domingo, setembro 18, 2011

Blog do leitor (Alemanha impediu a entrada da Ucrânia na NATO)




Texto traduzido e enviado pelo leitor Jest 

"Ucrânia não foi aceita na NATO por medo da Alemanha de estragar as relações com Rússia, enquanto em 2008 o país estava muito perto de concluir o Plano de Acção para a Adesão (MAP) no âmbito da NATO, escreve o jornal ucraniano KyivPost, citando WikiLeaks.

Como consta nas transcrições publicadas pela WikiLeaks, no início de 2008, a Ucrânia solicitou a adesão à NATO, que logo recebeu o aval e o apoio dos Estados Unidos. A análise do pedido deveria ser feita na cimeira da NATO em Bucareste. Juntamente com Ucrânia, Geórgia também pretendia aderir à NATO. Contra a adesão desses países à NATO se manifestou França e acentuadamente Alemanha, temendo uma reacção negativa da Rússia. No entanto, o acordo tinha sido assinado em Bucareste com o apoio dos restantes países membros da Aliança e assinatura do MAP da Ucrânia e Geórgia foi agendada para o mês de Dezembro. Se mais tarde a França tinha começado duvidar da sua avaliação negativa desta questão, Alemanha continuou teimosamente a insistir em convencer outros países membros da NATO do que a adesão da “terrível”, em termos políticos, Ucrânia apenas aumentará a tensão da Aliança com Rússia e afectará negativamente a condução da missão militar da NATO no Afeganistão. Como resultado, devido aos esforços da Alemanha, na cimeira da NATO em Bruxelas a questão da adesão da Ucrânia à NATO foi, de facto, esquecida, concentrando-se na resolução de problemas de Afeganistão. As informações da WikiLeaks sobre o comportamento da Alemanha na véspera da cimeira da NATO em Bruxelas e a sua oposição à adesão da Ucrânia à NATO provêm da fonte estritamente classificada da NATO.

O resumo dos documentos publicados pela WikiLeaks também mostra que os alemães olham com desprezo a proposta do Medvedev sobre a segurança europeia, mas acreditam que a devem “considerar”, esperando que isso “melhore a atmosfera” das relações com Rússia. Alertando contra o perigo de “colocar Rússia em um canto”, com a concessão do MAP a Ucrânia e Geórgia após a invasão russa da Geórgia em Agosto de 2008, os alemães, ao mesmo tempo expressam-se muito críticos contra as declarações de Medvedev sobre a colocação de mísseis de curto alcance em Kaliningrado.

Fontes:

34 comentários:

Anónimo disse...

Oh Jest, até a Alemanha tem medo do Urso.

PortugueseMan disse...

E fez muito bem. A Alemanha é dos poucos países da NATO que tem força para dizer não aos EUA. E o caso da Ucrânia era um que prejudicava a Europa.

Um país cheio de problemas e potenciais problemas, um país fulcral para a passagem de energia para a Europa, um presidente americano de saída, um novo presidente russo, problemas na Geórgia, no Afeganistão, no Iraque e vamos arranjar ainda mais problemas a abrir a porta para a UCrânia entrar na NATO?

A Ucrânia que mostre que pode viver sem energia subsidiada e nessa altura pode-se considerar a entrada na estrutura militar. Até lá a Ucrânia é um país dependente, sem capacidade de viver sem ajuda de terceiros.

Não foi a Alemanha que impediu a entrada da Ucrânia na NATO, foram eles próprios que se mostraram incapazes de viver como país independente e assim vão ficar durante muitos anos.

Pippo disse...

Convenhamos. O que é que a NATO tinha a ganhar com a adesão da Ucrânia e da Geórgia?

Iria melhorar a sua posição estratégica?

Iria assegurar estabilidade no espaço euro-atlântico?

Iria defender-se melhor contra ALGUÉM?

A resposta é sempre NÃO.

Por isso, a Alemanha, desta vez, esteve bem. Defendeu os interesses da Europa e da NATO contra as patetices de Washington.

Pippo disse...

Já agora, JM, tem algo a dizer sobre os resultado das eleições na Letónia?
Ganhou o partido pró-russo mas quem irá formar governo serão os perdedores...

