sábado, maio 07, 2011

Putin apela à criação de uma frente popular para reforçar o país


O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, defendeu a necessidade de, na véspera das eleições parlamentares, criar uma frente popular que una todas as pessoas que querem o reforço da Rússia.
“No fundo, proponho criar o que na prática política se chama uma ampla frente popular: forma de união de esforços de diferentes forças políticas na véspera de grandes acontecimentos de caráter político que foi e é empregue em diversos países, em épocas diferentes e por forças políticas diversas”, declarou Putin numa conferência regional do Partido Rússia Unida.
“Uma união de forças da esquerda e das chamados liberais de direita, nacionalistas, patrióticas”, precisou.
Putin, que dirige o Partido da Rússia Unida, embora não seja seu militante, propõe também que cidadãos apartidários com posição política ativa possam fazer parte das listas eleitorais para a Duma Estatal, Câmara Baixa do Parlamento Russo.
“Todos eles poderiam ter a possibilidade e o direito não só de revelar as suas ideias e propostas sobre as vitas mais ótimas e eficazes de desenvolvimento da Rússia, mas também de propôr as suas candidaturas, que poderiam continuar a não militantes de partidos, mas a entrar no Parlamento do país nas listas da Rússia Unida”, acrescentou.
Segundo ele, “essa plataforma pode englobar, além da Rússia Unida, todas as organizações que não são indiferentes face ao futuro do país: de veteranos de guerra, juvenis, sindicais, femininas, etc.”.
O politólogo russo Dmitri Orekhin declarou, aos microfones da rádio Echo de Moscovo, que a proposta de Putin se assemelha à ideia da soviética da “união dos comunistas e dos sem partido” na era soviética, onde existia apenas o Partido Comunista.
P.S. Normalmente, as frentes populares são criadas em situações críticas, quando há perigo da chegada ao poder de forças totalitárias num dado país? Na Rússia, parece mais uma tentativa de afirmar definitivamente o poder de um partido único, tal como na era soviética. 
Resumindo, falta de originalidade ideológica.

8 comentários:

José Manuel disse...

Não é bem uma "frente popular", mas é mais uma "união nacional". Putin dá todo um novo significado à nossa "salada russa". Nada de novo porque por cá também andam a pedir a mesma coisa. Mas normalmente estas uniões resultam sempre numa mixórdia pantanosa.

Cristianoapoulos disse...

No primado da Justiça, quaisquer aperfeiçoamentos são benvindos...
contudo acautulando as lições do passado:
-Não devemos criar monstros que ainda não saibamos como destruí-los

Um tributo em como uma má acção nasce de uma boa ideia:

http://www.youtube.com/watch?v=iyUu-8nbd58&feature=player_embedded

Pedro disse...

Viva Putin.

Reparem numa coisa:

Imaginem que em Portugal surgia um líder(e com uma boa equipa) que levasse o pais para a frente em termos sociais e económicos! Algo que parece impossível(é o Paradoxo da democracia) e é!.
Se fosse mesmo assim qual era o problema se a seguir ao bom trabalho tivessem 80% dos votos?

Isto é o maior paradoxo da democracia e do qual não ouvimos falar.

Há algo que faz com que a seguir a oito/dez anos de uma governo de Centro/Esquerda venha um de Centro/Direita ou o caso do farol da democracia e direitos humanos dos Democratas/Republicanos.

No mundo natural isto só aconteceria se uma das forças politicas fosse perceptivelmente muito má e a outra muito boa.
Mas não. Confundem-se facilmente.
Esperem para ouvir alguns Antónios deste blog a tentar explicar a chamada Alternância democrática.

E Porque é que temos alternância?
Alguns Tonis (que vem o mundo via TV) dirão que assim é a democracia e os valores ocidentais.
Mas o motivo deste fenómeno é outro. E claro nem os Anti-Tonis percebem.

