segunda-feira, março 03, 2014

Mas afinal qual é a justificação russa para a invasão da Crimeia?

Vitali Tchurkin, representante da Rússia no Conselho de Segurança da ONU, mostrou, hoje, a cópia de uma carta de Victor Ianukovitch ao seu homólogo russo, Vladimir Putin, a pedir que enviasse tropas russas para a Ucrânia "a fim de restabelecer a ordem". Mas o Kremlin não tinha justificado a invasão da Crimeia com a protecção dos russófonos nessa região da Ucrânia? Moscovo começa a ter dificuldade em esconder o buraco e que se meteu. 
Tanto mais que, na mesma intervenção, Tchurkin insistiu que Ianukovitch é o legítimo Presidente da Ucrânia, mas acrescentou que "a nossa tarefa não é fazer voltar Ianukovitch ao poder. Será que não compreendemos que Ianukovitch não voltará ao poder e não irá dirigir o Estado?"
Vitali Tchurkin insistiu na tese de que Putin ainda não decidiu se vai enviar tropas ou não para a Crimeia, Pergunta-se: quem são os milhares de homens armados que lá andam a atacar os quartéis ucranianos? Serão terroristas? 

33 comentários:

Pippo disse...

"atacar os quartéis ucranianos"?

Ena! Mas já foram disparados tiros? Quantos mortos de parte a parte?

Os russos, IMHO, só têm é que dizer a verdade: reocuparam a Crimeia porque é um território maioritariamente habitado por russos e porque estrategicamente tinham de se antecipar a uma invasão da NATO, a convite, claro está, do novo governo nacionalista e russófobo ucraniano.
Mais nada!

Entretanto, nas chancelarias, começam a surgir fracturas:

http://www.theguardian.com/world/2014/mar/03/ukraine-crisis-us-europe-putin-crimea

Por um lado, os norte-americanos, furiosos por terem perdido a "Jóia da Coroa" para os russos, querem agora puni-los com duras sanções (as mesmas que não foram aplicadas aos EUA aquando da invasão do Kosovo, do Afeganistão, do Iraque,...).
Já os europeus, que parecem já não ser tão parvos (veremos se dura), estão a ver onde é que mais lhes dói, e já se devem ter apercebido que se aplicarem sanções, a Rússia aplicará as dela, e todos perdem, até a "City" de Londres.

antónio m p disse...

Mas afinal Ianukovitch é ou não é o legítimo presidente da Ucrânia, pelo mesmo critério que dá legitimidade a Cavaco Silva em Portugal? E uma vez que o presidente ucraniano pediu que Putin enviasse tropas russas para a Ucrânia "a fim de restabelecer a ordem”, em que é que isso contraria o argumento do presidente russo ao dizer que enviou tropas “para protecção dos russófonos nessa região”? Contraria ou legitima?

antónio m p disse...

Mas afinal Ianukovitch é ou não é o legítimo presidente da Ucrânia, pelo mesmo critério que dá legitimidade a Cavaco Silva em Portugal? E uma vez que o presidente ucraniano pediu que Putin enviasse tropas russas para a Ucrânia "a fim de restabelecer a ordem”, em que é que isso contraria o argumento do presidente russo ao dizer que enviou tropas “para protecção dos russófonos nessa região”? Contraria ou legitima?

Fernando Negro disse...

Obviamente que, não é preciso que haja apenas uma justificação para a ocupação militar...

O objectivo de lá colocar tropas, será para (1) restabelecer a ordem e (2) para proteger a dita população russófona.

(Já para não falar do objectivo, que muita gente sabe que existe, de tentar impedir a OTAN de se aproximar da Rússia. Pois, este ilegítimo golpe nazi na Ucrânia teve mão ocidental por trás.)

E, quanto a esta população, (Corrijam-me, se eu estiver errado... Mas, tanto quanto eu sei,)

Ela não é apenas russófona. É etnicamente russa. (Ou seja, pertence ao mesmo conjunto do povo etnicamente russo, que habita na Rússia.)

