segunda-feira, junho 03, 2013

Polígono de Butovo: antidoto ao comunismo

Texto enviado pelo leitor Jest:
 

Polígono de Butovo é o maior local de fuzilamentos e enterros em massa das vítimas de repressões estalinistas na região de Moscovo. Hoje são conhecidos os nomes das 20.761 pessoas fuziladas aqui. Homens e mulheres, representantes de 73 nacionalidades e diversas fés, com idades compreendidas entre 13 e 82 anos, foram exterminados num curtíssimo período de tempo, entre agosto de 1937 e outubro de 1938, enquanto o polígono funcionou entre 1934 e 1953…


De 13 a 82 anos


O mais novo, Vânia (Ivan), menino de rua, roubou dois pães. A lei soviética permitia os fuzilamentos apenas à partir dos 15 anos, por isso a sua data de nascimento foi emendada. Ele foi fuzilado. Fuzilavam pelos “crimes” menores, por exemplo, pela tatuagem do Estaline numa perna. Por vezes, eram eliminadas as famílias inteiras, 5-9 pessoas.

Os furgões de transporte dos prisioneiros (conhecidos popularmente como “Corvos Negros”), com capacidade de cerca de 30 pessoas, chegavam ao polígono, vindos da autoestrada de Varsóvia, por volta da meia-noite. O polígono era cercado pelo arame farpado, ao lado do local da “descarga” foi construída a torre de vigia. As pessoas eram levadas às barracas, alegadamente para “limpeza sanitária”.

Imediatamente nas vésperas do fuzilamento as suas caras eram conferidas com a fotografia nos respetivos processos, anunciando a sentença. Estes procedimentos duravam até a madrugada. Os carrascos bebiam a vodka num edifício de pedra, nas imediações. Os condenados eram levados até os carrascos um por um. O executor recebia a sua vítima e a levava para dentro do polígono, em direção da vala comum. As valas tinham cerca de 3 metros de profundidade, cerca de 100 metros de extensão, abertas pelas escavadoras na época de aumento das repressões, para não “perder o tempo” com abertura das campas individuais. As pessoas eram colocadas numa das margens e fuziladas, geralmente com a arma pessoal, apontada para a nuca. Os mortos caiam dentro da vala, cobrindo o seu fundo. Depois a escavadora cobria os corpos com pequena quantidade da terra, os executantes, geralmente já bastante bêbados, eram levados ao Moscovo. No dia seguinte tudo se repetia. Os nomes de totalidade dos fuzilados e sepultados no polígono são desconhecidos até hoje. Por dia raramente fuzilavam menos que 300 pessoas. Os dados exatos existem apenas sobre o período entre agosto de 1937 e outubro de 1938, quando aqui foram fuziladas 20.761 pessoas. Na escavação arqueológica, com tamanho de apenas 12 m², os especialistas contaram os restos mortais de 149 pessoas.

A maioria dos fuzilados viviam na cidade de Moscovo e na região de Moscovo, mas há casos dos ingénuos, que vieram a URSS para ajudar construir o comunismo. Exemplo do Robert Sassone, africânder, nascido em Pretória em 1888, militar de formação, chefe do departamento das matas na construção do Canal Volga-Don, preso em 3.12.1937, condenado pela troica do NKVD em 20.12.1937, acusado de “agitação antissoviética e intenções terroristas”, fuzilado em 22.12.1937, reabilitado em julho de 1989. Além dele, […] um grande número dos sacerdotes, maioritariamente ortodoxos, mais de 1000 fieis condenados e exterminados unicamente por causa da sua fé, cerca de 610 ucranianos […]

Uma dás vítimas pela fé é o Metropolita do São Petersburgo Serafim (Chichagov). Em 1937, quando ele foi fuzilado, Metropolita tinha 82 anos, foi levado da cadeia em maca, pois já não andava. Foi a vítima mais idosa do Butovo. As testemunhas apontam que os enterros dos fuzilados e dos que morriam nas cadeias de Moscovo continuavam no polígono até a década de 1950.


Morangos e macieiras no local dos fuzilamentos   

[…]

Em 1992 em Moscovo foi criado um grupo social de homenagem das vítimas das repressões políticas chefiado pelo Mikhail B. Mindlin (1909-1998). Ele passou mais de 15 anos nas cadeias e campos de concentração soviéticos, sobrevivendo graças à sua força física e um caráter forte. No fim da via, já com mais de 80 anos ele decidiu participar no movimento em homenagem das vítimas do terror comunista.