Zhirinovsky Flanker disse...

Este país, Ucrania. está servindo de fantoche para a NATO hostilizar a Rússia. Que vantagem estratégica teria para a NATO inserir a Ucrania nesta organização?

A Ucrania usa sistemas bélicos russos, como estes sistemas iriam se integrar a NATO? Como a rede de radares, os caças, os sistemas de combates ucranianos iriam ser integrados á NATO se são de proveniencia russa?

Anónimo disse...

A Ucrania deveria fazer parte da Nato, não o fez por pura conveniência da Alemanha, este país tem um acordo com a Rússia para a construção de um gasoduto no mar Báltico que levará gas diretamente da Rússia para a Alemanha, sem intermediários. Não esqueçamos a crise do tráfego de gas entre a Ucrania e a Rússia em 2009.

O ex-chanceler Alemão do partido social-democrata ganhou um cargo na estatal russa responsável pela construção do gasoduto. Quando era chanceler da Alemanha ele foi o principal apoiador da Russia no Ocidente. Ganhou beneces de Putin após deixar o governo alemão. Se fosse um país de terceiro-mundo isso seria classificado categoricamente de CORRUPÇÃO, conflito de interesses, misturar interesses públicos com privados, usar cargo político para obter vantagens pessoais, prevaricação, intermediação de interesses privados e etc... Esse Schoreder é um corrupto, um sujeitinho venal, se vendeu para o Kremlin sem pensar 2 vezes. A Gazprom patrocina um time de futebol na Alemanha, o Schalk 04.

Já a França o fez por pura convardia mesmo! Foi medo francês. Não teve coragem de encarar a Rússia. Acho que a Rússia tenta refundar um império da Europa, se não for barrada tenderá a se fortalecer cada vez mais.

A Rússia está criando um novo gasoduto que perorrerá, desta vez, o Sul da Europa. Putin está fazendo um uso desavergonhado do gás como arma política. Uma luta que o Ocidente só tende a perder se não fizer nada. A Ucrânia ficará ainda mais refém da Rússia se esses gasodutos forem mesmo construídos. A Ucrânia será massacrada! Pobre Ucrania!

Anónimo disse...

Gerhard Schröder virou lobista da Gazprom após deixar o cargo de chanceler da Alemanha.

Anónimo disse...

Pactos entre Alemanha e Rússia não constumam ser muito bons.

Anónimo disse...

Ainda ninguém disse aqui o que é que a NATO teria a ganhar com a adesão da Ucrânia e da Geórgia.

Anónimo disse...

"Pactos entre Alemanha e Rússia não constumam ser muito bons"


Concordo.

Pedro disse...

Hummmm, parece estar aqui uma possível explicação para a NATO ter começado a sua cruzada assassina para o Norte de África.
Tiveram medo do URSO os cobardes assassinos e agora quem vai pagar são os pobres dos Líbios e outros virão.

Lembram-se de Guernica (Espanha)?.
Que diferença existe entre o que fez a NATO em Sirte e o massacre Nazi de Guernica na Guerra civil espanhola?
Até foi pior porque a NATO usou armar químicas em Sirte e matou milhares de pessoas inocentes.

A luz de que principio alguém pode ainda apoiar a NATO?

Ricardo disse...

"Pactos entre Alemanha e Rússia não constumam ser muito bons."
Não seria esse o maior temor dos EUA?! Uma aliança Berlim-Moscou poderia bloquear a influêncai dos EUA na região.

Anónimo disse...

Pedro,

e o que a Rússia fez na Chachênia?
no Afeganistão?
na Georgia?

Sérgio disse...

Pedro: Veja lá que Guernica não foi tão mau quanto os comunistas dizem.
Acho piada a estes que criticam a Nato,por que não vão viver para a Coreia do Norte?

Jest nas Wielu disse...

2 Anónimo 20:53
Muito bem dito, de facto, os "Pactos entre Alemanha e Rússia não costumam ser muito bons", basta lembrar para onde levou a Europa e o Mundo o Pacto Molotov-Ribbentrop...