E, pelo que sei, a única coisa, praticamente, que a distingue dos russos a viver no território da Federação Russa, foi terem ficado do lado de lá da má fronteira que foi estabelecida após o desmembramento da União Soviética.

Indecente, seria da parte dos outros russos, a viver na Federação Russa, virar as costas aos que ficaram a viver na Ucrânia e deixar que estes fossem perseguidos/oprimidos/aterrorizados pelos etnicamente ucranianos - como já começou a acontecer.

Anónimo disse...

E agora?
Amanhã haver uma reunião de emergência da ONU. A Polónia parece sentir-se ameaçada pelas movimentações Russas...
Como sairá a Rússia disto?

Recua? ou fuga para a frente?

Anónimo disse...

E agora?
Amanhã vai haver uma reunião de emergência da ONU. A Polónia parece sentir-se ameaçada pelas movimentações Russas...
Como sairá a Rússia disto?

Recua? ou fuga para a frente?

Anónimo disse...

Este apelo de Ianukovitch, o verdadeiro presidente da Ucrânia, legitima ainda mais a intervenção Russa, não vejo onde está a dúvida.

As ameaças dos nazis do svoboda e pravy sector aos russos são sobejamente conhecidas, disso não haja dúvidas, o facto de proibirem o uso da língua deu mais argumentos á Rússia, até nisto estes fantoches colocados em Kiev se enterraram.

Se em Kiev e no leste da Ucrânia paramilitares armados via Polónia podem ocupar edifícios públicos, fazer checkpoints nas estradas e ocupar quartéis militares porque motivo o mesmo não se pode aplicar á Crimeia?

Os soldados de verde que patrulham a Crimeia estão a fazer o mesmo que fazem as milícias do svoboda e pravy sector em Kiev e no leste da Ucrânia, com a diferença de na Crimeia não haver confrontos nem perseguições a ninguém.

Os homens de verde, ao que tudo indica são fuzileiros navais da 810ª Brigada sedeada em Sebastopol, corre também a informação que estão lá Spetsnaz Gru da 16ª Brigada sedeada em Tambov, também haverá milícias próprias da Crimeia, mas o grosso do contingente pertence a estas unidades militares.

Mas ninguém o pode provar porque não tem insígnias nos uniformes, passam por paramilitares.

Se ainda não perceberam, o Putin basicamente está a "criar" um novo estado, o estado da Crimeia, e a dotá-lo de forças armadas.

Estes homens de verde serão o embrião do exército da Crimeia, não tarda muito terão as insígnias da Crimeia nos braços, basta apenas que as restantes unidades militares Ucraninas se entreguem, amanha a coisa deve ficar resolvida.

Marinha já têm, depois da deserção do contra almirante Berezovsky, força aérea também já têm visto que a base de Belbek passou também para o lado da Crimeia.

Para além disso, de acordo com o Governo da Crimeia, os representantes dos Oblasts de Odessa, Mykolaiv e Kherson já declararam que querem aderir á Crimeia depois desta fazer o referendo da independência de 30 de Março e consequentemente declarar a sua independência.

Os fantoches de Kiev já perceberam a estratégia de Putin, por isso é que a conversa vai sempre bater à integridade territorial.

Assim se desmonta um pais até aqui chamado Ucrânia.

Pippo disse...

Com uma certa mordacidade, achei que este artigo expõe a realidade dos planos e ingerência norte-americanas, da "maçada" que foi o Putin ter estragado os planos a Washington e da enorme factura que a Ucrânia vai ter de pagar (e que alguém terá de pagar):

http://www.atimes.com/atimes/Central_Asia/CEN-05-280214.html

Fernando Negro disse...

Mas, realmente, quanto às tropas que estão na Crimeia... Começo a estar mais inclinado para o facto de serem russas. Pois,

- Os uniformes por elas usados, não são iguais aos das tropas ucranianas.

