domingo, setembro 11, 2011

Atentados uniram mundo na luta contra o terrorismo – MNE russo

A comunidade internacional deu, nos últimos dez anos, um grande passo em frente na esfera da cooperação antiterrorista internacional, lê-se num comunicado hoje publicado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia.

“É claro que, ao planear ataques tão ousados e cruéis, os terroristas esperavam semear o medo e, ao mesmo tempo, conseguir o efeito máximo. Em certo sentido, eles conseguiram isso, mas, no fim de contas, não no objetivo que pretendiam. As explosões de 11 de setembro de 2001 e outros atentados terroristas conduziram à formação de uma ampla coligação antiterrorista, que elevou a interação antiterrorista internacional a um nível mais alto”, considera a diplomacia russa.
O Ministério de Negócios Estrangeiros da Rússia assinala com satisfação que a comunidade internacional adotou, como estratégia fundamental da luta contra a ameaça terrorista, a linha defendida anteriormente pela Rússia, ou seja, o reforço do sistema internacional de combate ao terrorismo que tem a ONU como centro coordenador.
“A aprovação, pelo Conselho de Segurança da ONU, de resoluções antiterroristas que constituem hoje a base do direito internacional no combate ao terrorismo foi a medida mais urgente com vista a aumentar o nível de preparação da comunidade mundial para dar uma resposta ao terrorismo”, frisa o MNE russo.
Segundo ele, “constituiu uma resposta complexa mais madura à ameaça terrorista a Estratégia Antiterrorista Global da ONU, assinada em 2006, onde a comunidade mundial apontou pela primeira vez, além do combate ao terrorismo, as tarefas da sua ampla prevenção, nomeadamente a irradiação das condições que contribuem para a sua difusão”.
Os diplomatas russos são da opinião que se tornou prioritária a organização do trabalho sistemático com vista à prevenção do terrorismo e ao combate ao radicalismo.
“Aumenta a compreensão da necessidade da participação de ONG’s, organizações educativas e religiosas, empresariais e órgãos de comunicação  na solução da tarefa de impedir a reprodução da ideologia do terrorismo, no combate à utilização da Internet com esse objetivo”, sublinha-se no comunicado.
O MNE da Rússia considera positivo o facto do aumento da problemática antiterrorista na ação de organizações internacionais como a Organização do Tratado de Segurança Coletiva, Comunidade de Estados Independentes, Organização de Cooperação de Xangai, Conselho da Europa, Organização para a Cooperação e Segurança na Europa, União Europeia e NATO.
“Infelizmente, os terroristas aperfeiçoam constantemente os seus métodos, utilizam ativamente tecnologias modernas e o espaço cibernético, tentam diversificar as fontes de financiamento da sua atividade à custa dos rendimentos do narcotráfico, tráfico de armas, pirataria, de outros tipos de organização criminosa internacional”, constata a diplomacia russa.
“A comunidade mundial precisa de procurar respostas a esses desafios da atualidade”, conclui o comunicado.
Este comunicado foi publicado a propósito do 10º aniversário dos atentados terroristas em Nova Iorque.

3 comentários:

Anónimo disse...

"Uniram-se" contra o islão arabista. Isto é um facto.

Ricardo disse...

Antes desse atentado a impresna internacional vivia batendo na Rússia e defendendo os "coitadinhos" dos terroristas chechenos. Depois que experimentaram o terror do terrorismo perceberam porque a brutaldiade russa na região.

Zhirinovsky Flanker disse...

A Rùssia tem que criar uma operação para acabar com o terrorismo que está ocorrendo no Cáucaso!

Isto tem que acabar, pois está causando dor e sofrimento á população daquela região e a população russa em todo o país!

Está na hora de se iniciar uma operação coordenada, envolvendo a Força-Aérea Russa, o Exército russo e suas divisões blindadas, aerotransportadas e paraquedistas!

Tem que ser uma operação de longo prazo, envolvendo milhares de soldados e inúmeras divisões blindadas, com o apoio-aéreo aproximado da Força-Aérea russa, que com sua força de helicópteros de ataque MI-24, MI-28 e KA-52, juntos com aviões do tipo SU-25 FROGFOOT, atuariam como força de contra-insurgencia e apoio ás tropas no chão.

O Serviço Secreto Russo atuaria como força impar nesta operação, mapeando as células terroristas e regiões turbulentas e identificando e traqueando alvos para o Exército e Força-Aérea.

A Rùssia tem que impedir estes terroristas á todo custo, envolvendo o grampeamento de contas que financiam estas operações.

A Força-Aérea Russa e o Exército Russo tem meios atuais capazes de neutralizar esta ameaça e juntamente com o Serviço Secreto Russo, iria extinguir estas células terroristas e trazer paz e estabilidade para o glorioso e sagrado território russo.

E juntamente com estas ameaças internas, a Rússia teria que tomar ações concretas contra as ameaças externas, que são as seguintes:

a) Geórgia
b) Escudo Anti-Mísseis
c) Japão e suas reinvidicações pelas ilhas Kuril

A Rùssia faz parte do seleto grupo dos 4 países que possuem todos os meios para lhe dar com qualquer seja a ameaça, interna ou externa, por ar, terra, mar e espaço.

A Rússia tem uma Marinha composta por uma frota de submarinos nucleares e SSBN, uma Força-Aérea majestosa composta por caças avançados, bombardeiros e um exército glorioso, com milhares de tanques e blindados além de uma força poderosa de helicópteros de ataque e logística. E é uma potencia nuclear e dissuativa, que é papel decisivo para os rumos da humanidade, no contexto geoestratégico.

Todos estes sistemas estão á disposição na mesa dos estrategistas militares russos, o que torna este país uma Potencia Mundial, apenas comparada aos Estados Unidos!