quinta-feira, abril 17, 2014

Resultados da reunião de Genebra são um “pequeno postigo” para a saída da crise da Ucrânia



Era difícil acreditar que no primeiro dia de reunião representantes da Rússia, Ucrânia, UE e Estados Unidos chegassem a uma plataforma de entendimento, mas tal aconteceu, embora se trate de uma plataforma muito pouco sólida.
Adoptámos um documento, a declaração de Genebra de 17 de abril, em que acordamos sobre dar imediatamente os primeiros passos para uma redução da tensão", disse Lavrov, em conferência de imprensa, após uma maratona de meio dia de conversações em Genebra.
O acordo obtido com o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, o ministro dos Negócios Estrangeiros ucraniano, Andrii Dechtchitsa, e a alta representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança, Catherine Ashton, inclui o desarmamento de "grupos armados ilegais" em todas as regiões da Ucrânia e a evacuação dos edifícios ocupados, precisou.
"Todos os grupos armados ilegais devem ser desarmados, todos os edifícios ilegalmente ocupados devem ser devolvidos aos seus legítimos proprietários, todas as ruas, praças e outros locais públicos das cidades ucranianas devem ser libertados", lê-se no documento.
Segundo alguns observadores, o MNE russo não forneceu mais pormenores, mas a declaração deverá referir-se aos separatistas pró-Kremlin que causaram grandes danos no leste da Ucrânia nos últimos dias, ocupando edifícios estatais em diversas cidades, o que desestabilizou acentuadamente o país.
Porém, esta interpretação não corresponde claramente ao que Lavrov afirmou na conferência de imprensa após o encontro. O chefe da diplomacia russa frisou claramente que as medidas para desarmar e libertar todos os edifícios dizem respeito a todas as regiões da Ucrânia e a todas as questões problemáticas sem exceção.
É impossível resolver o problema dos edifícios ilegalmente ocupados numa região da Ucrânia, quando não se libertarem edifícios ilegalmente ocupados noutra”, frisou o ministro russo.
O documento adoptado prevê igualmente uma amnistia para aqueles que respeitarem as disposições do acordo, com exceção "daqueles que são culpados de crimes capitais", acrescentou o chefe da diplomacia russa.
Os assinantes do documento dão grande importância ao papel mediador da OSCE, mas sublinham que os problemas deverão ser resolvidos “pelos próprios ucranianos”.
Por isso, trata-se de uma prova muito séria para o governo de Kiev que, além de ter de dialogar com os separatistas e russófonos do Leste e Sul da Ucrânia, terão de desarmar os destacamentos armados criados por organizações como o Sector de Direita ou outros organizados por estruturas próximas do actual poder para travar a onda autonomista e separatista nessas regiões.
O mais preocupante é que o governo de Kiev, até agora, tem dado provas de uma enorme incompetência. Além disso, as forças pró-UE estão cada vez mais divididas à medida que a data das eleições presidenciais: 25 de Maio, se aproximam.
(Não acredito que nessa data se realizem eleições e estas só deverão decorrer depois de realizado o referendo sobre a futura estrutura administrativa no país. Um sinal positivo foi dado por Serguei Lavrov ao não insistir exclusivamente na federalização, tal como tinha feito até agora: “Não empregámos nenhuns termos, ele podem ser os mais diversos. Pode ser federação, onde os direitos das regiões sejam alargados, um Estado unitário apenas no nome com amplos direitos das regiões”).
O diálogo inter-ucraniano irá ser fundamental, mas não há dúvidas que só terá êxito se for acompanhado e apoiado pela Rússia, por um lado, e pelos EUA e UE por outro. A OSCE tem uma oportunidade de mostrar aqui o que vale enquanto estrutura pan-europeia e de equilíbrio.
A Crimeia ficou de fora das conversações, pois parece um caso já encerrado, mas falou-se da possibilidade hipotética da Rússia estar a ingerir-se militarmente no Leste e Sul da Ucrânia. Lavrov jurou que nessas regiões não há militares ou agentes russos, mas, antes, ele e todos os dirigentes russos negaram a existência de “homenzinhos verdes”.
O Presidente Putin reconheceu hoje que afinal na Crimeia os “homenzinhos verdes” eram soldados russos que foram para aí enviados para garantir a segurança dos cidadãos durante o referendo.
Além disso, o Presidente russo reafirmou o seu direito de usar a força no Leste da Ucrânia.
Relembro que o Conselho da Federação Russa [câmara alta do Parlamento] concedeu ao Presidente o direito de usar as Forças Armadas na Ucrânia. Espero verdadeiramente não ser obrigado a recorrer a este direito e que consigamos resolver todos os assuntos urgentes por meios diplomáticos e políticos”, disse Putin num programa em directo na televisão em que respondeu a perguntas do público previamente seleccionadas.
Quanto aos EUA e à UE, estes devem apoiar o governo de Kiev a normalizar a situação no país não só com palavras, mas com ajuda económica concreta. Além disso, terão também um papel importante como garantes do documento assinado em Genebra.

