sábado, fevereiro 07, 2009

Proposta em tempo de crise

Um leitor russo deste blog enviou a fotografia captada num supermercado, que não poso deixar de publicar com a respectiva tradução para os leitores que não sabem russo.


PROPOSTA ANTI-CRISE!

SE COMPRAR, NÓS DAMOS DE BERBER!

Se adquirir produtos no valor superior a mil rublos, terá direito a cem gramas de vodka.

Se adquirir produtos no valor superior a três mil rublos, terá direito a cem gramas de vodka mais um pepino.

Nota: na Rússia, a vodka e outras bebidas alcoólicas são vendidas a peso, daí na publicidade se falar em gramas de vodka.

30 comentários:

Anónimo disse...

JM: há erro ortográfico na palavra BEBER.

Gilberto Mucio disse...

hehehe

Será que isso é sério mesmo?

A crise está a deixar os produtores de vodka felizes da vida.

Parte da classe-média que já estava com hábito de tomar uísques ou conhaques importados, está voltando aos poucos para a velha e boa vodka.

Jest nas Wielu disse...

... e como os russos acreditam que so existe a vodka boa e muito boa, todos os anos morrem milhares de russos, envenenados por estas vodkas, na base do alcool etilico e outras surrapas...

MSantos disse...

Lá vai o nosso velho amigo Jirinovski gastar mais uns cobres, eh, eh!

;)

Cumpts
Manuel Santos

Luís Bonifácio disse...

O facto de darem vodka é fácil de entender. Agora não percebo uma coisa:
- Qual a importância do Pepino?

Jest nas Wielu disse...

Importancia do pepino: ja que os russos bebem a vodka pura (mistura-la com o sumo de laranja ou a coca-cola e um sacrilegio), estragar dois produtos ao mesmo tempo, assim dizem eles, o pepino salgado, o toucinho (falam mal dos ucranianos mas gostam dele) ou o peixe salgado sao os productos predilectos dos russos para comer apos cada gole da "branquinha & geladinha", assim chamam a sua bebida nacional.

Inácio Cristiano disse...

Estou a ver aqui uma grande oportunidade para os jovens agricultores portugueses, principalmente para os que detêm zona de regadio, como por exemplo o Alqueva!
-Cultivar e exportar PEPINOS para a Russia.
Se os russos consideram o valor de um pepino equivalente a 200 gr.de Vodka, há aqui um trade-off, o valor exagerado está no lado do pepino.
2 decilitros de qualquer bebida "espirituosa" em Portugal, custa muito mais que um simples pepino.
Caro Milhazes será que estamos a falar do mesmo Vegetal?

Anónimo russo disse...

Inácio Cristiano,

È pura brincadeira. Um pepino salgado, penso eu, custa muito menos de 100 gramas de vodka (embora eu nao bebe vodka). E por 1000 rublos pode se comprar umas garrafas de uma vodka de boa qualidade.

Anónimo russo disse...

Jest nas Wielu,

nao confunda as pessoas - os russos, como voce muito bem sabe, falam mal dos ucranianos muito mais raramente que os ucranianos ocidentais dos russos. Muitos sao ligados com as relaçoes de parentesco com ucranianos.

Jest nas Wielu disse...

2 leitor russo anonimo

1. Identifica-se antes de falar comigo, eu nao falo com os anonimos.
2. A campanha anti – ucraniana que nestes dias foi lancada no metro do Moscovo com certeza e uma bela ilustracao do sentimento franco, aberto e fraternal que as elites russas nutrem pelos ucranianos e pela a Ucrania independente:
http://www.kommersant.ru/doc.aspx?DocsID=1112408

p.s.
por favor, nao venha com coisas do tipo: “eu nao gosto da vossa independencia e da vossa amizade com o pais X, Y e Z, mas adoro o vosso tocinho, cerveja e horilka".

p.p.s.
ha em Portugal gente que fala assim mesmo: “eu adoro a cidade de LM, que boas mulatas la comi, que camaroes maravilhosas e a minha mae era a professora em Nampula, ensinava estes pretos, digo os africanos, a serem gente civilizada”.

Anónimo russo. disse...

Jest nas Wielu,

1. Leia mais este blog, os temas vizinhos, eu já disse bastante de mim.
2. Nao engane os lusófonos que nao saibam russo. A campanha lançada nao é anti-ucraniana, no mesmo artigo se diz que vai ser lançada na Ucránia tambem.

P.S.
È muito provavel que eu sou muito mais ucraniano que voce.
E venha do Moçambique para aqui anters de discursar.

