segunda-feira, setembro 08, 2008

Sarkozy consegue pequena cedência de Moscovo


Não obstante as conversações terem durado muito mais tempo que o previsto, A Rússia e a União Europeia não conseguiram superar as divergências no que respeita à independência da Ossétia do Sul e da Abkházia, mas comprometem-se a continuar a cooperação para garantir a estabilidade no Cáucaso.
“O posterior diálogo com Sukhumi (capital da Abkházia) e Tzkhinvakli (capital da Ossétia do Sul) só será possível se for feito com sujeitos autónomos do Direito Internacional”, declarou o Presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, após um encontro com o seu homólogo francês, Nicolas Sarkozy, em Moscovo.
Os dirigentes da Rússia e da UE anunciaram as medidas que conseguiram acordar para a realização do plano “Medvedev-Sarkozy”, assinado no passado dia 12 de Agosto.
Segundo Medevedev, foi acordado que a Rússia retirará todas as suas tropas de cinco postos de controlo na linha Poti-Senaki, no território nuclear da Geórgia, “durante 10 dias depois da instalação no local de um mecanismo internacional”.
Nicolas Sarkozy, Presidente da França, anunciou, por sua vez que, no dia 01 de Outubro, para a zona do conflito georgiano-ossete serão enviados 200 observadores da UE. Segundo ele, esse número poderá ser aumentado.
“Dentro de um mês terminará a retirada total das forças armadas russas do território georgiano além da Ossétia e da Abkházia”, acrescentou Sarkozy.
Medevedev fez saber que foi acordado que a Geórgia fará regressar todas as suas tropas aos seus quartéis até 01 de Dezembro
Os dirigentes russo e francês declararam que, no próximo dia 15 de Outubro, começarão em Genebra “discussões internacionais sobre a segurança no Cáucaso”, em conformidade com o ponto sexto do plano Medvedev-Sarkozy, que prevê a discussão do estatuto da Ossétia do Sul e da Abkházia.
Medvedev, porém, reafirmou que “o reconhecimento da independência da Ossétia do Sul e da Abkházia pela Rússia é irreversível e definitivo”.
“A União Europeia condenou o reconhecimento unilateral pela Rússia da independência da Abkházia e Ossétia do Sul. A Rússia não tem o direito de traçar as fronteiras da Geórgia”, retorquiu Sarkozy.
Além disso, a conferência de Genebra irá debruçar-se sobre os problemas dos refugiados e deslocados.
“Só se poderá discutir outras questões com o consentimento de todas as partes”, frisou Medvedev.
Dmitri Medvedev condenou a decisão da UE ter suspendido as conversações sobre a assinatura de um acordo de cooperação estratégica com a Rússia, mas sublinhou que “isso não provocou catástrofe nenhuma”.
Nicolas Sarkozy considerou que as conversações nesse sentido poderão ser reatadas em Outubro.
“O documento que hoje assinámos, se ele entrar em vigor, não vejo razões nenhumas para que os encontros entre a Rússia e a UE sejam adiados, para que não recomecem em Outubro”, declarou.
O dirigente do Kremlin fez também duras críticas aos Estados Unidos por terem apoiado a Geórgia, acusando Washington de ter atiçado o conflito no Cáucaso.
O encontro, em que participaram também Durão Barroso e Javier Solana, durou mais três horas e meia do que o tempo inicialmente previsto.
Resumindo tudo o que foi dito, conclui-se que a UE conseguiu apenas a promessa de Moscovo de retirar as suas tropas do território da Geórgia.

18 comentários:

sérgio disse...

Qual será as consequencias para o Presidente Georgiano sr. José Milhazes? Será que os Georgianos se vão virar contra ele, ou pelo contrário o ódio ás regiões separatistas e aos Russos é maior. Com uma separação praticamente assegurada da Geórgia, será mais facil para esta assegurar os seus intentos de adesão á NATO e UE. É preciso no entanto que a Geórgia deixe para trás as regiões da Ossetia e Abcasia de uma vez por todas, será que os Georgianos serão capazes de esquece-las e seguir em frente, ou pelo contrário irão continuar a insistir no mesmo assunto e perdem assim uma oportunidade de rumarem ao futuro.

sérgio disse...

Leia-se " Quais serão as consequencias..." Peço desculpa.

sérgio disse...

A proposito gostaria de saber quais são os motivos invocados por Moscovo para manter forças armadas na Abcásia e por querer a independencia desta região, quando o conflito que surgiu, independentemente de quem o começou, iniciou-se na Ossétia e apenas se alastrou á Abcásia com a entrada das forças armadas Russas. Nessa zona, tanto quanto sei, foram os Georgianos que tiveram de responder a uma agressão dos locais apoiados pelo exercito Russo. Bem mas que deu jeito, deu, assim de uma cajadada se matam dois coelhos. Só me resta elogiar a pontaria.

sérgio disse...

