quarta-feira, junho 08, 2011

Contributo para História de Portugal ( Primeira tradução integral russa dos Lusíadas "morreu" no cerco de Leninegrado )

O autor da primeira tradução em russo dos “Lusíadas" morreu no cerco de Leninegrado, na II Guerra Mundial, antes de conseguir publicar o livro pelo que a obra maior de Camões só foi editada naquele país em 1988.
Ao longo dos séculos, partes do livro foram traudzidos para russo, mas a primeira versão poética integral da mais importante obra épica da língua portuguesa acabou por ter uma história trágica. Iniciada nos anos 30 do século XX, o tradutor, Mikhail Travtchetov, chegou a entregar a tradução na tipografia, mas o projeto falhou devido à Segunda Guerra Mundial.
Travtchetov morreu durante o cerco de Leninegrado, mas o manuscrito foi salvo e encontra-se na Biblioteca Nacional da Rússia. No entanto, a sua publicação não se realizou por falta de apoio das autoridades portuguesas, apesar de vários críticos reconhecerem a qualidade da sua tradução.
Os Lusíadas só foram integralmente publicados na Rússia em 1988, mas a obra épica de Camões foi bastante conhecida no país e chegou a ser parcialmente traduzida em prosa desde o século XVIII.
O terceiro canto dos Lusíadas, ou mais precisamente, a sua tradução em prosa a partir do francês para russo, foi publicada na Rússia em 1779, desconhecendo-se o seu autor.
Em 1788, Alexandre Dmitriev publica uma tradução completa dos Lusíadas, mas também em prosa, a partir do francês. Mais de cem anos depois, em 1897, o literato Alexandre Tchudinov publica outra tradução também em prosa, mas muito mais próxima do texto poético de Camões.
Nesse período, Vladimir Markov lança-se na tradução poética dos Lusíadas para russo, mas pouco mais de 15 páginas de texto foram publicadas em 1882.
E só em 1988, Olga Ovtcharenko publicou a sua tradução dos Lusíadas. A restante obra lírica de Camões está também totalmente traduzida para russo, mas esse trabalho só foi realizado na segunda metade do séc. XX, graças aos esforços de conhecidos tradutores do português como V. Levik, I.Tinianova e M.Talov.



2 comentários:

Nazaré Oliveira disse...

Viva, como estás?
Incrível esta "odisseia" d`Os Lusíadas por terras russas!
Costumo visitar o teu blogue. Parabéns.
Bj

Jose Milhazes disse...

Cara Nazaré, obrigado.