2 Pedro 10:52
NATO vs armar químicas em Sirte:
No Iraque tivemos "Ali, o Químico", o Pedro quer se tornar "Pedro, o Cómico"...

Pedro disse...

"Pedro: Veja lá que Guernica não foi tão mau quanto os comunistas dizem.
Acho piada a estes que criticam a Nato,por que não vão viver para a Coreia do Norte?"

As bocas do costume:
Quando não há argumentos atiram assim umas larachas "Vai viver para a Coreia do Norte", " Porque não vão para o Irão" etc.

Já agora de onde depreendeu dos meus comentários que eu sou adepto de regimes comunas?
Odeio estas simplificações estúpidas. Temos de aceitar os crimes da NATO senão somos comunistas.
Pessoalmente em algumas situações até sou mais de direita que esquerda.

Mas acham que uma pessoa que seja de direita tem de aceitar os ditames dos USA da NATO porque é assim que nos mentalizaram desde pequenos?Mesmo que seja ataques nucleares, químicos contra populações indefesas? Foi o que aconteceu em Sirte e as outras cidades Líbias ainda sob o controlo do Kadaffi. Temos de aceitar isto para podermos ser considerados Democratas?

"2 Pedro 10:52
NATO vs armar químicas em Sirte:
No Iraque tivemos "Ali, o Químico", o Pedro quer se tornar "Pedro, o Cómico"..."

Vale a pena responder a isto?Para quê?

"Pedro,

e o que a Rússia fez na Chachênia?
no Afeganistão?
na Georgia?"

Não falei da Russia, falei da NATO.
A Russia não tem as mão limpas.
Mas as da NATO estão muito mais impregnadas de sangue.
A Rússia foi invadida 6 ~7 vezes ao longo da história por potências ocidentais.
Quantas vezes a Rússia invadiu o Ocidente?
Fizeram umas maldades nos tempos da URSS mas nada que se compare á mortandade provocada pelos principais membros da NATO ao longo do ultimos 60 anos.

Anónimo disse...

Pedro,

A Rússia não invadiu o Afeganistão tb? A Rússia não invadiu a Hungria, República Tcheca, os países bálticos?

Pippo disse...

"A Rússia não invadiu o Afeganistão tb? A Rússia não invadiu a Hungria, República Tcheca, os países bálticos?"

Respondo eu.

NÃO, NÃO invadiu. Quem invadiu foi a URSS. E no caso do Afeganistão, a URSS começou por enviar as suas tropas, a pedido do governo afegão, por causa dos rebeldes islamitas.

Jest nas Wielu disse...

2 Pippo 01:16
Então se queremos exemplos russos, podemos lembrar que na época de 1848 Rússia era conhecida como “gendarme da Europa” por causa do seu papel no esmagamento da Primavera das Nações (http://pt.wikipedia.org/wiki/Revolu%C3%A7%C3%B5es_de_1848), além disso, em 1904 Rússia se envolveu na guerra contra o Japão (8.II.1904 – 5.09.1905), na I G.M., Rússia atacou Alemanha, Áustro-Hungria, Bulgária,etc.

Em 1979 não havia no Afeganistão nenhuns “rebeldes islamitas”, além disso, não esquecer, que primeiro, a URSS derrubou o governo do Hafizullah Amin, assassinando o próprio Amin, também morreram no ataque mais de 200 soldados afegãos e o filho de Amin de 11 anos, ler mais (http://en.wikipedia.org/wiki/Operation_Storm-333), e depois instalou o governo que “convidou” as tropas soviéticas ocupar o país...

Pippo disse...

Jest, como sempre a dizer uma mentiritas ou meias verdades, não é? Só não sei é se isso deriva de ignorância ou de mera malícia.

O "Gendarme da Europa" não era a Rússia mas sim o seu Tzar, Nicolau I. As suas tropas esmagaram a Primavera dos Povos porque os Habsburgos estavam incapazes de o fazer sozinhos.
Mas já que está armado em tão grande conhecedor de História, então também saber sobre a intervenção prussiana na Polónia, ou até sobre a mais remota intervenção francesa em Espanha, em 1823, para restaurar o Absolutismo, certo?

