segunda-feira, fevereiro 13, 2012

País arrisca-se a perder independência sem crescimento demográfico, Putin

O primeiro-ministro e candidato a Presidente da Rússia, Vladimir Putin, escreve hoje que o seu país se pode transformar numa “área deserta” e perder a independência se não se registar um forte crescimento demográfico.
No artigo “Construção da justiça. Política social para a Rússia”, publicado no diário Komsomolskaia Pravda, Putin considera que se trata de uma opção entre a ação e a inércia, ou seja, conseguir ou não o aumento da população em 50 milhões de pessoas nos próximos 40 anos.
“No nosso território estão concentrados cerca de 40 por cento dos recursos naturais mundiais, mas a população é apenas cerca de 2 por cento dos habitantes da Terra. Se não realizarmos um grande projeto a longo prazo de desenvolvimento demográfico, se não aumentarmos o potencial humano, se não explorarmos o nosso território, arriscamo-nos a transformar, a nível global, num “espaço deserto”, cujo destino será resolvido a partir do exterior”, acrescenta.
O primeiro-ministro russo frisa que, se não forem tomadas medidas, a população da Rússia diminuirá de 143 para 107 milhões de pessoas nos próximos 40 anos.
Vladimir Putin apresenta um longo rol de promessas para resolver o problema demográfico na Rússia, nomeadamente o apoio financeiro às famílias numerosas, a criação de uma um “aristocracia operária” de 10 milhões até 2020, a solução do problema da falta de habitações, aumento das reformas e bolsas de estudo.
Além disso, ele propõe a realização de uma “política de migração inteligente”: o regresso dos russos que vivem no estrangeiro, principalmente nos países que faziam parte da URSS, e importação controlada de mão-de-obra.
O dirigente russo considera que os cidadãos do seu país podem estar descontentes com a política social das autoridades, mas sublinha que na Rússia existe “um nível mais alto de  garantias sociais do que em Estados com um nível semelhante de produtividade de trabalho e de rendimento per capita”.
Porém, reconhece que “é inadmissível a gritante diferenciação de rendimentos. Um em cada oito cidadãos vive, oficialmente, abaixo do nível da pobreza”.
Putin defende que é preciso ainda trabalhar muito para que os cidadãos possam “realizar os seus conhecimentos profissionais, encontrar emprego que lhes dê um salário digno e permita desenvolver a sua carreira”.
Este artigo é parte do programa eleitoral de Vladimir Putin.
As eleições presidenciais estão marcadas para 04 de março.
P.S. Pergunto uma vez mais: o que andou Vladimir Putin a fazer durante 12 anos?

12 comentários:

PEDRO disse...

"P.S. Pergunto uma vez mais: o que andou Vladimir Putin a fazer durante 12 anos?"

Sr. Milhazes, tem de reconhecer que não é em 8 anos que se reverte totalmente a situação social-Económica catastrófica da Rússia em 1999. Houve bastantes melhorias mas não chega.

E gerir um pais como a Rússia não é o mesmo que um pais como Portugal (Aqui ao contrário da Rússia estamos a andar para trás).

A Rússia devido ao seu tamanho gigantesco, devido ás centenas de Etnias que ali vivem, devido a problemas de corrupção crónicos e muitos mais tornam a tarefa complicada.

É evidente que Putin dificilmente irá cumprir tudo o que promete.
Mas se cumprir 25% do que promete já é algo bastante positivo.

Enquanto que em Portugal, Grécia e outros vão a caminho o que está a dar é diminuir salários e pensões, aumentar impostos, aumentar combustíveis, transportes públicos etc.
Ao menos Putin tentar avançar e melhor alguma coisa na vida dos russos enquanto que os nossos esgadunham-se todos por nos limpar tudo do bolso.

Wandard disse...

Bom,

Entre outras coisas ele procurou manter um grupo de salteadores que se esconda atrás de um sigla de 4 letras, fora do território russo e da Ásia Central, corrigir os desmandos de uma presidência anterior ébria, subserviente aos interesses externos, que quase destruiu o país, recuperou a estrutura de segurança e devolveu a posição de potência atagônica à democracia terrorista americana, etc...................

