terça-feira, fevereiro 24, 2009

Ucrânia à beira de explosão social

O presidente da Federação Nacional de Sindicatos da Ucrânia (FNSU), Miroslav Iakibchuk, advertiu hoje as autoridades sobre a possibilidade de uma greve geral incontrolada no país.
“A Federação Nacional declara que a sociedade ucraniana se encontra no limiar do aparecimento de um movimento grevista incontrolável que poderá ter consequências imprevisíveis para o Estado”, declarou Iakibchuv numa conferência de imprensa em Kiev, acrescentando que “semelhantes acções ameaçam terminar num levantamento colectivo e violento contra as autoridades”.
Segundo as suas palavras, “a análise da situação na economia revela que o pessoal de mais de mil empresas está disposto a iniciar acções radicais”.
O presidente da FNSU garantiu que os sindicatos “continuam a defender os interesses dos trabalhadores, sendo um instrumento de diálogo com as autoridades”.
Por outro lado, Iakibchuk reconhece que os sindicatos “poderão ver-se impotentes perante a agressividade massiva das pessoas desiludidas, milhares das quais ficam diariamente sem emprego e meios de subsistência”.
Vladimir Litvin, presidente da Rada Suprema (Parlamento) da Ucrânia, tem a mesma opinião, considerando que as manifestações de rua que já têm lugar em Kiev podem transformar-se em acções de protesto nacional.
Nos últimos dias, a capital ucraniana tem assistido a manifestações de protesto contra o aumento do preço dos serviços comunais.
“O que se passa em Kiev é o prelúdio. Se não forem tomadas medidas, em primeiro lugar de cariz económico, isso entrará numa fase incontrolável”, declarou ele num encontro com dirigentes do poder local.
Litvin assinalou que “o poder na Ucrânia se fragmenta, o controlo da situação apenas se conserva por inércia”.
“A situação deteriora-se devido à sabotagem. Vigora o princípio de quando pior, melhor”, acrescentou.
Segundo ele, a consequência de tudo isso poderá ser que “as pessoas varrerão tudo e não farão qualquer tipo de distinção”.
“As pessoas estão categoricamente contra as eleições, mas quando elas virem que o poder é inadequado, dirão: “Queremos eleições gerais”, frisou Litvin.
O presidente do Parlamento ucraniano não poupou críticas à oposição: “ouço alguns políticos que afirmam que se estivessem no poder, não teriam permitido a crise mundial global”.
A Ucrânia está mergulhada numa profunda crise económica e política, agravada pela disputa entre o Presidente ucraniano, Victor Iuschenko, e a primeira-ministra Iúlia Timochenko.

127 comentários:

kaprov disse...

é só pedir ajuda ao tio EUA e UE.Talvez o trio maravilha... Polônia, Países Bálticos e a Geórgia podem ajudar nesta crise.Sempre solidários uns com os outros, cadê eles?

Anónimo disse...

Solidária é a Rússia, né meu amigo? hehehehe

PortugueseMan disse...

Está à beira duma coisa bem maior.

Vamos a ver se consegue desbloquear a 2ª tranche do FMI e a que preço.

A Ucrânia este ano arrisca-se a algo muito sério.

E não estou a ver saída para a situação.

Anónimo disse...

A Rússia ajudar a Ucrânia?!?!?! Hahahaha....desde quando?? A Rússia está entrando em um colapso e nem tem moral de ajudar ninguém...aliás, o PIB da Rússia caiu 8,8% em janeiro!!! Essa queda é uma das piores da Europa!!!!

http://br.invertia.com/noticias/not icia.aspx?idNoticia=200902241804 _RTR_1235498662nN24418531


Fernando

PortugueseMan disse...

"Solidária é a Rússia"

Não sei se é solidária, mas enterrou lá muito dinheiro, isso é inegável.

Anónimo disse...

os polacos já estão de olho na sua velha Lwow!!!

Anónimo disse...

o único dinheiro russo "enterrado" na Ucrânia foi da máfia de Moscou para a máfia local...isto é fato. Tenho pena de países como a Ucrânia e Rússia que se transformaram em uma Mafiolândia após o colapso do comunismo.


sérgio

PortugueseMan disse...

Então e o gás a preços especiais para a Ucrânia é às custas de quem?

Não é da Santa Casa.

Anónimo disse...

quem manda na Gazprom? o coelinho da páscoa é?

sérgio

Anónimo disse...

Tanto a Rússia quanto a Ucrânia entrarrrão em colapso nesse ano. Pior de tudo é que ninguém poderá salvar esses países, o FMI não irá ter dinheiro para ajudar países tão grandes e os EUA estão mais preocupados em salvar o seu próprio rabo, sem contar que a UE está colocando todas as suas energias para ajudar os seus países membros (Hungria, Letônia, etc).

Ananias

PortugueseMan disse...

"Tanto a Rússia quanto a Ucrânia entrarrrão em colapso nesse ano."

Colocar os dois no mesmo saco é um erro.

A Ucrânia já vive de empréstimos, aliás, viveu sempre.

A Rússia ainda tem muita margem de manobra.

Anónimo disse...

Mas você sabe mais do que eu que a margem de manobra da Rússia está se acabando...pois do que adianta ter uma piscina cheia de água mas vazando e não consertar o buraco? É só questão de tempo para a "margem de manobra" secar.