Quanto ao navio Russo que vai ser mandado para a Venezuela, caros amigos, sinceramente não prevejo nada de bom daí. É que duvido muito que o navio consiga fazer essa viagem tão longa. Mas se lá chegar, vamos ver quais serão os países que se irão sentir incomodados com a presença na sua zona de forças armadas de um país distante, ainda que a convite de um Chavez.

Jose Milhazes disse...

Caro Sérgio, a curto prazo, Saakachivili não terá oposição interna. Depois, veremos

xatoo disse...

o ex-advogado novaiorquino Saakachivili "não terá oposição interna" porque é uma marioneta das forças militares norte americanas e da NATO (com aconselhamento de experts israelitas) que fazem o cerco ao petróleo do Cáucaso.
A pergunta "quais são os motivos invocados por Moscovo para manter forças armadas na região" é meio infantil, não? - será igual a esta:
quais são os motivos para que os paises ocidentais mantenham tropas no Cáucaso?

Jose Milhazes disse...

Caro xatoo, Saakachvili não tem oposição interna não porque seja marioneta, mas porque o povo georgiano se uniu contra as acções militares russas. Isto é um facto. Se o povo tem razão ou não, isso é outra conversa.

Pippo disse...

Normalmente um povo une-se contra uma agresão exterior. Por culpa dos média, a actuação russa foi entendida, pelo menos parcialmente e no imediato, como um ataue russo à Geórgia. Por isso, a união em torno do líder é natural. Mais tarde, quando a poeira assentar e as pessoas começarem a pensar, as coisas mudarão.

Anónimo disse...

Os georgianos têm o habito, em épocas festivas, de brindar entre si a Estaline.Não porque ele era georgiano mas porque foi o homem que mais russos matou até hoje.
(foi dito por um diplomata português que ficou impressionado com o odio que se sente por aquelas bandas)
Cuidado com afirmações levianas acerca dos tiranos russos, na história da russia os verdadeiros tiranos não vierem do povo como em muitos paieses ocidentais e de leste. O caso russo é peculiar,degraças infligidas ao povo foram feitas por potências estrangeiras ou por não russos.
O povo russo foi instrumentalizado primeiro pelos czares e depois pelos comunistas. Só agora é que estão a obter a liberdade.
Quanto ao comunismo/Revolução:
Os bolcheviques eram na sua essencia judeus sedentos de sangue e vingança ao império russo. O proprio lenine era de uma familia multinacional.
Os que acusam o povo russo de ser sanguinário só demonstram ignorancia ou má fé.

Lenin- origens judias, karelia,etc
Estaline-Georgiano
Trotsky- judeu

estes são as 3 perolas da revolução

Vicente.

Jose Milhazes disse...

Caro Vicente, você, nas horas livres, deve andar a Minha Luta de Hitler ou o Livro dos Sábios de Sião. Num país onde os judeus foram sempre uma minoria, cerca de 2% da população, considerar que eles controlaram tudo é passar um atestado de incompetência ao povo russo.
O problema é que ninguém quer reconhecer os seus erros, é mais fácil responsabilizar os outros por tudo. Mas deixo-lhe aqui uma anedota arménia muito ilustrativa: "Um arménio, que se encontra no leito da morte, chama os seus filhos e diz-lhes: Protejam os judeus!
Os filhos, perplexos, perguntam: "Mas porquê os judeus?"
"Porque, quando derem cabo deles todos, chegará a vossa vez!"
Shalom

Anónimo disse...

sr jose milhazes, eu não afirmei que os judeus controlavam TUDO, disse sim que, os tiranos não tiveram origem no povo russo.
A minha opinião não está fundamentada em função de leituras simplistas da história.
Só afirmei o que afirmei porque fiz uma analise detalhada da origem dos principais responsaveis bolcheviques, faça o mesmo e verá que não é necessário ler propaganda para apurar a verdade dos factos.

Cumprimentos.

Vicente.

Jose Milhazes disse...

Caro Vicente, Ivan o Terrive era um tirano, Pedro I, outro,eram judeus? É verdade que um grande número de revolucionários comunistas eram judeus pois viam nessa ideologia a forma de porem fim não só ao jugo social, mas também nacional. Mas, depois das repressões estalinistas, ficaram muitos judeus entre os dirigentes da Rússia? Lénine tinha umas gotas de sangue judeu, mas, depois dele, todos os dirigentes máximos soviéticos eram de origem eslava (à excepção, claro está, de Estaline).
Além disso, gostaria que você me dissesse como é que é possível, num país multinacional como a Rússia, encontrar povos ou etnias puras.
Todos os meus amigos e pessoas que conheço na Rússia têm nas veias sangues de vários povos.
Como deve saber, no sangue dos portugueses também corre sangue judaico. Quer dizer-me que Salazar era judeu?
Voltando à Rússia e vendo as coisas de outro lado, sabe quantos grandes escritores, cantores, músicos, etc., etc. são de origem judaica e orgulho da Rússia? Não sabe, apenas a título de exemplo, que a grande bailarina russa Maia Plissetskaia é judia?
Não há povos bons e maus, há boas e más pessoas.