Anónimo russo disse...

P.S.
Embora o projeto nao seja anti-ucraniano, mas anti-americano, ele nao parece muito acertado. E nao se sabe, quem pagou por isso.

Inácio Cristiano disse...

Ao caro comentador Jest nas Wielu:

Como nativo orgulhoso da sua nacionalidade ucraniana, logo um observador previligiado em relação às reivindicações territoriais do país da sua fronteira leste.

Gostaria se possivel, que me explicasse de forma sintetizada a evolução da nação "Das 7 Carroças, ou seja mais propriamente Jedisan" desde o Império Otomano, Sec.XVI.
Hoje existem alguns traços históricos dessa época ? ou a hegemonia russa apagou todos os vestígios diferenciadores dessa antiga nação?

Antecipado agradecimento

Anónimo russo disse...

Inácio Cristiano,

O sr. sabe que há 1000 anos Kiev se chamava "a mae das cidades russas"?

"ou a hegemonia russa apagou todos os vestígios "
ó meu deus, meu deus...

Inácio Cristiano disse...

Caro Anónimo Russo, por agora não lhe dou réplica, mas por favor deixe o Jest nas Wielu fundamentar algo que vá de encontro aos seus (dele) interesses nacionalistas.
Desde já agradeço ao estimado ucraniano, o seu próprio ponto de vista com alguma qualidade argumentativa na base da História ou do Direito Internacional, mas necessáriamente sintética como se compreenderá.

Francisco disse...

Jest nas Wielu disse...
p.p.s.
“eu adoro a cidade de LM, que boas mulatas la comi, que camaroes maravilhosas e a minha mae era a professora em Nampula, ensinava estes pretos, digo os africanos, a serem gente civilizada”.


Senhor JEST eu há uns tempos que me afastei deste espaço, não é porque não tenha perdido o meu interesse pelo mesmo, por muitas e variadas razões prefiro ser mais observador que participante.
Mas desta vez não resisto à tentação de interpela-lo sobre qual é o alcance deste seu comentário? Como português isso diz-me respeito sabe!
Obrigado
Cin.naroda

Anónimo russo disse...

Inácio Cristiano,

Está bem.

Anónimo disse...

hahaha
o Jest é um jest mesmo, mas à boa maneira terceiromundista dos colonizados oprimidos usando a retórica antiportuguesa que é conforme a essa laia. Pois, eu diria como Xico Anísio: muito prazer, rapazinho, comi muito a senhora sua mãe, que não era mulata mas servia para distrair.

Jest nas Wielu disse...

1. Para os russos / adoradores da Rússia
Manos, não venham para o mosteiro alheio com o estatuto próprio, ou seja o moderador deste blog se chama José Milhazes, vocês não são habilitados a ditar as regras da discussão / do comportamento nestas páginas.

2. Se a campanha anti – ucraniana é lançada por russos na Ucrânia ela não fica automaticamente ucraniana.

3. Não duvido que você pode ter o apelido que acabe em –enko, ainda o Taras Shevchenko escrevia sobre os “escravos, lixo do Moscovo” entre os “conterrâneozinhos”, Mykola Hogol também lembrava os “conterrâneos” que logo que cheguem ao S. Petersburgo acrescentam –ov, ao seu apelido.

4. Para Inácio Cristiano. Pfr, seja mais claro nas perguntas e terei todo o gosto de lhe dar conhecer os meus pontos da vista.

5. Kyiv nunca se chamava “a mãe das cidades russas”, mas “mãe as cidades da Rus”, que tem o significado bem diferente. Pois até o reinado do Pedro I, o seu país era conhecido como a Moscovia cujos moradores eram os moscovitas.

6. Para Francisco “cin naroda”: o meu alcance foi do tipo médio. Para todos os filhos dos povos diferrrrentes.

7. Para o anónimo dos sonhos eróticos. Um cavalheiro não discute assuntos deste género na praça pública. Mas para um lavrador, Zé Manel da horta ou Tó Zé da oficina mecânica, já pode com certeza.

Anónimo russo disse...

Jest,

" Kyiv nunca se chamava “a mãe das cidades russas”, mas “mãe as cidades da Rus”, que tem o significado bem diferente. Pois até o reinado do Pedro I, o seu país era conhecido como a Moscovia cujos moradores eram os moscovitas"

Isto sao invençoes dos "historiadores" nacionalistas, que hoje se esforçam para criar uma história ucraniana, tirando dela os factos nao muito convinientes para suas teorías.