Sérgio

PortugueseMan disse...

Se a margem de manobra da Rússia está a secar, que dizer do resto do mundo?

A Rússia é dos pouco com margens destas e todos andam aflitos.

Anónimo disse...

Só pra lembrar, o PIB da Rússia caiu quase 9% no mês passado. Nem a Letônia teve uma queda tão grande! Transformar a economia de uma país dependente só de praticamente um tipo de exportação é suicídio, sempre foi e sempre será! Se a Rússia tivesse desenvolvido um mercado interno forte, nesses anos de fartura do gás/petróleo, hoje poderia estar em uma situação bem melhor. Pois, quando o mundo entra em crise e compra menos nossos produtos, podemos vender dentro do nossso país. Isso é o que acontece hoje no Brasil ou você acha que é por acaso que o meu país é um dos menos afetados pela crise?


Sérgio

Anónimo disse...

Rússia perde 300 mil postos de trabalho em janeiro
(Folhapress) - A economia da Rússia perdeu cerca de 300 mil postos de trabalho em janeiro, com os efeitos da queda dos preços do petróleo e da crise econômica global. Com isso, a taxa de desemprego no país passou para 8,1%, elevando o número de pessoas sem emprego para 6,1 milhões.
Em dezembro, a taxa estava em 7,7%. Os dados foram divulgados nesta semana pelo Serviço Federal de Estatísticas da Rússia.
Os números do mercado de trabalho russo voltam, assim, a níveis vistos apenas durante a década de 90. O preço do petróleo em queda desestabilizou a economia da Rússia --o preço do barril no mercado internacional passou do recorde de US$ 147,27 em julho do ano passado para US$ 33 em dezembro.
Atualmente, o preço do barril está perto do patamar de US$ 35. Sem as receitas do petróleo e com os gastos com programas sociais em alta, o déficit orçamentário russo deve subir para 8% neste ano.
Segundo dados do governo, o total para tentar impulsionar a economia deve chegar a cerca de 1,9 trilhão de rublos (cerca de US$ 52 bilhões).

http://www.jornalagora.com.br/site/ index.php?caderno=24&noticia=62559


com certeza a situação está bem pior se tirar a "máscara" que o governo de Putin coloca sobre o estado da economia do país

Sérgio

PortugueseMan disse...

Como a Rússia é um grande exportador de energia, naturalmente que o seu pib acompanha os altos e baixos da mesma.

A Rússia fez e está a fazer bastante para não estar dependente de exportação de energia e armas.

Mas isso não se faz num par de anos.

Anónimo disse...

Faz é?...não seja ingênuo, meu caro. Quando a Rússia entrar em colapso, aposto com você que o Putin e sua galera vão ser os primeiros a abandonar o país. Porque mafioso pode até passar a impressão que se preocupa com os outros, mas de fato, só quer salvar o seu rabo e se dar bem.


Sérgio

PortugueseMan disse...

"Pois, quando o mundo entra em crise e compra menos nossos produtos, podemos vender dentro do nossso país. Isso é o que acontece hoje no Brasil ou você acha que é por acaso que o meu país é um dos menos afetados pela crise? "

Brazil’s Real Falls in Biggest Weekly Decline Since November

...The real is down 32 percent in the past six months, the biggest decliner among the world’s 16 major currencies versus the dollar...

"...“These include the fall in commodity prices, especially agricultural products and minerals. That implies that Brazil will receive lower export revenue, which will impose restrictions on the supply of dollars for the Brazilian economy.” ..."

"...Brazil’s unemployment rate jumped the most in seven years to 8.2 percent in January, from 6.8 percent in December..."

"...The real also slumped amid growing signs the slowdown in the Brazilian economy is deepening as companies cut production and dismiss workers..."

http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=20601086&sid=aA32fjZBT9vw

Anónimo disse...

^
uma observação: não cite frases fora de contexto.
Bom, nada fora do normal em época de crise. Todos os países são afetados, alguns mais outros menos...mas te garanto que a situação do Brasil é mil vezes mais tranquila que da Rússia mafiosa.

Sérgio

Anónimo disse...

uma das grandes diferenças é que o meu país não depende somente de um tipo de exportação como a Rússia Mafiosa

Sérgio

Kremlino disse...

Sérgio e outros antiputinistas: venham viver para Portugal para verem o que é bom.
As coisas na Rússia vão começar a dar a volta muito em breve. Vão ver.

Anónimo disse...

Kremlino

hehehe...você acredita em coelho da páscoa também? Santa ingenuidade...


Sérgio

Anónimo disse...

uma simples análise:

IDH

33 Portugal 0.900
70 Brazil 0.807
73 Russia 0.806

vejam agora onde é melhor de se viver, dados são dados!


Fernando

PortugueseMan disse...

"uma observação: não cite frases fora de contexto."

A que se está a referir?


"...Bom, nada fora do normal em época de crise. Todos os países são afetados, alguns mais outros menos..."

Exactamente. É só aplicar o mesmo conceito com a Rússia.

"mas te garanto que a situação do Brasil é mil vezes mais tranquila que da Rússia mafiosa."

