quarta-feira, abril 16, 2008

Autoridades põem fim a um dos mitos românticos do século XX



Os restos mortais encontrados nos arredores de Ekaterimburgo, no ano passado, são, com um alto nível de probabilidade, do príncipe herdeiro Alexei e da princesa Maria, anunciou, Vladimir Soloviov, investigador para casos importantes do Comité de Investigação da Procuradoria da Rússia.
Se assim é, desaparece um dos mitos românticos do século XX: a lenda da salvação milagrosa de Anastácia, uma das filhas do czar Nicolau II e da princesa Alexandra.
Segundo o centro de imprensa da região de Sverdlov, onde fica situada a cidade de Ekaterimburgo, “as investigações praticamente chegaram ao fim, resta apenas realizar, no fim de Maio, uma auditoria independente e todos os documentos ficarão prontos”.
As autoridades da região anunciaram também que não irão financiar mais escavações, porque, segundo as palavras do governador, Eduard Rossel, “não há mais necessidade de fazer escavações, porque os estudos realizados mostraram que os restos mortais encontrados no verão passado são em 98 por cento dos filhos do Czar”.
Em Julho de 2007, durante escavações realizadas nos arredores de Ekaterimburgo foram encontrados fragmentos de esqueletos de duas pessoas com sinais de que tinham sido sujeitos a uma morte violenta. Então, os cientistas avançaram a hipótese de que se tratava de restos mortais de um jovem com uma idade entre 10 e 14 anos e uma jovem de 20 anos, ou seja de dois dos cinco filhos do último czar russo Nicolau II e da czarina Alexandra.
Em 1991, no mesmo local, cientistas russos encontraram restos mortais do czar, da esposa e de três das filhas, que foram identificados em vários laboratórios russos e estrangeiros e trasladados para a Catedral de São Pedro e São Paulo, em São Petersburgo, onde se encontram sepultados os restantes membros dos Romanov, última dinastia monárquica na Rússia.
Então, a Igreja Ortodoxa Russa beatificou os membros da família real da Rússia, sumariamente fuzilados pelos comunistas no Verão de 1918, mas continua a não reconhecer que os restos mortais encontrados pertençam à família de Nicolau II.
Este problema também não é consensual entre os descendentes da família Romanov. A princesa Maria Vladimirovna Romanova, chefe da casa imperial russa residente em Paris, diz que só aceitará reconhecer as conclusões dos cientistas depois do Patriarca Ortodoxo, Alexei II, o fazer. Porém, outros membros da casa Romanov participaram na cerimónia oficial de trasladação dos restos mortais de Nicolau II e dos membros da sua família para São Petersburgo, presidida por Boris Ieltsin, então Presidente da Rússia.
Se as investigações dos cientistas russos se confirmarem, cairá uma das maiores lendas do século XX: o mistério de Anastácia Romanova, uma das filhas de Nicolau e Alexandra.
A lenda de que ela teria sido salva milagrosamente das mãos dos comunistas serviu de base a vários romances, filmes e peças de teatro.
Um dos primeiros filmes é “As roupas fazem a mulher” (Clothes Make the Woman), realizado em 1928. Uma jovem aparece para fazer, num filme de Hollywood, o papel de uma Anastásia salva e acaba por ser reconhecida pelo soldado russo que a salvara das mãos dos bolcheviques.
Mas a película mais famosa é provavelmente Anastácia (1956), cuja heroína é interpretada por Ingrid Bergman. O conhecido actor norte-americano de ascendência russa, Yul Brynner, desempenha o papel de general Bunin e Helen Hayes foi a Princesa Dagmar da Dinamarca, avó paterna de Anastácia.
Em 1983, Peter Kurth publica o livro “Anastácia: O Enigma de Anna Anderson”, que serviu de base à rodagem de uma mini-série pela NBC em 1986. Anny Irving desempenha o papel de Anna Anderson e Omar Sharif é czar Nicolau II.
É também de salientar a versão em desenhos animados, realizada pela 20th Century Fox em 1997, da história da fuga da menina da Rússia e da luta pelo seu reconhecimento. É curioso assinalar que este último trabalho situação a revolução comunista russa de Outubro em 1916, embora ela tenha ocorrida no ano seguinte. Na realidade é que a revolução russa é chamada de Outubro, porque ocorreu a 25 desse mês segundo o antigo calendário russo, mas, em conformidade com o calendário actual, o levantamento teve lugar a 07 de Novembro.
Anastásia é também uma personagem no jogo para a PlayStation 2 de 2004 “Shadow Hearts: Covenant”.

15 comentários:

Almir disse...

Os russos não têm do que reclamar, pois agora eles têm a princesa Maria Sharapova.

antonio disse...