A situação na Ucrânia continua a ser muito instável e perigosa, Genebra não abriu uma porta para a estabilização na Ucrânia, mas rasgou um “pequeno postigo”, que tem de ser aproveitado como única forma de não deixar resvalar o país para a guerra civil e desintegração. O importante, agora, é continuar o diálogo.

42 comentários:

Nuno Rolo disse...

Boa noite,
Espero que este acordo leve a paz na Ucrânia e ao povo ucraniano como também trazer a normalidade ente o Ocidente (UA/UE) e o Leste (Russia).

chukcha disse...

Mais uma vez se vê que Putin e Lavrov sabem mais disto a dormir que os bastardos do Kissinger acordados.
Assim:

1. Libertam-se espaços ocupados. (Leia-se sentença de morte a Maidan, kaput, acabou?!)

2. Discussão autonomia Regiões COM PARTICIPAÇÃO DAS POPULAÇÕES (lei-se rev. costitucional e respito pelas populações/opinião do este)

3. Sanções? se o plano correr bem acabaram, e vamos todos poder abrir uma conta no Banco Rossija!

E finalmente - Onde é que fica a Crimeia? Que é isso? Está no documento? Alguém se lemebrou?

E outra - O Ónus, apesar do que nos vender a imprensa ocidental fica com o Yats/Turchinov. Vai ter de se haver com os fascistas do pravy sector - desarmar e acabar com ocupações.

E para isso, eu, se fosse o Yats, não saía do manicómio...

PortugueseMan disse...

Não se falou em assistência financeira?

Então estamos mal.

É primordial que se comece a falar de como se vai ajudar e se não se falou disso, temos um problema, não conseguiram ainda arranjar uma saída airosa para a divisão da Ucrânia.

José Milhazes disse...

PM, Pippo e companhia, então os homens verdinhos eram mesmo soldados russos ou Putin mentiu?

chukcha disse...

"PM, Pippo e companhia, então os homens verdinhos eram mesmo soldados russos ou Putin mentiu?"

Caro Milhazes, tem alguma afirmação de Putin, mesmo na conversa com os SMI/CS (a anterior, em Março)em que Putin diga algo desse genero, para o chamar de mentiroso?

O Lavrov hoje foi claro: "Putin não podia ter dito isso (que não havia soldados russos na Crimeia), porque havia 16000 soldados Russos na Crimeia"

Mas isto é a sério (se Putin o disse não me lembro), apesar de ter havido alguns idotas úteis (a própria Russia Today) que deram e entender que não o eram... mas como os camones (os mesmo verdes) nao falavam... é complexo e arriscado avançar com essa tese :)

chukcha disse...

P.S. O caro Milhazes ainda não disse o que acha da campanha dos 10 000$/moskal do ,maidaneiro anti-oligarca Kolomiski!!!!! Vai abrir conta no Privat? É que eu, já tirei e lá a pasta, mas agora vou mesmo fechar a minha :))

Até porque a campnha é boa! Acredito que no Leste da Ucrânia, haja muita gente com medo de passar em frente ao PrivatBank, não vá alguém emppurra-los lá para dentro e troca de $10000!

Se, no geral, Maidan e sua elite, não fosse consttuida pela maior concentração de atrasados mentais e canalhas da Ucrânia, até não seria um movimento contestável. Só falta lá o Judeu-mafioso Kernes (de Kharkov), mas não chegou a tempo a sua jura de Lealdade! :)

chukcha disse...

"Não se falou em assistência financeira?
Então estamos mal."

Caro PM, você até parece pensar que isto foi uma coisa séria para resolver o problema da Ucrânia e não uma confrontação diplomática a substanciar um braço de ferro geopolitico!

Se você esperava uma acordo em que a se federalizava a Ucrânia e a russia assumia meter 10 bi/€ por ano nas regiões do Donabass kharkov e odessa e a UE 5 bi nas restantes, e que as empresas estatais seriam "regionalizadas", acho que pode esquecer essa.

Até seria a única solução para a Ucrânia não caír 2 séculos no desenvolvimento, mas a realpolitik (aquele que comapara quem é que mija mais longe) não deixa, e você sabe disso...

Pippo disse...

Eram soldados que estavam lá (parte da guarnição de Sevastopol) ou que vieram da Rússia de forma ilegal? Se foram enviados para lá, foram quando? O Putin especificou?