- E, esses mesmos uniformes não mostram sinais de lhes terem sido arrancadas as insígnias.

(E, não é nada normal, para umas forças armadas, terem tantos uniformes sem insígnias, prontos a serem usados - a não ser que se tratem de forças armadas muito bem equipadas, com equipamento para todo o tipo de cenários, como é o caso das russas.)

- Também, estas tropas têm agido, aparentemente, sem quaisquer problemas em termos de coordenação, abastecimento e armamento.

(O que não é nada normal, em situações pós-revolucionárias e semi-caóticas. E, ainda menos, quando há quartéis com tropas barricadas lá dentro. Sendo esta situação mais condizente com o estarem o operar segundo ordens vindas de um país com a sua situação política estabilizada.)

Para além disto, consultando outra vez a fonte que me fazia acreditar que se tratam de forças autóctones, posso constatar três coisas.

1) A afirmação de que os movimentos de tropas russas na Crimeia estavam a decorrer de acordo com o que está autorizado que podem fazer, é relativo aos movimentos de veículos pertencentes à Frota do Mar Negro. (E, não a quaisquer outros...)

2) O desmentido do envolvimento de forças russas na tomada de um aeroporto, refere, uma vez mais, que não foram unidades da Frota do Mar Negro. (Falando apenas destas...)

3) E, a afirmação de que se tratam de "forças de autodefesa da Crimeia" é da parte da RT - e, não do governo russo.

(O que me leva a concluir que - pelo menos, eu e talvez também a RT - poderemos ter sido induzidos em erro pelas declarações do governo russo...)

(Se bem que, no caso da RT - tal como eu já a vi fazer, noutras situações, sobre questões ocidentais - o procedimento correcto, da parte de um órgão de comunicação social, é, a não ser que tenha provas em contrário - e ainda mesmo que saiba, até, que o contrário é que é verdade - ter de relatar as coisas como elas oficialmente são.)

mikaelrc ribeirocardoso disse...

"Atacar quarteis" tem certeza que essas são as palavras certas a usar, você parece ser incapaz deusar as palavras certas, a russia nao atacou quartel algum todos do exército ucraniano se renderam em paz, não foi preciso usar forca, seja honesto uma vez na vida e admita estar errado, pois também erramos e eu também erra mas eu tenho a honra de admitir para não passar por ipocrita que semprese acha com a razão, vamos ver se desta vez passa o comentario parece não existir democracia aqui coisa que nao falta em midias pro russia como rt tanto em espanhol, português ou inglês, espero realmente que possa postar meu comentário.

João Pedro disse...

A justificação? a mesma de sempre, à "sudetas". Como há uma população russófona, há que acorrer lá para a proteger, mesmo que se passe por cima de tratados assinados. Mas não sei se a Rússia ficará como o tolo no meio da ponte, agora que a bolsa de Moscovo começou a cair vertiginosamente. Ou seja, pode ficar tudo imóvel, numa expectativa da nada.

Fernando Negro disse...

Corrigindo as observações que fiz ao meu 3º ponto sobre o que dizia a fonte em que me baseava, para acreditar que se tratam de forças autóctones...

A RT não está, de modo algum (consciente ou inconscientemente) a faltar à verdade... Pois, é mesmo essa a informação que tem, vinda das próprias forças.

Nesta notícia, para a qual é deixada uma hiperligação, na notícia de que eu falava, é dito:

"As pessoas a patrulhar o território do aeroporto não se importaram de ser filmadas. Apesar de apenas algumas poucas terem falado com os jornalistas. A AP conseguiu entrevistar uma pessoa, que disse que era um membro da União Popular da Crimeia.

"'Não ao radicalismo e ao fascismo na Crimeia', disse o homem que apenas deu o seu primeiro nome, Vladimir. 'É esta a nossa máxima. E não queremos que radicais, quer de outras regiões da Ucrânia quer de outros países, venham para a Crimeia'."


