sábado, dezembro 14, 2013

LEITURA RECOMENDÁVEL



"O comunismo foi um dos mais poderosos movimentos políticos e intelectuais que o mundo alguma vez testemunhou. No auge da sua influência, o comunismo governou um terço da população mundial. Contudo, talvez mais surpreendente do que a rápida implantação do comunismo e o seu extraordinário alcance foi a sua derrocada em Novembro de 1989. Nesta obra, David Priestland relata a história épica de um movimento que se enraizou em dezenas de países ao longo de 200 anos, desde o seu nascimento após a Revolução Francesa até à sua maturidade ideológica na Alemanha do século xix e à sua ascensão ao poder (e subsequente queda) no século xx. Principiando pelos primeiros comunistas modernos, na era de Robespierre, o autor analisa os motivos de pensadores e líderes, incluindo Marx, Engels, Lenine, Estaline, Fidel Castro, Che Guevara, Mao, Ho Chi Minh, Gorbachev e muitos outros".

19 comentários:

Anónimo disse...

O comunismo foi um movimento?

FM

José Milhazes disse...

Cato FM, o comunismo foi isso e muito mais.

Anónimo disse...

Está-se sempre a tempo de aprender.
Vou passar a dizer: o capitalismo é um movimento. Certo?
FM

Anónimo disse...

Não é suficiente dizer que uma sociedade totalitária só poderia ter nascido no século XX; é necessário precisar ter sido nesse século que se lançam os fundamentos de um espaço mundial, se multiplicam as relações entre países com diferentes níveis de desenvolvimento, de tradições e de estruturas políticas.
O comunismo apresenta-se-nos a uma outra luz quando o entendemos como um produto imprevisível deste processo. Ainda que se queira compreender a sua génese arriscamo-nos a cair na armadilha criada pela alternativa, de necessidade ou contingência, em lugar de questionar o fenómeno tal como ele se apresenta e se dá a entender.

Anónimo disse...

José Milhazes
O Comunismo propriamente surgiu com Marx em 1848, com o Manifesto do Partido Comunista há portanto 165 anos embora as aspirações nele contidas venham de data inenarrável praticamente desde o aparecimento da escravatura.
Mas é um facto que o capitalismo está falido e o comunismo surge nesta fase como um movimento capaz de deter todas as infra estruturas capitalistas desde empresas industriais até automobilísticas a cidades inteiras como já acontece nos Estados Unidos. O Aeroporto de Londres tem uma considerável participação do Fundo Soberano Chinês.
Em Portugal começou pela electricidade e vai-se estender ao sector dos serviços.
A lógica da luta de classes assumiu uma nova performance. Estamos num patamar acima em que o comunismo se vai implantar de forma pacífica a menos que haja resistência ao ponto de preferirem um holocausto à transição pacífica.
Putin avisa que os BRICS representam já quase 50% da população mundial e mais de 40 milhões de Kilómetros quadrados de superfície sólida e um valor considerável no PIB mundial e com tendência para crescer a uma velocidade média acima de qualquer economia.
Caldeira

Fernando Negro disse...

Permitam-me que aproveite para recomendar aqui também a leitura de alguns livros que explicam a real história por trás do Comunismo, ainda desconhecida por muitos, especialmente em Portugal...

(Sei bem que muitas pessoas aqui não irão acreditar no que eu digo e que irão fazer julgamentos antes de ver/ler as provas que sustentam o que eu digo, mas aqui vai... Se isto for demasiado material para os neurónios dos leitores portugueses, compreendo... Pois, já vivo neste país há tempo suficiente para saber o quão inteligente e culta é a grande maioria das pessoas que dele fazem parte, assim como o quão aberta é a mentalidade desta...)

O Comunismo foi uma criação do grandes interesses económicos ocidentais. Os quais, originalmente, não queriam que este conjunto de ideias fosse completamente implementado - mas, apenas em parte. E, isto, para servir de "antítese" ao Capitalismo e (conjuntamente com este último, que constitui a "tese", já existente) no uso da chamada "Dialéctica Hegeliana", criar a "síntese" desejada por tais interesses económicos, que é uma sociedade que não é, nem capitalista (de direita), nem comunista (de esquerda), mas que pode melhor ser descrita como "fascista" (situada ao centro).

E, a Revolução Bolchevique e afins, trataram-se de operações capitalistas ocidentais, que visavam sabotar e controlar o desenvolvimento económico da Rússia e de outros grandes países, que, pela sua maior extensão territorial e riqueza em recursos naturais, sempre tiveram o potencial para ultrapassar as economias ocidentais. (Pois, como todos deverão reconhecer, ideais à parte, sempre foi o Capitalismo que mais desenvolveu as economias dos diferentes países. Reparem, por exemplo, na diferença de desenvolvimento entre as duas Coreias. E, em como a China e Cuba abrem espaço à iniciativa privada, por reconhecer isto mesmo.)

