quarta-feira, junho 27, 2012

A crucificada musa da Ucrânia




Texto traduzido e enviado pelo leitor Jest
 
"O Holodomor não foi a única tragédia ucraniana. A segunda maior tragédia é o extermínio da elite da nação. Se tudo terminaria apenas com o Holodomor, hoje teríamos uma outra Ucrânia.


Na antologia de dois volumes “Musa Crucificada”, dedicada à obra dos poetas ucranianos que morreram vítimas de violência, é reunido o espólio literário de 322 autores. É um terrível martirólogo da cultura ucraniana. A enorme tragédia que o povo ucraniano sofreu durante os anos da ocupação bolchevique até agora não foi verdadeiramente refletida pela sociedade.

Ao Thyl Ulenspiegel as cinzas do seu pai, Klaas, batiam no peito. Cada ucraniano consciente deve sentir as mesmas cinzas dos milhões de vítimas inocentes. Estas cinzas clamam pela justiça, pedem o novo processo de Nuremberga, requerem que todos os carrascos sejam chamados pelos seus nomes.

Se compararmos os regimes do Hitler e do Estaline, notaremos que Estaline matava, não deixava ninguém a sair (do país) e ainda exortava os emigrantes a voltarem à “Pátria”. Apenas para depois matar todos estes retornados. Estaline matava quer lhe cantavam as hossanas, quer o amaldiçoavam. Quase todos os executados se revelaram como os verdadeiros patriotas do estado soviético. Mas isso não os salvou.

Durante o terror estalinista foi exterminado cerca de 90% de todos os escritores ucranianos, pintores, cientistas, sem falar dos professores, intelectuais urbanos e do campo. Uma pequena pitada ficou em liberdade, outros, que tiveram a sorte de sobreviverem os campos de concentração soviéticos, mais tarde fugiram para o Ocidente. Outros, saindo do GULAG já depois da II G.M., na sua maioria, ficaram calados e nunca mais voltaram à literatura. Existiram ainda os que evitaram as repressões, preferindo se esconder. Poeta Serhiy Kushnirenko (1913 – 1984), amigo da poetisa Olena Teliha, não morreu no grupo expedicionário da OUN, como se diz nas enciclopédias. Desde 1946 ele, juntamente com a família, viveu no interior da província ucraniana de Rivne. Conseguiu mudar os documentos, queimou o seu passaporte antigo, todas as fotografias, cartas e até a sua própria coletânea poética. Cortou todos os relacionamentos com os amigos da juventude. Sendo poliglota, escrevia na biografia que apenas fez o ensino primário. Trabalhou como contabilista, lojista, operário da fábrica de tijolos… Nunca mais publicou nada. Apenas 16 anos após a morte, a filha e a neta descobriram os seus manuscritos poéticos, escondidos no sótão da casa.

Dmytro Heródoto (apelido de nascença Ivashyna) nasceu em 1892. Publicava a poesia e folhetins satíricos. Fugindo do terror bolchevique, desde 1920 vivia na Roménia, colaborava com o governo ucraniano no exílio, escrevia para o jornal ucraniano parisiense “Tryzub”. O seu destino desde 1939 é desconhecido. Na realidade, continuou a viver na Roménia, evitando a prisão mudou de nome, aparência, deixou crescer a barba. Passou por diversos empregos, o mais estável foi o caixa numa farmácia. Clandestinamente visitava a família, morreu em 1975.

As estórias como estas são muitas. O terror comunista não se limitava ao extermínio físico, pretendia dominar a esfera espiritual.

A estatística? É bastante esclarecedora. O regime czarista russo perseguiu até a morte apenas um poeta – Taras Shevchenko. Durante a vigência do estado ucraniano dos anos 1917 – 1920, os seguidores do hétman Pavló Skoropadski executaram dois, os monarquistas russos – quatro e a República Popular de Ucrânia fuzilou um poeta. Pela colaboração com as autoridades coloniais polacas a Organização dos Nacionalistas Ucranianos (OUN) em 1922 executou o poeta Sydir Tverdohlib. A polícia polaca matou dois poetas.

Entre 1918 e 1936 foram assassinados e morreram nos campos de concentração soviéticos 36 poetas, em 1938-39 – 37, em 1941-45 – 62. Após a II G.M., morreram no GULAG outros oito. O último poeta ucraniano a morrer foi Mykola Sytnyk. Em 1959 ele foi executado por agente do KGB em Chicago.