Se calhar o problema é mesmo esse. como você vê assim a Rússia, é natural que veja as coisas sem imparcialidade.

Deve-lhe custar ver o Brazil a receber ajuda no programa espacial pelos "mafiosos"...

Anónimo disse...

falou o mestre da imparcialidade: PortugueseMan


hahahaha...alguém poderia contar outra piada de português?

Fábio

Anónimo russo disse...

Anónimo disse...
uma simples análise:

IDH

33 Portugal 0.900
70 Brazil 0.807
73 Russia 0.806

vejam agora onde é melhor de se viver, dados são dados!


Fernando"

Acalma-te, amigo. Na mesma Wikipédia, onde encontraste esses dados, so que na versão russa, a Rússia ocupa o 67 lugar com 817 pontos e o Brasil - 70 com 807 pontos. Acredite mais nesses ratings :)

Anónimo disse...

anonimo russo....foi vc que manipulou é (hehehe), é o jeito russo de fazer as coisas, não é? hehehe...meus dados são do site da ONU


Banco Mundial destaca força do Brasil contra crise
http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/
0,,MUL1016031-5602,00-
BM+DESTACA+FORCA+DO+BRASIL+CONTRA+C
RISE.html


Fernando

Anónimo russo disse...

P.S. Tambem, segundo esse IDH, Cuba, por exemplo, ocupa o 48 lugar. Eu não tenho nada contra Cuba, gosto deste pais, mas vi como as pessoas vivem lá. E, com todo o respeito ao Brasil, na Rússia não vi nenhuma pessoa adulta iletrada, e sei que alguns brasileiros escrevem português pior até que eu.

Por isso, caros russófobos brasileiros, esqueçam o vosso IDH :)

Até breve.

Anónimo russo disse...

Anónimo que subscreveu como Fernando.
Pode ficar tranquilo, receitas reais per capita na Rússia são maiores que mostra a estatistica (pode crêr, é uma particularidade da Rússia).
Quanto à crise, eu, cujo lucro depende diretamente do bem estar das pessoas comuns, graças a deus, por enquanto não estou sentindo efeitos dessa crise. Na minha opinião, não vai haver colapso nenhum.

Tambem, as wikipedias, os sites da ONU e outros não lhe poderão dar uma noção do estado real das coisas. È preciso ter uns dados mais exatos e um entendimento mais profundo da situação.
E, quanto a máfia, eu, se fosse brasileiro, ficaria calado :)

Anónimo russo disse...

"Banco Mundial destaca força do Brasil contra crise"

Força, Fernando, força!
:)

Francisco disse...

Não aceito a opinião daqueles que dizem que o Brasil vai entrar em crise. Na medida em que a crise Brasileira é endemica.
cin.naroda

Anónimo russo disse...

Tambem, eu, pessoalmente, acho que a crise pode ter um efeito sadío (ou qual será a palavra mais exata) para a economia russa. Porque, realmente, será o melhor remedio para enfraquecer a dependéncia da economia russa do petróleo e do gas (mas não se alegrem, russófobos, mesmo a situação atual não é tão trágica :)

Afonso Henriques disse...

Eu acho uma graça esses Brasileiros recalcados que comparam o Brasil com a Rússia. Especialmente aquele que expõe a superioridade do Brazil em termos de IDH (como se isto fosse indicador de qualquer coisa, um indicador que só tem em conta a esperança média de vida, o analfabetismo e o PIB per capita) que se resuma a um único ponto (percentual).

Dizem que o Brasil é um país mais "seguro" e "viável" económicamente que a Rússia porque o Brasil é um país já controlado por um governo práticamente Comunista. E como eles desconhecem tudo o que seja regras de mercado ou macro economia, não vêem que o mercado Russo é mais competitivo que o Brasileiro e que o Estado Russo tem mais poderio económico - muito mais - que o Brasileiro.

A questão da Rússia não é Económica mas étnico-cultural. Conseguirá a Rússia manter-se Russa? Manter os seus territórios? Definir-se como tal?

Expandir-se-á pela Europa a dentro?

O PIB Russo decresce 8% e é o fim do Mundo; O Real perde metade do seu valor num dia e "é normal em tempos de crise".
Só isto mostra a parcialidade e a "incultura" dos Brasileiros que aqui deixam comentários. E é por isto que o Brasil nunca sairá da serpa torta...

ABC disse...

Remete para post na notícia anterior: estes brasileiros que odeiam russos e são pro ucranianos devem andar à pancada com todos os FSB brasileiros e russos no Brasil. Grande carnaval. E nós, lusos, no meio disto, hein?
E da notícia dos cem despedidos no Kremlin, alguém me dá o link que não encontro nada online? Não tenho nenhuma info sobre o assunto. Alguém tem? FSB e Co. ?

Anónimo russo disse...

ABC,

Quando se acalma enfim? Não sou do FSB. Sabe que isso pode ser um insulto? Se alguma vez vier para a Rússia, lhe aconselho não acusar todos à esquerda e à direita de serem agentes do FSB ou da polícia, porque muitos podem não gostar e pode resultar em alguma briga.
Com os 100 despedidos do Kremlin, não o posso ajudar em nada, hoje vi pouco a televisão, mas duvido que o que voce disse tivesse acontecido. Ontem ouvi na televisão da diminuição das despesas das estruturas do estado, começando pela administraçao do presidente, nada mais.