Já agora... se não houvesse " homens verdinhos" na Crimeia, como é que acha que o caso terminaria? Tudo como dantes ou com os russos a visitar a base da NATO em Sevastopol, como o Putin vaticinou no seu discurso de há dias?

Pippo disse...

PS - quando pergunto se esses "homens verdinhos" entraram ilegalmente, refiro-me se entraram sem o aval do governo ucraniano, leia-se, o governo LEGÍTIMO da Ucrânia.

Pippo disse...

Quanto ao acordo alcançado, tenho dúvidas quanto à forma como irá ser implementado.

"desarmar as milícias", o que é que isto quer dizer? Por exemplo, actualmente poderemos considerar o exército e as forças especiais da polícia (as que foram usadas contra a população) como forças legítimas ou ilegítimas? Estão ao serviço de um governo que não foi sufragado mas sim imposto pela força, por isso a sua actual legitimidade pode ser contestada, e certamente será contestada por boa parte da população.

E que confiança poderão ter os ucranianos neste acordo se um anterior acordo, assinado sob a égide da UE entre o presidente da Ucrânia e os rebeldes, não foi respeitado por estes? Que garantias poderão ser dadas?

E quanto aos membros das polícias locais que optaram por Kiev em lugar de optarem pela população das suas terras (caso de Horlivka, por exemplo), deverão ser readmitidos nas suas esquadras?

E QUEM é que irá reocupar os edifícios públicos? Funcionários designados pelas regiões ou funcionários designados por Kiev?

E na Maidan, como é que será? Como é que o "governo" irá mandar desocupar a praça e os edifícios? Usará da força se necessário?

E a "Guarda Nacional", será desarmada? E se se recusar a fazê-lo?

E o que se fará aos oligarcas (os tais contra os quais se fez a "revolução") que prometeram dinheiro pelas cabeças dos "mercenários" ucranianos? Perdão ou procedimento criminal? E se for este último caso, quem é que os julgará?

E se nada disto for feito, como é que será? Irá o governo de Kiev impor a parte que lhe interessa deste acordo à força? Ou será a "Comunidade Internacional" a fazê-lo? Ou será que... iremos ter forças de manutenção da paz na Ucrânia, por exemplo, com tropas russas a manter a paz no Leste? :0)

Pois é, rasgou-se o véu, mas ainda há muitas questões por se resolver. Esperemos que o sejam a contento de todos, para evitarmos os "joguinhos de vídeo" tão do agrado de alguns aqui.

E por fim, como diria o PM... quem é que pagará as contas???

MSantos disse...

Mesmo assim com toda a pressão que lhe foi exercida, como disse um comentador, colocada entre ter de escolher pela humilhação ou pela aventura militar, a diplomacia russa volta a marcar pontos e a ser o maior pólo de sensatez e rasonabilidade no meio de tanta paranoia, tanto fanatismo ideológico e tanta exportação de "democracia e liberdade."

Cumpts
Manuel Santos

Anónimo disse...

Ora aí está uma crónica bem pensada e bem escrita com uma boa interpretação do que se passou na reunião de Genebra,José Milhazes.Agora,realmente,abriu-se "um pequeno postigo" para a tentativa de resolução do problema ucraniano que,julgo,vai ser muito complicado e difícil,até porque os russos decisivamente não querem mais aproximações da NATO ao seu território e a Ucrânia é de facto a linha vermelha que não pode ser passada nem sequer pisada.A bola está também do lado dos americanos que devem tomar juizo com as suas infiltrações através da CIA nos assuntos dos países limítrofes dos territórios da Federação Russa.
Sabe,José Milhazes,tenho um sentimento muito forte,de que um mundo multipolar defenderá sempre melhor a humanidade e poderá evitar um hipotético grave conflito mundial.Quando houver um desiquilíbrio de forças o perigo poderá aumentar.Viu-se isso com nitidez com a queda da ex-URSS.Estarei sempre do lado dos aparentemente mais fracos e por isso digo sempre "FORÇA CHINA","FORÇA RÚSSIA".Coitada da Europa no meio de tudo isto, que por força de ter perdido a 2ª guerra mundial perdeu todo o poder que poderia ter.E ainda bem por um lado,pois não gostaria que a Europa fosse comandada por um louco nazi.Agora não tenhamos dúvidas,a Europa,que não deixa de ser ainda um produto da barbárie, está perdida no meio de tudo isto.E o pior é que não se sabe verdadeiramente unir, e assistimos novamente a uma tentativa da Alemanha dominar a Europa não através dos tanques,que não os tem,mas através como sabemos do seu poder financeiro e económico.E por detrás de tudo o grande poder da alta finança americana defendida pelo seu desmedido poder militar e não só.Desgraçada Europa na enorme dependência desta grande potência.E eu,e nós,somos necessariamente europeus e disso não nos podemos esquecer nunca.

chukcha disse...

