segunda-feira, setembro 01, 2008

Conflito na Inguchétia continua

A oposição inguche afirma que a polícia recorreu a armas de fogo, blindados e cassetetes para dispersar a manifestação ontem iniciada em Nazran, Inguchétia, para protestar contra a morte de um dos dirigentes, Magomed Evloev.
A Inguchétia está situada no Cáucaso do Norte e faz fronteira com a Geórgia, Tchetchénia e Ossétia do Norte.
Segundo o sítio Inguchetiya.ru, as cargas da polícia inguche sobre os manifestantes provocaram um número ainda indeterminado de feridos.
Esse órgão de informação electrónico, que pertencia ao opositor assassinado, escreve que a polícia inguche concentrou carros militares em todos os bairros da cidade de Nazran para impedir que a oposição possa encontrar outro local para protestar.
Porém, os opositores ao regime do Presidente inguche, Murat Ziazikov, prometem continuar os protestos.
Ontem, milhares de pessoas concentram-se no centro da cidade de Nazran para se despedir de Magomed Evloev, assassinado no domingo, em condições ainda por esclarecer.
Evloev, um dos mais fortes e influentes adversários de Murat Ziazikov, Presidente da Inguchétia, república caucasiana da Federação da Rússia, voou no mesmo avião do dirigente inguche e foi detido após o aparelho ter aterrado no aeroporto de Margas, capital dessa república.
Mais tarde, Evloev foi abandonado junto de um hospital com uma bala alojada no crânio. Os médicos ainda tentaram operá-lo para o salvar, mas sem êxito.
Iúri Turinguin, Procurador-Geral da Inguchétia, declarou hoje que o dirigente da oposição foi vítima de um “disparo acidental”.
“Ele foi instalado num carro, acompanhado de vários polícias que o conduziam a Nazran. Segundo as testemunhas, Magomed Evloev, durante a viagem, provocou desacatos com os agentes, tentou arrancar a metralhadora das mãos de um polícia. Durante a luta, foi disparado acidentalmente um tiro de pistola que feriu Magomed Evloev”, relatou Turinguin.
A oposição inguche e russa acusam Murat Ziazikov, Presidente da Inguchétia apoiado pelo Kremlin, de ter cometido um crime político e exigem a sua demissão.
“Os amigos de Mogamed juraram publicamente no comício que irão vigá-lo segundo as leis e tradições dos inguches: a vingança de sangue”, escreve o Inguchetiya.ru. “Que nenhum dos que cometeu este crime pense que irá ter uma vida doce. Os seus sofrimentos começaram. As suas mães e esposas irão chorar por eles como nós hoje choramos por Mogamed”, declarou um amigo do falecido ao sítio electrónico

6 comentários:

Gabriel Silva disse...

Caro José Milhazes,

Qual é o site da agencia noticiosa? É que www.Inguchetiya.ru não vai dar a lado nenhum

Gabriel disse...

ah, ok, descobri.
É www.ingushetiya.ru

Anónimo disse...

pravda.ru heheehehehe

onde publicam reportagens como: "Rússia, redentora da humanidade" ou "A Rússia sempre foi defensora da liberdade dos povos" ou melhor "Boriska, goroto que veio de Marte prevê catástrofe para 2009 e 2013". Nessa última, o garoto Boriska diz que depois do "apocalipse" a Rússia dominará o planete hehehehe

http://port.pravda.ru/topic/orquestrada-1488

fado

antonio everardo disse...

Eu nada vejo de anormal no Pravda. Se querem saber, aberrações mesmo vemos nos jornais ocidentais.

Anónimo disse...

antonio everardo, você é um gênio



fado

Anónimo disse...

Everardo, você continua o mesmo do desabafe!