terça-feira, outubro 08, 2013

Putin exige desculpas de autoridades holandesas por agressão de diplomata

  O Presidente russo, Vladimir Putin, exigiu hoje "desculpas" da Holanda depois de um incidente durante o qual, segundo Moscovo, um diplomata russo em Haia foi interpelado de maneira musculada no seu domicílio e detido durante várias horas.
"Trata-se de uma violação grosseira da Convenção de Viena. Esperamos explicações e desculpas, e que os culpados sejam punidos", declarou Putin à margem da Cimeira Ásia-Pacífico.
"A nossa reação dependerá da forma como a parte holandesa conduzir o processo", acrescentou.
Entretanto, a Rússia apresentou uma nota de protesto ao Governo holandês.
Alexandre Lukachevitch, porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia, indicou que, no passado fim de semana, o ministro-conselheiro da Embaixada russa em Haia, Dmitri Borodin, foi detido em sua casa sob o pretexto de ter maltratado os seus filhos, uma menina de quatro anos e um menino de dois.
Lukachevitch disse que no apartamento de Borodin irromperam várias pessoas fardadas e armadas, que detiveram e agrediram o diplomata em frente dos seus filhos, antes de o levarem para uma esquadra num veículo policial.
O porta-voz acrescentou que tudo aconteceu depois de Borodin ter prevenido a polícia do seu estatuto diplomático.
O porta-voz russo acrescentou que, depois de permanecer detido quase toda a noite na esquadra, Borodin foi libertado "sem explicações, nem desculpas".
"Este caso é uma violação flagrante não só das normas e regras das relações internacionais, mas também dos postulados da Convenção de Viena sobre relações diplomáticas", concluiu.
O incidente em Haia coincide com as tensões entre a Holanda e a Rússia pela detenção pelas autoridades russas do quebra-gelos Arctic Sunrise, da Greenpeace, que navegava sob bandeira holandesa.
P.S. Caso a polícia holandesa consiga provar que este diplomata russo estava a espancar os seus filhos, o que é mais importante: os direitos das crianças ou a Convenção de Viena? 

4 comentários:

Pippo disse...

É a Convenção de Viena, JM, pois os Tratados internacionais prevalecem sobre as normas jurídicas infra-constitucionais, como será o caso.
Aliás, se não me engano, mesmo que o diplomata fosse detido por tráfico de droga ou por homicídio, teria de ser imediatamente libertado, aliás, sen sequer poderia ser detido. Pode parecer parvo, mas é assim, e é para todos os diplomatas, não apenas para os da Rússia.

José Milhazes disse...

Caro Pippo,claro que a Convenção de Viena é o principal documento, mas eu coloquei a questão não do ponto de vista diplomático, mas moral.

Pippo disse...

Moral e políticas raramente combinam. É assim...

Pippo disse...

JM, já sabe do espancamento de um diplomata holandês em Moscovo? Será que foi uma "infeliz coincidência" relacionada com esta detenção e espancamento do diplomata russo?