Para saberem isto, apenas têm de ler as obras do economista e historiador Antony C. Sutton. (Que, obviamente, não são promovidas pela imprensa controlada por tais interesses económicos ocidentais.) E, procurar também, se quiserem, na Internet, por algumas das muito poucas entrevistas e palestras que deu, por não querer chamar muito a atenção para o que tinha descoberto, depois de lhe ter sido comunicado que os resultados das suas pesquisas constituíam um muito grande incómodo, para o poder estabelecido.

http://en.wikipedia.org/wiki/Antony_C._Sutton
http://www.youtube.com/results?search_query=antony+c.+sutton

E, outro historiador, que teve acesso a material que não devia e com o qual poderão também aprender alguma coisa, é um chamado Carroll Quigley.

http://en.wikipedia.org/wiki/Carroll_Quigley

[continua]

Fernando Negro disse...

[continuação]

Instalado o Comunismo numa quantidade de território suficiente para assustar o resto do globo (com as suas intenções de se espalhar pelo Mundo inteiro), foi então este movimento usado como pretexto para que, com a suposta intenção de "lutar contra" e "proteger" o restante Mundo do Comunismo, pudessem esses mesmos grandes interesses ocidentais ocupar militarmente esse restante Mundo e começar a construir o seu Império Mundial.

Bem estabelecida a sua presença militar no Mundo não comunista, com a desculpa de que o estava a proteger do malvado do Comunismo (ao mesmo tempo que se o apoiava nos bastidores) passa-se à fase seguinte, de controlar também a parte do Mundo que está sob o domínio comunista.

Chega, então, à altura de destruir a União Soviética e afins, depois destes regimes não terem mais uso. E, também de tentar controlar e destruir os países que dela faziam parte (como está a ser feito agora, na Europa) com fantoches políticos, como foi o caso do bêbado do Ieltsin. Mas, felizmente, surgem pessoas que, inesperadamente, tomam o controlo da situação e goram tais planos ocidentais... (Viva Putin e a Resistência que este oferece aos mesmos.)

(Eu deverei talvez, um dia, explicar isto melhor, na minha própria publicação. Mas, por enquanto, têm aqui, muito resumida, a Verdadeira História do movimento comunista mundial. E, se quiserem saber mais, é só usarem a etiqueta que deixo, a seguir, do meu blogue.)

(http://blackfernando.blogspot.pt/search/label/comunismo)


Obviamente, que não é *tudo* tão linear e tão simples, como poderá parecer. Pois, o controlo nunca foi absoluto... E, foi perdido, em várias ocasiões, e passado a ser feito apenas de modo indirecto. Assim como, certos cenários que são apresentados como cenários de dita Guerra Fria, escondem outros objectivos.

Lenine e Trotsky eram fantoches ocidentais. Mas, Estaline (que usurpou, inesperadamente, o poder) já não o era. E, era apenas controlado indirectamente, com ameaças de suspensão do apoio industrial e financeiro. Mao foi lavado ao cérebro por escolas montadas pelos ocidentais e posto no poder pela CIA, mas, no entanto, que eu saiba, não obedecia directamente a quem o formou e ajudou. A Coreia do Norte é, ainda hoje, apoiada por este mesmo Ocidente, para criar um pretexto para uma presença militar ocidental na Península Coreana, de onde melhor se poderá atacar a China, caso seja necessário. A China não foi destruída. E, pela sua aproximação ao modelo fascista (de fusão de capitalismo com comunismo) pretendido pelo Ocidente para o mundo inteiro, poderá ser (e demonstra sinais de poder vir a ser) recrutada para este mesmo projecto mundial. A Guerra do Vietname tratou-se, na verdade, de uma tentativa de controlo das rotas do tráfico de ópio oriundo do chamado Triângulo Dourado etc...

[continua]

Pippo disse...

Há duas palavras que, neste blog (e não apenas neste), uma vez pronunciadas, originam logo uma inundação de discursos tragicómicos, misturando factos com fantasia; realidade e conspirações, e assim por diante. Só ainda não meteram ovnis e a Atlântida, provavelmente por mero acaso.
As palavras, bem entendido, são "Comunismo" e "Judeu".

Fernando Negro disse...

[continuação]

E, quase tudo o que sempre foram comunistas neste Mundo, dos baixos, médios e também de muitos altos graus das hierarquias, de nada disto sabiam. E sempre lutaram genuinamente pela implementação total dos seus ideais. (À excepção de certos grupos, notoriamente falsos e controlados, como os assumidamente reformistas "Bloco de Esquerda" português, o grego "Syriza" etc, que tanto gostam de projectos e ideias capitalistas, como é o caso da União Europeia e afins...) Assim como, existem muitos grupos comunistas, hoje em dia, cujo topo da hierarquia é em nada (ou quase nada) controlado por estes mesmos interesses, como é, obviamente, o caso do PCP.