Quanto à guerra Russo-Japonesa, seu ignorante, porque é que culpa a Rússia? Não deveria culpabilizar o Japão, que foi quem iniciou a guerra?

Japan issued a declaration of war on 8 February 1904.[16] However, three hours before Japan's declaration of war was received by the Russian Government, the Imperial Japanese Navy attacked the Russian Far East Fleet at Port Arthur.

http://en.wikipedia.org/wiki/Russo-Japanese_War#Declaration_of_war


E relativamente à 1ª G.M., pelos visto você é ignorante mas eu vou esclarece-lo.
A Rússia fazia parte de uma aliança com a Sérvia, a França e o Reino Unido. A Sérvia foi atacada pela Áustria. Isso espoletou o ultimato da Rússia à Áustria, e depois foi o efeito dominó.

Mas se pelos vistos é ignorante a ponto de culpar a Rússia pela 1ª GM, então presumo que para si, a França e o Reino Unido sejam os responsáveis pela 2ª G.M.. Afinal de contas, a Alemanha nazi "apenas havia invadido" a Polónia... as outras duas potências, malvadas, é que depois declararam guerra à Alemanha!

(cont.)

Pippo disse...

(cont.)

Por fim, quanto ao caso do Afeganistão, Jest, releia o artigo da Wikipédia e deixe-se de dizer mentiras.

Em primeiro lugar, começo por desmentir a sua afirmação de que "Em 1979 não havia no Afeganistão nenhuns “rebeldes islamitas”".
Ora, lá está, preto no branco, que em 1979 HAVIA rebeldes ISLAMITAS no Afeganistão:

"Initiation of the insurgency

In June 1975, militants from the Jamiat Islami party attempted to overthrow the government. They started their rebellion in the Panjshir valley (a part of the greater Parwan province), in the present day Panjshir province, some 100 kilometers north of Kabul, and in a number of other provinces of the country."

http://en.wikipedia.org/wiki/Soviet_war_in_Afghanistan#1979:_Soviet_deployment


E o que é o Jamiat-i-Islami?

http://en.wikipedia.org/wiki/Jamiat_Islami


Quanto à data em que começou a intervenção soviética no Afeganistão, lá está, na Wikipédia:

"On April 14, 1979, the Afghan government requested that the USSR send 15 to 20 helicopters with their crews to Afghanistan, and on June 16, the Soviet government responded and sent a detachment of tanks, BMPs, and crews to guard the government in Kabul and to secure the Bagram and Shindand airfields. In response to this request, an airborne battalion, commanded by Lieutenant Colonel A. Lomakin, arrived at the Bagram Air Base on July 7. They arrived without their combat gear, disguised as technical specialists. They were the personal bodyguards for President Taraki. The paratroopers were directly subordinate to the senior Soviet military advisor and did not interfere in Afghan politics."

"After a month, the Afghan requests were no longer for individual crews and subunits, but for regiments and larger units. In July, the Afghan government requested that two motorized rifle divisions be sent to Afghanistan. The following day, they requested an airborne division in addition to the earlier requests. They repeated these requests and variants to these requests over the following months right up to December 1979. However, the Soviet government was in no hurry to grant them."

Ou seja, o governo afegão, muito antes do assassinato de Amin, pedia gente, e a URSS até se dava ao luxo de recusar o pedido.

Os artigos na Wikipédia também falam sobre o golpe de estado feito pelo Hafizullah Amin, dobre o assassinato do anterior presidente Nur Mohammad Taraki, a brutalidade de Amin, etc.

http://en.wikipedia.org/wiki/Hafizullah_Amin

http://en.wikipedia.org/wiki/Nur_Muhammad_Taraki

http://en.wikipedia.org/wiki/Soviet_war_in_Afghanistan#1979:_Soviet_deployment


Se quer exibir a sua ignorância, por favor, faça-o em privado. Não venha contaminar este blog com as suas falsidades.

Pedro disse...

Pippo>, parabéns pela sua pesquisa, não conhecia esses factos que refere.