Graças à sua intervenção, nos arquivos do KGB foram achadas 11 pastas com as atas de execuções. Os dados são muito parcos – nome completo, ano e local de nascimento, data de fuzilamento. O local do fuzilamento não era mencionado […] Naquele momento ainda estavam vivos alguns reformados do NKVD, funcionários da década de 1930. Incluindo o comandante da Direção económica do NKVD em Moscovo e região de Moscovo. O comandante confirmou que o principal local de execução foi o polígono de Butovo e lá mesmo se faziam os enterros. Pelas assinaturas dos executantes ele identificou que eles trabalhavam exatamente em Butovo. Assim, foi possível ligar listas ao polígono. O território dos enterros (cerca de 5,6 hectares na parte central do polígono) na altura pertencia ao FSB e era vigiado 24/24 horas. O local foi cercado com arame farpado e guarnecido, dentro foram abertos alguns canteiros de morangos e um pomar de macieiras. Ao redor do antigo polígono estava situado o aldeamento dos funcionários do NKVD. Por iniciativa de Mikhail Mindlin, com ajuda do governo de Moscou, no território do polígono foi erguido um monumento de pedra.

[…]

Agora no polígono existem duas igrejas – de madeira e de pedra. […] A igreja de pedra faz parte de um complexo memorial. No seu interior são preservados os haveres pessoais dos fuzilados: roupa, oratórios, cartas. No rés-do-chão é aberto o museu que mostra as fotos pré-morte dos fuzilados, elementos achados na vala comum: sapatos, detalhes de roupa, luvas de borracha, balas, cartuchos, tudo isso, obviamente, no estado de conservação bastante degradado.

Mas as imagens falam por si. Atrás dos números frios e duros é difícil ver as pessoas reais. Mas quando você olha nos olhos das pessoas que ainda viviam – neste exato momento a história da abstrata torna-se pessoal. No polígono estão sepultados mais de 20 mil dessas histórias pessoais.

Descendentes dos oficiais do KGB e funcionários do polígono de Butovo vivem nas casas de campo ao lado do local da execução. Eles chamam os membros da comunidade religiosa de invasores.

Todos os anos Butovo é visitado por grupos organizados de peregrinos, que totalizam cerca de 10.000 pessoas. Ao este número é possível adicionar um pequeno número de visitantes individuais. Em geral, os números são bastante modestos. “Se comparar com os milhões de pessoas que anualmente visitam uma única vila francesa, queimada pelos nazis alemães, pode-se chegar à uma conclusão dececionante – considera o padre Cyrill Kaleda. — Nós ainda não se arrependemos e não percebemos a lição de história, que esta, pela graça de Deus, nos deu no século XX. Embora a lição foi muito clara”…[…]


A localização


Cidade de Moscovo, estação de metro “Boulevard Dmitri Donskoy”, depois o autocarro № 18 poderá o levar ao polígono. O território é aberto aos visitantes das 8h00 até 20h00. Na igreja funciona o serviço de excursões. Telefone: 8(909)9746299. Igreja também abriga centro memorial “Butovo”, onde é possível fazer as consultas sobre os familiares – vítimas das repressões. O telefone no centro: 8(909)6371733.

Endereço do templo: 142720, província de Moscovo, distrito Leninski, aldeia Butovo, rua Yubileinaia, № 2. Tel./fax: 549-22-24, 549-22-22. Página oficial http://martyr.ru

Fonte:
http://www.nsad.ru/articles/butovskij-poligon-lekarstvo-ot-kommunizma

16 comentários:

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Acabei de adquirir na Aletheia o seu mais recente livro sobre " o golpe de Nito Alves" o sangrento 27 de maio de 1977 e se prolongou sangrento muito para além desta data...
Ao ler este artigo sobre Butovo, sinto-me chocado e com vergonha de um dia ter acalentado esperancas que o marxismo-leninismo seria uma ideologia para o bem comum da Humanidade, felizmente nunca fui militante... a catarse pessoal seria pior.
Queria-lhe pedir para publicar num dos meus blogues esta sua postagem, respeitando as fontes, claro está.
Agradecido
Namibiano Ferreira

Anónimo disse...

dr. Milhazes é verdade que Estaline era um judeu?