O motivo da Alternância democrática são apenas e só propaganda.
Igual á propaganda Nazi e Soviética.
Desde há muitos anos que uns certos senhores que não dão a cara e colocam-nos á frente os palhaços da democracia que são os nossos Políticos e sujeitam-se a toda a impopularidade mas sabem que a seguir ao saque e ao respectivo ódio do povo ficam impunes e seguem a sua vida refastelados com os prémios e empregos chorudos em empresas que parasitam o estado e os nossos impostos.
Vejam o exemplo do Grande DEMOCRATA SOCIALISTA do Jorge Coelho, sempre a dizer coisas bonitas na SIC Noticias, mas como todos sabemos foi premiado com um grande cargo na ADM na Mota Engil, pelos seus serviços democráticos em prol da nação.

Democracia Sim, mas verdadeira.

Cristina disse...

Caro Pedro
Não seja ingénuo! Os 80% de votos não se conseguem porque o povo goste muito de um líder mas através do mero controlo descarado dos meios de comunicação social, especialmente das televisões, onde é feita uma propaganda diária do partido governante e dos respectivos líderes. Caso não saiba, o controlo governamental das televisões no caso português é, ao pé do que se passa na Rússia,
uma insignificância.
Queria ainda dizer-lhe que essa sua "boa equipa" e, concretamente, Putin, faz exactamente o que o que o nosso partido socialista tem feito: dá empregos aos seus "boys" e até lhes dá mais: rentáveis empresas do sector do petróleo para eles explorarem à vontade.
Por isso, não tenha ilusões quanto a líderes com 80% de votos....

anónimo_russo disse...

Blogger Cristina disse...

" Caro Pedro
Não seja ingénuo! Os 80% de votos não se conseguem porque o povo goste muito de um líder mas através do mero controlo descarado dos meios de comunicação social, especialmente das televisões, onde é feita uma propaganda diária do partido governante e dos respectivos líderes. Caso não saiba, o controlo governamental das televisões no caso português é, ao pé do que se passa na Rússia,
uma insignificância.
Queria ainda dizer-lhe que essa sua "boa equipa" e, concretamente, Putin, faz exactamente o que o que o nosso partido socialista tem feito: dá empregos aos seus "boys" e até lhes dá mais: rentáveis empresas do sector do petróleo para eles explorarem à vontade.
Por isso, não tenha ilusões quanto a líderes com 80% de votos...."


1. Alguns 60% dos votos eu pessoalmente acho reais.

2. Quanto à televisão, as pessoas não são tão tolas para poder controla-las apenas atraves da televisão. Por sinal, na minha opinião pessoal, os meios de comunicação ocidentais muitas vezes tratam os seus "clientes" como uns seres muito mais ingénuos que os russos (e eles, pelos vistos, realmente nem sempre são muito bem preparados para separar a verdade da mentira).

3.Vale a pena lembrar o estado em que a Rússia se encontrava quando Putin chegou ao poder. Era um país numa situação quase catastrófica, literalmente rasgado pelas "atividades" dos chamados oligarcas de então. Basta lembrar, que um dos canais centrais televisivos de então praticamente estava do lado dos lideres separatistas tchetchenos na guerra contra as tropas russas. E não foi por causa da extrema bondade de alguem, foi por causa de jogos politicos do dono dessa estrutura. Finalmente, esse "oligarca" tambem perdeu. Na minha opinião, Putin cumpriu a sua missão histórica. Agora o país começa a precisar de reformas aos poucos (e há todas as chances de que isso vai suceder aos poucos e sem instabilidade desnecessária), mas já é uma outra história.

Manuel Lopes disse...

Caro José Milhases

Ontem, 9 de Maio, comemorou-se o 66º aniversário da derrota do nazi-fascimo, obra em grande parte, dos soldados soviéticos.
Em tempos que lá vão, este dia era festejado com grande dignidade em toda a pátria soviética.
Ainda se comemora? As comemorações já não têm relevo para aparecem no blogue "Da Rússia"? Ou aí, tal como aqui, só tem relevo o acessório?

FAB FLANKER disse...

Putin é um visionário e futuro presidente da Federação Russa, por mais 2 mandatos consecutivos, e deixará a sua marca na História como o maior estadista do planeta após a II Guerra Mundial!

Joao Alves de Bahia disse...

Putin é uma frutinha. Cão que ladra não morde