segunda-feira, novembro 10, 2008

Contributos para a História - Angola

Artigo escrito por mim para a Agência Lusa
O Kremlin não tinha um plano elaborado de acções em Angola em 1975, ano em que este país africano se tornou independente, testemunha um antigo agente secreto soviético.
Segundo Oleg Neguin, no finais de Março de 1975, a oito meses da proclamação a independência de Angola, em 11 de Novembro daquela ano, Iuri Andropov, chefe do KGB, enviou ao Bureau Político do Comité Central do Partido Comunista da União Soviética (PCUS) uma nota analítica com recomendações sobre as posições que poderia tomar Washington, onde também não havia consenso sobre quem apoiar na ainda colónia portuguesa.
Porém, segundo Neguin, ao contrário dos Estados Unidos, a URSS não tinha um plano definido de acções: “Tinha a União Soviética um plano de acções ou um plano de operações para Angola semelhante ao plano Operação da CIA, pormenorizadamente descrito por Stockwell no seu livro ("John Stockwell, The US War Against the Third Word")? Posso responder negativamente a essa pergunta com toda a responsabilidade de testemunha e de participante dos acontecimentos. Não havia um plano desses”, afirma Neguin num artigo publicado numa revista na Rússia no final dos anos 90 onde faz revelações históricas ainda pouco conhecidas em Portugal.
"O trabalho nos arquivos dos serviços de reconhecimento externo com documentos dessa época confirma isso. Nem nos serviços de reconhecimento, nem no aparelho do Comité Central, nem no Ministério dos Negócios Estrangeiros foram criados grupos ou centros operativos como teve lugar na CIA ou no Conselho Nacional de Segurança dos EUA”, considera Neguin no artigo No cerco de fogo do bloqueio” (Memórias de um agente)”.
Gueorgui Arbatov, antigo conselheiro de política externa do Comité Central do PCUS, defende, por seu lado, que o envolvimento de militares soviéticos em Angola deu início a uma aventura que terminou no Afeganistão e foi uma das causas da queda da URSS.
“A ideologização excessiva da política externa, bem como a aposta excessiva no factor militar a fim de garantir a segurança, levaram a que a política militar e os programas de defesa tenham saído do controlo político...", escreve Arbatov nas suas memórias “Homem do Sistema”.
"Tratava-se de resquícios da ideologia 'revolucionário-narcisista', de resquícios da ideia da exportação da revolução, que tomaram a forma de uma doutrina política definida: o nosso dever de prestar ajuda aos movimentos de libertação, até a ajuda militar, que se entrelaçou estreitamente com pretensões imperiais”, prossegue.
“Estes erros e abordagens, a partir dos meados dos anos setenta do século passado, fizeram-se sentir de forma particularmente forte na nossa política. O início foi o envio de tropas cubanas para Angola” – defende.

13 comentários:

Afonso Henriques disse...

"a URSS não tinha um plano definido de acções (em Angola, após a sua independência)"

Isto põe a nu o Comunismo como poucas outras coisas.

Depois de anos e anos de guerra contra as potências e populações Europeias no terceiro mundo - guerras essas que custaram ainda mais caro aos próprios Afrianos - quer o PCP quer as guerrilhas Africanas de índole Marxista/Comunista (quase todas) agiam sob ordens directas de Moscovo, e de certo que não queriam importunar as políticas do Kremlin.

Mas, depois da destruição, depois da "libertação" dos oprimidos, o que lhes resta fazer?

Nada. Abandoná-los á sua sorte. E aí sim, Angola sofreu como nunca tinha sofrido sob domínio Português.

É este o retrato vivo do Comunismo. O Comunismo é simplesmente a ideologia mais materialista e anti-humana que existe.
E no caso da Europa, é também inimiga da Civilização.

Portanto, e tendo em conta a cantilena do Comunismo, o Comunismo só pode atraír dois tipos de pessoas:
1)Ideólogos, quase todos eles Judeus.
2)Idiotas e ignorantes. Daí a esquerda ser tão querida entra a escumalha, as classes mais baixas, ou aqueles que nunca tiveram de conquistar nada na vida, estes últimos são conhecidos por aqui como "Esquerda-caviar".
3) Atrai também os coitados que são apanhados no meio sem terem saída.

Isto é tão verdade, que quando a escumalha se esgota na Europa, trata de chamar mais escumalha do Terceiro Mundo.

Anónimo disse...

Afonso Henriques é um agente remanescente da PIDE.

sergio disse...

faço minhas as palavras do Afonso Henriques.
só a escumalha e chulos-benificiários rendimento minimo-apoiam os ultra-marxistas.
é rarissimo ver uma pessoa inteligente ser apoiante da ideologia mais assassina da história da humanidade:o comunismo.

Afonso Henriques disse...

