sexta-feira, junho 01, 2007

Apelo dos amigos dos portugueses e espanhóis detidos em Riga


O leitor Ricardo Silva Pedro, amigo de um dos portugueses que estão detidos em Riga, enviou este apelo abaixo publicado.
Antes disso, gostaria de fazer algumas considerações. Claro que é condenável retirar bandeiras de que país seja, mesmo que não seja com o objectivo de ofender esse símbolo nacional, mas simplesmente levar como recordação turística. Devemos respeitar não só os nossos símbolos, mas também os alheios.
No entanto, não compreendo porque razão as autoridades letãs estão a gerir de forma tão dura, diria mesmo cruel, este incidente.
Acabo de consultar o jornal electrónico delfi.lv e constatar que o caso está nas mãos da Polícia de Segurança da Letónia. Não se trata de uma força de segurança equivalente à PSP, mas ao SIS. Será que os serviços de segurança letãos não têm problemas mais importantes do que capturar e agredir coleccionadores de bandeiras?
Se há mais do que isso, o que não parece nada provável, então as autoridades letãs deveriam ter revelado.
Por essas razões, decidi publicar aqui o apelo do Ricardo, acrescentando uma informação importante: o edifício da Embaixada da Letónia em Lisboa fica na Rua 5 de Outubro.


"Conheço directamente uma das pessoas que ainda está detida.

Infelizmente, há que criticar nestas situações. De facto a idade não é de 15 anos, mas sim 25, e a responsabilidade deveria pesar.

A questão importante neste caso, é o modo como foram detidos, acusados, e aparentemente condenados.

O problema é que a acusação está a envolver alguns aspectos políticos e as coisas podem alcançar proporções despropositadas. O tratamento que estão sujeitos na prisão em Riga é preocupante.
Como podem ver no mail abaixo, está a ser organizada uma manifestação amanhã em frente à embaixada da Letónia em Lisboa. A ideia é tornar o caso mais mediático de forma a que exista alguma pressão política que possa pelo menos garantir que eles não são mal tratados.

O objectivo não é desculpar, mas sim que sejam garantidos os seus direitos. Confirmo que as autoridades os agrediram e que os ameaçaram com armas.

Ricardo

> A situação já foi notificada nas noticias, hoje sexta feira vai haver
> uma
> conferência de imprensa no aeroporto com um dos Portugueses já
> libertados às
> 18h. Pretende-se fazer uma manifestação em Lisboa junto à embaixada de
> Lisboa este Sábado ( não será o melhor dia devia de ser durante a
> semana,
> mas o que acontece é que à mesma Hora às 17h vai haver uma também em
> Madrid,
> quando for o jogo Espanha-Letónia), segunda feira de manha deve de haver
> uma
> outra, esta em conjunto com pessoal em vários países da Europa.
>
> O que peço é que consigam falar com o máximo de amigos do Paulo e
> passar a
> mensagem, para estarem no Sábado em frente à embaixada da Letónia em
> Lisboa!!!!"


6 comentários:

Simões disse...

Tomei a liberdade de transcrever o apelo no meu blog também. Isto é demais!

Luís Bonifácio disse...

Vergonha é estes apelos a favor deste bando de mal-criados.
Uma bandeira é o simbolo sagrado de uma nação, ofendê-la (roubando-a) é insultar todo um povo.
Estes bandalhos que conspurcaram o nome da nossa pátria Portuguesa na Letónia, devem ser bem condenados. Pode ser que de lá voltem mais bem educados e com mais respeito pelos simbolos nacionais.

Parabéns às autoridades Letãs, mostram que são um país civilizado. Não é por acaso que os Letões até já vivem melhor que os Portugueses.

Jose Milhazes disse...

Caro leitor Luís Bonifácio, o castigo deve corresponder à gravidade do crime.
Claro que é condenável o acto que essas pessoas cometeram, mas considera necessária a intervenção da Polícia de Segurança?
Na Letónia há outros problemas mais graves a que essa polícia se podia dedicar.

Luís Bonifácio disse...

Caro José Milhazes
É necessário compreender que a Letónia como país de liberdade recente após centenas de anos de ocupação estrangeira, vê os seus simbolos como algo de muito importante. Na realidade vê-os como qualquer país os deve ver. O problema com o comportamento destes Portugueses é que desde há muito tempo os simbolos nacionais são vistos com desdém, e no sistema de ensino não existe qualquer disciplina de "cidadania". A Bandeira de pOrtugal é hoje vista pelos Portugueses como um simples trapo, que até dá jeito para fazer de lenço para a cabeça.
Outro dos problemas é que desde que entramos na CEE passamos a a comportarmo-nos como qualquer barbaro britânico que se julga superior a todos os outros povos. Quando vão lá para fora comportam-se como se estivessem na sua sala de estar, não querem conhecer o país onde estão, nem conhecer a sua cultura, nem as suas tradições e depois ainda têm a lata de se armarem em vítimas.
O facto de terem sido prendidos pela polícia de segurança tanto se me dá, é o procedimento deles e não me admiraria que os usassem como exemplo para outros. A Letónia é um país livre e de ceteza que até tem um sistema de justiça mais eficaz que o nosso.

Espero que isto lhes sirva de educação e que aproveitem a lição, caso contrário até vão apanhar bebedeiras para o Irão.

Um Abraço e espero que nos continue a (bem)informar sobre o que se passa na Rússia.

Simões disse...

O leitor Luís Bonifácio que me desculpe, mas embora concorde que estes compatriotas agiram mal e que devem assumir as suas culpas no caso, discordo da ideia de que a polícia letã dê mostras de ser civilizada, ou que os letões vivam melhor que os portugueses. Não conheço o sistema de justiça.

Convido-o a visitar Riga, verá que não minto. Eu cá estou há 10 meses.