Ainda assim não haverá dúvidas que a Rússia não tem as mão limpas ao longo dos últimos 60 ~ 70 anos, como por exemplo a invasão da Finlândia em 1940.

Mas comparar com as barbaridades cometidas por Britânicos, americanos, Alemães e Japoneses pelo mundo fora não é possível, por mais que se esforcem alguns que inclusive não aceita ou não quer ver estes crimes.

Jest nas Wielu disse...

Pippo Filipe 23:35 / 23:37
Vejo que ficaste bastante magoado comigo até recorres aos insultos e não havia a necexxidade, como dizia Herman... Onde está a sua dita calma e o seu dito civismo?

1. Penso que Nicolay I não andava pela Europa fora, em pessoa, a esmagar a Primavera das Nações, porventura ele teve a ajuda do exército russo, da secreta russa, por ai fora...

2. Guerra russo-japonesa: fico admirado porquê que Rússia é sempre atacada pelos seus vizinhos mais pequenos, ora Japão, ora Finlândia (desculpe, foi URSS), ora Geórgia (2008), algo deve estar muito errado com todos eles...

3. 1ª G.M.: mas será que foi a malvada da NATO ou Soros a obrigarem Rússia fazer aliança com Sérvia e fazer o tal últimato à Áustria?

4. 2ª G.M.: Polónia não foi invadida apenas pela Alemanha nazi, mas também pela URSS comunista, e também me parece que Moscovo não foi obrigada à isso.
5. “Rebeldes islamitas”: no mesmo artigo, logo após o texto por si citado se pode ler: “However, government forces easily defeated the insurgency and a sizable portion of the insurgents sought refuge in Pakistan.[32]". (falamos de Junho de 1975).

6. Hafizullah Amin: embora a propaganda soviética / russa gosta de falar sobre a “brutalidade de Amin”, creio que não é por isso ele foi derrubado e assassinado pelo GRU / URSS.

7. Se me quer dar os conselhos, por favor, faça-os nas páginas do seu próprio blogue, não venha para o blogue alheio estabelecer aqui as suas regras moscovitas.

Pippo disse...

"Ainda assim não haverá dúvidas que a Rússia não tem as mão limpas ao longo dos últimos 60 ~ 70 anos, como por exemplo a invasão da Finlândia em 1940."

Pedro,
A Rússia não tem as mãos limpas na questão da Chechénia (e os chechenos também não). Fora isso, não confunda a Rússia com a URSS.

Quem invadiu a Finlândia em 1940 foi a URSS.

Pippo disse...

Jest Afric

1. Não seja ridículo...

2. Ficou admirado? Então aprenda História antes de vir aqui expor, de forma arrogante, a sua ignorância.

3. Não seja ridículo. Se não sabe política internacional evite falar sobre esse tema.

4. A Polónia foi invadida pela URSS, não pela Rússia. Mas não foi à URSS que a França e o Reino Unido declararam guerra.

5. “Rebeldes islamitas”: foram derrotados? Então porque é que a rebelião continuou? Mas a questão não era essa. Eu disse que havia rebeldes islamitas; você disse taxativamente que "Em 1979 não havia no Afeganistão nenhuns “rebeldes islamitas”". Como se comprova, você mentiu (para não variar).

6. Hafizullah Amin: não seja ridículo. O artigo da Wikipédia não tem origem na propaganda soviética / russa. E mais uma vez, se você é ignorante acerca de política, não nos agracie com a sua arrogante falta de conhecimentos e, pelos vistos, de iliteracia.

7. Quanto aos conselhos, prefiro “regras moscovitas” que primem pela veracidade, bom senso e honestidade dos factos do que pelas suas regras rutenazis da desinformação, do chauvinismo, do ressabiamento e da mentira.

Só é pena é que, com tantas mentiras e propaganda que você veicula, tenha de haver alguém atento para repor a verdade, não vá algum néscio acreditar nelas.

Sergei Korolev disse...

O Jest não deve saber ler...

sergio disse...

NÃO, NÃO invadiu. Quem invadiu foi a URSS. ´


Depois dessa, vou dormir...os pró-russos sempre dão a resposta que mais convém. Quando é para o interesse deles foi a Rússia, quando não é, foi a URSS

Jest nas Wielu disse...