Durante quatro anos da ocupação nazi foram assassinados 26 poetas ucranianos. Durante mesmos quatro anos a União Soviética matou dobro, no único 1937 – quadruplo. Estamos a falar apenas dos poetas, sem mencionar os prosaicos, dramaturgos, críticos literários, tradutores… Lá, no céu, estão a brilhar nas estralas as suas almas que ficam perplexas: Lenine e Estaline até agora estão vivos! Parece que o nosso povo está condenado ao purgatório. Onde o mais próximo é o inferno, muito mais do que o céu.

Fonte:

16 comentários:

PEDRO LOPES disse...

Eu sugiro ao autor deste artigo que crie um blog próprio onde possam mais á vontade regurgitar temas como o Holodomor, NKVD, KGB, Checa, Stalin, Ivan o Terrível, Kodhorkovski, Magninski, Vodka, Gulags etc.

Certamente que terá muitos leitores. Existem infelizmente muitas pessoas pelo mundo fora que gostam do Fascismo e do Nazismo, e esses certamente iriam adorar um blog do JEST.
E se pesquisarem na net há muitos blogs e páginas que glorificam os NAZIS sem receios. E os há também que glorificam o comunismo.

Agora um activista de estrema direita NAZI vir encharcar todos os dias este blog com fantasias não é lá assim muito correcto, pois este blog com é genérico sobre a Rússia.

Anónimo disse...

A URSS era uma fabrica de matar!

Pedro Lopes,

só quem pode dizer isso é Sr. Milhazes que é o autor do blog e não vc.

"Existem infelizmente muitas pessoas pelo mundo fora que gostam do Fascismo e do Nazismo, e esses certamente iriam adorar um blog do JEST"

Tem os que gostam do estalinismo tb do putismo. Não esqueça destes!

"estrema direita"

rs...

Jest nas Wielu disse...

2 Pedro Lopes

Bem vindo, camarada, ao meu blogue onde todos os dias poerás ler sobre Holodomor e Euro-2012, Shevchenko, Taras e Andriy, Horilka e varenyky (nada sobre vodka ou bacalhau mas vou pensar no assunto).

Infelizmente, nada sobre os nazis, mas não faz mal, camarada Pedro conseguirá ver a "glorificação dos nazis" em qualquer artigo que não glorifique PCUS, PCP, Estaline e as suas purgas, ou seja em todos. bj proletários!

p.s.
Viktor Suvorov, O Dia "M"
http://tapirr.narod.ru/texts/history/suvorov/denm.htm

Bruno disse...

To Pedro lopes
Concordo com tudo o que escreveu.

To Jest
Eu sou um militante do PCP, e só gostava de saber porque é que o nome do PCP apareceu à baila, mas pronto, quando os argumentos não existem...

PEDRO LOPES disse...

"Bem vindo, camarada, ao meu blogue onde todos os dias poerás ler sobre Holodomor e Euro-2012, Shevchenko, Taras e Andriy, Horilka e varenyky (nada sobre vodka ou bacalhau mas vou pensar no assunto).
"

Sim Jestinho, já percebi, este blog é mais do Jest do que propriamente do Dr Milhazes. Infelizmente. Porque o Dr Milhazes apesar de algumas visões que discordo consegue ser equidistante e ponderado nas suas publicações.

Mas agora este blog já não é dele é mais do Jest. E a continuar assim, o blog vai acabar, ou simplesmente não vai ter qualquer participação.

Jest, Você matou este blog.Os meus Parabéns. Portanto a sua propaganda NAZI também morrerá com o blog.

Anónimo,

Gosta da Austeridade? Quer dar 50% do seu ordenado?
Fale com o Passos Coelho e ofereça-se para pagar a "divida" aos banqueiros internacionais que você adora lamber as botas. E estes que nada fazem são os que nos chamam malandros.
Fique bem anónimo.

Carlson Wonsbecker disse...

Tudo o que eu posso dizer com convicção é: A Ucrânia é para a Europa e Rússia o que é a Argentina para o Brasil = SEMPRE EM SEGUNDO LUGAR!!!

A única riqueza que a Úcrânia pode mostrar para o mundo com orgulho são suas jovens adolescentes, que segundo me falaram, são muito sapecas!!! Um lanche para a Infantaria Motorizada Russa!!!

Anónimo disse...

Ó camaradinha diga lá o que o PCP lhe deve? Eu apesar de não ser militante, posso pagar-lhe a divida.