Só mais uma situação a demonstrar a democracia Maidaneira, em dia de diplomacia:

https://www.youtube.com/watch?v=gZyRqsEOYtQ

-È o Pravy Sector, certo?
-Sim.
-O que querem do Tsarev?
- Julga-lo.
-Porquê?
- As suas atitudas não são boas....
- Por exemplo, pode concretizar?
- Agora não sei...humm deve perguntar isso a outro...
- Mas qual devia ser o seu castigo?
- Bom... por mim era a morte... mas se não... julga-lo!

Ai ucrânia, onde tu te foste meter, rapariga...

Anónimo disse...

"Eram soldados que estavam lá (parte da guarnição de Sevastopol) ou que vieram da Rússia de forma ilegal? Se foram enviados para lá, foram quando? O Putin especificou?

Já agora... se não houvesse " homens verdinhos" na Crimeia, como é que acha que o caso terminaria? Tudo como dantes ou com os russos a visitar a base da NATO em Sevastopol, como o Putin vaticinou no seu discurso de há dias?"

é mesmo desonesto o cock sucker

continue a desmascarar essas meretrizes servas de asiáticos, parabéns sr.Milhazes

PortugueseMan disse...

PM, Pippo e companhia, então os homens verdinhos eram mesmo soldados russos ou Putin mentiu?

Bem, relativamente aos "homens verdinhos" como você lhes chama, prefiro a designação que anda por todo o lado. Os "Polite people".

O "The Telegraph" usa também essa referência, para falar da impressionante demostração militar russa.

Ukraine crisis: 'Polite people' leading the silent invasion of the Crimea

...The seven, who wore no insignia and travelled in a truck with no number plate, are part of a silent Russian invasion force that has swiftly, calmly and without any commotion at all taken a firm grip on the Crimean peninsula...

...They keep themselves to themselves, carry no clips in their assault rifles, and for the most part they have made no effort to interfere with civilian life...


http://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/europe/ukraine/10670547/Ukraine-crisis-Polite-people-leading-the-silent-invasion-of-the-Crimea.html

Para mim os "polite people" são militares russos. Penso que não deve haver grandes dúvidas para ninguém.

Agora o que você quer, mostrar que Putin mentiu, é que me parece mais difícil.

Putin alguma vez disse explicitamente que os homens de verde, sem insígnias, sem nenhum tipo de identificação visível, eram russos? Penso que não.

Eu não sei, como é que você vai tirar esse coelho da cartola.

São russos? são.

Mas eles disseram que o eram? identificaram-se? não.

Alguém oficialmente, disse que enviou militares sem identificação para um outro país? Que eu saiba não.

PortugueseMan disse...

Caro chukcha,

Esperava um pouco mais, o que quer dizer que os EUA e UE, ainda não sabem como é que vão resolver a situação. Vão ter que a resolver em breve, pois a Rússia está a fazer para isso. ou seja, o corte do fornecimento de gás à Ucrânia.

Estamos mal, porque o tempo está a contar. E nitidamente, a Rússia está a forçar a situação, ou seja, os EUA e UE vão ter que pensar BEM, como querem decidir as eleições/referendos. Se querem fazer à maneira deles, é só passar o cheque e a Rússia perde os trunfos que tem.

Só que o problema começa aqui... EUA e UE a DAR dinheiro, nas quantidades massivas que a Ucrânia requer? por anos e anos?

Não é possível.

Portanto é melhor pensar como querem partilhar o fardo ucraniano. A Rússia pode CONTINUAR a ajudar financeiramente, mas isso tem um preço. E não é a Crimeia. Isso é território russo.

José Milhazes disse...

Caro PM e Comp., deixem-se de demagogia barata. Não defendam o indefensável. Putin mentiu com todos os dentes e várias vezes.

Noé Rocha disse...

Caro JM, voce tem uma atitude muito interessante: amarra-se a algo com unhas e dentes como se a a vida disso dependesse, e toda a argumentação deriva dali. Neste conflito o que nao falta sao partes mal intencionadas, desrespeito pelos valores humanos, agendas escondidas...e o JM "mentiu, mentiu, mentiu, mentiu, mentiu..."

Anónimo disse...

Não se esqueçam disto "mentem todos",mente Putin e Lavrov tal e qual mente Obama e Kerry,e sabem todos que mentem.O problema entre eles não está aí porque entre eles sabem isso perfeitamente.O problema está no facto de que mentem todos para o público,para nós,porque a generalidade das pessoas acredita no que eles dizem.Eles,todos,sabem disso.Portanto,não percamos tempo com isso.Temos que conviver com essa circunstância e apenas perceber quando estão a mentir.Mais nada.Andarmos a dizer entre nós que este ou aquele está a mentir é um exercício tolo.Desculpem lá,mas esta é que é a VERDADE.

chukcha disse...

