quarta-feira, abril 03, 2013

Propaganda antirreligiosa na URSS

Texto do leitor Jest:


Em 1933, a editora soviética IZOGIZ * (Editora Estatal de Artes Plásticas), através do seu departamento Utilburo (Bureau de Utilidades), publicou o “Alfabeto antirreligioso”, obra propagandística, pensada em mais novos.

O autor dos textos e desenhador da obra é Mikhail Cheremnykh (1890—1962), gráfico e cartunista, ilustrador livreiro e prémio Estaline do 2º grau de 1942. Especializava-se na propaganda antirreligiosa e anticlerical.

Entre os alvos da propaganda antirreligiosa da época estão diversos sacerdotes, alta burguesia, curandeiros, Mahatma Gandhi, Henry Ford, entre outros.

A luta sem quartel do poder soviético contra a religião tradicional é perfeitamente compreensível. O poder comunista apostava tudo para substituir a fé cristã (e em menor grau a muçulmana e judaica), por uma nova fé de teor perfeitamente religioso, a fé comunista. Como tal, todos os “concorrentes” dessa fé eram ferozmente combatidos e de preferência eliminados.

Curiosos são os aspetos da propaganda anti-Gandhi, pois a sua política de não-violência não agradava a liderança da URSS. Por essa razão, na União Soviética, Gandhi passou de “traidor” para “progressista” apenas na década de 1950, após a sua morte em 1948.

Não menos interessante é a propaganda anti-Ford, pois em 1929, Henry Ford aceitou o convite de Estaline para construir a fábrica automóvel de NNAZ (hoje GAZ), na cidade de Gorky (Níjni Novgorod), e enviou engenheiros e técnicos americanos para ajudar a instalá-la. Este acordo foi firmado por nove anos e assinado em 31 de maio de 1929.


* A editora IZOGIZ existiu entre 1930 e 1938, com sedes em Moscovo e Leninegrado.

Ver as imagens:


5 comentários:

Gilberto Mucio disse...

Mas religião é um lixo mesmo, principalmente na Rússia.

Sempre fizeram questão de manter o povo no obscurantismo e na idiotia.

A propaganda é válida.

Anónimo disse...

eu quero um! Parece bom!

Anónimo disse...

A imensa propaganda desses ópios do povo ainda continua a ganhar.

Orly disse...

O presidente Putin citou já que na altura da USSR era díficil para os cristãos praticarem a sua religião. Acrescentou também que ele teria sido batizado às escondidas do pai dele.
Em relação aos ensinamentos religiosos bíblicos, não acho que sejam um lixo, muito antes pelo contrário, são úteis e fundamentais para a nossa sociedade, agora falando de Igrejas, quem leu a bíblia e é um bom entendedor da história, sabe que as Igrejas Ortodoxas prejudicaram muito as pessoas e reinventaram o Cristianismo. A bíblia não prega que vamos para o Céu ou para o Inferno ou purgatório, nem prega para nos confessarmos aos padres mas sim a Deus através da oração, nem prega para adorar santos muito menos para lhes dar dinheiro, também diz para não adorarmos à Virgem Maria. Usam mentiras, ganham dinheiro, sabem os que as pessoas fazem e se uma pessoa se revolta ameaçam logo que "vamos para o inferno".

Anónimo disse...

- Isto tem uma certa graça.

- Contra a propaganda religiosa encabeçada pelo antigo e novo testamento - Nada melhor que a propaganda anti-religiosa. -Que mal há nisto?!

aferreira