Anónimo disse...

sr José milhazes dar exemplos de tiranos do regime absolutista no meu entender não é a melhor opção, como sabe, não só na rússia mas em toda a Europa as familias reais têm laços muito fortes de consanguinidade, ou seja, são todos primos!.Eram de facto tiranos( ivan, pedro I), mas a familia real russa nunca representou o povo russo, tambem temos de ter em atenção o contexto historico dessas governações, nenhum estado europeu é imune á tirania.
Nas primeiras fases da revolução, os judeus(principalmente) mas tambem georigianos, lituanos, a alguns( nunca foram maioria) russos, tiveram defacto a principal responsabilidade da tragédia que a russia sofreu durante o regime comunista.Considero injusto afirmar que o povo russo escolheu a tirania, porque, só após a revolução estar consolidada é que os russos começaram a assumir o controlo do estado.
Após Estaline morrer, pode-se fazer um paralelo entre o regime soviético (1953-1985), e os EUA(era de mccarthney 1947-1955), ambos não eram regimes tiranicos mas tambem não eram democracias.Quando afirma que após Estaline os dirigentes soviéticos eram na maioria eslavos comprova que o tratamente a população foi radicalmente diferente.
Eu conheço muitos russos e sei que o desprezo que os russos têm pelo comunismo e o sentimento de histeria que em certa medida os russos têm, tem raizes nestes acontecimentos.
Os russos tÊm sim é complexos por terem passado por este periodo negro da sua história e terem de certo modo permitido esses acontecimentos/compactuado.
O povo português( sobretudo o norte, que é a região com mais população e que povou o resto do país) é fundamentalmente descendente de colonos celtas provenientes do centro da europa, estudos genéticos recentes comprovam este facto, todas as fantasias sobre os portugueses terem sangue mouro, judeu, grego, negro são desmentidas pela ciencia.
A russos são essencialmente nordicos e bastante racistas, aparentemente parece um povo homogeneo, mas ao contrario dos portugueses os russos têm uma origem mais diversificada.
Concluindo, concordo consigo, não ha povos bons nem maus, claro que o que importa é o valor individual de cada individuo, mas tambem temos de entender que definição de bem e de mal é discutivel.

Cumprimentos.

Vicente.

Jose Milhazes disse...

Caro Vicente, eu sou do Norte de Portugal e fico muito surpreendido com as conclusões do estudo por si apresentado. Claro que nos portugueses corre sangue celta, mas quanto à outra conclusão, acho-a deveras estranho. Talves a História de Portugal que eu estudei seja outra.E as legiõesromanas ? E as invasões bárbaras? E os vickings que pilharam as costas marítimas portuguesas? No Norte do país, a permanência árabe foi culta, mas a presença judaica foi grande. Os nortenhos e nortenhas não se cruzaram com portugueses de outras regiões do país? Mesmo sendo um país periférico, o povo português é fruto do cruzamento de muitos p0ovos.
E por falar em judeus, o anti-semitismo na Rússia era muito grande antes da revolução comunista.

Anónimo disse...

sr. josé milhazes a história não é uma ciência exacta, na escola aprendi que os portuguêses são descententes de iberos,romanos,suevos,mouros.etc.
Estes factos foram todos moldados para tentar atribuir ao português um caracter multicultural e multi-etnico.

Com a ciencia aprendi que é tudo mentira. A actual tecnologia de ADN já permite identificar com precisão as origens do povo e traçar com rigor as origens dos portugueses.
Estes povos tiveram um forte impacto cultural no nosso país, durante o dominio de cada um destes povos, os naturais dessas civilizações sempre constituiram a casta dominante e nunca re-povoaram o território ocupado pelos celtas. O português moderno é descendente das migrações da idade do bronze, provenientes da região dos alpes, o resto são lendas e exageros historicos.

o seguinte link mostra a proximidade genetica entre os povos europeus, mas existem inumeros estudos disponiveis sobre este tema:

http://gladio.blogspot.com/2008/08/novo-mapa-gentico-da-europa.html


vicente.

Anónimo disse...

quando falamos em anti-semitismo na russia é preciso lembrar que as vezes, os judeus tambem se portam mal.
Assim como os portugueses e os russos cometem erros, os judeus tambem já cometeram muitos.
Na actualidade existe um sentimento forte na europa de anti-semitismo porque israel está a martirizar um pequeno povo pobre que nada têm(palestinianos) e o estado de israel é uma ameaça á paz mundial.Acha bem o que os judeus estão a fazer na palestina?