Caro PM,

"os EUA e UE, ainda não sabem como é que vão resolver a situação"

òbviamente que não sei o que vai na cabeça daquela gente, mas acho que isso é óbvio.

Provavelmente esperavam um revolução laranja v.2.0, mudavam o regime, ignoravam os protestos da Rússia, avançavam com $15bi do Fmi, mais uns trocos e açambarcavam as empresas lucrativas da Ucrânia, de modo a poderem enviar satélites para o espaço sem ajuda da Rússia...

Só que nesse processo de ignorar a Rússia, e apoiando os extremistas como tropa de choque, dividiram o país, subvalorizando:
1. A reacção dos russofonos
2. A reacção da Rússia

Posteriormente não saíram a tempo e enredaram-se nas antagonias da "revoluçao" que inviabilizam qualquer solução política não exclusiva.

Quanto à pasta,não sei... A curto prazo acho que se o FMI entrar com algum, os aumentos de preço de serviços e a desvalorização da Hrivna (inflação 50%sem aumento salários), dão para o budget estatal aguentar uns meses... e sinceramente, acho que desde que o plano se começou a desmoronar ninguém no Ocidente tem pensamento de longo prazo... mas como tem de haver uma solução política entretanto, nem precisam de pensar. Vão continuar com a narrativa:
"Os russos estão a destabilizar a Ucrânia" ate vêr..

MSantos disse...

Ainda bem que Putin é o único mentiroso de todo este processo.

Cumpts
Manuel Santos
Pertencente ao grupo Pippo, PM e companhia

chukcha disse...

"Caro PM e Comp., deixem-se de demagogia barata. Não defendam o indefensável. Putin mentiu com todos os dentes e várias vezes."

Caro milhazes,
Se foi várias vezes (e admito que sim, mas não me recordo) não será dificil indicar um link para substanciar a acusação.

Se não arranjar do Putin, pode ser mesmo do Lavrov ou do Churkin...
Desde já agradeço.

Pippo disse...

Já que pelos vistos não há aqui moderação de comentários, sinto-me à vontade para responder ao anónimo das 02:23 (e o JM para, obviamente, publicar o meu comentário):

Meu caro, vá chamar de brochista à sua mãe e ao seu pai (se o conhecer), pois obviamente é essa a profissão que eles exercem.

Quanto ao teor imbecil e vazio dos seus comentários, faria melhor se argumentasse com factos, e não com insultos merdosos.

Com os melhores cumprimentos, etc.

Pippo disse...

Tem razão, JM, o Putin mentiu imenso. Montes de vezes. Aliás, ele mente o tempo todo.
E agora, vai fazer o quê?

Vamos forçar a Rússia a entregar a Crimeia à Ucrânia, contra a vontade da maioria da população?

Ou será que vamos forçar a Rússia a ceder geoestratégicamente em toda a linha, para ficar cercada "como se deseja"?

Porque é disto e só disto que se trata.

Havia tropas russas na península, elas saíram dos quartéis (e isso já o havíamos comentado) e tomaram as posições estratégicas. Morreram três pessoas: duas (militares) mortas por um sniper ucraniano; e um civil, que morreu de ataque cardíaco.
Se isto foi uma ocupação selvagem, então devo estar num sonho.

E quanto à "ilegalidade" da operação... porque não? Após a "revolução" desapareceu toda e qualquer legalidade.

Se os acordos são rasgados por todos os outros, deveria a Rússia ser a única otária para os respeitar? O JM sabe muitíssimo bem o que é que tem acontecido nestes últimos 20 anos, portanto deixemo-nos de hipocrisias e paremos de exigir de Moscovo comportamentos que mais ninguém tem.

Europeísta disse...

Engraçado! Putin esmagou a iniciativa separatista da Chechênia! Não deixou pedra sobre pedra na cidade de Grozni. Até hoje não se sabe ao certo o número de mortos. Alguns dizem que passa dos 7 mil. É bem diferente do que está sendo feito no Leste, o governo da ucrânia garantiu diálogo. E Putin, por acaso dialogou com os separatistas chechenos? Dois pesos.... duas medidas!

Europeísta disse...

Esse chukcha é mais um bajulador de Putin. Mais um russófilo fanático! Impressiona a maneira como os russos conseguiram espalhar sua b%sta pelo mundo a fora. Até em Portugal e Brasil há séquitos alienados dessa seita fanática que é a russofilia. Antes era o comunismo, hoje, o eurasianismo. Será que o mundo vai nos livrar algum dia das loucuras e insanidades provenientes das estepes russas? Ficaremos sempre a mercê da loucura de seus soberanos? O Mundo não precisa de uma Rússia forte pq toda vez que a Rússia tentou ser um império o resultado foi uma tragédia! E pro seu próprio povo! Mas o que me chama a atencão é disciplina e submissão dos russófilos. Eles mais parecem um exército virtual sempre a disposição para estarem em qualquer forum ou blog da net prontos pra defender seu líder - Putin. Que gente mais maluca!