Assim como Krutchev,andropov e gorbachev?

Esclareça essa duvida sff.

José Milhazes disse...

Anónimo, isso é uma das teorias da conspiração, que penso não ter qualquer fundamento.

José Milhazes disse...

Caro Namibiano, pode postar nos seus blogues o que quiser. Obrigado.

Anónimo disse...

dr. Milhazes, coloquei a questão do judaísmo dessas personagens pelo facto de existirem cada vez mais indícios sobre o total domínio sionista da liderança soviética. Há uma grande unanimidade acerca do domínio judeu nos primeiros anos da revolução soviética e creio que concorda com esse facto, no entanto, sempre se afirmou que nos anos que se seguiram houve um progressivo "afastamento" dos judeus do poder, porém, estão a surgir muitos factos novos que indiciam que essa "alteração" não passou de uma campanha de desinformação ao bom estilo soviético para iludir a população eslava e a opinião pública internacional, no sentido de se criar uma imagem de um país que se declarava anti-sionista mas que na realidade actuavam segundo os interesses desse grupo.
Como sabe, os soviéticos tinham como estratégia a infiltração e a subversão das organizações.


Pedia atenção para os seguintes factos:

O primeiro e mais relevênte, nenhum dessas personagens era branca e muito menos eslava, o aspecto físico não era eslavo, de todo. O Brejnev tem claramente um fenótipo semita.
O verdadeiro nome de Krutchev era Pearlmutter, um nome judeu..
Brejnev era casado com uma judia e os filhos falavam hebraico e o próprio Brejnev considerava-se judeu étnico...
Estes 2 casos são os mais óbvios e nos quais há já poucas/nenhumas duvidas.

Quanto a Estaline, como sabe, ele era casado com uma judia e tambem há indícios que ele era um judeu dissimulado.
Lenine, como sabe era judeu e juntamente com Estaline legislaram de forma a tornar o anti-semitismo um crime capital na Rússia...

Creio que sabe que os oligarcas na Rússia são esmagadoramente judeus e recentemente quando se descobriu que Dimitri Medvedev é judeu, o próprio afirmou que não é Rússo mas sim arménio, o que claramente não é verdade, quanto a Pútin, o fenótipo dele é claramente semita e os nacionalistas Rússos afirmam que ele também é judeu. O que é facto é que os nacionalistas são perseguidos por Putin..
Eu acho estas alegações muito graves e mereciam uma investigação, o senhor tem uma posição privilegiada para poder fazer esta investigação, porque razão está a descartar desde já tudo?
Dizer que são teorias da conspiração é uma estratégia para ocultar a verdade, e se não for?

Anónimo disse...

ah! e só mais um reparo,

Andropov, Yuri Vladimirovich, nasceu com o nome de.... Liebermann, nome judeu.

Porque razão é tão dificil encontrar a geneologia dos lideres soviéticos, porque mudaram os nomes de baptismo?? Porque têm todos aspecto semita?


José Milhazes disse...

Anómino, antes de dormir, veja se não há judeus debaixo da sua cama. Aconselho-o a tratar-se.

Anónimo disse...

"Anómino, antes de dormir, veja se não há judeus debaixo da sua cama. Aconselho-o a tratar-se."

pois.. ao bom estilo Estalinista.. quem vai de encontro à vossa verdade é internado em hospitais psiquiátricos..

O que é grave não é o sr. dizer isso, o que é verdadeiramente grave é o sr. não refutar nada do que foi dito.

Pensava que o sr. pensava pela sua própria cabeça e não alinhava em linhas de pensamento permitidas.


Pippo disse...

JM, desculpe lá mas eu acho que o anónimo até tem razão. Ora veja:

O Lenine era judeu. O Tzar Nicolau II também (era descendente de lituanos de origem tártaro-semita). O Pedro o Grande também era judeu, bem como o Frederico o Grande (por via da bisavó materna) e Alexandre o Grande (os macedónios são aparentados com o hunos heftalitas, que são descendentes da tribo de Sem).