"é rarissimo ver uma pessoa inteligente ser apoiante da ideologia mais assassina da história da humanidade"

É este o mesmo Sérgio a falar? Não pode... concerteza que é outro Sérgio! Bolas, estou mesmo curioso agora...

Duvido que seja mas se for, está a ser irónico?

E agora correndo o risco de receber uma dupla negativa e fazer figura de parvo, digo: vê Sérgio, com humildade e raciocínio, com a verdadeira busca do consenso e aquilo que é "pelo melhor!" não há necessidade de dramas...
Mas não deve ser o mesmo Sérgi...

Só mais uma coisa, há bastante gente inteligente que apoia o Marxismo/Comunismo: Marx, Lenine, todos os ideólogos visto que não será concerteza fácil manipular as pessoas de tal forma. Eu creio que, por exemplo, Fransisco Louçã é um Homem extremamente inteligente, acontece é que é um manipulador que vendeu a alma ao diabo.

E talvez um dos Homens mais inteligentes do século XX: O Italiano sempre desprezado, signore Gramsci.

Quanto ao anónimo:
Porquê, queres crucificar-me é? E deixo aqui um grande obrigado a todos os agentes da PIDE que tinham como função "caçar" Comunistas para o bem de todos os Portugueses.

sérgio disse...

sergio disse...
faço minhas as palavras do Afonso Henriques.
só a escumalha e chulos-benificiários rendimento minimo-apoiam os ultra-marxistas.
é rarissimo ver uma pessoa inteligente ser apoiante da ideologia mais assassina da história da humanidade:o comunismo.

18:34

Afonsinho, não se entusiasme todo, que está a fazer figura de parvo sim senhor, são meus os comentários até ao pedido de desculpas, mas este é outro Sergio, sem acento, enquanto que o meu Sérgio leva sempre acento. Depois se reparar, eu nunca começo uma frase com letra pequena. Lamento desiludi-lo mas não fui eu que escrevi o que está em cima, esperava que já me conhecesse melhor. Nem sequer vou falar no conteúdo. Afonsinho, como diz o ditado, quando a esmola é grande até o Santo desconfia.

Sérgio disse...

Afonsinho, não se entusiasme todo, que está a fazer figura de parvo sim senhor, são meus os comentários até ao pedido de desculpas, mas este é outro Sergio, sem acento, enquanto que o meu Sérgio leva sempre acento. Depois se reparar, eu nunca começo uma frase com letra pequena. Lamento desiludi-lo mas não fui eu que escrevi o que está em cima, esperava que já me conhecesse melhor. Nem sequer vou falar no conteúdo. Afonsinho, como diz o ditado, quando a esmola é grande até o Santo desconfia.

Afonso Henriques disse...

"esperava que já me conhecesse melhor."

Pois, eu bem que estranhei... uma mudança tão repentina seria milagre.

"Nem sequer vou falar no conteúdo."

Este sim, é o Sérgio que eu conheci. Fugindo dá rêálidádji...

osátiro disse...

Afonso, disse tudo!
É que há pessoas(!) que mesmo com a realidade diante dos olhos teimam em negar.
Todos sabemos que a URSS( mais os testas de ferro cubanos RDAs...) teve influência na conquista de poder pelos grupos próURSS em África e América Latina.
Então o Cunhal andava aqui a afzer o quê? Além de destruir a economia nacional, espalhar o terror, tomar conta das ruas...
Não gastaram as reservas de ouro e devisas do BdP?
Não foi preciso acordos com o FMI?
E os cubanos não se fartaram de roubar em Angola, inclusivé máquinas dos Hospitais que o COLONIALISMO construíu?
E por aí fora.
A pouco e pouco a História mostrará a selvajaria do mundo comunista.

Pippo disse...

É pena que um tema tão importante sob o ponto de vista histórico esteja a ser alvo de um debate ideológico, como se isso tivesse qualquer relevância para o assunto em apreço...

JM, é pena que não haja mais documentos russsos e soviéticos a serem traduzidos e publicados cá em Portugal, não acha? Seria muito interessante saber das experiências destes homens em Angola, ou no Afeganistão, etc.

Jose Milhazes disse...

Caro Pippo, claro que é muita pena. Isso pode ser mudado, basta investir algum dinheiro na investigação.

Pippo disse...

Dinheiro na investigação, em Portugal? Coitados de nós, que nem os professores universitários podem usufruir de férias sabáticas pagas para fazerem Doutouramentos... seria risível se não fosse tão tráico.

Mas é impressionante que, por exemplo, na Rússia eu tivesse visto obras à venda nas livrarias (uma delas era, se não me engano, ao lado da Lubyanka), obras essas que nem na biblioteca do ISCSP se podiam encontrar, como o "da Geopolítica" do Karl Haushoffer.