Anónimo russo disse...

P.S. Por sinal, o tema é a Ucrânia.

Raphael disse...

A situação da Ucrânia realmente não é boa, o mesmo vale para a Rússia, os dois países estão com dívidas externas altas demais. Só a Rússia tem 500 U$ Bi em dívidas mais que todas as reservas. Problemas com o deficits corrente e fiscal que pode chegar a 8% do orçamento. A Ucrânia assim como a Rússia são extremamentes dependentes das exportações de commodities que estão em baixa, soma-se aos problemas com bancos (VTB e Sberbank socorridos) e a falta de empreendedorismo nestes países, que "são praticamente monoeconomias", mais a corrupção... Pode se repetir o caos dos anos 90, infelizmente!

Jose Milhazes disse...

Caros leitores, ontem a Sra. Timakova, porta-voz do Presidente Medvedev, anunciou que até 01 de Março terá de ser feita uma lista de cem pessoas a despedir na administração presidencial. Essa ordem foi dada por Serguei Narichkin, um dos chefes da náquina do Kremlin. Quem souber russo, pode encontrar a notícia em http://www.gazeta.ru/politics/2009/02/24_a_2948370.shtml

Anóniomo russo disse...

Raphael,

A situaçao na Ucrânia e na Rússia são diferentes.
A divida de 500 bi de dólares (a soma da dívida corporativa e de estado) é uma estimação do jornal Times ou Finencial Times (não me lembro).Outras fontes indicam uma divida muito mais baixa. Ouvi tambem analistas que dizem que as EUA vão ruir na próxima semana. Não se pode acreditar em tudo o que escrevem, dizem etc.
Sobre a "falta de empreendedorismo" - é um engano e não corresponde à realidade.
Se a Rússia estivesse numa situação realmente preocupante, não concedia creditos aos seus vizinhos como o faz agora.
Por isso, aconselho àqueles que desconhecem totalmente a realidade russa só esperar algum tempo, que vamos ver.

P.S. Realmente, aquele ataque te clones de Sergios, Fernandos etc. parece um ataque de um alaranjado desiludido e desesperado, cujo sonho alaranjado ruiu :)

Anónimo russo disse...

P.S. A divida corporativa não é uma divida de estado e nada tem a ver com as reservas.
Tambem, a quem gosta de recordar dividas, défices orçamentais e crises de sistemas bancários, aconselho recordar os EUA :)

Raphael disse...

Anónimo russo
As dívidas externas da Rússia são extremamente altas, só de empresas chegam a 400 Bi U$.

"Russia denies $400 billion foreign debt restructuring

By Gleb Bryanski and Oksana Kobzeva

MOSCOW (Reuters) - Russia denied seeking to restructure as much as $400 billion in companies' foreign debts on Tuesday after a Japanese newspaper said a local banking lobby group had asked the government to help negotiate with creditors.

The report in Japan's Nikkei newspaper prompted a sell-off in the euro, which dropped more than 1 percent against the yen and dollar before denials from Russia and the banking lobbyist who was cited as a source for the story.

"The government of the Russian Federation does not plan to consider the issue of restructuring the corporate debt of Russian banks and companies," Finance Minister Alexei Kudrin told Reuters.

Kremlin chief economic aide, Arkady Dvorkovich, said no such proposals had been made and that Russian corporates were continuing to service debt as normal.

Nikkei quoted Anatoly Aksakov, president of the Russian Association of Regional Banks, as saying the group had asked the government for help in talks with creditors.

Aksakov later told Reuters the corporate debt restructuring plan was only an idea and had not been submitted to the government.

"What was printed in the paper, with reference to me, is untrue," Aksakov told Reuters.

"The idea is that it would be good if all creditors agreed about the restructuring of debt. The essence is that foreign banks would like unified restructuring principles, and for the Russian government to be involved," he said."

http://www.reuters.com/article/ousiv/idUSTRE5191NF20090210

Muitas dessas dívidas são de empresas de oligarcas.

Sobre empreendedorismo, os bilionários russos nenhum deles construiram fortunas empreendendo negócios, nenhum deles sequer tem perfil de um Bill Gates ou Carlos Slim, por isso não vejo uma elite forte, empreemndedora com um papel de inovação e fortalecimento do país, infelizmente quase todos tão sujo quanto o Kremlin.

Admiro muito e respeito a Rússia, país o qual tive a oportunidade de conhecer, mas minhas critícas as deixo para o governo e não para o país/povo. Pois com o governo Putin-Medvdev os russos foram enganaos/manipulados com um populismo que não permitiu aos russos saberem o que se passa realmente na Rússia, pois muitos russos pensam que o Putin realmente trabalhou para o povo. A época de bonança econômica mundial acabou, espero que o povo russo não sofra como antigamente, e que a Rússia possa algum dia ser uma democracia moderna que permita ao país avançar e resistir a crisis!

Raphael disse...

Anónimo russo

As reservas em moeda estrangeira tem tudo a ver com a dívida externa tanto a do governo como de empresas.
Pois as empresas vão buscar dolares no mercado cambial para quitar dívidas e o banco central tem que atender a demanda no mercado cambial. Em época de crise, investidores e empresas ligadas ao comércio exterior compram dolares (ou euros) no mercado cambial, quando é insuficiente como vemos ocorrendo em boa parte do mundo, a moeda sobe.