Com toda certeza fez muito mais do que outros que não viveram um história como a da Rússia a partir de 1917 e viveram os últimos anos buscando usurpar recursos naturais de nações soberanas empreendendo guerras e levando a ecinomia de suas nações á bancarrota.

06:16

Europeísta disse...

Eu queria saber que tanto progresso é esse que a Rússia estar tendo. Pq tirante o petróleo que de fato é abundante eu só vejo um país decadente. Sem industrias, com uma situação social horrível, alcoolismo, prostituição, crime, corrupção desenfreada, falta de democracia, desigualdades sociais, perda de prestígio, autoritarismo, violência, nacionalismo, má qualidade na educação e na saúde...
Eu queria sabe onde está esse progresso que a Rússia estar a passar. Pq se não fosse o petroleo o país estaria numa situação bastante igual ou até pior que nos anos 90.

Anónimo disse...

Com tantos recursos, esperava-se melhor

Gilberto Mucio disse...

(Lógico que é demagogia, mas campanha eleitoral é isso mesmo)

Uma das principais causas da baixa demografia é o preço altíssimo dos imóveis.

Por menos de 1000 euros em Moscou não se aluga vivendas de 2 cômodos.

(Qual o salário médio dos russo?)

E o que Putin faz a respeito? Nada. Os magnatas da construção civil são todos - sem uma única exceção - seus amigos e partidários.

É talvez o setor mais ladrão, monopolizado, corrupto e mafioso do país.

Há tempos li um estudo comprovando que num prédio de 20 andares, construído... de 3 a 4 andares cobrem todas as despesas. OS outros 16 são lucro.

--

Fora o custo de vida para se ter uma criança, roupinhas de bebê, carrinhos... produtos infantis em geral é caríssimo.

A ausência de Jardins de Infância e cheches em número suficiente também é uma das causas.

Desde o fim da URSS em grandes cidades, cerca de metade fechou.

A cobrança propina é muito comum para matricular uma criança. Quem tem filho ou amigos com filhos sabe disso.

Sem creches, é impossível a mãe trabalhar, e a mãe não trabalhando é impossível morar num lugar onde seja confortável ter família.

Ou seja...

O russo (apesar de ser politicamente desorientado) tem uma boa formação, um povo que teve uma educação de qualidade, por isso não vai sair por aí fazendo filhos nessas condições desfavoráveis...

Alguma proposta concreta de Putin sobre algum desses pontos? Pelo jeito não...

Então... demagogia barata.

Baratíssima.

Gilberto Mucio disse...

«Enquanto que em Portugal, Grécia e outros vão a caminho o que está a dar é diminuir salários e pensões, aumentar impostos, aumentar combustíveis, transportes públicos etc.»


Não se engane, na Rússia isso também está a ocorrer, e vai se aprofundar em breve.


Pelo menos em Portugal há sindicatos independentes e combativos. Coisa que inexiste na Rússia.

Aqui vigora uma perversa ditadura do capital, na relação de classes.

FAB-1980 disse...

Deve-se criar um incentivo para o aumento da população. Uma ajuda de custo mensal, no valor de US$ 200 dólares mensais, para as famílias de baixa renda, que vivem na Sibéria, em caso de novos nascimentos. Cada família iria receber US$ 200 dólares mensais se fosse comprovado um novo nascimento.

Isso iria multiplicar a população russa em 40 anos!!!

PortugueseMan disse...

P.S. Pergunto uma vez mais: o que andou Vladimir Putin a fazer durante 12 anos?

Bom, no sector automóvel graças às suas políticas para o sector, os postos de trabalho não páram de aumentar.

Chrysler Seeks to Finish Planning for Jeep SUV Factory in Russia

Chrysler Group LLC aims to complete plans in the first half of this year to build Jeep sport-utility vehicles in Russia, the head of the brand said...