Os portugueses também não são brancos, aliás, têm um fenótipo bem semita, o mesmo acontecendo com os espanhóis, italianos, gregos, franceses (todos eles uma cambada de judeus!), romenos, búlgaros (ui!), e ainda alemães, suecos, dinamarqueses e noruegueses. Dos húngaros e polacos nem se fala!

Já agora, D. Afonso Henriques era judeu, bem como Camões (poesia de clara influência judaica), Fernando Pessoa (e as suas manias cabalísticas), Goethe, Bach, Mozart, os diversos Papas, Goering, Rudolf von Sebottendorf, o Buda, Maomé, Mao Zedong, Kim Il Sung e o Chef Chacal.

Aliás, acho que também acabei de comer um pastel de nata que era judeu ou, pelo menos, assim meio mestiço, pelo menos a julgar pelo seu fenótipo...

Anónimo disse...

"JM, desculpe lá mas eu acho que o anónimo até tem razão. Ora veja:

O Lenine era judeu. O Tzar Nicolau II também (era descendente de lituanos de origem tártaro-semita). O Pedro o Grande também era judeu, bem como o Frederico o Grande (por via da bisavó materna) e Alexandre o Grande (os macedónios são aparentados com o hunos heftalitas, que são descendentes da tribo de Sem).

Os portugueses também não são brancos, aliás, têm um fenótipo bem semita, o mesmo acontecendo com os espanhóis, italianos, gregos, franceses (todos eles uma cambada de judeus!), romenos, búlgaros (ui!), e ainda alemães, suecos, dinamarqueses e noruegueses. Dos húngaros e polacos nem se fala!

Já agora, D. Afonso Henriques era judeu, bem como Camões (poesia de clara influência judaica), Fernando Pessoa (e as suas manias cabalísticas), Goethe, Bach, Mozart, os diversos Papas, Goering, Rudolf von Sebottendorf, o Buda, Maomé, Mao Zedong, Kim Il Sung e o Chef Chacal.

Aliás, acho que também acabei de comer um pastel de nata que era judeu ou, pelo menos, assim meio mestiço, pelo menos a julgar pelo seu fenótipo..."

Muito bem, o cavalheiro quer ser engraçado, brincar e fazer "piadas giras" eloquentes e rábula.

Faça esse teatro que mais do que o anónimo, o palhaço é o sr. e o triste da situação é que o sr. nem se dá conta.


Pippo disse...

"Faça esse teatro que mais do que o anónimo, o palhaço é o sr. e o triste da situação é que o sr. nem se dá conta."

Então não me dou conta?
Isto é tudo uma enorme conspiração judaica, há judeus em todo o lado! O meu patrão é judeu (paga-me cada vez menos, e aquele fenótimo semita não engana!); o Sócrates e o Passos Coelho também (andam aqui a lixar os bons cristãos de raça branca, e aqueles narizes, ui ui!); no outro da cruzei-me com um judeu na rua (tinha rastas, que são aqueles rolinhos de cabelo judaicos dissimulados, e além disso não era branco, os olhos azuis eram só para disfarçar) e juro que senti as suas garras afiadas a puxarem da minha carteira; há aqui na rua um gato preto (claro! se fosse ariano a conversa seria outra...) que nos dá um azar do caraças: de certeza que ele também é judeu!
O raio do pastel de nata que comi no outro dia era garantidamente semita, bem como o galão judeu (claramente mestiço, a julgar pelo fenótipo!) que eu bebi. Aquilo custou-me uns bons 1,90 euros! Fiquei sem dinheiro nenhum no bolso! Um roubo descarado, cá para mim quem tirou aquele galão da máquina deve ser da família Rotschild, ou no mínimo, da família Putin!

E ainda por cima, aquilo caiu-me mal e fiquei de caganeira, uma caganeira intestinal quase tão intensa como a caganeira intelectual com que o anónimo nos brinda com as suas teorias da conspiração judaica que, para além de falsas e bacocas, trasandam “ligeiramente” a anti-semitismo.

Anónimo disse...