PortugueseMan disse...

Demagogia barata, meu caro?

Putin disse especificamente, que aqueles militares sem insígnia, não eram russos?

Dado que você diz que ele disse isto várias vezes, importa-se de indicar onde ele disse isso, pelo menos uma vez?

Demagogia barata...

Ás vezes interrogo-me se você antes de se deitar, espreita por debaixo da cama, a ver se Putin está lá. Tal é a obsessão que tem por ele.

Putin fala.

- Mente.

Putin discursa

- Mente.

Putin abre a boca.

- Mente

Ucrânia em pé de guerra.

- Putin mentiu...

Invasão de extraterrestres

- Putin mente, os homenzinhos de verde não são marcianos...

Você anda bem meu caro? há mais vida para além de Putin sabe?

PortugueseMan disse...

NATO reforça defesa "por terra, mar e ar" devido à crise na Ucrânia

O NATO anunciou, esta quarta-feira, um reforço "imediato" da defesa da Aliança com o envio de recursos "por terra, mar e ar" para os Estados-membros do leste da Europa, em face do agravamento da crise russo-ucraniana.

Rasmussen recusou indicar que novas forças vão ser destacadas e para onde, mas afirmou que haverá mais saídas aéreas sobre o Mar Báltico e mais navios neste mar e no leste do Mediterrâneo...


http://www.jn.pt/PaginaInicial/Mundo/Interior.aspx?content_id=3815883

Dois pormenores curiosos acerca deste artigo, além de dizer que aquilo é um mig 295...

A foto.

A foto é de um mig-29. certo. mas reparem no pormenor da pintura, aquele avião, a não ser que esteja enganado, pertence aos "Ukrainian Falcons".

Vejam a 1ª foto que está neste link: http://www.tataryn.org/uk-air/section.php?page=airshows

Este avião pertence a uma PATRULHA ACROBÁTICA!!

Como é que não deve estar aquela junta em Kiev, quando o que consegue enviar da força aérea é um avião destes...

Portugal também podia usar o mesmo esquema, para poupar os F-16. Em vez de estarmos a mandar F-16 para o Báltico, enviavamos os "Asas de Portugal"...

E já que falo do Báltico, vamos ao segundo pormenor, já alguém reparou que sempre se fala em reforços da NATO,devido à situação ucraniana, tudo é enviado para o Báltico? os navios também são enviados para aquela zona?

Já alguém reparou onde está a Ucrânia? Se querem enviar algo, enviem para o Mar Negro, penso eu de que...

Anónimo disse...

- Então os fascistas,Palhaços & demais bastardos do auto intitulado governo e presidente da Ucrânia instalados no poder em Kiev, vão ter de desocupar os edifícios e lugares públicos ou seja deixar o Poder voltando a Ucrânia à Ordem Constitucional. ????

:)
aferreira

Anónimo disse...

- eheheh gostei daquela do Zézé irritadiço da Silva.... Putin Mentiu...ehehhheheh
aferreira

Pippo disse...

Ora cá está o que se esperava:

"Um dia depois da assinatura de um acordo internacional para uma solução pacífica da crise militar e política no Leste da Ucrânia, já caíram por terra as esperanças de normalização das relações entre o Governo de Kiev e os separatistas pró-russos, que empreenderam uma campanha pela auto-determinação de Donetsk. “Ninguém assinou nada em nosso nome”, resumiu o porta-voz dos rebeldes, Denis Pushilin. [...] os activistas e combatentes que apoiam a autodeterminação da região não se sentem obrigados a respeitar um acordo internacional que – denunciou – já está a ser violado pelas autoridades de Kiev com a sua insistência em manter o Exército ucraniano na região. “Prevejo uma escalada do conflito”"

Tal como se previa! O conflito é entre duas facções, ambas com a mesma legitimidade. Mas ao apenas estar uma delas presentes em Genebra, a outra fica desobrigada de obedecer ao que quer que seja.

"Timochenko criticou as manobras russas na Ucrânia, “que estão a ser planificadas há anos”, e convidou a população a juntar-se ao seu “movimento de resistência” e defesa do país – que até inclui um plano de reintegração da Crimeia, anexada pela Rússia em Março, cujos contornos se escusou a divulgar.“

A Julinha, que já saiu da sua cadeira de rodas (esta gente recupera tão rapidamente que até dá gosto!), vem agora apelar à guerra, não só contra os "rebeldes" como contra os russos. Claro que será ela a estar na linha da frente com a sua AK pronta a disparar.

