sexta-feira, novembro 28, 2008

Moscovo lança nave especial de nova geração


A primeira nave russa da série Progresso M-o1M, com um sistema de comando digital, partiu hoje rumo à Estação Espacial Internacional, informou o Centro de Controlo de Voos da Rússia
O serviço de imprensa deste Centro acrescentou que o aparelho levará quatro dias, e não dois como acontece actualmente, a chegar à Estação Espacial Internacional, porque é necessário experimentar o funcionamento de todos os sistemas.
“A trajectória iniciada no Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquestão, terá como ponto culminante a atracagem do engenho à Estação Espacial Internacional”, declarou Vladimir Sovoliov, dirigente do programa de voos do segmento russo do laboratório orbital.
“Durante a viagem, confirmaremos a precisão do sistema digital face às nossas ordens”, acrescentou.
Segundo ele, “se não ocorrerem problemas substanciais no funcionamento da primeira nave, voltaremos ao esquema das 48 horas de voo”.
A nave Progresso M-01M transporta 2,5 toneladas de carga, nomeadamente, 185 litros de água, 105 quilos de equipamentos científicos, 37 quilos de equipamentos de audio e video, além de bens pessoais.
A Agência Espacial Russa (Roskosmos) anunciou que os países participantes no programa da Estação Espacial Internacional definiram a composição das tripulações aumentadas que voarão em 2009 e 2010.
Em vez de três pessoas, tal como acontece hoje, em Maio de 2009, partirá a primeira expedição de deis astronautas para o complexo espacial, aos quais se juntará um sétimo no Verão.
A missão será comandada pelo cosmonauta russo Guennadi Padalka e integrará o seu compatriota Roman Romanenko, os norte-americanos Michael Barratt, Tim Kopra e Nicole Stott, bem como o europeu Frank de Winne e a canadiana Robert Thirsk.

3 comentários:

MSantos disse...

Seria muito interessante se a Rússia tivesse planos para retomar o sistema ENERGIA. Ficar-se-ia a dispor de um lançador pesado (95Ton órbitas média-baixa) capaz de colocar módulos "a sério" no espaço além de possibilitar viagens lunares e mais além.

Pena que tenham abdicado do Klipper, que seria o substituto da Soyuz.

Cumpts
Manuel Santos

tiagopereira disse...

Caro MSantos,

Ainda mais pena tenho que a Rússia não tenha continuado com o Buran, um shuttle muito mais avançado que o americano.

MSantos disse...

Caro Tiago

A URSS tinha um projecto que era colocar um avião orbital, acopolado a um depósito de combustível, sendo lançado já a elevada altitude por um AN-225 Mryia, que seria um conceito mais inovador e económico que os sistemas convencionais.

O BURAN era uma cópia do Shutlle com a capacidade de fazer o pleno vôo em automático.

Mais importante seria o ENERGIA proporcionar a capacidade de colocar em órbita, tonelagem pesada própria para vôos lunares e colocação de estágios para uma expedição marciana.

Sites interessantes:

http://www.russianspaceweb.com/
http://www.energia.ru/english/
http://www.buran-energia.com/
http://www.k26.com/buran/

Cumpts
Manuel Santos