segunda-feira, agosto 27, 2007

Será desta vez?


Mas será que desta vez será feita justiça na Rússia? Ou será que o "processo Politkovskaia" terá o mesmo destino de muitos outros: as autoridades anunciam ter descoberto os criminosos, mas, no fim de contas, ninguém vai para a cadeia porque o processo desmorona-se ou antes de chegar ao tribunal ou durante o julgamento? Pior ainda será se se constar que o anúncio do Procurador-Geral da Rússia teve apenas fins eleitoralistas. Esperemos que não e aqui fica a informação:
Entre os detidos no âmbito do inquérito ao assassinato de Anna Politkovskaia encontram-se “antigos e actuais agentes das forças da ordem”, anunciou Dmitri Muratov, redactor-chefe do semanário “Novaya Gazeta”, onde trabalhava a jornalista russa. “Essas pessoas, no tempo livre, utilizando as possibilidades das estruturas de segurança pública, realizavam negócios criminosos, incluindo crimes por encomenda” – assinalou Muratov, e acrescentou: “depois dessas detenções, desvendar-se-á não só o mistério do assassinato de Anna Politkovskaia, mas também uma série de outros crimes graves”. Anna Politkovskaia denunciou, nos seus artigos, polícias e militares russos envolvidos em crimes na Tchetchénia e alguns deles ter-se-ão vingado assassinando ou mandado assassinar a jornalista.
Dmitri Muratov confirmou a informação da Procuradoria-Geral da Rússia sobre a detenção de dez pessoas acusadas da morte de Politkovskaia. “As detenções foram realizadas entre 15 e 23 de Agosto, foram presas dez pessoas, parte dos quais são membros de grupos de criminosos organizados” – acrescentou Muratov, concluindo: “Penso que as detenções irão continuar e espero que a investigação não avance pela via da realização de ambições políticas de diversas pessoas que fizeram sonoras declarações, que seja observada a presunção da inocência para que no julgamento não se desmorone tudo e a sentença corresponda à verdade”.
“Seria muito bom se o Estado, finalmente, alterasse a sua tradição e começasse a investigar o assassinato de jornalistas. Espero muito que essa viragem tenha chegado” – declarou Igor Iakovenko, secretário-geral da União dos Jornalistas da Rússia.

Dez pessoas foram detidas no âmbito do inquérito ao assassínio da jornalista de investigação russa Anna Politkovskaia, assassinada a 07 de Outubro de 2006, devendo em breve ser formalmente acusadas, anunciou hoje o Procurador-geral Iuri Tchaika.

"Obtivemos verdadeiros progressos no inquérito sobre o assassínio da jornalista Anna Politkovskaia", afirmou Tchaika após um encontro com o Presidente russo Vladimir Putin, no Kremlin.

"Actualmente estão detidas dez pessoas e em breve serão formalmente acusadas de participar no assassínio", adiantou.

Politkovskaia era considerada uma das jornalistas mais críticas da política do Presidente russo, Vladímir Putin, na Tchetchénia, e foi assassinada quando estava a preparar uma reportagem sobre as torturas sistemáticas naquela república independentista do Cáucaso.

A 07 de Outubro a jornalista foi encontrada morta à porta de casa em Moscovo com quatro tiros, suscitando a indignação e emoção na Rússia e em todo o mundo.




3 comentários:

António disse...

Caro José Milhazes,

Tem alguma informação do estado da investigação do assassinato de Paul Klebnikov?

António Campos

Jose Milhazes disse...

Caro António, o Procurador-Geral da Rússia acabou de afirmar que os assassinos de Khelebnikov deverão ser os mesmos de Politkovksaia.
Segundo Iúri Tchaika, o executor foi um tchetcheno que dirigia um grupo de crime organizado e que os organizadores "estão fora da Rússia". Não citou nomes, mas qualquer russo sabe que ele tinha vista pelo menos uma pessoa: Boris Berezovski, oligarca que se encontra refugiado em Londres.
Dmitri Muratov, que dirige o jornal onde trabalhava Ana, já veio dizer que o Procurador se está a precipitar. Receio que acabe como sempre: se encontram os executores do crime, não descobrem os "encomendadores"

osrevni disse...

Com Putin, a KGB deixou de ser parte do governo para ser O governo. Sem querer fazer acusações, claro.