segunda-feira, abril 09, 2012

Geórgia comemora o Dia da Unidade Nacional



No dia 9 de Abril, também conhecido como Massacre de Tbilissi, Geórgia comemora o Dia da Unidade Nacional, em memória dos 19 concidadãos, assassinados durante a manifestação pacífica em Abril de 1989.

As tropas do ministério do interior soviético usaram os bastões de borracha de 73 sm, gás – pimenta (facto só reconhecido no dia 13 de Abril), pás de sapador e, em pelo menos um caso, a arma de fogo.

No dia seguinte, cidade de Tbilissi e toda Geórgia iniciaram a greve geral e o período de 40 dias de luto pelas vítimas mortais do Massacre. Moscovo declarou o estado de emergência, mas as manifestações populares continuavam.

Em resultado da indignação popular, o governo da Geórgia Soviética se demitiu. Mikhail Gorbachov negou qualquer responsabilidade no evento, culpando o exército soviético. As revelações da imprensa e as conclusões da Comissão de inquérito, chefiada pelo deputado Anatoly Sobchak, tornadas públicas em Dezembro de 1989, provaram o envolvimento no evento da linha dura do PCUS e da cúpula do exército soviético.

A tragédia radicalizou a oposição georgiana, já em Novembro de 1989 o Conselho Supremo da Geórgia (Parlamento) condenou oficialmente a “ocupação da República Democrática da Geórgia pela Rússia Soviética em 1921”.

Em Março de 1991 (ainda antes da desintegração da URSS), a maioria esmagadora dos georgianos (cerca de 99%), votou pela Independência da Geórgia. Em 9 de Abril de 1991, no Segundo aniversário da tragédia, o Conselho Supremo da Geórgia proclamou a soberania nacional e independência georgiana em relação à URSS.

Um monumento em memória das vítimas da tragédia foi aberto em 2004 no local do Massacre, na Avenida Rustaveli em Tbilissi.

9 comentários:

Голос революции disse...

Quem se importa com a Geórgia? Qual a importância da Geórgia??? São um bando de ciganos que encontraram um lugar pra viver debaixo das montanhas do Cáucaso!!!

A Geórgia é para a Rússia o que é o Uruguai para o Brasil... NADA!!!

Felipe Pinheiro disse...

E o que de fato os georgianos comemoram mesmo? Os altos níveis de miséria, que antes não existiam? A troca de metrópole, que antes era Moscou, agora é Washington?

Revoltas como esta existiram também para derrubar o atual presidente, há uns 2 anos... A diferença é que os EUA tem sido muito mais hábil para manter sua influência do que a URSS.

Jest nas Wielu disse...

2 Felipe Pinheiro

Pfr quantifica "os altos níveis de miséria" e explica quando é que estes não existiram.

Marxismo ensina que nenhuma revolução é possível se a base (povo) não estão pronta para a revolta. Como tal, em 1989-91 o povo georgiano estava pronto para o fim do comunismo, em 2004 para o fim de Shevarnadze e em 2009 o povo apoiou Mikheil Saakashvili, pois o seu projeto agrada os georgianos.

Estudem os alicerces, pfr!

Europeísta disse...

Felipe,

jura que os níveis sociais na geórgia eram iguais aos da Suiça na época da URSS? Jura que não tinha miséria na URSS? O que vcs querem é ver mais um lacaio de moscou como Belarus e Cazaquistão! Decerto nesses 2 últimos países não deve ter miséria né Felipinho?

irakli disse...

Presidente Associação Georgianos em Portugal.

Realmente a Russia não custa nada para nos.. Aquele que os "grandes comentistas" escrevem aqui mais uma vez mostra que a Russia não tem valor nenhuma, a Russia é o agressor e so baseado na militarismo.... por isso no dia 9 de Abril de 1989 nos dissemos (ADEUS MOSCOW) e nunca mais voltaremos com essas separatistas.....

MSantos disse...

Caro José Milhazes

Parabéns. Depois de tantas alegações de que o FSB andaria por este blogue a controlar opiniões, parece que afinal temos o próprio governo da Georgia.
Mas estranho não se terem levantado aquelas vozes muito moralistas e indignadas que ouvíamos nessas alturas.

Talvez a verificar se a "democracia" e o "comércio livre" são respeitados, sei lá.

E eu espero tão cedo não ter por qualquer motivo de me deslocar a esse país, pois estou desconfiado que sentiria o peso da sua "democracia" no pêlo.

;)

Cumpts
Manuel Santos

Jest nas Wielu disse...

2 Manuel

Uma pessoa honesta sempre irá preferir conhecer o país pessoalmente para fazer o juízo de valor in loco e não através de propaganda anti-georgiana. Visite a Geórgia (se as suas finanças permitem) e verá que é um povo maravilhoso e um poder político com uma visão surpreendente (empresário gasta 7 minutos para passar alfândega), só na Geórgia.

MSantos disse...

Visitar a Georgia se as finanças o permitirem.

Quando iniciei a minha actividade profissional, eu e muita gente, pensávamos que merecidamente as nossas condições de vida iriam evoluir para melhor. Agora com o resultado da vossa tão apregoada libertinagem económica, estamos a competir numa batalha que vamos perder com os escravos da Ásia e de outros países.

Poderá dar-se o caso de nem virmos a ter dinheiro para uma viagem a Cacilhas.

Muitas vezes falámos disto, neste mesmo blogue e só lamento e tenho pena de não me ter enganado e todas as profecias da desgraça se estarem a cumprir.

Sobre esses "empresários" que valorizam essas medidas e outras similares, nós não precisamos deles e prescindimos de bom grado. Gente dessa foi uma das principais responsáveis pela brutal crise que estamos apenas a começar a sentir. Se os georgianos e outros povos se querem afirmar por aí pois que lhes façam bom proveito.

Cumpts
Manuel Santos

Jest nas Wielu disse...

2 Manuel

Não sejas injusto, Manuel esta colher a VOSSA libertinagem económica e não NOSSA, pois se Portugal hoje é menos competitivo do que Angola, decerto os ucranianos não são disso culpados.

Sobre os empresários: continuam assim e uns anos para lá, estarão menos competitivos do que Geórgia.