2 Pippo Filipe
Tenho imensa pena que V. Excia aprendeu em Moscovo usar os insultos (baseados nos clichés nacionais e preconceitos políticos) contra aqueles que não concordam com os seus pontos de vista, não fica nada bem para uma pessoa que anda no meio académico, como a V. Excia.

Para terminar com Afeganistão: a V. Excia tinha dito que: “no caso do Afeganistão, a URSS começou por enviar as suas tropas, a pedido do governo afegão, por causa dos rebeldes islamitas” (a ivasão soviética se deu em 27.12.1979). Como Wiki atesta os insurgentes foram derrotados pelo Governo afegão em Junho de 1975, o que quer dizer que URSS invadiu Afeganistão 4 anos e meio após o desaparecimento dos insurgentes.

Mas o mais engraçado que a própria URSS explicava a invasão pelo medo do que Afeganistão poderia ser invadido por americanos e assim se tornar hostil à URSS, de mesma maneira, como a invasão da Finlândia e da Polónia (1939) foi explicada nestes termos: “se não for URSS, seriam invadidos pelos nazis”.

Bónus
A Europa baniu os “o uso comercial dos símbilos soviéticos despóticos”:
http://www.telegraph.co.uk/news/
worldnews/europe/russia/8778946/
Europe-bans-despotic-Soviet-hammer-and-sickle-from-commerical-use.html

Pippo disse...

Jest,

Em tudo o que tu já escreveste aqui ainda não vi uma única palavra mais elegante para com os russos; vilipendias abertamente a Rússia e a sua população; apoias tudo o que seja contra a Rússia, não só o que diga respeito à Ucrânia mas também o que diga respeito aos países Bálticos, Geórgia, Chechénia, etc.. (o que importa é que seja contra a Rússia); insultas gratuitamente os russos e em particular os moscovitas;
Ah, mas não gostas que te insultem com "clichés nacionais"...!

Há dois tipos de gente que me agonia: a que tem a mania que é esperta e que gosta de fazer dos outros parvos; e a que é maldosa e mentirosa.
Tu tens o condão de combinar esses dois tipos. Gostas de fazer dos outros parvos, mesmo quando é tão evidente que "the Jest is on you"; e mentes descaradamente de uma forma nazi, chauvinista e russófoba, e quando te desmascaram ainda vens tentar arranjar argumentos ridículos para tentar dar a volta ao texto.

As tuas a titudes e argumentação são infantis e más.

Este caso, do Afeganistão, é mais um em que estás a enterrar-te todo e em lugar de te renderes e admitires que és ignorante, ainda tentas dar-me a volta de forma parva.

Tu escreveste
"Como Wiki atesta os insurgentes foram derrotados pelo Governo afegão em Junho de 1975, o que quer dizer que URSS invadiu Afeganistão 4 anos e meio após o desaparecimento dos insurgentes."

Ora, com esta frase, MAIS UMA VEZ provas que não só és ridículo como és iletrado.

O artigo da Wikipédia diz:

"However, government forces easily defeated the insurgency and a sizable portion of the insurgents sought refuge in Pakistan where they enjoyed the support of Zulfikar Ali Bhutto's government, which had been alarmed by Daoud's revival of the Pashtunistan issue.[32]

In 1978 the Taraki government initiated a series of reforms, including a radical modernization of the traditional Islamic civil and especially marriage law, aimed at "uprooting feudalism" in Afghan society.[33] The government brooked no opposition to the reforms[28] and responded with violence to unrest. Between April 1978 and the Soviet invasion of December 1979, thousands of prisoners, perhaps as many as 27,000, were executed at the notorious[34] Pul-e-Charkhi prison, including many village mullahs and headmen.[35] Other members of the traditional elite, the religious establishment and intelligentsia fled the country.[35]"

E agora é a parte em que se prova que tu, ou não sabes ler, ou se sabes, és um falso:

"Large parts of the country went into open rebellion. The Parcham Government claimed that 11,000 were executed during the Amin/Taraki period in response to the revolts.[36] The revolt began in October among the Nuristani tribes of the Kunar Valley in the northeastern part of the country near the border with Pakistan, and rapidly spread among the other ethnic groups. By the spring of 1979, 24 of the 28 provinces had suffered outbreaks of violence.[37] The rebellion began to take hold in the cities: in March 1979 in Herat, rebels led by Ismail Khan revolted. Between 3000 and 5000 people were killed and wounded during the Herat revolt. Some 100 Soviet citizens and their families were killed."

