domingo, outubro 16, 2011

Blog do leitor (Pró-russo e Anti-russo)

Texto enviado pelo leitor António Campos:
"Mesmo sem cabelo grisalho e com um semblante infinitamente mais agradável, Yuliya Tymoshenko faz-me lembrar o nosso antigo primeiro-ministro José Sócrates. O seu crime? Muito semelhante ao de Sócrates mais as suas infames PPPs (parcerias público-privadas): use agora, pague depois…durante muitos anos. Nas vésperas das eleições de 2010, o anúncio de um preço “promocional” para o gás comprado à Gazprom dava um jeitão do ponto de vista político à candidata a presidente da Ucrânia. O busílis é que a promoção era apenas válida para o primeiro ano do contrato. Os restantes 9 foram negociados com base em preços indexados ao crude. Correu mal para Tymoshenko, porque os preços do petróleo voltaram rapidamente a subir. E agora, a prisão de um dos estandartes da alegadamente anti-russa revolução laranja por um presidente pró-russo é vista pelo Kremlin como uma manobra anti-russa. Uma ironia impagável.
Porque é que o Kremlin anda a estrebuchar e a chamar anti-russa à condenação de Tymoshenko? Porque a Gazprom está agarrada ao pricing do gás indexado ao crude como criancinha à perna da mãe. O gás dos xistos e a criação de mercados spot são péssimas notícias para uma empresa altamente ineficiente que só tem a ganhar com o estabelecimento de preços artificialmente elevados para o bem que vende, tendo tudo a perder com o estabelecimento de mercados verdadeiramente competitivos. Os chineses, que não são nenhuns parvos, não estão a ir na conversa da indexação, a Alemanha também lhes está a fazer um manguito, a Turquia já o fez, e só países com baixo poder negocial como a Ucrânia é que poderão ser mais ou menos “convencidos” a alinhar no esquema.
Este tópico é tão importante para a rentabilidade da Gazprom (e para a estabilidade fiscal russa, dada a sua dependência das rendas da venda de hidrocarbonetos), que leva o economista Craig Pirrong, especialista em mercados de commodities, a afirmar que a forma como a Rússia se vai sair nas negociações dos contratos de fornecimento de gás poderá bem ser vista como um indicador bastante preciso do seu futuro político e económico."

8 comentários:

PortugueseMan disse...

Nas vésperas das eleições de 2010, o anúncio de um preço “promocional” para o gás comprado à Gazprom dava um jeitão do ponto de vista político à candidata a presidente da Ucrânia. O busílis é que a promoção era apenas válida para o primeiro ano do contrato.

Não foi nas vésperas das eleições que o contrato foi celebrado. E da maneira como foi negociado, ditou o futuro das eleições para Tymoshenko. O gás estaria em ano de eleições a valores de mercado.

Tymoshenko nunca poderia tirar qualquer tipo de dividendos, com um contrato tão duro como aquele que assinou. Ao assinar aquele contrato o seu futuro político ficou traçado.

E agora, a prisão de um dos estandartes da alegadamente anti-russa revolução laranja por um presidente pró-russo é vista pelo Kremlin como uma manobra anti-russa.

O "alegadamente" está a mais.

Porque é que o Kremlin anda a estrebuchar e a chamar anti-russa à condenação de Tymoshenko? Porque a Gazprom está agarrada ao pricing do gás indexado ao crude como criancinha à perna da mãe.

O problema não está na Gazprom estar aflita, coisa que nunca esteve. O problema é o perigo de quebrar aquele contrato e o que estava negociado por debaixo da mesa com ele. O contrato não vai ser denunciado, vai ser renegociado e para obter de novo um valor mais abaixo, grandes concessões a Ucrânia terá que fazer aos russos.


Os chineses, que não são nenhuns parvos, não estão a ir na conversa da indexação, a Alemanha também lhes está a fazer um manguito, a Turquia já o fez, e só países com baixo poder negocial

Cada um dos países tenta obter o melhor contrato possível, como em qualquer negócio. E cada um dos referidos têm situações distintas a resolver. A Rússia tem uma excelente base negocial e não há ninguém a fazer manguitos.

E a Gazprom, a empresa "ineficiente" e "quase falida" como já tantas vezes aqui ouvi, teve um aumento brutal nos lucros este ano. E clientes a bater à porta não faltam.

pedro disse...

Apenas por estar um pouco farto de tudo ser culpa do "filosofo" e por uma questão de justiça, as PPP's em Portugal não começaram com ele, não foi quem mais PPP's criou ou quem assinou a mais ruionosa para o país e não o estou a defender nem coisa que o pareça mas tou farto de ler/ouvir que é o culpado de tudo, embora seja de muita coisa.

E peço desculpa por escrever isto que nada tem de relevancia para o post, mas daqui por 1 anos talvez o "filosofo" não continue a ser o culpado de tudo.

Zhirinovsky Flanker disse...

A comparação entre a GAZPRON e a Rùssia é uma paródia. A GAZPRON é uma Estatal russa que está defendendo seus interesses estratégicos na região, pois quem construiu e instalou aquela rede de gasodutos em solo ucraniano foram os russos!

Muita coisa que os ucranianos e os traidores do Báltico possuem hj em infra-estrutura foram construído pelos russos! Até sua força-aérea foi totalmente concebida pelos russos.

Eu acho totalmente eficiente a forma como a GAZPROM está negociando com a Ucrânia a venda do gás, tanto é que foi acertado o negócio... Se a GAZPRON não fosse competente, o negócio não ia ser acertado!

Não estão mais ocorrendo problemas, tanto no fornecimento, quanto no pagamento do gás russo passando pela Ucrania, este assunto está sendo citado novamente, porque aquela lésbica corrupta foi presa, com a alegação do gás, mais na realidade a prisão dela foi meramente política!!!

A Ucrania é um lugar bem melhor para se viver com essa Yulia presa em um calabouço, dentro da usina de Chernobyl!!!

Os tempos mudaram, e a Ucrânia só tem á ganhar se aliando com seus verdadeiros aliados, que são os russos, a "Terra Mãe". Até porque não há outra alternativa para Kiev...

VVSC disse...

Entäo näo é bom um corrupto ir preso? Quem me dera fizessem o mesmo em Portugal com o Sócrates, Cavaco e pandilha do BPN, Soares...

... ou a justiça só é boa quando pende só para um lado?

Querem prender o Yanukovich? Têm bom remédio, é preparar o caso.

Já o sacana do Maurice Papon gritava no julgamento que aquilo era um "tribunal de Moscovo" e que ele era "o novo Dreyfuss"...

Anónimo disse...

E que fim levou o velho Socratés? Ainda na França?

Anónimo disse...

Não há inocentes em toda essa história, todos aí são corruptos e tem um grande histórico de corrupção: Yanukovich, Tymoschenko, Putin...

Anónimo disse...

Os russos querem vender seu gás acima do preço de mercado. A Rússia supervaloriza o seus gas. Tb eles só vivem disso. Os europeus e os chineses já disseram NÃO!!!!!

Como a Ucrânia é uma país que não tem como se defender, eles fazem isso. Covardes!

Anónimo disse...

Os russos querem vender seu gás acima do preço de mercado. A Rússia supervaloriza o seus gas. Tb eles só vivem disso. Os europeus e os chineses já disseram NÃO!!!!!

Como a Ucrânia é uma país que não tem como se defender, eles fazem isso. Covardes!