Há mortos bons e mortos maus. O czar devia de ser um santinho, coitadinho… só em 23/1 de 1905, os cossacos fuzilam a manifestação diante do palácio do czar: 4 mil mortos registados. O czar, vá lá, reconheceu 96.

Jose Milhazes disse...

Caro António, a figura do último czar russo é muito problemática. Não ficarei longe da verdade se disser que Nicolau II foi um dos piores dirigentes da História da Rússia. Mas isso não justifica que tenha sido fuzilado, com toda a sua família, sumariamente, sem qualquer tipo de julgamento. Mais, haverá alguma justificação para fuzilar crianças e jovens que apenas tiveram o azar de serem filhos de Nicolau II? Responder com uma barbaridade a outra só conduz à multiplicação de barbaridades. A revolução comunista de 1917 e os seus resultados são uma prova disso. Os comunistas começaram por liquidar os monárquicos, depois os republicanos, democratas, socialistas e, por fim, começaram a matar-se uns aos outros, os camponeses, operários, etc. O resultado foi de muitos milhões de vítimas.

antonio disse...

José Milhazes
Você é historiador, e, você sabe, que os acontecimentos de há 100 anos, não podem ser vistos com os olhos de hoje.
Mesmo na Rússia, quase 70% da população aprecia favoravelmente Lénine e apenas 15% é desfavorável.
E que me diz dos milhares de crianças metidas em orfanatos, abandonados nas ruas da Rússia pelo glorioso capitalismo, apesar do decréscimo significativo da população russa.
Veja lá que até na Roménia, que não era grande exemplo de «socialismo», 64% da população preferia Ceasescu. E esse também foi assassinado, sem julgamento. E, quem o fez, ainda deve estar vivo.
E a prostituição que vem do Leste… que me diz, vêm para aqui vender o corpo, deve ser porque gostam… ou será que os países onde nasceram não lhes dão o mínimo de condições de dignidade para viverem.
Os comunistas têm as costas largas, reconhecidos como bons trabalhadores, bons pais, bons cidadãos, devem ser masoquistas, tantos crimes de que são acusados, e insistem na defesa da sua ideologia.

Jose Milhazes disse...

Caro António, eu sei que é necessário não julgar acontecimentos históricos passados com os olhos de hoje, mas isso não deve servir para justificar crimes do passado. Apenas um exemplo, acha possível alterar a visão, com o andar dos tempos, face aos crimes do nazismo alemão? Eu acho que não. E se assim é, porque é que se deve alterar em relação aos crimes de Lénine, Trotsky e Estaline. Porque estes são de esquerda e lutaram pelo bem do povo?
Ao contrário do que acontecia na URSS e noutros países socialistas, onde havia prostituição, senhas de racionamento, crianças abandonadas, fome, etc., mas os regimes comunistas negavam tal realidade hoje, os problemas destes novos países são conhecidos e devem ser resolvidos. Eu não estou de acordo , como já deve ter entendido,com muitas das coisas que se fazem nesses países, e gostaria de os ver resolvidos. Mas isso não depende de mim.
Eu acompanhei o regime comunista, vivi nele entre 1977 e o seu fim em 1977, por isso sei do que falo. O António sabe que um par de calças de ganga, que, na Feira de Vila do Conde custavam 100 escudos nos anos 80 do séc. passado, era mais do que suficiente para prostituir a mais comunista das jovens soviéticas? Ou um disco dos Pink Floyd, Queen, etc. Os numerosos estudantes que passaram pela URSS e outros países socialistas poderiam contar centenas de estórias sobre prostituição, senhas de racionamento, pobreza, alcoolismo, violência doméstica, etc., etc.
Claro que me pode dizer que esses problemas existiam e existem em qualquer país, é verdade, mas a diferença fundamental consiste em que as autoridades comunistas se recusavam a reconhecer essas chagas. Quando se reconhece a existência dos problemas, a sua solução é mais provável.
Quanto às actuais posições dos comunistas, muitas delas são tanto mais graves porque continuam a basear-se em falsidades. Como será possível defender regimes comunista s como o chinês ou norte-coreano. Acho que só tem uma explicação lógica: o dinheiro que vinha da URSS e de outros países tem de vir de outros lados.
Considero que a esquerda, incluindo os comunistas, necessita de meditar sobre as suas bases ideológicas para responder aos desafios actuais. Caso contrário, desaparecerá como tendência política. O mesmo diz respeito à direita, que também perdeu muitos dos seus pontos de orientação. É cada vez mais difícil entender onde está a esquerda e a direita. A elite política está cada vez mais longe dos cidadãos e transforma-se numa casta cada vez menos acessível.
E só mais um exemplo curioso. Eu não posso considerar normal defender um regime que proibe Deus por decreto e obriga os estudantes universitários a estudar "Ateísmo Científico". Quando chegava a hora dos estrangeiros dos países capitalistas receberem a carta de curso e o diploma, as autoridades universitárias soviéticas alteravam os nomes de algumas disciplinas para não fazerem rir as universidades estrangeiros. "Ateísmo Científico" era substituído por "História das Religiões", "Comunismo Científico" era substituído por "Socialismo Científico" e "História do Partido Comunista da União Soviética" por "História da Sociedade Soviética".
Caro António, cada um acredita e defende o que quer, tem direito a isso, mas também deve existir o direito à crítica, geral e universal.

eckatarina disse...

