,

Os aeroportos não são todos iguais. O nosso que eu saiba os de grande porte como o A340, não vão para a zona de mangueiras devido ao espaço que ocupam (posso estar errado, mas acho que é assim).

Para o A380, nem todos os aeroportos têm capacidade para operar um avião desse tamanho.

Francisco Lucrecio disse...

Oh Doutor Milhazes por favor não se meta por caminhos que não conhece.

O turista Russo em Portugal procura preferencialmente o Algarve, e Portugal está muito bem preparado para receber qualquer tipo de turista. Desconhece isso?

O turista Russo é mal educado, embebeda-se, provoca confusões é autoritário, exigente, exebisionista, anda sempre com os bolsos cheios de dinheiro.

Eu fui empregado do Sheraton Algarve, sei muito bem dessas coisas.

Depois a grande maioria não sabe falar outra língua além do Russo.

Quando eu lá trabalhava tiveram que arranjar à pressa uma rececionista que sabia falar Russo.

Foi uma rapariga do Cazaquistão, que ainda lá está.

Doutor Milhazes continue a dar lições Soviétofobia que é o seu forte. Porque de turismo os Portugueses conhecem já muito bem.

Jose Milhazes disse...

Sr. Francisco Lucrécio, já lhe recomendei a pensar antes de falar. Devo dizer-lhe que se falo do turismo russo, é porque conheço muito bem o tema. Primeiro, é falso que a maioria dos russos vai para o Algarve. Vá ver as estatísticas. Segundo, o retrato que faz do turista russo em Portugal é falso. Há personagens como as descritas por si, mas não são à maioria.
É verdade que muitos russos sabem apenas falar russo, mas é cada vez maior o número dos que falam inglês.
Se querem turistas, preparem-se para isso, formem tradutores, guias de turismo.
Quanto à minha sovietofobia, não escondo, nem esconderei as minhas posições. Até determinada altura, foi apenas antifascista, mas hoje sou também anti-comunista.

Manuel Lopes disse...

Se houver por aqui algum psicólogo, talvez possa explicar o motivo de o Sr. Milhazes usar hífen no vocábulo anti-comunista, e não proceder do mesmo modo, em antifascista.
Como apenas fui estudante com curso inacabado, avanço uma hipótee: é apenas uma má aplicação do Português?

Jose Milhazes disse...

Manuel Lopes, tratou-se apenas de um descuido: anticomunista, mas com ou seu hífen, para mim é a mesma coisa.

Anónimo disse...

Milhazes,
Desculpe-me, mas acho que esse seu capricho é o que se pode chamar de "complexo de vira-latas". Acaso um turista russo quando embarca num American Airlines para viajar a New York tem serviço de bordo em russo? Obviamente que não! Eu não sou português, mas já estive viajando por lá várias vezes e não faço reparos aos serviços e à hospitalidade portuguesa. Sugiro que, por coerência, você informe os seus conterrâneos portugueses a maneira "delicada" como serão recebidos em Moscou. Será que a Aeroflot disponibiliza serviço de bordo em português? E o consulado da Federação da Rússia em Lisboa, dizponibiliza atendimento "5 estrelas", ou é como em todos os cantos do mundo, quase um insulto aos turistas? Você já se russificou o bastante, agora tente fazer um esforço para voltar a ser um pouco português.

Sergei Korolev disse...

essa serie de relatos esta fantastica, esse tipo de material é sempre muito bem vindo.

Jose Milhazes disse...

Anónimo, leia com atenção o que escrevi. Eu não pedi serviço de bordo em russo, mas instruções de segurança em russo. Quando a Aeroflot voava para Lisboa, tinha instruções de segurança em português.
Se queremos que os russos venham visitar Portugal, claro que não devemos copiar o nível de serviço do Consulado da Rússia em Lisboa, pois desse modo passarão a vir a Portugal tantos russos quanto os portugueses que venham à Rússia.
Mas os russos não são culpados do nível da sua diplomacia, nem os portugueses.
O primeiro-ministro Putin recorre muitas vezes a Portugal como exemplo para a Rússia. Por exemplo, prometeu um nível de vida para os russos superior ao que têm os portugueses, mas falhou a promessa. Os russos, quando vêem a Portugal aprendem muito, tal como nós devemos aprender quando vimos à Rússia.
Não se preocupe com o meu portuguesismo, está de saúde e recomenda-se.

Zuruspa disse...

"O primeiro-ministro Putin recorre muitas vezes a Portugal como exemplo para a Rússia. Por exemplo, prometeu um nível de vida para os russos superior ao que têm os portugueses"

Ou seja, foi buscar o país da UE-15 com pior nível de vida... Putin almeja baixo. Mas mesmo assim e com pitrol näo consegue?

Quanto às mangueiras, senhores, näo inventem desculpas: a "culpa" é *exclusivamente* da TAP e da ANA, porque paga-se mais para ir pelas mangueiras que por autocarro, näo tem *nada* a ver com questöes técnicas, que nos outros aeroportos os mesmos aviöes usam as mangueiras iguais às da Portela. Entretanto gasta-se combustível e paciência dos passageiros... inadmissível isto passar-se em Lisboa quando a TAP é companhia de bandeira portuguesa.

lili disse...

Gosto tanto desta entrada.

Anónimo disse...

Boa noite, sou proprietário de um alojamento e de um bar recomenda me algumas empresas turisticas para que possa fazer uma apresentação das minhas empresas diretamente na russia? Tenho na equipa um russo que poderá fazer a ponte em termos linguisticos.