Anónimo russo disse...

Raphael,

"com um populismo que não permitiu aos russos saberem o que se passa realmente na Rússia"

porque voce decidiu que voce sabe melhor que nos o que se passa na Rússia?

Quanto à divida corporativa, não é uma divida de estado, é preciso ter em conta os prazos e outros factores. Ninguem exige uma restituição imediata etc.
Quanto às reservas, mesmo que tenha uma ligação com a divida corporativa, o estado tem uma margem de manobra e não é obrigado pagar por outros tudo o que os bacos estrangeiros quiserem. Não vejo aqui só os aspectos negativos.
Tambem as empresas exportadoras não deixaram de repente de exportar, o governo pode baixar os impostos (e está a fazer isso). Enfim, as reservas não devem corresponder à divida externa corporativa. A produção das empresas exportadoras não parou e o governo não tem de restituir as dividas delas imediatamente e em pleno volume. Assim, a cituação não está tão tragica.
Eu lhe sugiro esperar. A minha opinião é que terá de esperar anos e anos a queda total da economia russa.

Anónimo russo disse...

Raphael,

"Em época de crise, investidores e empresas ligadas ao comércio exterior compram dolares (ou euros) no mercado cambial",

os exportadores russos recebem dólares e euros da exportação, é preciso ter isso em conta tambem.

Sobre empreendedorismo, eu não estava falando dos oligarcas.

Resumindo, vamos esperar.
E mais uma vez aconselho olhar as dívidas e outras estatisticas não só da Rússia, mas de outros paises tambem.

Anónimo russo disse...

"Em época de crise, investidores e empresas ligadas ao comércio exterior compram dolares (ou euros) no mercado cambial"

Mais uma vez. Eu não sou um especialista no assunto, mas ouvi, que as empresas exportadoras até eram obrigadas (não sei como é hóje) a vender uma parte da moeda estrangeira a entrar por elas na Rússia.

Anónimo russo disse...

Raphael

P.S.
Por outras palavras, foram essas mesmas empresas exportadoras que criaram as reservas que a Rússia tem hoje. Eles, segundo eu entendo, não têm de comprar dolares-euros na bolsa. O problema deles agora é a queda dos preços. Por isso, parece-me, que neste aspecto você não tem razão. Elas recebem os pagamentos em moeda estrangeira.

Enfim, amigos, cansarão de esperar.

João Leitão disse...

Espero que tudo se resolva com a situação na Ucrânia para que o seu povo possa viver descansado pensar que o país possa finalmente ter um pouco de descanso.

Anónimo russo disse...

Resumindo.

1. Embora eu não seja um economista professional, parece-me que todas as empresas russas, ligadas a exportação, trazem dolares\euros para a Rússia e, suponho, não precisam de compra-los no mercado para restituir as suas dívidas, obrigando assim o banco central a gastar as reservas dele. E o peso deste tipo de empresas na economia russa (feliz,- ou infelizmente) é nitório.

2.Parece-me que a dívida de estado e de empresas sempre são coisas diferentes. As empresas, que têm essa dívida, felizmente, não faliram e continuam a funcionar, eu suponho. Isso significa que é duvidoso que o estado tenha de pagar essas dividas com as reservas que tem hoje. O que querem bancos estrangeiros agora é garantias por parte do estado (que o último não é obrigado a dar). Tambem, tem empresários (dos maiores), que declaram que são capazes de resolver tudo sem a ajuda do estado (Deripaska, por exemplo). Quando for preciso, o estado pode interferir e ajudar, eu acho.
3. Eu acho que os lideres atuais do pais, na verdade, não são piores que muitos outros lideres mundiais. E de maneira nenhuma a queda da economia russa corresponde aos seus interesses, porque, parece, ainda querem ficar no poder. De onde tanto tragico? Todos à volta são santos e estes são uns demónios?

Anónimo disse...

notório

PortugueseMan disse...

Dado que o tópico aqui é a Ucrânia, acho esta notícia importante.

"Ukraine's first president calls on Yushchenko to step down"

"...In a live address to Yushchenko on the Ukraina TV channel on Tuesday, Kravchuk said: "The true patriotism of a president... also means understanding the situation from within and making a responsible decision to step down. Such a step could stop the avalanche of problems, calm society and give hope for a real way out of the crisis."..."

"..."Until recently I thought the presidential elections should be held according to law. But today I have a different opinion. I have seen clearly that you are not giving most of your attention to Ukraine`s problems, instead you are thinking of how to stay in power," Kravchuk said..."

http://www.unian.net/eng/news/news-302673.html

Embora não me agrade andar a dizer que os governos têm que cair, o caso da Ucrânia e Geórgia são especiais.

Ambos levaram os respectivos países à sua actual situação, não no interesse nacional, mas sim pelos interesses de terceiros.

Para ser franco, considero traição o que eles fizeram à nação de cada um.

O caso da Ucrânia é uma situação bem mais grave que o da Geórgia, que é um país pequeno.

A Ucrânia, com quase 50 milhões de habitantes, à beira da falência e sem ter como pagar a energia que consome, para não falar no resto é uma bomba relógio prestes a rebentar.