Percebeste agora, ou precisas de uma tradução para português?

E se não gostas que te insultem, muda de atitude e deixa de ser um parvinho.
Cresce!

Jest nas Wielu disse...

2 Pippo Filipe 23:34
Bem, se tu não viste minha “uma única palavra mais elegante para com os russos” é porque, se calhar, não te interessa ver isso. Além disso,também não me lembro uma única palavra mais elegante para com os ucranianos vinda da V. Excia, mas só os clichés e insultos chauvinistas, retrógrados e gratuítos a-la dugin & belinski...

Quando ao Afeganistão, creio seguramente que este país não foi invadido pela URSS por causa da insurgência islámica, mas por causa do medo que URSS teve de ter ao seu lado um país alinhado com EUA ao estilo do Paquistão...
Ver as fotos & vídeo da comemoração da Independência ucraniana em Lisboa: http://www.spilka.pt/index.php?option=
com_content&view=article&id=3075%3A2011-
09-22-23-32-13&catid=64%3A2009-05-11-
22-29-20&Itemid=65&lang=pt

Pippo disse...

Jovem,

Eu não insulto os ucranianos. Mas não tenho problemas em chamar de chauvinistas, russófobos e nazis aqueles que o são e que vêm aqui despejar o seu fel, insultando gratuitamente a Rússia e os russos em geral.
É esse o teu caso. S
e não o reconheces, retrocede uns dois anos e contrapõe os louvores e os insultos que tu proferiste contra os russos. Verás onde está a verdade.

Quanto ao Afeganistão, penso estarmos conversados. Se não és humilde o suficiente para reconheceres a derrota, não faz mal. Qualquer outra pessoa que tenha lido o que nós escrevemos já percebeu tudo.

Jest nas Wielu disse...

2 Pippo Filipe 17:51
Meu velho, eu não me importo, de tudo, com aquilo que escreves sobre mim, mas é obvio, que cada vez quando se referes aos naturais da Galiza ucraniana como um todo, estas seguir o caminho da xenofobia, chauvinismo e ucrainofobia aguda.

Pelo que eu aprendi, a palavra nazi significa “nacional socialista”, ou seja membro (em alguns casos, talvez simpatizante) do NSDAP; anteriormente, os comunistas deste blogue viam qualquer crítica da URSS como “nazi”, prara mim, obviamente, é um cliché desonesto e até não muito inteligente.

Rigor académico manda não abusar do uso das palavras como “qualquer, todo o mundo”, etc., pois nem sempre o seu uso revela-se prudente. Já agora, para que “todo o mundo” saiba ;-), os cidadãos do Brasil já podem visitar Ucrânia sem necessidade de ter o visto. A Lei foi votada no Senado do Brasil no dia 20.09.2011.

Além disso, tudo indica que Ucrânia irá assinar o tratado de Associção e Livre Comércio com a UE:
http://www.presseurop.eu/pt/content/
news-brief/991371-acordo-de
-associacao-caminho

Pippo disse...

Jovem, se ainda não encaixaste e continuas a vocifrar, é sinal que não tens inteligência para compreender e mudar.
Lamento-te.

Jest nas Wielu disse...

A história típica da Ucrânia Ocidental, camponês ucraniano Mykhaylo Fedun foi acusado de “actividade contra-revolucionária” e fuzilado em 1941. Província de Lviv, distrito de Brody, caso № 56666…

Infelismente eu não sou natural da Galiza ucraniana (gostari de ser), infelismente não tenho nenhum avo que lutasse no UPA...
http://starog1.blogspot.com/2011/09/
blog-post_6507.html