Continue a glorificar o Nazismo através do seu paroxismo sebento anti-soviético e deixe o PCP em paz.

O que fazia falta aos Portugueses agora era ter que aturar um NAZI sabujo.

Preocupe-se em acabar com a miséria que o seu país se encontra mergulhado.

Porco nazi.

Francisco Lucrécio

Jest nas Wielu disse...

Creio que bastante interessante, o Arquivo Mitrokhin em inglês:
http://legacy.wilsoncenter.org/va2/index.cfm?topic_id=1409&fuseaction=home.browse&sort=collection&item=Mitrokhin%20Archive

Jose Milhazes disse...

Sr. Francisco Lucrécio e companhia, onde é que está no texto a propaganda nazi? Por comparar as barbaridades de Estaline e Hitler? É sempre a velha explicação de que um "liquidava os inimigos da revolução" para construir o comunismo, enquanto que o outro matava porque era racista? Para os que morreram qual é diferença: serem inimigos de classe ou pertencerem a outra raça?

Jose Milhazes disse...

Mais uma nota, Lucrécio e companhia: escrevem textos com argumentos e não com insultos.

PEDRO LOPES disse...

"Mais uma nota, Lucrécio e companhia: escrevem textos com argumentos e não com insultos."

Sr Milhazes, no meu caso até admito que me possa ter excedido.
E não gosto de insultar, mas sim de expor as minhas ideias e ler e respeitar as dos outros.

Mas em relação ao tópicos do Ucraniano não é possível abordá-los com grande seriedade, pois são repetitivos e maçadores, parece que não existe mais nada na cabeça dele a não ser NKVD's, Gulags, KGBs etc. Ele vive nesse mundo fechado e fantasioso que até dá dó. Nem deve sair de casa e estar sempre a delirar com esses fantasmas.

E a história e culturas da Rússia tem coisas muito mais interessantes para explorar. E todos os feitos e conquistas importantes desse pais parece são completamente desrespeitados por ele e outros da mesma laia.

Jest nas Wielu disse...

2 Bruno
Quando não existem argumentos para explicar onde está o “pecado” dos meus textos, se recorrem aos argumenos do “foscismo” & “nozismo”, nisso está o PCP. Obrigado.

2 PEDRO LOPES
Não o vou pedir para apontar a “propaganda nazi”, apenas queria dizer que tem o direito democrático de não ler o que escrevo. Saudações proletárias!

Notas:
Francisco Lucrécio está demonstrando o verdadeiro “respeito” pelo pensamento alheio e pela liberdade de consciência bjs

Pedro Lopes afirma que “não gosta de insultar, mas expor as ideias e ler e respeitar as dos outros”. E como o nosso Pedro caracterisa os outros e as suas ideias: “são repetitivos e maçadores”, “mundo fechado e fantasioso”, “estar sempre a delirar com esses fantasmas”, “mesma laia”.

O respeito comunista é isso? Bem, se calhar sim, pois não fuzilaram ninguém na nuca, como no massacre de Katyn...

Anónimo disse...

(Francisco Lucrecio)


Doutor Milhazes!

Já tinha decidido deixar de participar no seu Blogue. Deve calcular porquê? As razões não são diferentes das dos outros que também já desistiram ou daqueles que raramente por aqui vão aparecendo.
No entanto face a mais uma provocação falsa e insidiosa que tenta deturpar a história recente do meu país, vinda da parte de alguém que ignora por completo o que foi o regime fascista em Portugal e as perseguições a que foram sujeitos milhares de Portugueses. Por isso não resisti a mais um insulto grosseiro dirigido a um partido que tanto contribuiu para o fim do fascismo em Portugal. E neste caso em particular tratando-se de alguém que sub-repticiamente tenta omitir os crimes de uma ideologia que na pratica e nos seus atos tenebrosos provocou a maior hecatombe que a humanidade jamais conheceu. Face a tal omissão provocatória e deliberada, e aos meios propagandistiscos a que recorre , é dever de qualquer cidadão que respeite a paz e os direitos do seu semelhante desmascarar sem piedade.

No entanto o mais grave de tudo nesta campanha escabrosa da falsificação da história é verificar-se que é feita com o seu consentimento. ´
Nesse sentido o Doutor Milhazes não pode negar que é o responsável moral e talvez até o mentor daquilo que esse senhor aqui escreve.