Sobre a campanha mencionada, eu pessoalmente acho-a uma tolice nas circunstáncias de hoje, capaz de provocar irritaçao daqueles quem apoiavam as autóridades ucranianas de hoje e se podem associar ao "toucinho americano". Mas nao foi concebida como uma campanha anti-ucraniana.
Se quiser, pode ler a história desta ideia:

http://www.russ.ru/pole/Amerikanskoe-salo

Ao resto nem vou responder, como nao costumo de debater nos foruns ucranianos (em russo, claro, porque, nao sei por que razao, os foruns ucranianos estao quase sempre totalmente em russo (adivinho que simplesmente poucos dominam a "mova" (ucraniano)) E sei que é uma coisa sem perspectivas.
Só queria te indicar, que estamos num blog "da Rússia" e nao "da Ucránia" e nao sujo nos vossos foruns, por mais nacionalistas e anti-russos que fossem (mas eu sei, que uma grande parte, espero, que a maioria, das pessoas que vivem na Ucránia, são adequadas e nao estao dispostos a piorar relaçoes).

Sérgio disse...

Anónimo Russo, desculpe por me meter na sua discussão com o Jest mas não consigo perceber como defende a sua posição quando usa argumentos como,
"Isto sao invençoes dos "historiadores" nacionalistas, que hoje se esforçam para criar uma história ucraniana, tirando dela os factos nao muito convinientes para suas teorías."

O senhor tem razão porque os outros são mentirosos, é essa a sua argumentação? Ficamo-nos então pela sua palavra.

Relativamente à ultima parte do seu comentário, percebe-se porque os Ucranianos e companhia não querem mais nada com os Russos.

Relativamente ao facto de este blog se chamar Da Russia, só o sr. Milhazes nos pode esclarecer, mas penso que seja por ele próprio se encontrar radicado na Russia, pretendendo criar um espaço para debater os asuntos envolvendo a Russia e seus países vizinhos, aberto a toda e qualquer participação, mas esta é a minha opinião.

p.s. Desculpe-me por esta última brincadeira, mas as pessoas Ucranianas que fala não estarem dispostas a estragar as relações Russo-Ucranianas também são seus parentes? Brincadeira,:).

Anónimo russo disse...

Sérgio, nao tenho tempo agora para lhe responder, só digo que nao imagina, quantos russos teem parentes na Ucránia e origem comum. Pode perguntar ao sr. Milhazes, se nao acredita em mim.
Tambem, as obras de certos historiadores ucranianos de hóje sao bastante ridiculos do ponto de vista cientifico, infelizmente, e são tendenciosas. E isso sao nao só palavras minhas.

Inácio Cristiano disse...

Ao caro comentador Jest nas Wielu:

Como nativo orgulhoso da sua nacionalidade ucraniana, logo um observador previligiado em relação às reivindicações territoriais do país da sua fronteira leste.

Numa perspectiva pan-ucraniana,
Gostaria se possivel, que me explicasse de forma sintetizada a evolução da nação "Das 7 Carroças, ou seja mais propriamente Jedisan" desde o Império Otomano, Sec.XVI.
Hoje existem alguns traços históricos dessa época ? ou a hegemonia russa apagou todos os vestígios diferenciadores dessa antiga nação?

Ou de forma mais objectiva, para lhe facilitar o raciocinio, a actual faixa no sul do seu país, deveria se chamar :

A) Ucrania do Sul
B) Ucrania Russa
C) Russia Ucraniana

Se escolher a opção A) fundamente convenientemente.
M.Obrigado

Francisco disse...

Resposta de Jest: Para Francisco “cin naroda”: o meu alcance foi do tipo médio. Para todos os filhos dos povos diferrrrentes.

Senhor Jest; não me deixou esclarecido, muito menos convencido sobre o que queria dizer com aquela sua farpa.
Insisto; Se poder, desembuche lá isso melhor!
Cin.naroda

Anónimo russo disse...

Na verdade, acho uma tolíce estas brigas todas á procura dos culpados.

Sérgio, olhei de novo as tuas pérolas, como se diz na Rússia, aqui. Nao sei, parece me cada vez mais, que tu simplesmente nao tens o que fazer (ou como dizer melhor).

Jest nas Wielu disse...

