terça-feira, setembro 27, 2011

Ministério da Defesa da Rússia renuncia à compra das lendárias Kalachnikov

O Ministério da Defesa da Rússia renunciou à aquisição de espingardas de assalto Kalachnikov (Ak-47) por dispor de "grandes reservas" e porque a arma já não satisfaz as necessidades das Forças Armadas, anunciou o chefe do Estado Maior.“Renunciámos. Antes de tudo, isso deve-se às reservas existentes, elas são dezenas de vezes superiores às necessidades”, precisou o general Nikolai Makarov.
“Primeiro, devemos utilizar as armas que temos armazenadas e as armas que são agora criadas devem ir para as reservas de mobilização, nomeadamente para o equipamento das Forças Armadas”, acrescentou.
Segundo o militar, as espingardas de assalto actualmente existentes “já não nos satisfazem e a sua enorme quantidade faz com que não haja necessidade de aquisições”.
Esta metralhadora foi criada em 1947 por Mikhail Kalachnikov e passou a equipar o Exército Vermelho Soviético dois anos depois.
Devido ao seu baixo preço e facilidade de manuseamento, a AK-47 foi a metralhadora que mais se fabricou no mundo.
A sua popularidade é tão grande que apareceu ou ainda aparece representada no brasão de alguns países, nomeadamente no de Moçambique.

4 comentários:

Zhirinovsky Flanker disse...

O Ministério da Defesa Russo quer o melhor para seus soldados, e recentemente foi concedido carta branca para o Ministro Anatoly Serdyukov comprar armamentes no exterior, caso os armamentos de proveniencia russa não satisfazer os requisitos do Ministério...

Isto é absolutamente normal, outros países também tomam esta ação, inclusive os Estados Unidos, que adquiriram o IAV STRYKER que foi totalmente projetado no Canadá!

Não é vergonha para a Rússia adquirir sistemas militares no exterior, é apenas uma forma de adquirir a tecnologia para absorver internamente, como o Reino Unido fez quando comprou o helicóptero de ataque APACHE. O Reino Unido produz um helicóptero de ataque que é o AUGUSTA AW129, mas preferiu comprar o AH-54 APACHE dos Estados Unidos!

Pippo disse...

Uma pequena correcção:

A AK-47 (ou a AK-74, a M-16, M-4, G3, G36, etc.) não é uma "metralhadora" mas sim uma espingarda automática ou, numa designação mais antiga, espingarda de assalto (do alemão "sturmgewehr", pois os alemães foram os criadores da primeira espingarda automática, a Sturmgewehr 44).

A metralhadora destina-se a proporcionar fogo prolongado de apoio e supressão à secção, enquanto a espingarda automática é a arma individual do soldado, utilizada em modo semi-automático ou, em modo automático, para disparar rajadas curtas.

A RPK, bem como a PKM, são, essas sim, metralhadoras. No caso da PKM, se for montada em tripé, poderá ser classificada como "metralhadora pesada" (o termo "pesada" nada tem a ver com o calibre mas sim com a capacidade de manter fogo sustentado e bem apontado).

Desculpe a correcção mas espero ter sido instrutivo.

Jest nas Wielu disse...

off top;

Desde o dia 1.10.2011 Geórgia opta pela não obrigatoriedade para os automobilistas de possuir a carta de condução, nem o registo de automóveis (os dados são verificados à partir da base de dados da polícia):
http://cyxymu.livejournal.com/
1035149.html

MSantos disse...

Acho bem, Jest. Assim o Estado não mete o bedelho na vida dos cidadãos nem impede o espírito empreendedor que tantos empregos tem criado nestes países de comércio livre.

;)

Cumpts
Manuel Santos