Em Kiev, as novas autoridades já falam em "unidade e reconciliação nacional":“O Governo ucraniano está preparado para levar a cabo uma ambiciosa reforma constitucional para fortalecer os poderes das regiões”, garantiu Iatseniuk, acrescentando que nesse processo a língua russa será protegida por um estatuto especial."

Engraçado. Em lugar de terem começado logo desta forma, só o fizeram após uma sublevação/reacção de parte da população e sob pressão da "comunidade internacional". Mas o que acontecerá quando os revoltosos baixarem a guarda e a "comunidade internacional" começar a olhar para o outro lado? Não foram estes que assinaram um acordo com o presidente eleito para o violarem logo em seguida?

E os russos vêm agora dizer que a facção de Kiev “está a fazer uma interpretação errada” do documento assinado em Genebra, "em particular no aspecto de só se aplicar às províncias do Leste e do Sul ou às outras regiões que reclamam o federalismo”.

http://www.publico.pt/mundo/noticia/kiev-quer-reconciliacao-nacional-rebeldes-mantem-a-luta-e-timochenko-apela-a-resistencia-armada-contra-a-agressao-da-russia-1632797

PS - no artigo, "rebeldes" designa a facção do Leste. Dado que o actual "governo" não é legítimo, questiono-me sobre a pertinência daquela designação.

PortugueseMan disse...

...acrescentando que nesse processo a língua russa será protegida por um estatuto especial...

Esta, é para mim a maior asneira feita pela junta.

Removem um presidente que chegou lá, pelos votos daquelas regiões e depois retiram-lhes a direito à língua.

Esta junta respira democracia por todos os poros.

A única coisa que podiam e seria a meu ver aceitável de fazer, seria APENAS convocar eleições, para que a população escolhesse.

Mas não, toca a correr a fazer tudo o que pudessem, para quando chegasse as eleições, as coisas fossem factos consumados.

A bomba rebentou-lhes nas mãos.

PortugueseMan disse...

Começa a dança do gás...

EU Wants Russia, Ukraine to Keep Gas Coming

The European Commission once again urged Russia to respect its supply commitments and Ukraine to respect its transit commitments...

Meanwhile, it’s clear that Ukraine is not able to pay its bills. Last week, Slovakia’s Prime Minister Roberto Fico said that only a third party, like the European Union and European Commission, can guarantee that Slovakia will get paid if the country helps Ukraine.

Asked if the EU can guarantee that Slovakia will get paid if we help Ukraine, Berger told New Europe that the Commission has no specific comment to make...


http://www.iene.eu/eu-wants-russia-ukraine-to-keep-gas-coming-p556.html

Verdadeiramente fantástico a hipocrisia disfarçada de ideais democráticos.

Duas coisas a salientar neste artigo:

Primeiro, a Europa está com medo que a Ucrânia comece a desviar o gás, afinal parece que eles até sabem onde está o gás que desapareceu e que nunca chegou ao seu destino...

Segundo, mais uma demonstração de apoio "democrático", é tudo facilidades e pancadinhas nas costas, até que alguém ter que REALMENTE se chegar á frente. Ou seja, sim, sim, podemos ajudar no fornecimento do gás, mas queremos GARANTIAS que vamos ser pagos.

É uma tristeza. Uma tristeza.

Até agora, o único país que subsidia gás à UCrânia é a Rússia e neste momento até fornece gás de borla. Pois já deveria ter sido cortado.

Os outros? os outros nem o querem vender ao preço subsidiado que os russos estavam a fazer.

Hipócritas. Atiraram a UCrânia para o fundo do poço e agora estão a discutir quem vai comprar a corda, para os salvar.

Hipócritas.

Mas que interessa isto? o que interessa é que Putin mente. mente.... e mente...

Anónimo disse...

-Nazis ucranianos degolam ex-chefe da polícia de Donetsk diante da mulher e difundem vídeo na rede
www.diarioliberdade.org

aferreira

Pippo disse...

"Mas que interessa isto? o que interessa é que Putin mente. mente.... e mente..."

E parece que não é só o Putin, pois o governo "democraticamente eleito" de Kiev já começou a desrespeitar o acordo de Genebra, ou seja, a mentir!

É engraçado que os "bons" (leia-se, nacionalistas e filo-fascistas de Kiev, UE e EUA/NATO) queiram que os "rebeldes" deponham as armas enquanto os mercenários de Kiev, pagos pelo ilegalmente nomeado vice-governador de Dnipropetrovsk, Borys Filatov, continuam as suas operações de agressão, sob a direcção do SBU, que é a KGB sob as novas cores da Ucrânia.

Pippo disse...

Panfleto anti-semita da Republica Popular de Donetsk é uma falsificação.

