terça-feira, outubro 11, 2011

Antiga primeira-ministra Iúlia Timochenko condenada a sete anos de prisão

O Tribunal  Petcherski condenou Iúlia Timochenko, antiga primeira-ministra ucraniana, a sete anos de prisão por “abuso de poder” aquando da assinatura de contratos de fornecimento de gás russo em 2009.
Além disso, Timochenko fica privada de ocupar cargos nas estruturas do poder durante três anos, o que a impedirá de participar nas eleições parlamentares do Outono de 2012.


O juiz decidiu também que a antiga primeira-ministra terá de “indemnizar plenamente” a empresa pública de gás ucraniana Naftogaz, que teria sido prejudicada em cerca de 150 milhões de euros.


Segundo o juiz Rodion Kireev, os acordos sobre o fornecimento de gás russo à Ucrânia foram assinados “exclusivamente graças às ações ilegais e individuais de Iúlia Timochenko”.


“Os atos de Timochenko foram além dos seus poderes, o que provocaram pesadas consequências”, concluiu.


A sentença foi recebida com gritos pelos apoiantes de Timochenko que se encontravam na sala de sessões: “Vergonha!”, “Eles também serão condenados!”, “Este bando está condenado!”.


A líder da oposição, ao reagir à sentença, declarou aos jornalistas que “a Ucrânia está a voltar a 1937”, ano em que o ditador José Estaline desencadeou uma forte onda de terror em toda a União Soviética.


Iúlia Timochenko e os seus advogados já anunciaram que irão recorrer da sentença para tribunais ucranianos e europeus.

3 comentários:

Jest nas Wielu disse...

Contra a decisão já se manifestou a Rússia e a UE:
http://news.mail.ru/politics/7040625/?frommail=1

Zhirinovsky Flanker disse...

Eu quero que esta mulher, Iulia Timochenko, apodreça na cadeia! Foi ela que iniciou toda uma campanha fracassada anti-Rússia, querendo trilhar os caminhos da Ucrania para a NATO. Esta mulher é uma vergonha para a história da Ucrânia, e a verdade veio á tona, e sua sentença executada.

Iulia Timochenko deve ser extirpada para sempre da política ucraniana, pois seus interesses não são com o seu país, mas com a América e seus aliados fantoches.

A Ucrânia é um país que merece políticos com compromissos reais com seu país, e a antiga linhagem que ocupou o poder deverá ser pulverizada dos círculos políticos neste país.

A Ucrânia só tem á ganhar sendo um aliado estratégico da Rússia, ou será combalido á ser apenas a segunda opção.

Pois atualmente, a Ucrânia é para a Europa o que a Argentina é para a América do Sul, sempre em segundo lugar!

A Ucrania será mais livre e feliz sendo um aliado do Kremlim!

Anónimo disse...

Para mim, sete anos é pouco para o que ela fez, aliás, até mesmo a prisão perpétua seria pouco, uma falta de respeito com os povos da região, uma aspirante a genocida com máscara de reformista.