Então não me dou conta?
Isto é tudo uma enorme conspiração judaica, há judeus em todo o lado! O meu patrão é judeu (paga-me cada vez menos, e aquele fenótimo semita não engana!); o Sócrates e o Passos Coelho também (andam aqui a lixar os bons cristãos de raça branca, e aqueles narizes, ui ui!); no outro da cruzei-me com um judeu na rua (tinha rastas, que são aqueles rolinhos de cabelo judaicos dissimulados, e além disso não era branco, os olhos azuis eram só para disfarçar) e juro que senti as suas garras afiadas a puxarem da minha carteira; há aqui na rua um gato preto (claro! se fosse ariano a conversa seria outra...) que nos dá um azar do caraças: de certeza que ele também é judeu!
O raio do pastel de nata que comi no outro dia era garantidamente semita, bem como o galão judeu (claramente mestiço, a julgar pelo fenótipo!) que eu bebi. Aquilo custou-me uns bons 1,90 euros! Fiquei sem dinheiro nenhum no bolso! Um roubo descarado, cá para mim quem tirou aquele galão da máquina deve ser da família Rotschild, ou no mínimo, da família Putin!

E ainda por cima, aquilo caiu-me mal e fiquei de caganeira, uma caganeira intestinal quase tão intensa como a caganeira intelectual com que o anónimo nos brinda com as suas teorias da conspiração judaica que, para além de falsas e bacocas, trasandam “ligeiramente” a anti-semitismo.
"

O sr. é uma pessoa que está cheio de certezas. Já o vi há uns tempos defender com unhas e dentes o sionista criminoso, oportunista e psicopata Churchill, por isso, de tipos como o sr. não se pode esperar grande elevação. Quem defende uma aberração da natureza como esta não pode estar a par dos factos que se conhecem actualmente ou é hipócrita.
Eu conheço bem o seu perfil, para sí o conceito de justiça e honra é algo que se utiliza quando dá jeito.. e de vez em quando vai fechando os olhos quando convém. Para o sr. estas coisas de justiça e ética são um assessório descartável.
Mas tenha em conta que a estratégia de conotar uma ideia ou acção como uma conspiração é em si mesmo uma estratégia, o facto de se apelidar um conjunto de afirmações como "teorias da conspiração" pode servir para esconder e legitimar um crime, dizendo algo como: “não sejas parvo!!! Isso são fantasias!!”.
Normalmente as teorias da conspiração surgem quando existe um grave défice de coerência nos acontecimentos “históricos” e não porque às pessoas tenham a necessidade de inventar algo, faz parte da natureza humana a busca pela verdade.

E depois claro, vem a conclusão final, que quem acusa os judeus tem de ser anti-semita..

Os judeus não te portam mal às vezes, coitadinhos.. foram perseguidos durante milenios por inveja, são um povo maravilhoso que fomenta a paz no mundo, a torah é uma fonte de virtude e os goy(que eles acham que são animais) não os podem criticar porque os coitadinhos são vitimas da opressão e como tal eu como branco tenho de ter sentimento de culpa senão os “pipos” deste mundo vão começar a “verter” acusações de anti-semitismo.


E ai de quem ousar criticar o holoconto, senão vêm logo os cães de fila meter ordem no pedaço....
critiquem tudo! até deus e a sua existência, mas não os judeus senão o pippo zanga-se!!
e cuidado porque ele como bom cosmopolita, humanista e senhor de palavra erudita está cá para desmascarar esses anti-semitas primários com o seu brilhante intelecto.

E faz isto tudo por amor à humanidade, porque ele sente-se cool e na moda! e o fascismo não passará!

Pippo disse...

"O sr. é uma pessoa que está cheio de certezas. Já o vi há uns tempos defender com unhas e dentes o sionista criminoso, oportunista e psicopata Churchill (...) Quem defende uma aberração da natureza como esta não pode estar a par dos factos que se conhecem actualmente ou é hipócrita."

Ahahah! Não me diga que você era o tal que até dizia que o WC era um cobarde e isso (ele, que esteve em acção - foi altamente louvado - na NWF, no Sudão, etc.)

, por isso, de tipos como o sr. não se pode esperar grande elevação.

"Eu conheço bem o seu perfil"

Ainda bem que conhece, eu também conheço, e muito bem até, o seu :)

"para sí o conceito de justiça e honra é algo que se utiliza quando dá jeito.. e de vez em quando vai fechando os olhos quando convém." Para o sr. estas coisas de justiça e ética são um assessório descartável."

Mas não estamos aqui a falar, nem de justiça, nem de ética, pois não? Estamos a falar é de FACTOS, que obviamente lhe é algo estranho.