Até o anarquismo socialista, pelo que sei (e do qual continuo, apesar de tudo, a ser um adepto) foi (pelo menos, em grande parte) criado por estes mesmos interesses (mas, já com objectivos distintos).

E, nada disto invalida o Socialismo, em si. (Que é tão antigo quanto a própria Humanidade e não foi criado por estes mesmos interesses, os quais criaram apenas uma forma específica do mesmo.) Um dos autores que tudo isto expõe é, até, ele próprio, um socialista. O qual já teve, inclusivamente, a oportunidade de explicar pessoalmente a parte da Revolução Bolchevique ao próprio Fidel Castro, que foi capaz de a entender.

Perdoem-me se a paciência não é muita para explicar melhor tudo isto... Mas, também, se vou começar a entrar em detalhes, nunca mais saio daqui... As hiperligações que deixo, são suficientes para quem quiser pesquisar e se começar a informar sobre este assunto.

Boas leituras, a todos os que tenham neurónios, e abertura de espírito suficiente, para compreender tudo isto - e também verdadeira vontade de tal (em vez de preguiça mental, para verificar a credibilidade, ou não, dos autores nos quais me baseio, para dizer o que digo).

http://blackfernando.blogspot.pt/2012/05/primeira-e-talvez-unica-tentativa-seria.html

Anónimo disse...

Fernando Negro:
Em todos os tempos houve fantasias do género
As teorias que mais me impressionaram estão contidas no "Despertar dos Mágicos"
Já nada mais me impressiona.
JM

Fernando Negro disse...

Pippo,

A blogosfera está cheia de "trolls", ao serviço do poder estabelecido - [1] [2] - que, entre outras coisas, espalham desinformação e tentam, de qualquer modo - nomeadamente, por associação - ridicularizar e descredibilizar quem expõe este tipo de assuntos importantes, nos quais sei que é difícil de acreditar.

(Sendo o resultado o de que, a maior parte do que com que as pessoas se deparam, são exposições propositadamente ridículas, que misturam verdades com mentiras e teorias ridículas...)

De acordo com quem já supervisionou tais serviços, 95% do trabalho dos lacaios secretos do poder estabelecido é andar a espalhar desinformação, para encobrir as suas actividades secretas e cobardes.

Eu deixo hiperligações introdutórias para várias das fontes em que me baseio - cuja veracidade, quem quiser, poderá verificar. E, quanto ao resto para o qual não deixo fontes, poderão encontrar as mesmas se começarem a pesquisar sobre o assunto, recorrendo às hiperligações que eu recomendo no meu blogue.

As obras do conhecido historiador Antony C. Sutton, são recomendadas pelo mesmo ex-Conselheiro de Segurança Nacional norte-americano que se gaba de ter montado a armadilha afegã, que levou à destruição da União Soviética. E, o historiador Carroll Quigley foi até mentor do Bill Clinton na Universidade, tendo o último mencionado-o num discurso de agradecimento.

Se alguma vez tiver a oportunidade para tal, pergunte ao Fidel Castro o que acha ele, hoje em dia, da Revolução Bolchevique.

Boas leituras.

Fernando Negro disse...

E, para terminar, outra coisa de que lembrei...

O conhecido autor Daniel Estulin, que tem exposto uma boa parte do que eu aqui denuncio, tem uma série de documentários que são exibidos na versão em castelhano do canal internacional de notícias RT ("Russia Today").

http://actualidad.rt.com/programas/desde_la_sombra

Um canal de notícias que é detido pelo governo russo. E que rivaliza - e ultrapassa, até, em termos de audiências - as próprias CNN e BBC.

(O mesmo governo russo que detém a "Voz da Rússia", onde agora colabora o respeitado autor deste blogue, onde escrevo estes meus comentários.)

Se isto são meras baboseiras, porque razão haveria uma agência noticiosa do governo russo (de cuja Revolução Bolchevique foi um muito importante episódio, que deverá merecer muito respeito) de dar tempo de antena a tal pessoa?

Oiçam, a seguir, tal autor a dizer que o Karl Marx era um agente destes mesmos interesses económicos:

https://www.youtube.com/watch?v=rHXp4dmQOM0

Bons visionamentos de documentários.

Anónimo disse...