...The news service RIA Novosti reported last month that Fiat may build a car manufacturing plant in St. Petersburg, Russia, under an agreement to be signed in the first quarter...


http://mobile.bloomberg.com/news/2012-01-11/chrysler-seeks-to-finish-planning-for-jeep-suv-factory-in-russia

Toyota invests $90 million to expand Russia factory

Japanese carmaking giant Toyota will invest $90 million over the next three years to expand its factory in the northwestern Russian city of Saint Petersburg...


http://www.japantoday.com/category/business/view/toyota-invests-90-million-to-expand-russia-factory


Russian Liotech Plant is World's Largest Lithium Battery Facility

The world's largest lithium battery production plant has opened in Russia. The Liotech plant, which is a joint venture between RUSNANO and a Chinese holding company called Thunder Sky...

...The new Liotech plant will have a capacity of nearly one million batteries each year. That would be enough to supply batteries for 500,000 electric buses...

...we are creating an entire cluster of new high-tech production for materials and components related to the batteries and also an engineering center which is an excellent synergy," RUSNANO Managing Director Sergey Polikarpov said.


http://www.dailytech.com/Russian+Liotech+Plant+is+Worlds+Largest+Lithium+Battery+Facility/article23564.htm

E a RUSNANO é um outro sector onde Putin tem apostado fortemente e há muita coisa semeada.

Anónimo disse...

A crise demográfica na Rússia só pode ser amenizada. Não há nenhum país na história que tenha revertido uma crise demográfica. Vide o Império Romano, os verdadeiros romanos desapareceram e os bárbaros do Norte tomaram conta pois eram mais prolíficos. Actualmente na Europa os muçulmanos são os mais prolíficos e já há muitas projecções indicando que além de a Europa Ocidental a Rússia também poderá ter mais de 50% de islamistas já em 2050.

Anónimo disse...

FAB-1980

Na Sibéria há alto poder aquisitivo. Em Novossibirk há salários quase parecidos com o de Moscovo e o custo de vida é bem menor. Há boas ofertas de empregos na Rússia.

A Sibéria é uma região rica em recursos naturais mas o problema é o clima extremo. Nem os siberianos o suporta.

A Rússia de modo geral tem um péssimo urbanismo. É a herança soviética. O país de modo geral é cinza demais, os apartamentos são pequenos, arborização e áreas de lazer insuficientes etc).

Gilberto Mucio disse...

"péssimo urbanismo"

Esse anônimo saiu de onde? :P

As cidades da Rússia são em geral excelentemente organizadas e urbanizadas - isso sim, herança soviética.

Autor desconhecido disse...

Ao anônimo pessimista,
não existe a palavra ''nunca'', não no mundo real, tudo é possível, creio que a queda no número de habitantes nos países europeus, incluindo a Rússia, no Japão, na Coréia do Sul e até na China seja algo realmente irreversível, os idosos que hoje mantém o número de habitantes nessas regiões flutuante morrerão nas próximas décadas, reduzindo inexoravelmente o número de pessoas.
Porém recuperar a fecundidade é algo viável, claro que não a curto prazo.
Eu sinceramente não entendo a Rússia, o partido conservador é socialista, não entendo se Putin é um tirano visando a metapolítica eurasiana, sacrificando a etnia russa em prol de sua ganância, ou é um tirano meio louco mas preocupado com a desrussificação da Rússia (literalmente).
Eu ficaria imensamente feliz se ele usasse os termos corretos, inclusive aquela palavra que começa com ''r'' e termina com ''aça''.
Eu ficaria realmente alegre pela mãe Rússia se uma série de medidas não só em relação à fecundidade russa (russa mesmo, principal e especificamente) mas também em relação a reforma das leis em relação a responsabilidade científica e escolar, por exemplo, obrigando os livros didáticos de história e biologia, distribuídos no ensino regular russo, a colocarem todos os lados dos fatos ali estudados, visando assim construir verdadeiramente mentes pensantes e críticas e não replicantes de lavagem cerebral marxista- igualitarista.