domingo, Janeiro 08, 2012

Navios de guerra russos entram no porto sírio de Tartus

 
Um grupo de navios de guerra russos entrou hoje no porto sírio de Tartus, onde a Rússia mantém uma base de abastecimento e apoio técnico às suas armadas de guerra. As autoridades sírias interpretam isso como sinal de solidariedade.
O grupo de navios de guerra, segundo um porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia, é composto pelo porta-aviões Admiral Kuznetsov, pelo navio de combate a submarinos Admiral Tchabanenko, o navio de guarda Ladni, o rebocador Nikolai Tchiker e o petroleiro Lena.
“Os navios, depois de reabastecidos, abandonarão águas sírias e continuarão os seus exercícios”, acrescentou o porta-voz, frisando que “os armamentos e meios técnicos dos navios funcionam normalmente”.
A agência noticiosa síria SANA considerou esta visita uma “demonstração de solidariedade com o povo da Síria”.
“A visita dos vasos visa aproximar os nossos dois países e reforçar os laços de amizade entre eles”, afirmou um dos oficiais russos, citado por essa agência.
Arif al-Haddaf, governador de Tartus, declarou, na cerimónia de receção dos navios, que “merece respeito a posição da Rússia de apoio ao povo sírio”.
A Rússia mantém em Tartus uma base de apoio material e técnico aos navios das suas armadas, onde trabalham cerca de 50 marinheiros russos e se encontra permanentemente uma doca seca da Armada do Mar Negro.
A agência SANA informou que a visita dos navios russos irá durar seis dias, mas o Ministério da Defesa da Rússia sublinha que os vasos de guerra deverão abandonar o porto já amanhã.

8 comentários:

Anónimo disse...

Esta fuerza Naval Rusa en estos momentos nunca tendrian de abandonar estas aguas Sirias; OTAN es un peligro en estas inmediaciones

Anónimo disse...

En estos momentos dificiles de Siria las fuerzas Navales Rusas, nunca tendrian de salir de las haguas Sirias OTAN es un peligro

FAB-1980 disse...

O porta-aviões Kuznetsov veio para a Síria para impedir que o regime de Assad seja deposto.

Na realidade, todo este aparato preparado pelo Kremlim é uma maquiagem, pois o real objetivo desta força-tarefa russa na Siria é desembarcar armamentos para o regime Assad e coletar informações de inteligência para os militares russos, sobre a força-tarefa da NATO que também está na região.

O Kremlim não irá permitir queo regime de Assad caia, porque é aliado do Kremlim. A Rùssia também não irá mais permitir mudanças impostas por forças ocidentais no Oriente Médio.

A força-tarefa russa no porto de Tartus desembarcou muitos mísseis anti-navio, mísseis balísticos táticos e mísseis SAM do tipo IGLA, para que os militares sírios usem contra uma possível invasão da NATO na Syria.

Wandard disse...

Pelo menos 4 navios já estavam estacionados ao largo do litoral sírio desde o mês de novembro, possívelmente esta Força Tarefa pode estar levando suprimentos e armamentos para a Síria. Devem realizar exercícios no Mediterrâneo e depois retornar à base na Rússia, o certo é que a Rússia manterá movimentação constante de vasos de guerra no litoral Sírio até que a Frota definitiva que ficará baseada no país esteja pronta.

Голос революции disse...

Porque vocês falam "VASOS" de guerra?

Será que é difícil vocês dizerem "NAVIOS" de guerra?

Aqui no Brasil, vaso é onde se coloca flores dentro de casa, vasos de flores, por exemplo...

Голос революции disse...

Porque vocês falam "VASOS" de guerra?

Será que é difícil vocês dizerem "NAVIOS" de guerra?

Aqui no Brasil, vaso é onde se coloca flores dentro de casa, vasos de flores, por exemplo...

Wandard disse...

Caro Voz da Revolução,

Vaso tem como significado: Recipiente côncavo, para líquidos, sólidos, flores etc.
Navio de grandes proporções, geralmente de guerra.

Estou escrevendo do Brasil e a expressão não está errada, assim como pode ser usada também a palavra "belonave".

Grande abraço,

Anónimo disse...

A expressão "vaso de guerra" também é corrente em Portugal.