quinta-feira, maio 22, 2008

Comunistas exigem proibição da exibição do novo filme de Spielberg


Os comunistas de São Petersburgo, segunda maior cidade da Rússia, exprimem indignação pela estreia do filme de Steven Spielberg “Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal” na Rússia, considerando que a película tem por objectivo “provocar uma onda de anti-sovietismo, criar na juventude moderna uma ideia deturpada da política externa soviética da URSS nos anos 50 do séc. XX”.
“Vincamos decididamente a nossa profunda indignação face à estreia na Rússia do filme-provocação, resíduo da guerra fria, pasquim nojento: o filme de Spielberg: Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal” – lê-se num comunicado distribuído à imprensa pelos comunistas.
Segundo os seguidores de Marx, Lénine e Estaline, “o filme apresenta, de forma caricatural e feia, as acções dos soldados soviéticos e dos nossos serviços secretos, que são cínica e cruelmente liquidados pelo super-herói americano Indiana Jones. Semelhantes invencionices formam, na nova geração de russos, disposições decadentes, falta de confiança no poderio do seu país, adoração dos Estados Unidos”.
Os comunistas de São Petersburgo manifestam perpelexidade face ao facto de esse filme ter sido adquirido para exibição na Rússia.
“Lançamos um apelo aos espectadores para assobiar o filme durante a estreita nas salas de cinema de São Petersburgo e enviar cartas de protesto aos fantoches do imperialismo: Harrison Ford e Cate Blanchett” – sublinham os marxistas-leninistas.
A acção do filme decorre em 1957, no ponto culminante da guerra fria, e Indiana Jones tem de enfrentar oficiais do KGB e soldados soviéticos sob o comando de uma malvada com sotaque ucraniano Irina (Cate Blanchett).

21 comentários:

fresquete disse...

Estoy de acuerdo. Pero por otra razón. Por que es cine-basura como casi todo cine americano.

desperdicandotempo disse...

Não é de admirar que esses "comunistas" venham com essa conversa...
Ah desculpem: claro que o filme deturpa! Aliás, todos sabemos que a União Soviética era um autêntico paraíso, e a KGB apenas um órgão pacífico que nunca usava a violência... As pessoas é que têm a mania de dizer mal! Ó camaradas, vamos a eles! =P

dvfer disse...

O mais preocupante é existirem comentários a este artigo a "concordar" com a proibição.

Até parece que alguém vai obrigar os jovens russos a ver o filme: quem quer ir ao cinema, vai, e quem não quer, não vai. E mesmo os que forem vão ter de certeza "leitura crítica" daquilo que viram. Se um filme americano causa assim tanto "receio" nos comunistas russos, então está algo está muito mal naquilo que defendem.

desperdicandotempo disse...

Faz lembrar a reacção do Irão aquando da estreia do filme "300".

ferro disse...

acho tão preocupante existir quem queira proibir, como quem fique excitado com o assunto.

Jose Milhazes disse...

Caros leitores, o resultado de semelhantes apelos apenas vai ter um resultado: o aumento brusco de curiosos que pretendem ver um filme que merece um apelo à proibição pelos comunistas. Estes últimos parece não aprenderem com a experiência histórica. Se o filme for mau, não o vão ver, mas, depois dos comunistas abrirem a boca, talvez já valha a pena ir vê-lo, pensarão alguns.
É para estas ocasiões que se diz que "o segredo é ouro".

Anónimo disse...

Sinceramente, o que eu acho é que os russos também têm a mania da perseguição... Eu acho que quem vai ver um filme do Indiana, não vai propriamente para avaliar a História mundial, os seus alicerces ou falta deles... Um filme do Indiana é algo de culto, que ultrapassa verdadeiramente as barreiras dos ideais políticos... Caramba, o indiana até nem é político... é arqueólogo!

Anónimo disse...

Tenha calma, "Anónimo" das 14h01: eu sou arqueólogo, e por isso mesmo me considero político.

Rikhard disse...

Nao sendo comunista, nem fascista e nem liberal ou conservador, não consigo perceber como há pessoas que não se conseguem aperceber que as sociedades em que vivemos e que os EUA são o exemplo acabado, não são minimamente democráticas, aliás a pseudo-democracia que as pessoas julgam ter é virtual.

neste momento nos EUA vivem-se tempos muito próximos dos da ex URSS, onde ninguém pode abrir a boca para expressar o que quer, onde o Habeas Corpus deixou de existir, onde existem pessoas presas sem culpa formada, onde se pode entrar pela casa a dentro de uma pessoa e detê-la sem qq mandato, onde as comunicações são constantemente vigiadas e gravadas, onde se escondem e destroem evidências que implicam os actuais detentores da administração nos eventos de 11 de Setembro de 2001, onde não existe controlo sobre os negócios de bolsa e se exerce pura especulação bolsista em crude e bens essenciais, onde se mente e cria diversões para se invadirem países como o Iraque e quase de certeza o Irão ainda antes das próximas eleições.

e isto não sou eu, um Europeu a que provávelmente chamarão de anti-americano que o afirma, são os coitados dos prórpios norte americanos que o afirmam.


rjnunes@http://rikhard-scientia.blogspot.com/

Anónimo disse...

