quinta-feira, março 05, 2015

Em que ficamos?

    O principal órgão de propaganda do Kremlin em português "Sputnik": http://br.sputniknews.com/defesa/20150305/342870.html publicou hoje a seguinte notícia: 

"Os países ocidentais, em vez de cooperarem, estão criando novas linhas de demarcação e escolhendo a Rússia como alvo, disse nesta quinta-feira (5) o vice-ministro da Defesa da Rússia, Anatoly Antonov, aos jornalistas.

“Em vez de juntar esforços na luta contra o mal, o principal do qual é o terrorismo, os países ocidentais criam novas linhas de demarcação … Como o alvo, foi escolhida a Rússia”, afirmou.
Assim, segundo o vice-ministro, o sistema de segurança internacional neste momento é prejudicado pelas ações dos EUA e seus aliados e não pode ser reparado sem confiança mútua. 
“A OTAN hoje não pode ser garantidora da liberdade e da democracia no mundo, ao contrário do que se diz em Bruxelas”, frisou Antonov".
Mas há outra passagem do discurso desse senhor que não foi publicado, mas que deixo aqui a tradução e a fonte russa para os incrédulos:  "Não vimos nenhuma ameaça séria para a segurança da Rússia provocada pela actividade da NATO... As forças Armadas da Rússia actuam de forma adequada... Pode-se viver calmamente e, como declarou o ministro da Defesa no ano passado, tudo irá correr bem no nosso país" ( http://tass.ru/politika/1809730). 
Então pergunto, se a actividade da NATO não é uma ameaça séria para a segurança da Rússia, para quê tanto barulho? E o que dirão agora aqueles que defendem a NATO dorme e sonha em conquistar a Rússia?






3 comentários:

Anónimo disse...

Se a NATO não sonha em conquistar a Russia, por que a cerca?

José Milhazes disse...

Como é que a NATO a cerca? Cercar significa rodear à volta. E quantas bases serão necessárias?

Anti-ZOG disse...


A Rússia só quer invadir e conquistar.
A Europa que se cuide.

https://socioecohistory.files.wordpress.com/2014/04/russia_wants_war_look_how_closely_they_put_country_to_our_military_bases.jpg

http://russianblogger.me/wp-content/uploads/2014/03/russia-crimea-500x351.jpg