segunda-feira, agosto 22, 2011

Tomada de Tripoli pode não significar fim do regime de Kadhafi (opiniões de peritos russos)

Mikhail Marguelov, representante especial do Presidente da Rússia para África, considera que a tomada de Tripoli pela oposição líbia pode não significar a queda de Muammar Kadhafi.
Segundo ele, o coronel pode fugir da capital líbia, pelo deserto ou por mar, e não utilizou a maior parte do arsenal de que dispõe.
“Tripoli pode cair hoje ou amanhã. Os insurgentes controlam o leste do país, mas não controlam o deserto, as fronteiras com o Sudão, Chade e Argélia. Por isso haverá, durante algum tempo, focos de resistência”, declarou Marguelov à rádio Eco de Moscovo.
Depois de recordar o recente lançamento de um míssil balístico Scud por Kadhafi, o político russo acrescentou: “espero muito que ele não realize nenhum dos seus planos suicidas”.
Marguelov sublinhou que a Rússia não irá dar refúgio político ao coronel líbio.
“A Rússia não esteve, nem estará pronta a receber Kadhafi. Deixámos de lhe apertar a mão depois de ter ordenado bombardeamentos aéreos de manifestações”, explicou.
Gueorgui Mirski, analista do Instituto de Economia Mundial e Relações Internacionais, considera que o futuro da Líbia e de Kadhafi são “duas coisas diferentes”.
Segundo ele, “a Líbia continuará a ser um país de segundo plano. Se não tivesse petróleo, ninguém ouviria falar dela. Mas como o tem, irá desempenhar algum papel, mas já não político”.
“Graças ao caráter de Kadhafi e à sua revolução, a Líbia desempenhava um papel geopolítico exageradamente grande, que não correspondia à sua importância geopolítica. Ele metia-se em toda a parte, apoiava terroristas, revoluções”, explica Mirski.
O cientista defende que a Líbia se tornará num país normal, sublinhando que tem possibilidades de manter a integridade territorial.
“Não vale a pena esperar guerras entre as tribos líbias”, concluiu.
Evgueni Minchenko, diretor do Instituto Internacional de Peritagem Política, defende que Kadhafi poderá ainda resistir e que a sua queda conduzirá à desintegração da Líbia.
“Kadhafi preferirá morrer em combate ou fugir para um dos países vizinhos e continuar a resistência. Tanto mais que o exército líbio se ingeriu várias vezes nas disputas dos vizinhos e, hipoteticamente, ele pode encontrar aí significativo apoio”, considera ele.
“O mais provável é que se formem três Estados, conforme as fronteiras historicamente das regiões: Tripolitânia (no noroeste), Cirenaica (no nordeste) e Fezã (no sul). Estas províncias da Líbia desenvolveram-se, durante muito tempo, independentemente umas das outras e existem todas as hipóteses de cada uma se tornar independente. Talvez algumas tribos proclamem a sua autonomia”, acrescenta.
O perito conclui que, nesse caso, “a Líbia assistirá a uma catástrofe humanitária, cujas consequências ultrapassarão o que hoje ocorre no Iraque”.

10 comentários:

Zhirinovsky "The Bear" disse...

Próximos da lista dos falcões:

1º. Siria
2º. Irã
3º. Venezuela
4º. Somália (petróleo no Chifre Africano)
5º. Coréia do Norte
6º. China
7º. Russia

Pedro disse...

Zhirinovsky "The Bear" disse...

"Próximos da lista dos falcões:
1º. Siria
2º. Irã
3º. Venezuela
4º. Somália (petróleo no Chifre Africano)
5º. Coréia do Norte
6º. China
7º. Russia"

Caro Zhirinovsky dessa lista apenas acredito que a NATO possa atacar talvez a Síria, a Somália e eventualmente a Venezuela.

Os restantes a NATO não ataca, pois são um bando de cobardes que só se juntam todos para bater nos mais fracos.
A NATO faz lembrar alguns garotos da escola que se juntam vários para bater num miúdo cigano ou num miúdo mais pobre e mal vestido.

Esta canalha de cobardes nunca atacaria a Rússia ou a China e nem mesmo o Irão.
Porque ai ficam sujeitos a aleijar-se.

A estratégia da NATO/EU/USA em relação á Rússia e China é de os tentar corromper oferecendo-lhe umas côdeas a troco de estes não vetarem as suas acções sanguinárias contra países indefesos que apenas querem manter os seu recursos.
E infelizmente a Rússia a China deixam-se levar por este jogo sujo e imundo.

A Líbia estava á frente de muitos países Europeus nos índices de desenvolvimento Humano, e era o mais desenvolvido de África.
O Tal "Ditador" que tanto tem batido nele os média ocidentais era apenas um poder simbólico na Líbia.
Pela mesma analogia podemos chamar á Rainha de Inglaterra uma ditadora .

Ricardo disse...