Por isso, são as próprias forças de autodefesa que dizem que são autóctones.

(Isso, ou então estão a usar um discurso que induz qualquer pessoa normal em erro...)


Que coisa... Fico sem saber o que pensar...

Anónimo disse...

Um ex presidente, deposto legitimamente pelo Parlamento, pede à Rússia que vá pôr ordem no país onde já não manda.
Interessante perspectiva: o Putin vai ocupar o território todo.
Pergunta: onde estão as Forças Armadas da Ucrânia? Chegou a hora da caça ao urso!

Europeísta disse...

Eu quero ver de onde sairá dinheiro para todas essas aventuras do Kremlin. Pq a Rússia pode ser uma potência militar, mas nao é uma economica. Tudo isso sairá muito caro. Isso já aconteceu no passado e o resultado todos nós conhecemos. A Rússia terá que aumentar os gastos militares, sustentar a parte da Ucrânia que ela vai invadir, financiar o novo "país"... tudo isso com sançoes economicas do Ocidente. Aí sim, o regime vai cair! Esse será o lado bom!

Anónimo disse...

Em relação a colocação de tropas sem insígnias no até aqui território Ucraniano, então cá vai uma boa!

Se o poder revolucionário que assaltou Kiev pode meter mercenários da Blackwater no pais porque é que os Russos não podem lá meter soldados?

Há pois é!

A Blackwater também não usa insígnias, são um exercito de mercenários ao serviço dos interesses americanos.

Corre a informação que já há mercenários da Blackwater a actuar na Ucrânia, em Donetsk, zona Russófona onde a bandeira Russa já está hasteada no edifício da administração regional, surgiram estes 2 vídeos onde é possível ver os supostos operacionais da Blackwater a proteger o novo governador recentemente nomeado pelo poder em Kiev.

Aos 0:54 é perfeitamente audível “Blackwater”.

http://www.youtube.com/watch?v=1S7pfp82TFA

http://www.youtube.com/watch?v=s2uVyaKTQoU

Pelos vistos a incorporação de voluntários pelo "governo" têm-se traduzido num fiasco, e no leste são obrigados a recorrer a mercenários, porque pelos vistos nem a policia lhes obedece.

Muito menos as Forças Armadas.

Pelos visto já são cerca de 300 mercenários ocidentais na Ucrânia, colocados no leste e sul para intimidar as manifestações pró-russas.

http://blog.fontanka.ru/posts/153085/

A Ucrânia não é o Iraque, a Rússia não vai permitir isto, nem que para isso tenha que invadir de vez a Ucrânia.

João Pedro disse...

O facto da Rússia reconhecer Yanukovitch como "presidente legítimo" diz tudo: primeiro, instou-o a mudar de ideias quando ia assinar um acordo com a UE, de forma unilateral e traindo as expectativas do seu país; depois, perante a sua fuga, acolhe-o em Rostov. Sim, Yanukovtich perdeu a sua legitimidade depois da repressão violenta em Kiev, recorrendo a snipers e mercenários para o efeito. A história de que "A UE e os EUa usaram nazis (duzentas mil pessoas seriam nazis?) para derrubar um governo legítimo" é comovente, mas como se prova, as primeiras interferências foram mesmo da Rússia.

João Pedro disse...

O facto da Rússia reconhecer Yanukovitch como "presidente legítimo" diz tudo: primeiro, instou-o a mudar de ideias quando ia assinar um acordo com a UE, de forma unilateral e traindo as expectativas do seu país; depois, perante a sua fuga, acolhe-o em Rostov. Sim, Yanukovtich perdeu a sua legitimidade depois da repressão violenta em Kiev, recorrendo a snipers e mercenários para o efeito. A história de que "A UE e os EUa usaram nazis (duzentas mil pessoas seriam nazis?) para derrubar um governo legítimo" é comovente, mas como se prova, as primeiras interferências foram mesmo da Rússia.