É um perigo para todos à volta. A Europa já tem problemas suficientes e não poderá acudir a um país desta dimensão.

A Rússia não irá acudir (mesmo que pudesse), dado as opções militares ucranianas.

Mas o rebentar da Ucrânia irá trazer instabilidade nas linhas de fornecimento de energia da Europa.

As guerras internas colocam em xeque o dinheiro do FMI.

E no meio disto tudo está um presidente que com o seu objectivo de entrar na NATO, fecha os olhos a tudo o resto.

A Ucrânia rebentou com a sua imagem na Europa e na Rússia e os EUA de nada lhes podem valer.

Considero essencial a saída do presidente e arranjar alguém que use um tom mais amigável com a Rússia.

Depois, negociar com a Rússia e Europa, uma forma de subsidiar a energia que consome.

Isto terá um preço pelo menos. a integração na NATO. Mas é melhor começarem a pensar o que desejam à mesa,se comida no prato, ou um vazio, mas fazendo parte da NATO.

A Ucrânia está por um fio e arriscamo-nos a ver algo de muito mau a aparecer.

Kremlino/ABC disse...

1. Obrigada JM pela resposta. Espero que nesses 100 vão as ovelhas ranhosas de que já falámos.Será importante verificar as pessoas importantes constantes da lista. Obviamente que não são despedimentos: são transferências ou reformas antecipadas, porque não se podem despedir funcionáreios do Estado na Rússia. Por isso, JM, esteja de olho na coisa, que pode ficar a saber muito.A lista está mais do que pronta e as personagens neutralizadas, não duvido.
2. Anónimo russo 1 ( porque há mais do que um por este blog, como se sabe). A ver se entende: você não é do FSB, óptimo. Mas há agentes do FSB a controlar este blog. Disso não duvide e nem sequer têm de se fazer passar por russos ou de comentar. Muitos leitores alertaram para isso e até é possível que a vigilância já dure há algum tempo. E quanto à bondade das intervenções bloguistas na Rússia, vou contar-lhe uma coisa que se passou comigo das primeiras vezes que entrei num blog russo em inglês e deixei um comentário com piada e que nem ofendia ninguém, muito menos do poder. O blogger respondeu avisando-me de que se tornasse a comentar passaria o meu IP ao FSB. Acha isto normal? Pois é assim que as coisas funcionam na blogoesfera russa. Por isso não me venha repetir que é tudo invenção da minha cabeça, que estou farto de ouvir essa e tenho provas do contrário. Estamos entendidos? E, pelos vistos, você anda muito mal informado, que nem tinha ouvido falar na limpeza do Kremlin.Eu não leio russo e estou em Lisboa e mesmo assim tenho imensa informação através da net. Que tal esmerar-se mais um pouco, se quer mesmo informar esta audiência? Mande sempre e acalme-se, ok? Eu não sou da CIA. Por enquanto. hehehe
3. Por isso eu falo directamente com o FSB: parabéns ao boss por ter arrumado a casa. Só espero é que a limpeza tenha sido mesmo total.Ah, e continuo a achar que Putin precisa de férias e que em Portugal está-se bem.É um sol lindo, é amendoeiras em flor, isto é do melhorio, rapazes, vão lá dizer ao patrão, ok? Cumprimentos.

Afonso Henriques disse...

"Mas há agentes do FSB a controlar este blog. Disso não duvide e nem sequer têm de se fazer passar por russos ou de comentar."

LOL AH AH AH!!!! Estes comunistas, são mesmo paranóicos e engraçados!!!! LOOOL

A propósito, eu sou do FSB. Melhor, sou o próprio Putin... ou quem sabe... o Rasputin...

Afonso Henriques disse...

Portuguese Man,

Você parece ser um dos poucos que por aqui comentam que deve ser levado a sério e aparenta conhecer a situação mais do que eu prórpio...

Concordo inteiramente consigo que aquilo que se passa com a Ucrânia é um verdadeiro crime. Digo ainda mais, que não é apenas o governo que tem de cair, mas todo o Estado que dá pelo nome de "Ucrânia". É um Estado sem pés nem cabeça que nunca poderá trazer nada de bom nem para o resto do mundo, nem para os seus próprios habitantes.

A Ucrânia é hoje o quinto maior país da Europa (exceptuando a Rússia) e o mais miserável de todos (exceptuando os enclaves Turcos na Europa do Kosovo, Bósnia e Albânia; bem como a Moldávia, também assolada por guerras causadas por um multiculturalismo estúpido).

De facto, se os Ucrânianos querem ter um pouco de qualidade de vida, terão de ultrapassar a fase "Ucrâniana". Mas como?

Não vejo saída. O que acontecerá? Provávelmente apenas mais e mais e mais miséria. É pena.

ABC/KREMLINO disse...

Afonso Henriques de trazer por casa:
você anda muito desmemoriado em relação à minha pessoa. Agora sou comunista? Essa de quem apioa Putin é comunista é, como posso dizer, de QI de formiga. e tamb+em já não sabe o que comenta? Pois, deve saber tanto quanto o que sabe do controlo dos blogs na Rússia. Vê-se. Um conselho: não faça figura de parvo a falar do que não percebe. E isso de que é Putin que faz tudo é piada que já deu fruto, mas agora está fora de moda. Só faltava mesmo que alguém daquele nível andasse a ler blogs.Vá pela sombra.