Mais curioso de tudo isso, é que assim como no Egito, na Líbia a irmandade mulçumana também vai subir ao poder. E essa instituição é anti-ocidente e anti-sionosta.

Wandard disse...

A campanha da Otan contra a Libia, contribuiu para piorar a crise financeira dos países da UE, Itália e Espanha estão pendurados, Inglaterra e França deteriorando mais ainda, Estados Unidos já sofreu a falência de 68 bancos só este ano. E a possibilidade de um passeio seguro das potências europeias em um Libia após Kadhafi ainda é um sonho distante. A Otan só apenas mostrou com uma vitrine aberta para o mundo, aue sua capacidade é tão pífia que só consegue enfrentar nações fracas e apenas se o ataque for á distância pois em terra repete a incompetência da segunda guerra.

Zhirinovsky "The Bear" disse...

É por isso que a China e a Rússia devem se unir... Para derrubar esse regime chamado NATO.

A China atacaria a costa oeste americana e a Rússia a costa leste americana!!!

Tudo pulverizado num raio de 300 quilometros da costa para o interior!!!

J.BRASIL disse...

Abriram as portas dos hospícios da sociologia.

Esqueceu de colocar, demente, Cuba na sua lista.

O Reino Unido iria perder a chance de detonar o Kadafi, depois daquele terrorismo no avião que caiu na Escócia? Qualquer perdão pessoal possível não exclui a vigança de estado.

Acorda manezada. Antes da dominação americana o mundo era muito pior do que é hoje.

Zuruspa disse...

Caro O Urso (muda isso para Medved, soa bem melhor), dessas lista de "prendas desejadas para o Natal" está tudo a modos que tremido...

1º. Siria näo tem petróleo
2º. Irão pode ter bombas "daquelas" e tem populaçäo que näo se esquece de quem ajudou o Saddam nos anos 80
3º. Venezuela... já 2 vezes tentaram, aquele povo tem a mania de apoiar o Chavez!
4º. Somália tem petróleo mas foi onde levaram porrada a sério por exércitos amadores
5º. Coréia do Norte pode ter "daquelas" bombas
6º. China... nem precisa das tais bombas, detém 1/2 da dívida pública americana (e quase tanto da europeia), eles é que qualquer dia tomam isto
7º. Russia... tem bombas "daquelas"

Bem disse o Pedro que "A estratégia da NATO/EU/USA em relação á Rússia e China é de os tentar corromper oferecendo-lhe umas côdeas a troco de estes não vetarem as suas acções sanguinárias contra países indefesos que apenas querem manter os seu recursos.
E infelizmente a Rússia a China deixam-se levar por este jogo sujo e imundo." e sempre gostava de saber o preço pago para aprovar o bombardeamento da Líbia.

A OTAN é mesmo um regime, e que näo se importa de que lhes matem nem os próprios cidadäos, tanto que ninguém foi chatear a ditadura da Arábia Saudita... que é de onde vem a Al-Qaeda!

Zhirinovsky "The Bear" disse...

A NATO não é uma organização, é um regime fascista!!!

Quando ocorreu os atentados de 11 de setembro, 97% dos terroristas envolvidos era da Arábia Saudita... Porque então a América e seus aliados fantoches não bombardearam a Arábia Saudita?

A Arábia Saudita é o regime mais cruel e horrendo de todo o Oriente Médio, milhares de vezes pior que o Irã!

A razão da NATO existir é a disseminação de seus ideais fascistas... Qualquer governo ( não regime) que não corresponde aos interesses da OTAN e de seu chefe, o PENTAGONO, irá ser derrubado por mísseis TOMAHAWK e mísseis CALCM lançados de bombardeiros B-2!

Mais eles não irão atacar a Arábia Saudita, porque este regime é igual o que era o Irã, nos anos 70...

Será que ninguem acorda para a realidade? Essas guerras são criadas e definidas em um escritório de administração de negócios, não em um quartel-general!

Porque a América não bombardeia a Arábia Saudita? Porque a América não bombardeia os Emirados Árabes, Bahrain, Kweit e Qatar?

Porque a América não bombardeia o Paquistão, que possui bombas nucleares???

MAIS UMA VEZ EU VOU DIZER AQUI: Se o Paquistão tem bombas nucleares, o Irã também tem o direito de possuí-las!

Qual a diferença entre o Paquistão e o Irã???

Jest nas Wielu disse...

Porque os russos apoiam Gaddafi?
http://ed-glezin.livejournal.com/379832.html
http://ed-glezin.livejournal.com/379638.html

Zuruspa disse...

Porque os americanos apoiam o CNT líbio, totalmente infiltrado pela Al-Qaeda?

É verdade, a Arábia Saudita de 2010 parece o Iräo de 1975, mas vejam o que aconteceu ao Xá...

... o xeques que se cuidem, que se o preço da comida continua a aumentar, a revoluçäo egípcia e bahrainita "apega-se"... é só o exército começar a ter fome (tal como no Egipto).