"Mas tenha em conta que a estratégia de conotar uma ideia ou acção como uma conspiração é em si mesmo uma estratégia"

Não, o apelidar um conjunto de afirmações como "teorias da conspiração" serve apenas para desmascarar ideias alienadas baseadas em nada, em alegações, na melhor das hipóteses, sem qualquer fundamentação factual, apenas baseadas em supostos "indícios" que são extrapolados para se apresenta uma "verdade" a qual não pode nunca ser criticada pois se o for, essa crítica servirá apenas para "esconder e legitimar um crime", para defender um conjunto/grupo de interesses", etc. Basicamente, essas teorias são apresentadas como dogmas, e quem não acredita nelas e as desmascara está, necessariamente, do lado dos "outros", da "mentira", do "maus".

"E depois claro, vem a conclusão final, que quem acusa os judeus tem de ser anti-semita..."

Não, a conclusão natural é que, quem acusa os judeus de estarem por detrás de tudo o que é nefasto, é obviamente anti-semita, pois ignora, precisamente, os factos históricos e actuais.

Ora, a sua longa frase "Os judeus não te portam mal às vezes, coitadinhos.. foram perseguidos durante milenios por inveja, são um povo maravilhoso que fomenta a paz no mundo, a torah é uma fonte de virtude e os goy(que eles acham que são animais) não os podem criticar porque os coitadinhos são vitimas da opressão e como tal eu como branco tenho de ter sentimento de culpa senão os “pipos” deste mundo vão começar a “verter” acusações de anti-semitismo." denota, precisamente, uma forte carga de anti-semitismo, pois não só os judeus não são capazes de fomentar ou deixar de fomentar a paz no mundo (o seu número não o permite, e os factos históricos - mais uma vez - demonstram que eles são mais vítimas do que algozes), como o facto de referir que você, "como branco, tem de ter sentimento de culpa" relativamente aos judeus, demonstra que, para além de ser anti-semita, é um racista assim meio cegueta, pois os judeus - basta olhar para eles - são de raça branca, tão branca como os espanhóis, portugueses, italianos, etc. A não ser, é claro, que para si, brancos, só os supostos "arianos" louros e de olhos azuis.

E não se preocupe muito quanto às minhas "zangas". Eu não mordo. Nem sequer bato. Mas uso os meus parcos conhecimentos para desmascarar e ridicularizar quem, no alto da sua ainda maior ignorância, para não dizer insanidade, vem aqui dar-se ares de grande intelectual.

Parafraseando o JM, veja se não tem judeus debaixo da sua cama. E vá-se tratar!

Fim da conversa.

Thor disse...

o anónimo só pecou por defeito porque "Estaline" ou "Kochba" (herói judeu) cujo verdadeiro nome era Djudachvilli (filho de judeu em língua georgiana) foi casado com três (3) judias, e não só com uma.
além disso, era da seita caraíta, uma seita judaica minoritária, mas ainda assim judaica.
a filha dele casou com, pelo menos, um judeu.

Estaline foi também um dos padrinhos do estado de israel, só sendo batido ao sprint e por poucas horas, pelo igualmente judeo-maçon Harry Truman dos EUA no reconhecimento do estado sionista. Estaline apoiou israel financeiramente e com armas da Checoslováquia.
nessa altura, israel era quase um satélite soviético.

todos os líderes soviéticos, ou seja entre 1917 e 1991, foram judeus ou semi-judeus.
o mito do afastamento progressivo dos judeus, é isso mesmo: um mito.

o próprio Kruschev (outro judeu) afirmou em 1956, que muitos departamentos do governo tinham concentrações de judeus acima dos 50%, isto quase 40 anos depois da revolução...

dizer que Estaline não era judeu é negar o óbvio - além de tudo o que já disse e não é pouco, há fotografias esclarecedoras de Estaline na sua juventude.
mais tarde já não parece ter tanto fenótipo semita, ora por causa das "plásticas", ora por causa das fotos retocadas (hábito tipicamente estalinista)

como o anónimo disse, Lénine, mas sobretudo Estaline decretaram pena de morte para os acusados de "anti-semitismo".
Estaline simulou umas purgas e perseguições "anti-semitas" só para enganar o pagode, isto é distrair o Ocidente das raízes judaicas do comunismo.