Raphael disse...

Anónimo russo

"porque voce decidiu que voce sabe melhor que nos o que se passa na Rússia?"

Não decidi que sei mais que os russos, apenas tenho o meu ângulo de visão!
E o governo russo permite aos russos saberem o que se passa realmente na Rússia? Afinal quem sabe "um pouco mais" do que acontece na Rússia, acaba muito mal!

"Quanto à divida corporativa, não é uma divida de estado, é preciso ter em conta os prazos e outros factores. Ninguem exige uma restituição imediata etc.
Quanto às reservas, mesmo que tenha uma ligação com a divida corporativa, o estado tem uma margem de manobra e não é obrigado pagar por outros tudo o que os bacos estrangeiros quiserem. Não vejo aqui só os aspectos negativos.
Tambem as empresas exportadoras não deixaram de repente de exportar, o governo pode baixar os impostos (e está a fazer isso). Enfim, as reservas não devem corresponder à divida externa corporativa. A produção das empresas exportadoras não parou e o governo não tem de restituir as dividas delas imediatamente e em pleno volume. Assim, a cituação não está tão tragica.
Eu lhe sugiro esperar. A minha opinião é que terá de esperar anos e anos a queda total da economia russa."

As exportações não pararam mas cairam muito de valor. País nenhum do mundo teve a propdução interrompida embora muitos estejam contraindo.
Mas é evidente que não é uma dívida de estado, você não leu a notícia da reuters! Empresas nenhuma do mundo tem 400 Bi U$ em caixa para saldar dívidas, lembrando que essas dívidas foram contraídas atravéz de empréstimos a juros baixos quando o país tinha superavits em comercial e corrente, o país trocava petróleo por empréstimos, eis aí o problema, pois agora o preço do petróleo caiu, o excesso de dolares sumiu do mercado cambial e as empresas endividadas no exterior tem que recorrer ao banco central que é o único que pode oferecer dolares a empresas!
O banco central russo já deu 100 bi u$ ao Sberbank e VTB (que são estatais) para ajuda-los porque estavam com dívidas no exterior, se o governo não saldar dívidas mesmo que não seja dele, o país corre riscos de crise.
Lembrando que várias estatais estão endividadas também.
A Standard & Poor´s rebaixou o rating da Rússia justamente por isso:

In the latest news item to predict a chaotic future for the Russian economy, the Standard & Poor’s rating agency cut the country’s debt rating (Rus) for the first time in a decade Monday. In a separate press-release, the agency also cut its rating of a series of companies connected with the government and regional authorities (Rus), including oil and gas heavyweights Gazprom, Transneft and Rosneft.

Russia’s long-term foreign currency sovereign credit rating fell to BBB in the long-term, and A-3 in the short term, with a negative outlook. This means Russia is now just two notches above the “junk” category, and continuing adverse economic conditions could prevent Russia from meeting its financial obligations in the future.

The drop is tied closely with capital flows moving out of Russia, and with a sharp decline in Russian foreign currency reserves. The new ranking marked the first time Russia’s sovereign rating had been cut since the escalation of the financial crisis.

http://www.theotherrussia.org/2008/12/09/standard-poors-downgrades-russia/

"os exportadores russos recebem dólares e euros da exportação, é preciso ter isso em conta tambem."

Sim recebem mas a diferença agora é a quantidade que recebem. É só ver quanto o rublo valia em julho de 2008 e quanto vale hoje mostra que o fluxo de moeda estrangeira rumo a Rússia caiu e a fuga cresceu.

"Sobre empreendedorismo, eu não estava falando dos oligarcas."

Os oliarcas são a elite da Rússia. E elite tem tudo a ver com empreendedorismo! Eis a diferença da elite russa com a elite do mundo ocidental. Existe muita diferença entre um Deripaska com um Bill Gates.

"Resumindo, vamos esperar.
E mais uma vez aconselho olhar as dívidas e outras estatisticas não só da Rússia, mas de outros paises tambem."

Sim claro, tem outros países em situação bem pior que a Rússia como a Ucrânia, países bálticos, ex-repúblicas e alguns europeus ocidentais.
Falando em Ucrânia parece que nem o FMI conseguirá ajudar o país, triste isso!

Ricardo disse...

Tanto a Ucrânia como a Rússia enfrentam uma grave crise, assim como a UE, ja que esses 2 primeiros dependen muito do 3º. diferença é que bem ou mal a Rússia tem 380 bi de doláres de reserva e a Ucrania não tem nem 1 centavo, teve que correr e pedir para o FMI.

anónimo russo disse...

Kremlino/ABC

"E quanto à bondade das intervenções bloguistas na Rússia, vou contar-lhe uma coisa que se passou comigo das primeiras vezes que entrei num blog russo em inglês e deixei um comentário com piada e que nem ofendia ninguém, muito menos do poder. O blogger respondeu avisando-me de que se tornasse a comentar passaria o meu IP ao FSB. Acha isto normal?"