Como sempre, procurarei ser o mais esclarecedor possível:

1. Já tinha pedido que o anónimo russo se identifique, pois só após a sua identificação (nem que se chame XYZ), poderei dirigir-se a sua pessoa.
2. A Rússia só começou se posicionar como a Rússia no fim do século XVII – início do século XVIII e não há nada de historicamente incorrecto nisso.
3. Obviamente que eu li a história publicada no blog russ.ru, embora o seu autor activamente mistura “alhos com bugalhos”, a realidade é essa: a história do “toucinho americano” foi criada pelos RP russos, que tentaram a vender ao Partido das Regiões (Yanukovich e K°), só que o pessoal do Partido mandou eles para um sítio que se rima com alho, dizendo basicamente isso: “não temos os problemas com os EUA”. Resumindo: ideia criada & concebida por RP russos em 2004 nas vésperas das eleições presidenciais UCRANIANAS e fracassada por falta do financiamento, foi ressuscitada por outros RP russos (“guerreiros da luz”, salvo erro) em 2009, nas vésperas das outras eleições presidenciais UCRANIANAS, em busca de um possível financiamento russo (pois ucranianos já tinham dito NÃO em 2004). E ainda existem as pessoas que tentam posiciona-la como uma coisa ucraniana? Tenham, mas é, pelo menos alguma vergonha...

2 Inácio Cristiano

A sua pergunta continua mais ou menos turva, mas como a pessoa franca, vou tentar responde-la com a máxima franqueza possível, obrigado.

1. O que significa a frase “reivindicações territoriais do país da sua fronteira leste”? Digo lhe de forma inequívoca, o Estado ucraniano não apresenta nenhuma reivindicação territorial nem no leste, nem em nenhum outro ponto do território nacional.
2. “nação das 7 carroças ... Jedisan”, não tenho conhecimento de nada disto.
3. “actual faixa no sul do seu país”... Mas que faixa é essa? Crimeia? Sim, provavelmente Ucrânia do Sul ou sul da Ucrânia...
4. Quem a Sua Excelência é, para que eu lhe tenha “fundamentar convenientemente” alguma coisa que seja? “É membro do Governo de Portugal? É membro da direcção de algum partido português com o assento parlamentar? É um comentador político relevante? Opinion maker / blogeiro do mérito reconhecido?
5. Me esclarece sobre o p.4 e eu lhe darei os esclarecimentos devidos.

2 Filho do povo desconhecido

Pergunte por palavras claras e concretas o que quer saber e eu terei todo o gosto de o esclarecer no limite do alcance das minhas capacidades mentalmente medianas.

Anónimo russo disse...

Jest.

1. Eu já me identifiquei bastante - o meu nome neste blog vai ser "anónimo russo".

2"E ainda existem as pessoas que tentam posiciona-la como uma coisa ucraniana"

Le melhor, ninguem disse isso.

Entenda, ninguem já não quer nada com aquela parte dos Ucránianos, que nada quer com a Rússia. Mas saibam se comportar dignamente, desde que somos vizinhos.

Eu já nem falo de quando foi que apareceu o nome Ucránia e em que lingua escreviam os mensionados Gogol e Taras Shevchenko. Mas repito: não queremos nada de voces, sõ que não sujassem debaixo da porta do vizinho.

Anónimo russo disse...

Tambem, não entendo, para que alimentar sempre esta hostilidade, provocar brigas etc.

Inácio Cristiano disse...

Ao caro comentador Jest nas Wielu:

Caro amigo, não me revejo em nenhum dos requesitos mencionados no seu ponto 4.

Em relação aos demais items, creio ter ficado devidamente esclarecido da profundidade dos seus argumentos
os quais me fizeram lembrar uma sábia observação do antigo presidente americano Abraham Lincoln : -"Por vezes vale mais ficar calado, correndo o risco de nos tomarem por tolo, do que falar e tirar todas as dúvidas"
Você falou e eu fiquei esclarecido, muito obrigado.
Cumprimentos

Jest nas Wielu disse...

2 Inácio Cristiano

Não há crise meu amigo, não sei se o Lincoln disse isso, mas digo eu, em vez de hostilizar os ucranianos (que fazem muita coisa em prol de Portugal), procure ser gentil e educado com a nossa gente e terá a sua recompensa. Nesta vida ou numa próxima.

p.s.
e não leve a mal a minha pergunta №4, pois achei mais simpático de lhe perguntar disso, do que “pagar na mesma moeda”, fazendo as mesmas perguntas maliciosas sobre o seu país, sobre a Espanha, etc.

E já agora, veja a boa música ucraniana no YouTube, Sviatoslav Vakarchuk, líder do grupo Okean Elzy, canção "Tal como tu" (Така як ти):
http://www.youtube.com/watch?v=mq8yCiPAHk8