Fernando Negro disse...

mikaelrc ribeirocardoso,

Também já me aconteceu ter comentários meus aqui que não apareceram ou que, estranhamente, demoraram muito tempo a aparecer. Mas, tal como me confirmou o autor deste blogue, tal não aconteceu por culpa dele...

A Blogger e restantes serviços da Google têm por hábito apagar comentários de que não gostam ou que, por qualquer outra razão, decidem que não querem ver publicados. (E, eu sei bem do que falo. Pois, isto é algo que me tem acontecido repetidamente: http://blackfernando.blogspot.pt/2013/03/como-o-youtube-censura-os-meus.html)

E, sendo os seus comentários uns que criticam o autor deste blogue, quem os apaga poderá ser alguém que queira criar um conflito entre duas pessoas que não estão alinhadas com os interesses ocidentais que controlam a Google e afins.

No meu caso pessoal, do que me lembro que já me aconteceu neste blogue, pelo menos num dos casos, após ter eu dito que não estava a aparecer um comentário meu, assim que o denunciei ao autor deste blogue, como que por magia, este apareceu para ser aprovado - fazendo também, posteriormente, com que o que eu disse depois a tal autor, de ser repetidamente censurado pela Blogger, parecer vir da parte de alguém que estava a ser paranóico. E, o facto é que, desde que eu disse, em correspondência privada, que iria começar a guardar provas de envio dos meus comentários, para apresentá-las, caso tal censura voltasse a ocorrer, tal não voltou mais a acontecer.

Recomendo que você faça como eu e que comece a guardar provas dos comentários que envie, para apresentá-las como prova da censura da Blogger, caso isso volte a acontecer. (Tire "fotografias de ecrã" do seu ambiente de trabalho, quando enviar os seus comentários...)

Anónimo disse...

Os fantoches colocados em Kiev através de um golpe de estado militar financiado pelos EUA como assumido pela senhora Victoria “Fuck the UE” Nuland, e orquestrado por McCain e pelas ONG do senhor Soros e Companhia, andam muito preocupados com a “integridade territorial da Ucrânia”, pudera!

Mas já vão tarde e a proibição da língua e televisões Russas foi a sentença de morte definitiva do pais.

Manifestantes pró-russos tomaram os edifícios dos governos regionais na 2ª, 3ª e 4ª maiores cidades da Ucrânia, onde depuseram as bandeiras Ucranianas e hastearam bandeiras Russas.

Russos tomam edifício governo Kharkov
http://www.youtube.com/watch?v=zbD9xKqmg04

Russos tomam edifício governo em Donetsk
http://www.youtube.com/watch?v=XgcrxZv2kQ4

Russos tomam edifico governo em Odessa
http://www.youtube.com/watch?v=s8KsaplG75s

Amor com amor se paga!

José Corvo disse...

Milhazes
Alguém perguntou quem eram os homens armados que andavam em Kiev?
E agora perguntam quem são os homens armados que andam na Crimeia, porquê?
Isso é fanatismo anti-russo.
A Rússia é um país como qualquer outro mas porque não perguntam ao Rei de Espanha o que fazem homens armados em Ceuta? Ou porque não perguntam à Rainha o que fazem homens armados nas Malvinas, ou ao Obama o que fazem homens armados no Iraque?
Acho os Russos com as mesmas virtudes e defeitos que os outros países só que no caso russo a coisa fia mais fino porque eles continuam a representar, bem ou mal, uma referência em direcção ao fim da exploração do homem pelo homem tal como qualquer social democracia avançada e não vale a pena rir porque o capitalismo russo, tal como o chinês, é um capitalismo "controlado" onde volta na volta os empresários são julgados ou por enriquecerem de forma imoral ou porque não respeitam a regra do jogo e isso é que irrita a selvajaria do capitalismo americano mas que a mim me dá muito gozo.

Anónimo disse...