Depois ainda o pior de tudo é sair em seu auxilio, como o fez agora comigo, deturpou deliberadamente o sentido daquilo escrevi.
Por favor não troque o sentido às coisas, não mencionei Hitler ou Estaline. Compreendi muito bem qual a orintação que pretendia dar à minha resposta. Enganou-se!

Esqueceu-se do essencial, para que possamos ser levados a sério com aquilo que dizemos é dever da pessoa fazer uso de uma qualidade humana que tem por nome HONESTIDADE.
Ainda se lembra que significado tem? É isso mesmo; uma aptidão que só as pessoas integras e coerentes sabem fazer uso!

Isto porque o Senhor mais uma vez objetivamente deturpou o sentido daquilo que escrevi. Portanto à falta de respostas sérias inventam-se falsos argumentos?
Embrulha-se Estaline com Hitler depois atira-se só com Estaline à cara dos oponentes. Era isso que pretendia fazer!

Como atrás escrevi, mencionei qualquer desses nomes, ou factos relacionados com eles? Não!

A minha intervenção constou unica e simplesmente em responder a mais uma das habituais provocações abusivas desse tal senhor Jest com o intuito de achicalhar o PCP

Indignei-me e com toda razão, não exagerei em nada naquilo que escrevi, a minha resposta foi proporcional à propaganda caluniosa que ele costuma fazer contra este partido.
Afinal o que sabe ele da história PCP ? Das lutas que travou contra o regime fascista? Das torturas, prisões, mortes dos seus militantes?

O que sabe ele da sublevação dos trabalhadores agricolas dirigida por este partido, para se libertarem do sistema de semi-escravatura que prevalecia em Portugal já na segunda metade do século XX?

Quem intencionalmente está a tentar denegrir estes factos e as razões porque aconteceram, não estará a fazer o branqueamento do regime fascista de Salazar?

Continua.........

Anónimo disse...

Francisco Lucrecio

Continuação…………..

Obviamente que sim! Portanto só um simpatizante de tal regime o pode fazer.
Como tal é outro fascista. Não tem outro nome.

Repito, por isso não exagerei em nada daquilo que escrevi, nas palavras usadas, ou na maneira como as apliquei.

Não sou militante do PCP nem mantenho qualquer vinculo desde 1979. Nem nunca recebi qualquer benesses deste partido, muito menos ainda subi ou obtive estatuto social à sua custa.

É isto que o Doutor Milhazes não tem autoridade para dizer, e se o fizer falta à verdade.

Porque o Senhor "engordou" à conta do PCP (Partido Comunista Português). E agora cospe no prato onde comeu.



Neste aspeto estou absolutamente à vontade para defender o PCP de quem maliciosamente pretenda ofuscar a sua história de luta.

Francisco Lucrecio

Continua………….

Anónimo disse...

Francisco Lucrecio

Continuação…………..

Obviamente que sim! Portanto só um simpatizante de tal regime o pode fazer.
Como tal é outro fascista. Não tem outro nome.

Repito, por isso não exagerei em nada daquilo que escrevi, nas palavras usadas, ou na maneira como as apliquei.

Não sou militante do PCP nem mantenho qualquer vinculo desde 1979. Nem nunca recebi qualquer benesses deste partido, muito menos ainda subi ou obtive estatuto social à sua custa.

É isto que o Doutor Milhazes não tem autoridade para dizer, e se o fizer falta à verdade.

Porque o Senhor "engordou" à conta do PCP (Partido Comunista Português). E agora cospe no prato onde comeu.



Neste aspeto estou absolutamente à vontade para defender o PCP de quem maliciosamente pretenda ofuscar a sua história de luta.

Francisco Lucrecio

Continua………….

Anónimo disse...

Francisco Lucrecio

Continuação……

Mais Doutor Milhazes.
Sobre o seu aparente apetite insaciavel por Estaline e Hitler, (se ler bem o meu comentario constata que não fiz referencia a nenhum deles mas já que os mencionou vamos a isso) usa sempre este ultimo como um condimento para tornar o primeiro (Estaline) mais apetecivel.
Porque nunca o Senhor no seu blogue fez uma referencia a Hitler e ao Nazismo sem superar altamente pela negativa Estaline e o comunismo.
Se essa sanha propagandistitica enganosa não tem como objetivo branquear o Nazismo diga-me que nome consegue arranjar-lhe?

Porque como historiador e ex- ex-Marxista sabe perfeitamente bem que existem diferenças abismais nos objetivos sociais, economicos e ideologicos entre os dois sistemas.


Francisco Lucrecio