Vicente

MSantos disse...

Caro José Milhazes, corrija-me se estou enganado, mas tenho a idea que nos anos 60/70/80 os judeus na URSS não eram muito bem vistos e pode-se mesme dizer que seriam perseguidos, na medida a que não podiam aceder a cargos de responsabilidade. Lembro-me de ter ouvido histórias sobre cientistas que apesar de terem contribuido para o progresso da URSS, nomeadamente no programa espacial, foram silenciados por serem judeus.

Marcelo Carvalho Zehnpfennig disse...

Vou pedir licença a vocês para me intrometer na vossa discussão. Sou sul brasileiro e tenho ascendência na região de Gagra e Sukhum. Pois bem, depois de descoberto isto, porque minha família já é está na 7ª geração de uma religião protestante, meus primos começaram a me questionar. A resposta que dei para eles eu ouso dar para vocês. 1º Não existe raça pura (claro, há hoje pesquisa DNA em espaços isolados que mostram certa prepoderância), mas, o mundo é formado por revoadas não só de pássaros, mas de pessoas, de poder, de vontades, de egos, e, principalmente nas vossas discussões, as rotas de passagem clássicas foram as mais afetadas. Então, o que é ser judeu? É ter sangue? eu tenho, e podemos todos ter; Mas que sangue? semítico? alguém tirou o DNA de Sem? Posso filosofar mais? Temos certeza de nossos ancestrais ou nos contaram? Se hoje, com muito controle, há falseamentos em registros, e no passado? e nas passagens de eras (gelo, bronze, ferro). Na Rússia, Carpentier escreve no História da Europa que a Passagem de Turgai foi um emaranhado de mortes e expulsões; está aí o que o colega falou: oras, é ver uma guria bela e um filho. Do mal e do bem? Poxa, tenho muitos colegas judeus e árabes. A minha religião aproxima-se muito da judaica messiânica. Vou sempre a um restaurante de irmãos mulçumanos, que vieram de Damasco, e servem um delicioso carneiro, que só encontro nos pampas. São meus irmãos sim, pessoas boas de coração, que não separam por religião, etnia, cor da pele (aliás, graças hemos de dar por poder ter dois olhos e enxergar a cor da pele). Agora, por outro lado, tenho vergonha de dizer que meus ancestrais (do sobrenome) vieram do Balneário do Império Russo, e que praticavam o judaismo asquenaz muito, mas muito misturado. Vejamos o que faz Bibi Netaniahu? Ele defende? Ele mata? para mim ele faz tudo isto todos, sejam judeus, xiitas, sunitas, Hisbollah, tratam seres humanos como bucha de canhão. Voltando, o que está sendo Damasco hoje, que era a rota de passagem bíblica? Existem muitas contradições principalmente aqui no sul separatista, mas não por ter passado ao lado português, porque Brasília manda. Aqui também tem história de purezas raciais, sendo que, quando a maioria dos teutonicos vieram colonizar nem Alemanha existia. O que eram? eram povos que ficavam se empurrando. Eram tribos que ficavam empurrando a cerca. Outro lado, ser judeu é ser praticante? de qual rabinagem? ser protestante é de qual linha? e por aí vai. Pessoas tem vontades e desejos, inclusive, de serem bons, honestos, gananciosos, enganadores, maus, assassinos, ociosos, existencialistas, provedores, e quantas qualidades quiserem dar. Poderia falar de histórias judaicas na Rússia e na Europa Centro-Oriental, mas recomendo Eric Hobsbawn. Ele tinha uma lente, eu tenho outra, Quando passamos para o sistema macro, não há bons ou maus, porque foi uma escolha. Olhem o Brasil: como sair desse governo paranóico e que rouba pibs de Portugal? fui eu também que os coloquei lá. No sistema macro, nunca teve e nunca terá solução fácil. Nessa difícil solução foi que defendi as Gemeine (que poderia ser transladado por micro comunidades autônomas). Vocês sabem o que eram os Soviets (está lá Orlando Figes e John Reed), daí fizeram da palavra um palavrão odiado no mundo, inclusive aqui no Brasil. Marx, Engels e Bakunin fizeram uma bagunça com o termo histórico de Soviets que só pode ser atribuído ao antigo império russo, porque era tão deles como o mar de Portugal. Mas no micro social, depende de cada um de nós a decisão, e como queremos tratar o próximo, as pessoas humildes, os necessitados, a família, os vizinhos, os colegas e amigos e estranhos nessa era da ansiedade. Não foi isto que Jesus, Iasi, ou Yeshua disse? Para que serve eu montar um templo, cultivar uma religião, cumprir todos os deveres, se no primeiro templo, que é o meu lar, estar falido? Gostei muito da anedota dos irmãos armênios.