Quem já anda aflito é o Paulo Portas que diz que não tem nada a ver com o assunto e que a Rússia representa 3% do destino da exportações portuguesas...

mikaelrc ribeirocardoso disse...

Europeista pare de ficar falando abobrinhas e espere para ver, você pode estar redondamente enganado como o seu nome

J.L. Véritas disse...

Tenhamos presente que a Rússia não tem intenção de invadir a Ucrânia. Nunca teve. Mas o "bluff" teve efeito, e já vemos os deputados da Rada de Kiev a querer reunir com os deputados da Rada de Simferopol para decidir o aumento dos poderes autonómicos da Crimeia. E o russo volta a ser equacionado enquanto língua oficial no leste da Ucrânia. E tudo bem, pois era pela inclusão de todos os ucranianos que a «revolução» deveria ter começado, não pela exclusão dos russófonos. Seja como for, tudo isto vem já tarde. Os dados estão lançados, e a Rússia irá apoiar a transformação da Crimeia num estado (com as suas próprias forças armadas, como defende o primeiro ministro da Crimeia). Onde fica a ligação à Ucrânia? Ninguém sabe. Numa vaga confederação, onde a Crimeia será um estado associado, eventualmente com assento nas Nações Unidas. E tudo isso só será possível se a Ucrânia concordar em ampliar a autonomia das regiões russófonas e garantir a não adesão à NATO. Caso contrário veremos a Crimeia como um Estado independente, um eterno factor de desestabilização para os "oblasts" (Odessa, Mykolaiev e Kherson já mostraram vontade de aderir a uma eventual "Federação da Crimeia", que reuniria esses Estados com a Crimeia e Sevastopol). Cá estaremos para ver. Mas uma coisa é certa: o golpe de Putin, antecipando o de Obama, foi de mestre, de um grande estratega. A Ucrânia jamais será membro da NATO.

Anónimo disse...

"A história de que "A UE e os EUa usaram nazis (duzentas mil pessoas seriam nazis?) para derrubar um governo legítimo" é comovente, mas como se prova, as primeiras interferências foram mesmo da Rússia."

Caro João Pedro, tire lá os óculos, o golpe de estado foi feito por não mais que 10 mil arruaceiros paramilitares de ideologia nazi armados e financiados por Washington e pelos lacaios Europeus.

Essa é que é a verdade.

O que me choca é que nós europeus andemos a reboque dos interesses americanos criando um conflito gravíssimo no centro da europa.

A Rússia tem mais que razão.

Se os Russo financiassem um golpe de estado no Canadá e pusessem lá um governo anti-americano e lá instalassem uma série de bases e um escudo anti-missil os americanos considerariam inaceitável, não aceitariam de modo algum.

É mais o menos o que se está passar na Ucrânia, com estes lacaios a querem meter lá a Nato.

A Rússia nunca o vai aceitar e Putin está coberto de razão.

Força Putin.

Os efeitos desta crise deviam fazer ricochete na europa e ditar o fim da União Europeia, esse proto-estado totalitário e já muito parecido com a URSS.

Cascos de rolha disse...

mas como uma amiga judia da prússia oriental disse: a alma russa é imensa e adversa a estranhezas.....

Cascos de rolha disse...

mas como uma amiga judia da prússia oriental disse: a alma russa é imensa e adversa a estranhezas.....

Cascos de rolha disse...

mas como uma amiga judia da prússia oriental disse: a alma russa é imensa e adversa a estranhezas.....

Cascos de rolha disse...

mas como uma amiga judia da prússia oriental disse: a alma russa é imensa e adversa a estranhezas.....

g_afim disse...