Henrique Mota disse...

AOS COMENTADORES ANTICOMUNISTAS QUE PROLIFERAM NESTE BLOGGER, COM O TÍTULO “CONTRIBUTOS PARA A HISTÓRIA – ANGOLA”. EM VEZ DE ANDAREM PREOCUPADOS COM OS ERROS DO COMUNISMO, TALVEZ SEJA ALTURA DE OLHAREM PARA O VOSSO MUNDO DE SONHOS, QUE SE DESAGREGA EM ACELERADO, E NÃO NOS PARECE QUE A CULPA SEJA DOS COMUNISTAS. OU SERÁ QUE É? SOBRE ANGOLA, AFINAL EM QUE FICAMOS? OS SOVIÉTICOS TINHAM OU NÃO INTERESSES EM ÁFRICA? DEPOIS DAS INDEPENDÊNCIAS, VEJA-SE OS INTERESSES QUE RUSSOS E CUBANOS TÊM EM ÁFRICA, COMPARATIVAMENTE AOS DAS POTÊNCIAS CAPITALISTAS. SOBRE O AGRADECIMENTO AOS AGENTES DA PIDE NA "CAÇA" AOS COMUNISTAS, JÁ AGORA ACONSELHO-VOS A AGREDECEREM TAMBÉM AO DR. OLIVEIRA SALAZAR OS MILHARES DE MORTOS E ESTROPIADOS DAS GUERRAS COLONIAIS, OU TERÃO SIDO OS COMUNISTAS OS CULPADOS? QUANDO A ASSEMBLEIA GERAL DA ONU, NA DÉCADA DE 50, COMEÇOU A CONDENAR PORTUGAL PELA SUA POLÍTICA COLONIAL, SERIAM OS COMUNISTAS QUE MANDAVAM NA ONU? E OS ESTADOS UNIDOS QUE IGUALMENTE VOTAVAM CONTRA O COLONIALISMO PORTUGUÊS, ERAM TAMBÉM COMUNISTAS? ESCLAREÇAM-ME POIS ASSIM FICO UM POUCO CONFUNDIDO. E JÁ AGORA, ACHAM QUE DERAM ALGUM CONTRIBUTO PARA A HISTÓRIA DE ANGOLA, COMO O TÍTULO DESTE BLOGGER RECLAMA? PARA SE FAZEREM CRÍTICAS DA FORMA COMO O FAZEM, É IMPORTANTE QUE SE TENHA MORAL PARA TAL. ALGUNS DOS ACTUAIS “CATEDRÁTICOS” NA CONTINUADA CAMPANHA ANTICOMUNISTA, ILUSTRARAM OS SEUS CONHECIMENTOS NOS PAÍSES DE LESTE COM DINHEIRO DE PARTIDOS COMUNISTAS, OU NÃO SERÁ ASSIM? PARA DIZER ALGO DE CORRECTO SOBRE A REPÚBLICA DE ANGOLA, É NECESSÁRIO EM PRIMEIRO LUGAR TER CONHECIMENTOS PARA O FAZER; DEPOIS SER-SE HONESTO E DEFENSOR DA VERDADE; SERÁ QUE ALGUNS DOS COMENTADORES DESTE BLOGGER ESTARÃO NESSAS CONDIÇÕES? OU OS SENHORES AINDA CONTINUAM A VIVER COM FANTASMAS? O MURO DE BERLIM CAIU HÁ MAIS DE VINTE ANOS, E O MASSACRE DA BAIXA DE CASSANJE FOI HÁ MAIS DE TRINTA. COMPREENDEM? SAUDAÇÕES - H.M.

Anónimo disse...

Para falar de história, com verdade, sob qualquer aspecto é necessário que todos e qualquer um se divorciem das suas convicções religiosas e políticas.
Nós sabemos que o com,unismonão foi um mar de rosas na Rússia mas não teria sido o regime dos Czars que enviaram o povo para os braços do comunismo.
Os comunistas são uma cambada de assassinos. Quem isto afirma parece que a sua cultura política foi obtida nos livros editados pela APR.
Mas que os comunistas sejam assassinos. Então o que diremos sobre as bombas de Herochima e Nagazaqui. Quem fez isso não foram assassinos? Os Japoneses estavam à beira de se renderem e as duas cidades referidas não tinham qualquer interesse como alvos militares.
E no Iraque? A destruição massiça de um vasto património hitórico e cultural não foi também um crime.
Era preciso destruir um opositor que não dava os améns a todas as decisões dos EUA e inventou-se que eles estavam fabricando uma bomba atómica. Até fotografaram ogivas nucleares que depois se verificou não passavam de tubos de alumínio.
Muito poderia dizer mais, mas já deve chegar para satisfazer esses ex-futuros assassinos da PIDE

Dias