MUITO BOM Fernando Negro, vou só acrescentar uma coisa: Porque é que a oposição aos grandes bancos vem de conservadores como Nigel Farage, Ron Paul, Louis Thomas Mcfadden (que foi envenenado por promover o "impeachment" contra a Federal Reserve) e até os próprios pais fundadores dos EUA como Thomas Jefferson e outros mais tarde como Abraham Lincoln? Porque funciona assim: apresenta um governo que promete serviços públicos gratuitos para todos os cidadãos, feito! Isso custa ao estado rios de dinheiro e de onde vem o dinheiro? Portanto a economia socialista progride na base do endividamento; endividamento com quem? Com os grandes bancos internacionais. Então onde há um regime socialista, há um cliente maravilhoso dos grandes bancos internacionais; portanto o povo caminha para a miséria e a elite que está no a tomar conta do país fica cada vez mais rica e mais amiguinha dos grandes bancos internacionais. No próprio manifesto comunista está escrito que os bancos centrais são necessários! A própria administração do Obama é quase tudo gente de Wall Street. Ass: Falcão.

Anónimo disse...

Esqueci-me de citar um ponto, no qual o Fernando disse que o Lenine e o Trotsky eram fantoches ocidentais. O próprio Stalin também era, pelo menos inicialmente, porque o parque industrial do Stalin foi financiado pelo ocidente, portanto leiam o livro de Anthony Sutton: "O melhor inimigo que o dinheiro pode comprar". É um resumo das 3 obras dele que provam que sem dinheiro ocidental não tinha havido regime nazi nem união soviética.

Anónimo disse...

O regime nazi deu um pontapé no traseiro aos Rotchilds seus palermas.
Sempre este facilitismo de ir atrás da propaganda gigantesca contra quem quis salvar a Europa das cobras sionistas globalistas que nos sugam tudo nos dias de hoje.

Este Fernando Negro, bem, nem tenho palavras. É tipo um Alex Jones ou um David Icke.

Anónimo disse...

Fernando Negro.

O meu avô também me costumava contar umas histórias parecidas, eu acreditei até ter consciencia das coisas.

Explique isto; A agressão concertada por parte das principais potencias Ocidentais contra a Russia em 1918 talvez fosse com o objetivo de consolidar a Revolução Bolchevique?


E já que fez a comparação do desenvolvimento entre as duas Coreias para enaltecer o capitalismo.

Porque não compara também o desenvolvimento entre ambas e as Filipinas por exemplo?

E o que foi o Nazismo senão o capitalismo elevado ao mais alto grau de intolerancia racial?

E sabe que as ideologia racial do Nazismo tem as suas raizes na segregação racial dos EUA?

Há coincidencias que nos deixam embasbacados, não acha?

Operário Fascista disse...


o das 23:27 é tão tolinho que até dá dó.

O Nazismo é capitalismo?
Que nojo me mete ver tanta ignorância junta.

O Nazismo e o Fascismo Italiano são os únicos modelos anti-capitalismo que a história moderna conheceu.

Os nazis por exemplo passaram de pais mais pobre da Europa em 1933 a pais mais próspero em 1938 (antes de começar a guerra contra as hienas globalismos).

O Desemprego que era epidémico atingiu o valo ZERO % em 1937.
Os salários dos trabalhadores eram só os melhores do mundo.
Os Nazis e os Fascistas italianos foram os primeiros regime a dar regalias aos trabalhadores como por exemplo as 8 horas de trabalho e o direito a um período de 25 dias de férias pagas.

O que faz a propaganda a esta gente.
É de bradar aos céus.
Uns idolatram a peste bolchevique outro o capitalismo anarquista e selvático quando.

Anónimo disse...

Este sujeito ou colectivo até mete dó. Dizer que nazismo é coisa de direita, bem só é verdade se você for um comunista porque o comunismo é a esquerda mais extremada e para ela qualquer outra coisa é direita. Meu filho, nazismo, caso você saiba é uma abreviatura para nacional-SOCIALISMO? O que é o socialismo? É o primeiro e necessário passo para o comunismo - citação do próprio Vládimir Lenin. A segregação racial dos EUA sugerida até pela própria Margaret Sange é negócio de progressista, ou seja de esquerda. Só acontecia nos EUA nos locais onde havia maior taxa de analfabetismo. A própria oposição a essa ideologia veio de pessoas como Martin Luther King que era um conservador, ou seja, do seu ponto de vista comunsita ele é um radical da direita capitalista, rs. Votou somente num candidato democrata que foi o J.F.K. Socialismo significa "governo grande", é tão adequada ao nazismo de Hitler como ao próprio Mussolini que diria "tudo para o estado, nada contra o estado e nada fora do estado". Como o socialismo fora reprovado como modelo económico por Ludwig Von Mises e outros hoje em dia os radicais de esquerda têm de se adaptar a outro tipo de economia: a própria economia capitalista, com o famoso capitalismo de estado ou corporativismo como acontece na China, aí quando acontece porcaria culpam o capitalismo, quando algo bate certo é o socialismo, exemplos de desonestidade intelectual no seu meio são o pão nosso de cada dia.

Anónimo disse...

O regime mais nefasto da história!