José Corvo:
Você diz tanto disparate que até impressiona. "uma referência em direcção ao fim da exploração do homem pelo homem"? "o capitalismo russo, tal como o chinês, é um capitalismo "controlado""??? Como é que é? Explique-me porque na Rússia, com tanta riqueza, muita da população vive em condições degradantes. Não é segredo para ninguém que, na China, as grandes fortunas são construídas à custas do trabalho quase escravo dos trabalhadores chineses (e dizem-se eles comunistas). Não vale a pena estarem a hostilizar-se uns aos outros mas a verdade é só uma nos 3 países(EUA, Rússia e China): a riqueza é gerada mas só algumas oligarquias de cada país, ou seja, os 3 são farinha do mesmo saco. Eu sei que os EUA não são flor que se cheire mas acusa-los de todos os males do mundo é um bocado demais.
Para o pessoal que gosta tanto da RT:
Dá para perceber que a "Russia Today" está para a Rússia como a Fox News estás para os EUA.(Para bom entendedor meia palavra basta).
Agora fica um aparte:
- Há assim tantos nacionalistas e fascistas na Ucrânia? Porque, pelo que dizem, o que sucedeu em Kiev foi por causa deles. É que se for assim, temos 3 etnias na Ucrânia: russos, tártaros e fascistas/nacionalistas.
- Tudo isto começou com a Ucrânia ter voltado atrás com o acordo com a UE, por causa das ameaças de represálias por parte da Rússia (muita gente se esqueceu dessa parte mas eu não). Tendo isto tudo, não era melhor anexar de vez a Ucrânia à Rússia, visto que a primeira não pode dizer um "ai" sem o aval da segunda? Para quem diz que os "outros" andam a meter-se em assuntos internos de vários países, isto é um pouco estranho.
- Putin diz que usará a força para defender os russos (sabe-se muito bem o que ele quer realmente defender), aí tudo bem, mas sei que nos países que formaram a extinta Jugoslávia os russos também são hostilizados. Ele aí não faz nada porquê?
- Falando em Jugoslávia, sei que há pessoal a acusar a EU e os EUA de tornarem a Ucrânia numa. Isso é um bocado contraditório, não acham? Basta pensar quem é que anda com referendos separatistas.

Tem que haver eleições o rápido possível, até o próprio Putin acha que o Ianukovitch não tem condições para continuar. Fazem como nas Honduras: o presidente queria mexer nas Constituição, o exercito correu com ele e fizeram-se eleições num instante. Este governo provisório não tem legitimidade para tomar certas medidas como aprovar empréstimos.

Noé Rocha disse...

g_afim:
diga lá em que categoria coloca estes "bravos defensores da liberdade ucraniana - pro-europeus"

http://www.youtube.com/watch?v=04s3ijCHiuo

http://www.youtube.com/watch?v=uOdnE_5-hUA

g_afim disse...

Noé Rocha:
Eu colocaria na categoria de "bestas quadradas" mas eu colocaria-o a si na categoria de "preconceituoso", porque não é só deste tipo de gente que é feito o grupo de pessoas que clama por mudanças na Ucrânia.

PS: Eu já tinha visto isto na RT. Nada de novo.

Anónimo disse...

Halguem recorda a Historia de "COSOVO" Albaneses durante anos Invadieron,as fronteras de Yugoslabia;formando Fazendas y pequenos Povoados,se sentindo donos do pedazo;quiseron se Independizar de Yugoslabia ;esta reagiu contra os usurpadores;hai entra a OTAN arrazando completamente a Yugoslabia dona do território usurpado por Albaneses;OTAN deu de Presente um Território aos Albaneses KOSOVO usurpado a Yugoslabia;a custas de fortes Bombardeios i miles de Victimas entre a Povoação de Yugoslabia;Naçao nenhuma ni a "ONU" se manifestou contra este crimen de violência tao criminosamente Perpetrado

Anónimo disse...

Si Albaneses Invadieron Yugoslabia;y OTAN ayudo estes Invasores y ainda deu de Presente um pequeno território de Yugoslabia;hos miles de Mexicanos;que invaden USA podrian reivindicar os mesmos direitos que os Albaneses contra USA { Só quem não tem vergonha na cara aguenta tanta Idiotize;OTAN