Dito e redito, quanto a mim, está o que respeite a maldades socialistas da Rússia, ó Milhazes, caramba, e olhe, hombre, as maiores, muito maiores, que não merecem um chavo de acervo, as do Busha no Iraque, cujo povo, certo, se deixaria morrer à noite, quando dorme, para não ver o desespero seguinte. Mas você insiste, malha e não sai dessa dor de Rússia, pa ir pà mérica ou Israel,´daí mais perto. E poça que já é preciso ser chaga e lapa, seu M. fdp.

Jose Milhazes disse...

Voltou a lembrar a alguns leitores que o meu blogue se chama "Darussia", e não "Dos estadosunidos" ou "Doiraque", por isso falo do que se passa nesta parte do mundo. Mas isso não significa que eu simpatizo com o político A ou B noutra região politicamente diferente. Caro leitor Eckatarina, se me pede a opinião, eu dou-lhe. George Bush é um dos piores dirigentes da História dos Estados Unidos e claro que não concordo com a intervenção militar no Iraque. Espero que fique esclarecido. Quanto a ir para os Estados Unidos ou Israel, não entendo a sua lógica. Se eu critico os dirigentes russos, isso significa que eu não gosto da Rússia? Aos Estados Unidos e a Israel nunca fui, pois não tive oportunidade, mas pelo menos gostaria de ter tempo de visitar a Terra Santa.

antonio disse...

José Milhazes
Não lhe tiro o direito de opinião, não aceito é a desvirtuação da verdade.
Eu também estive na URSS e, durante algum tempo, na mesma altura que você, e, nunca vi nenhuma criança abandonada.
Você sabe perfeitamente que era impossível isso acontecer.
Na Bulgária, sim, algumas crianças da minoria cigana andavam pela rua, porque, como sabemos, é difícil de integrar.
E sobre a questão da prostituição por um par de calças… também não é integralmente verdade.
Havia, realmente, bastante procura desse material, mas, daí até dizer que toda a jovem soviética se prostituia por um par de calças de ganga… vai um grande passo. Você devia ser mais rigoroso, fica-lhe mal.

Jose Milhazes disse...

Caro António, por favor,não absolutize as minhas palavras. Eu não escrevi "que toda a jovem soviética se prostituia por um par de calças de ganga", mas que "era mais do que suficiente para prostituir a mais comunista das jovens soviéticas". Isto são coisas diferentes. Nem todas as jovens soviéticas eram comunistas e nem todas as jovens comunistas eram prostitutas.
Quanto às crianças abandonadas, devemos estar a falar de coisas diferentes, mas explico. Na URSS, famílias ou mães solteiras abandonavam os seus filhos (falava-se em cerca de 500 mil)e o Estado internava-os em orfanatos, a maioria dos quais sem coisas humanas. Aconselho-o a que leia o livro do Ruben Gallego. Se sabe russo, pode lê-lo gratuitamente na Internet. Depois, diga-me alguma coisa.

Anónimo disse...

nossa esse Almir deve ser um comunista saudosista esclerosado da antiga Urss stalinista....deveria ir para Cuba engraxar sapatos do velho Fidel...antonio salim

Anónimo disse...

nossa esse Almir deve ser um comunista saudosista esclerosado da antiga Urss stalinista....deveria ir para Cuba engraxar sapatos do velho Fidel...antonio salim

Anónimo disse...

ACREDITAS EM REENCARNAÇÃO???
TE PROVARIAS QUE SOU A REENCARNAÇÃO DE ANASTACIA ROMANOV!
PODE PARECER LOUCURA MAS DESDE PEQUENA DESENVOLVI MEMEORIAS DE UM TEMPO QUE SO AGORA SEI O QUE E.
RHAYSSA

Anónimo disse...

Quando olhamos fotos e histórios, momentos felizes e outros... O que fica é a união que transforma qualquer momento em fortaleza. Que todas essas almas estejam recomeçando, aprendendo e perdoando.

Madajade.

Anónimo disse...

VOCE E ANASTACIA RHAYSSA?? POR Q ACHA ISSO?

Anónimo disse...

Que memorias sao essas? entra em contato comigo? Eu tambem tenho muitas lembrancas dela.. Sera que voce nao foi alguem proximo a ela? 968583933