A corrupção continua significativa no meio policial, que é também famoso por exercer violência gratuita, e a pobreza visível e gritante de muitos pode ver-se de mão dada com a riqueza visível e gritante de um punhado.

Ainda prefiro Portugal, onde a bandeira é "profanada" sendo transformada em lenço para a cabeça. Como na Letónia, durante jogos de hóquei no gelo...

Jose Milhazes disse...

Comentário enviado pelo leitor que assina Rei Labrador:
"Caros leitores,
Não consegui resistir a uma leitura dos vossos comentários. Eu já estive em Riga durante 2 anos e devo confessar que Letónia é um país muito lindo; tem muita natureza, boa cultura e ao mesmo tempo uma complicada convivência. Precisei de tempo para entender o comportamento do povo letão já visivelmente marcado pela antiga União Soviética. Tive a dificuldade de reconhecer os valores daquela sociedade letã que, ao fim e ao cabo, a única coisa que soube fazer foi apenas respeitar esses valores só pelo facto de sentir-me como um estrangeiro. Hoje em dia ainda se nota o controlo de liberdade de expressão do povo letão por parte dos actuais polícias e dirigentes russos, coisa que em Portugal o nosso povo está acostumado a dizer e a fazer o que lhes apetecerem e que a maioria de nós não dá por isto.

Sinceramente, posso dizer que amei Letónia pela sua natureza e cultura e tudo o mais que pude apreciar com coração e respeito, mas prefiro Portugal à moda de "Zé Povinho" pois só assim o povo português entende que, o que diz ou o que faz, nunca teria intenção de fazer mal a ninguém. O povo russo e português são, sobretudo, duas nações completamente diferentes devido à sua cultura e religião da mesma forma como uma caricatura de Maomé é uma piada que aparentemente nos dá gozo mas não passa de uma brincadeira para os árabes. Quem diria que um castigo assim levaria à decapitação..!

A mesma coisa se passa com os russos de Letónia: O incidente ocorrido pelos portugueses e espanhóis a respeito do lamentável abuso da bandeira letã, deve-se por desconhecer os valores morais e educacionais daquele país e a maioria dos portugueses não sabem que o desrespeito na sociedade letã é um acto muito grave. As bandeiras letãs estão em todo o lado, são içadas todos os dias nas escolas, bancos, edifícios, supermercados, arredores e até mesmo nos celeiros - o que para os portugueses faz lembrar a mesma quantidade das bandeiras portuguesas por ocasião do campeonato de futebol Euro2004. Com tantas bandeiras letãs, era de prever que alguém cometesse um incidente despropositado, principalmente aos turistas portugueses que estão habituados a viver na liberdade de expressão, coisa que actualmente é muito vigiada em Letónia. Para mim, quer dos ibéricos ou da polícia letã, o relacionamento falhou em ambas as partes a nível de respeito europeu, mas a polícia letã estava plenamente consciente dos duros e pesados castigos que fizeram aos ibéricos e estes, por seu lado, embora bêbados e turistas, desconheciam os valores morais daquele país por divergir de cultura/religião. Foi um acidente que não mereciam um pesado castigo, mas compreende-se a profunda mágoa do povo letão em relação ao que fizeram às bandeiras do seu país da mesma forma como para os árabes em relação cartoonistas que são uma ofensa sem precedentes.

Eu comparo a educação letã ao estilo do colégio inglês, onde os alunos estão vestidos a rigor e os professores impiedosos nos castigos que fazem. Em Portugal, o sistema de educação é muito diferente: os professores mal podem tocar nos alunos que são livres no que dizem ou no que fazem. Outro exemplo, no trânsito de Letónia, é fácil apanhar uma multa numa estrada larga e em linha recta que, para os estrangeiros, pode parecer de imediato uma "via rápida" de duas faixas mas não é como parece. Se passarmos numa localidade que mal se percebe a existência de uma aldeia ou de um cruzamento, onde supostamente não existem sinais de limite de velocidade (50km/h) que nos habituamos a ver por cá, e, mesmo andando 65 km/h, qualquer condutor acaba por receber uma multa. Quem diria, uma infracção numa "via rápida" de duas faixas..!
E só seria possível livrarmos da multa se darmos algum dinheiro pessoal aos polícias (depende do caso e da sorte), o que é um outro problema relacionado a corrupção.


Coisas assim seria bom demais para um país russo como a Letónia com vistas tão naturais e pacíficas e com tanto respeito controlado, fosse assim para sempre com aquelas letãs extremamente belas e jeitosas (sim, pl'a caramba!)... mas para ser sincero e por experiência que lá passei, não há muitos portugueses que conhecem a vida letã e nisto devo reconhecer que existe alguma coisa de estranho naquele país que, à primeira vista, pode ser um problema de mentalidade ortodoxa do povo russo que, de uma maneira ou outra, se compromete a dar alguma paranóia aos estrangeiros. É preciso estar em Letónia por um longo tempo para se adaptar a esta mentalidade que só os russos entendem.

Enfim, Letónia comprometeu-se a fazer parte da União Europeia e, como referência à evolução de uma sociedade de múltipla nacionalidade que se vai inserindo naquele país nos próximos anos; é de prever que surjam incidentes como choques de cultura ou religião como aconteceu o caso das bandeiras. Antes da declaração europeia, nenhum estrangeiro podia comprar um terreno em Letónia mas por obrigação das normas da União Europeia, já é permitido comprar terrenos apesar de não ser este o desejo do governo letão. Muitas mudanças como estas estão a acontecer naquele país onde os próprios russos ainda não se habituaram a aceitar os novos hábitos europeus como é o caso da liberdade de expressão ocidental. É tudo uma questão de respeito e, para quem tem ar de "Zé Povinho", cuidado!"