Um panfleto anti-semita, alegadamente distribuído por elementos das novas autoridade de Donetsk (e cujo conteúdo foi prontamente comentado por John Kerry...) foi desmascarado como uma falsificação pelo The Guardian, que tem repórteres in situ.

http://www.theguardian.com/world/2014/apr/18/antisemitic-donetsk-peoples-republic-ukraine-hoax#

Anónimo disse...

Os EUA,no âmbito da NATO,já se sabe, decidiram enviar para a Estónia e Polónia pequenos contigentes militares.Não perceberão os americanos que os russos vão responder a esta atitude muito provavelmente enviando tropas para a fronteira da Estónia não permitindo desta forma que pare a atitude provocatória.Qual a necessidade desta atitude? Não se vê logo que propiciará uma escalada da tensão já existente.E não se sabe que esta, embora pequena escalada, pode ser perigosa? E não se sabe também que há conflitos que começam assim? Os americanos tinham já preparado,através da CIA,este golpe inconstitucional na Ucrânia,no âmbito da nova estratégia de criação do caos,como aliás o fizeram no norte de África e na Venezuela, na suposição de que alguma coisa ganhariam com isso e apressaram-se logo a apoiar o golpe na Ucrânia com os criados europeus a segui-los de imediato.Só que com a Rússia a coisa fia mais fino,e então vêm com panos de lã,sanções ridículas,pequeno envio de tropas para a Estónia e Polónia,mas sempre com o propósito de ganharem algum espaço na Ucrânia ocidental que se enquadra perfeitamente nesse espírito a que chamo de "cowboyadas" perigosas.Andam de facto a brincar com o fogo.Agora vejam só se a Rússia estivesse num estado de depauperação como esteve com o colapso da ex-URSS cuja ação não tenho dúvidas a CIA esteve por trás também.E não tenho mesmo a mania das teorias da conspiração.

Pippo disse...


"Quatro homens morreram num tiroteio na madrugada deste domingo, num dos vários controlos de estrada montados pelos militantes pró-russos que tomaram conta do poder no Leste da Ucrânia. Os pró-russos dizem que os atacantes faziam parte do Sector Direito, o movimento ucraniano que agrupa várias formações de extrema-direita e nacionalistas. Estes negam, e dizem que se tratou de uma provocação das forças especiais do exército russo."

"É difícil de perceber quem estará a dizer a verdade, mas os factos básicos parecem ser os que relata a AFP: o posto de controlo erguido pelos rebeldes pró-russos na aldeia de Bilbasivka, a cerca de 18 quilómetros para ocidente de Slaviansk, foi atacado de madrugada por um grupo de homens armados."

“Chegaram quatro viaturas ao nosso check-point. Fomos controlá-as, e abriram fogo sobre nós, com armas automáticas”, disse à AFP um militante pró-russo, Vladimir, de 20 anos, com a cara tapada por um passa-montanhas, que garantia ter testemunhado o ataque."

É nisto que deu a "revolução democrática" em Kiev.

http://www.publico.pt/mundo/noticia/quatro-mortos-em-confronto-no-leste-da-ucrania-1632933

Anónimo disse...


¡Con las manos en la masa!
Ucrania: Polonia entrenó a los golpistas 2 meses antes de Maidan
por Thierry Meyssan

Dicen que la mentira tiene las piernas cortas. Sólo 2 meses después del cambio de régimen en Kiev, la prensa polaca publica revelaciones sobre la implicación del gobierno de Donald Tusk en la preparación del golpe de Estado. Esta nueva información contradice todo el discurso occidental y demuestra que el actual gobierno provisional de Alexander Turchinov fue impuesto por la OTAN en violación del derecho internacional.
Red Voltaire . 18 de Abril de 2014

aferreira

MSantos disse...

"Com o vice-presidente norte-americano Joe Biden em Kiev, a reunir evidências de que a Rússia está a interferir na Ucrânia."

Do mural do Facebook da jornalista da CNN Christiane Amanpour

Cumpts
Manuel Santos

Pippo disse...

AFerreira,

Não duvidando muito da veracidade desse artigo (http://www.voltairenet.org/article183373.html), gostaria contudo de ter mais fontes com as quais pudesse cruzar informações.

Infelizmente acho que "a fonte" é o Nje e pouco mais...

Anónimo disse...

Bom dia
Caro Pippo para já a noticia saiu no tal semanário polaco. - Pouco mais sei . Mas também sei que estas coisas não são publicadas com facilidade pelos meios de informação ao serviço da prostituta babilónia- Só o serão quando não o possam esconder mais - esperemos um pouco , coisa vai madurar . Diz o semanário ao alguém por ele ter provas sobre o que publicado .- Aguardemos pois.

aferreira