quarta-feira, agosto 29, 2007

"Pista tchetchena" no assassinato de Anna Politkovskais


O Tribunal Basmani de Moscovo deu ordem de prisão de Serguei Khadjikurbanov, antigo agente da Direcção de Moscovo de Combate ao Crime Organizado, por suspeita de ter sido um dos organizadores do assassinato da jornalista russa Anna Politkovskaia.
Khadjikurbanov, que se encontra em parte incerta, é o décimo primeiro detido por suspeição de ter participado no assassínio de Anna Politkovskaia, em 07 de Outubro de 2006. Segundo a imprensa russa, a detenção deste antigo agente das forças de segurança é fundamental para esclarecer as ligações entre a polícia russa e o crime organizado.
O diário Kommersant escreve hoje, citando fontes da investigação, que Khadjikurnov era o elo de ligação entre o grupo criminoso “alazanski”, a quem as autoridades atribuem o assassinato de Politkovskaia, e os agentes da polícia e dos serviços secretos russos.
A Procuradoria-Geral da Rússia afirma que o dirigente desse grupo criminoso é Hoj-Akhmed Nukhaev, tchetcheno que, presentemente, é procurado por suspeita de estar por detrás do assassínio de Paul Klebnikov, redactor-chefe da versão russa da revista Forbes.
Segundo as autoridades russas, Nukhaev teria ficado ofendido com algumas passagens do livro de Klebnikov “Conversa com um Bárbaro”. Hoj-Akhmed Nukhaev, que as autoridades russas suspeitam estar no estrangeiro, dirigia o grupo criminoso “alazanski” que se dedicava à extorsão. Em meados dos anos 90 do séc. XX, regressou à Tchetchénia, tornando-se um dos comandantes da guerrilha separatista tchetchena. O grupo desintegrou-se, mas, mais tarde, juntava-se para executar “crimes por encomenda”. Segundo a investigação, em 2006, o representante de Nukhaev em Moscovo, Magomed Dimelkhanov, teria recebido instruções de “uma pessoa desconhecida” para liquidar Politkovskaia, porque “pessoas importantes na Tchetchénia têm muitas queixas contra ela”.
Entre os detidos pela polícia estão cinco tchetchenos: Magomed Dimelkhanov, Akhmed Issaev e três irmãos Makhmudov – Ibraguim, Djabrail e Tamerlão. Murad Mussaev, o advogado de um dos irmãos Makhmudov declarou que dois deles têm alibis. Quando foi cometido o crime, um encontrava-se em casa dos pais, na Tchetchénia, e outro internado num hospital.
O filho de Anna Politkovskaia, Ilia, mostrou-se convicto de que a polícia deteve alguns dos culpados da morte da mãe. “Posso afirmar que as pessoas que fizeram isso, prepararam o assassinato durante um ano. Sei que os verdadeiros assassinos foram detidos. Mas não todos. Não há dúvida que os tchetchenos que aparecem na lista dos detidos participaram na preparação do crime” – sublinhou Ilia Politkovski.

2 comentários:

gustavo disse...

meu caro,
a jornalista em causa foi assassinada em outubro de 2006, não de 2007! tem este erro em dois artigos...

Jose Milhazes disse...

Caro Gustavo, tem toda a razão. Coisas da idade. Obrigado