Lénine era 1/4 judeu, foi casado com uma judia e falava yiddish, sobre Estaline estamos falados acima, Kruschev (Pearlmutter) idem, Brezhnev o anónimo já disse tudo, e ele próprio disse numa entrevista que os filhos dele eram judeus e foram educados como judeus, Andropov e Gorbachev (Kahn) parecem quase irmãos gémeos um do outro, com o mesmo fenótipo semitizado.

enfim, são muitas evidências para se continuar na estúpida negação do óbvio.

se o regime soviético se tornou tão "anti-semita" e livre do judaísmo, então porque é que até já nos anos 70 o judeu "americano" Kissinger foi apanhado a trabalhar para os serviços secretos da URSS, durante a guerra do Vietname, e com um pseudónimo??
e atenção que este Kissinger além de judeu, era do neo-liberalismo americano.

será que não percebem que o jogo duplo e de cintura está totalmente entranhado no sangue desta raça??
eles podem jogar num lado e no outro, ao mesmo tempo.
podem servir a dois partidos, duas ideologias, dois ou três países ao mesmo tempo, mas no final só são fiéis ao sionismo israelita e ao sionismo internacional.
tão simples quanto isto.

Anónimo disse...

“Ahahah! Não me diga que você era o tal que até dizia que o WC era um cobarde e isso (ele, que esteve em acção - foi altamente louvado - na NWF, no Sudão, etc.)”
O WC foi e é altamente louvado por gente sem dignidade e sem carácter. Se o sr. Tem respeito por um tipo que foi responsável por bombardear civis Alemães em que mulheres e crianças foram incineradas, então o sr. é perverso. É verdade recordo-me de ter falado com o sr. sobre essa aberração, verifico que continua firme a defender essa besta, é de lamentar.
“Ainda bem que conhece, eu também conheço, e muito bem até, o seu :)”
O seu é fácil de caracterizar, é o chamado estado neutro, nem é nem não é, nem quente nem frio, nem sequer.
“Mas não estamos aqui a falar, nem de justiça, nem de ética, pois não? Estamos a falar é de FACTOS, que obviamente lhe é algo estranho.”
Eu compreendo, Justiça e ética são conceitos que não entram na sua vida. Quanto aos factos, desculpe que lhe diga, mas é preciso ter lata, então o anónimo escreveu um conjunto de frases, cuja veracidade ou não pode ser discutida, aparece o agente da verdade (o senhor) que não nega nenhuma das alegações, comporta-se como o detentor da verdade e ainda por cima faz um texto ridículo e sem piada nenhuma(se era essa a intenção) e fala de factos…?!

“Não, o apelidar um conjunto de afirmações como "teorias da conspiração" serve apenas para desmascarar ideias alienadas baseadas em nada, em alegações, na melhor das hipóteses, sem qualquer fundamentação factual, apenas baseadas em supostos "indícios" que são extrapolados para se apresenta uma "verdade" a qual não pode nunca ser criticada pois se o for, essa crítica servirá apenas para "esconder e legitimar um crime", para defender um conjunto/grupo de interesses", etc. Basicamente, essas teorias são apresentadas como dogmas, e quem não acredita nelas e as desmascara está, necessariamente, do lado dos "outros", da "mentira", do "maus".”
E vai mais uma “calinada”. Começa mal porque entra em contradição no primeiro paragrafo. Ideias alienadas para si, certo? Porque o cavalheiro não é detentor da verdade ou é? Qualquer dia tem de se fazer um requerimento para duvidar das verdades destes profetas.
Existe algum organismo que regule a verdade dos factos? Se o sr. é académico(duvido) devia saber que os acontecimentos históricos estão(deviam) ser revistos continuadamente e isso é fundamental para que se possa apurar a verdade. Chama-se a isto o método cientifico, sabe o que é? .Se não sabe, devia saber que existe um condicionamento a muitos acontecimentos históricos que impedem a procura da verdade e isso por si só é um indicio de que existe interesse em que a verdade seja ela qual for não venha ao de cima.
E não diga asneiras, as teorias de conspiração não têm nada a ver com dogmas, é exactamente o oposto.
“Não, a conclusão natural é que, quem acusa os judeus de estarem por detrás de tudo o que é nefasto, é obviamente anti-semita, pois ignora, precisamente, os factos históricos e actuais.”
Anti-semitismo implica aversão a povos semitas que incluem(não só) os judeus, por isso, reveja a sua definição que está errada. E quando à critica, meu caro, ninguém está acima dela, o sr. reflete bem a ameaça que paira neste momento na civilização ocidental, o politicamente correcto é realmente uma instituição e não deixa de ser impressionante, a sua incoerência é chocante, realmente é incrível até que ponto chega a hipocrisia nas pessoas.