"nos EUA vivem-se tempos muito próximos dos da ex URSS, onde ninguém pode abrir a boca para expressar o que quer,"

Nem sei como ainda não fecharam a Internet, essa invenção dos ..., e aquele Michael Moore ?

Eduardo Ribeiro disse...

O fruto proibido é o mais apetecido. Esta gente, pseudointelectuais, não percebem que com as suas atitudes reaccionárias, abrem uma caixa de pandora. Até quando, comunistas, abusarás da nossa paciência?

eduardo ribeiro disse...

Fresquete,
're anti-americanos?
Tenemos que ser o intentar ser lo más justos en la evaluación de una película.

Rikhard disse...

"Nem sei como ainda não fecharam a Internet, essa invenção dos ..., e aquele Michael Moore ?"

a web neste momento dificilmente poderá ser fechada, embora a esteja sob vigilancia, uma vez que todas as comunicações são monitorizadas, basta ler o documento do Parlamento Europeu sobre o dicionário Echelon, ler as noticias sobre a AT&T e a NSA nos EUA, as recentes notícias sobre os planos do Reino Unido, a obrigação dos ISP's guardarem a informação obrigados pela UE etc etc.

relativamente aos norte-americanos estarem calados, acoselho a ler algo sobre diversos agentes do FBI que estão obrigados a estarem calados e a não divulgarem muito do que sabem sobre os atentados de 11 Set201, sobre a operação Able Danger, a agente do FBI, Sibel Edmonds etc etc....

enfim, só não vê quem não quer!
os media lá são bem piores que os de cá e os nossos já são péssimos.

rj

karaoke disse...

talvez melhor que Indiana Jones

http://www.zeitgeistmovie.com/

Que cada um faca o seu juizo!

lourrain disse...

É compreensivel! Ninguem gosta de reviver um passado obscuro com graves violações aos direitos humanos. Será que os portugueses gostavam de que acontecimentos históricos como o massacre dos judeus em Lisboa no reinado de D Manuel, a escravatura levada ao extremo pelos portugueses, a situação colonial e a falta de liberdade dos autoctones, etc, fossem retractados num filme? Creio que não! Portugal não teve Kgbs e gestapos, mas tivemos concerteza, períodos muito negros que ninguem quer fazer lembrar nem para estudos históricos. Lembro que há uns anos atrás um filme com Roberto de Niro chamado A Missão foi muito censurado pela opinião publica portuguesa, pois neste filme espanhóis e portugueses foram retractados como exterminadores dos povos ameríndios. Daí compreender a preocupação dos comunistas russos. Todos os povos e países tem telhados de vidro.

Jose Milhazes disse...

Caro leitor Lourrain, não posso concordar consigo. Se se tratar de filmes ou livros sérios, não fico ofendido se alguém tentar lançar luz sobre os períodos menos bonitos da nossa história. O mundo é feito de bons e maus momentos.

lourrain disse...

Creio que não fui muito explicito no comentário que fiz anteriormente. O que tentei fazer foi problematizar os períodos históricos ditos negros ou obscuros que perpassam a história dos povos. È evidente que os factos históricos bons ou maus, devem de ser abordados de uma forma imparcial. Mas o que me parece, é que em Portugal assim como em outos países em certos períodos históricos menos abonatórios no sentido civilizacional, são nigligenciados, deturpados e distorcidos. Portugal, assim como, outros países, sobretudo europeus, com um passado colonialista ou com regimes politícos totalitários, tentam apagar, se assim se pode dizer, aspectos que marcaram profundamente os direitos humanos e dos povos, condicionando-os na sua autonomia civilizacional. Certo é que muitas dessas violações aos seus direitos, deverão ser analisados à luz das politícas vigentes nesses períodos históricos. Por muito que nos doa, nos possa ferir a nossa sensibilidade ou orgulho patriótico, a verdade é que há muita coisa que hoje em dia se evita falar.

Rui Passos Rocha disse...

Caro José Milhazes, o seu post induziu-me em erro - tomei por certo que se tratava do partido comunista russo, quando na verdade é uma seita comunista aquilo a que se refere quando escreve "comunistas de São Petersburgo".
Deixo um link como complemento: http://seansrussiablog.org/2008/05/25/commie-sect-denounces-dr-jones/
Cumprimentos

Jose Milhazes disse...

Caro Rui, essa organização de São Petersburgo faz parte do Partido Comunista da Federação da Rússia. A propósito, o filme de Spielberg lidera no top russo. Penso que, em parte, graças à actividade dos comunistas.

Gabriotti disse...

Para fresquete: existe mesmo muita basura no cinema americano. Mas, convenhamos, não só os americanos produzem basura. Todo mundo produz.
Mas eles também nos premiam com pelo menos 5 obras-primas a cada ano...

ivan disse...

ivan
se vocês vivenciaram o épico da Guerra fria, viriam que os EUA são os verdadeiros vilões, se não fosse a URSS, não existiria sindicatos, leis trabalhistas que apoiam os trabalhadores, vocês que falam mal da URSS (comunistas) deveriam ler mais.