Anónimo disse...

“Ora, a sua longa frase "Os judeus não te portam mal às vezes, coitadinhos.. foram perseguidos durante milenios por inveja, são um povo maravilhoso que fomenta a paz no mundo, a torah é uma fonte de virtude e os goy(que eles acham que são animais) não os podem criticar porque os coitadinhos são vitimas da opressão e como tal eu como branco tenho de ter sentimento de culpa senão os “pipos” deste mundo vão começar a “verter” acusações de anti-semitismo." denota, precisamente, uma forte carga de anti-semitismo, pois não só os judeus não são capazes de fomentar ou deixar de fomentar a paz no mundo (o seu número não o permite, e os factos históricos - mais uma vez - demonstram que eles são mais vítimas do que algozes), como o facto de referir que você, "como branco, tem de ter sentimento de culpa" relativamente aos judeus, demonstra que, para além de ser anti-semita, é um racista assim meio cegueta, pois os judeus - basta olhar para eles - são de raça branca, tão branca como os espanhóis, portugueses, italianos, etc. A não ser, é claro, que para si, brancos, só os supostos "arianos" louros e de olhos azuis”

Mas qual é a sua legitimidade para estar a conotar os outros como anti-semitas ou fascistas? O sr. tem noção do ridículo, mas o sr. dedica o seu tempo a impor o seu ponto de vista nos outros e estar a separar o pensamento bom do pensamento mau? Acha mesmo que alguém lhe liga alguma? Deixe as pessoas acreditarem no que quiserem. O que o sr. acha ou deixa de achar daquilo que eu sou passa-me ao lado, não tenho pachorra para aturar marxistas sociólogos, discuta as ideias ou factos e não se ponha a tentar fazer mais do que os outros, isso é um comportamento que revela complexos de inferioridade.
E só mais uma coisa, reveja ou deite fora os seus livros de história, os seus “factos” históricos acerca dos judeus têm que ser revistos urgentemente, reveja também a suas considerações sobre o facto dos judeus serem brancos. Quanto ao facto de eu ser racista, sou racialista mais precisamente com muito orgulho e não vivo preocupado do que pensam de mim ou se a minha ideologia é bem aceite socialmente defendo a verdade pura e dura, doa a quem doer e a si doí-lhe bastante.

“E não se preocupe muito quanto às minhas "zangas". Eu não mordo. Nem sequer bato. Mas uso os meus parcos conhecimentos para desmascarar e ridicularizar quem, no alto da sua ainda maior ignorância, para não dizer insanidade, vem aqui dar-se ares de grande intelectual.”

O cão foi no sentido figurativo como é obvio não tenho intenções de o ofender. Não se ache tanto, não somos nós próprios as melhores referencias para nos avaliarmos, deixe essa avaliação aos outros, eu por mim, estou certo que quem foi “desmascarado” aqui foi o sr. a impertinencia tem custos, nesta fase o meu critério para avaliar os outros é o que têm para me dizer algo de novo e o sr. não acrescentou nada, as suas criticas foram destrutivas.
“Parafraseando o JM, veja se não tem judeus debaixo da sua cama. E vá-se tratar!
Fim da conversa.

Parabéns, mais uma frase brilhante, gostei imenso da sua capacidade de improviso, só peca por previsível, mas repare, possivelmente o sr. é que claramente está a precisar de ajuda, começou por se intrometer numa conversa sem ser chamado, o que demonstra claramente que se sente só, depois começou a querer fazer humor e falhou, o que indicia que quer chamar a atenção, finalmente apresenta um comportamento agressivo insultuoso sem ser provocado o que não augura nada de bom. Amigo, espero que não precise de trabalho psiquiátrico, mas digo-lhe isto sinceramente que pode estar a precisar.
E ditam as regras de cortesia que deve ser a pessoa que inicia o dialogo que o termina, passe bem!