È pena voce não saber ler em russo. Veria quantos insultos à Putin e outros há na blogoesfera. Aquele blogger, não sei o que queria, talvez estivesse a brincar, talvez quisesse assustar, talvez estivesse doente, não sei.

Ricardo disse...

Exportações da poderosa economia japonesa cairem 46% em janeiro, bancos dos EUA estimam ter um rombo de 4 trilhões de doláres, crysley e gm praticamente falidas, pedidos da industria europea recuam 23% em 2008, enfim posso ficar escrevendo aqui até amanha sobre a crise que se abate do mundo e ao contrario de alguns aqui que parecem não ler jornais, a crise não é russa e nem do leste europeu e sim global.

anónimo russo disse...

Raphael,

"Empresas nenhuma do mundo tem 400 Bi U$ em caixa para saldar dívidas, lembrando que essas dívidas foram contraídas atravéz de empréstimos a juros baixos quando o país tinha superavits em comercial e corrente, o país trocava petróleo por empréstimos, eis aí o problema, pois agora o preço do petróleo caiu, o excesso de dolares sumiu do mercado cambial e as empresas endividadas no exterior tem que recorrer ao banco central que é o único que pode oferecer dolares a empresas"

Aqui é preciso números exatos, senão não vale a pena discutir. Todas essas declarações abstractas eu conheço muito bem. Se quiser discutir, dê o núimero exato por cada empresa, o pagamento mensal, o lucro por mes etc. O que eu quero diser é que ão vai haver nenhuma catastrofe.

anónimo russo disse...

Raphael,

"Empresas nenhuma do mundo tem 400 Bi U$ em caixa para saldar dívidas, lembrando que essas dívidas foram contraídas atravéz"

ninguem exige essas dividas de volta de imediato. Isso de 400 bi é só um número, era e é um facto notório (pelo menos aqui na Rússia). È um número geral que por si só pouco diz. Se quiser fazer algumas declarações, investigue os números por cada empresa (pelo menos dos principais), as dívidas, os pagamentos, o estado dessa empresa. Então, poderá falar concrenamente. Senão é um palavreado, tirado da realidade.

anónimo russo disse...

Raphael

"dolares sumiu do mercado cambial e as empresas endividadas no exterior tem que recorrer ao banco central que é o único que pode oferecer dolares a empresas"

parece que voce não entende muito bem o assunto. As empresas exportadoras ganham em dólares\euros. Se quiser provar o contrário ou justificar as suas palavras, dê os números exatos.
O dinheiro dado aos bancos foi dado, segundo eu entendo, para apoiar o sistema bancario russo.

Jest nas Wielu disse...

Bom, como a maioria dos comentaristas não tomaram o chazinho, não vou entrar em pormenores. Apenas queria dizer o seguinte:

1. Miroslav “Carvalho da Silva” Yakibchuk advertiu o poder sobre uma greve geral incontrolada. Acho que camarada sindicalista português anda fazer as mesmas advertências todos os dias.
2. O presidente de um partido que tem (salvo erro) 15 ou 19 deputados entre os 450, acredita nas palavras do “Carvalho da Silva”. Quer dizer, “Bloco do Lytvyn” acredita no “C. Da Silva”, maravilhosamente.
3. Será que toda a gente na Ucrânia é tão pessimista? Não há ninguém quem acha o contrário? Pelo menos para mostrar que outra sensibilidade também foi ouvida....

anónimo russo disse...

Raphael,

1. "A Standard & Poor´s rebaixou o rating da Rússia justamente por isso:

In the latest news item to predict a chaotic future for the Russian economy" etc.

Eu li isso ainda há uns 3 meses em Finencial Times (tradução russa). E depois?

2."Os oliarcas são a elite da Rússia. E elite tem tudo a ver com empreendedorismo! Eis a diferença da elite russa com a elite do mundo ocidental. Existe muita diferença entre um Deripaska com um Bill Gates."

De onde tanta serteza em tudo isso. Uma certeza, perdoem, verdadeiramente brasileira :)

Jest nas Wielu disse...

Já que muitos russotropicalistas deste blog adoram o mito sobre os “russófonos” da Ucrânia que “dormem e sonham” com os nanotanques russos no nosso país, eis um artigo sobre os ucranianos “russófonos”: http://globalvoicesonline.org/2009/02/24/ukraine-russophone-ukrainian-nationalists . Enjoy it!

Original em russo: http://alek-ya.livejournal.com/1280824.html

anónimo russo disse...

Rafael, esqueci mais uma coisa:

"E o governo russo permite aos russos saberem o que se passa realmente na Rússia? Afinal quem sabe "um pouco mais" do que acontece na Rússia, acaba muito mal"

Nada disso, nós temos várias fontes de informação. Na internet até, por exemplo, temos mais que muitos outros: tem dois sitios muito vizitados, onde se colocam as traduções dos artigos da imprensa mundial sobre a Rússia. Assim, mesmo quem não saiba linguas estrangeiras, pode ler opiniões mais variadas. Infelizmente, você, parece, como muitos outros, desconhece totalmente a realidade Rússa.

P.S. Eu, por exemplo, como milhoes e milhões dos outros, graças a deus, ainda não "acabei muito mal". Sabe, quantos russos viajam (pelo menos viajavam antes da crise, agora, igualmente como para os brasileiros que eu conheço, fica mais caro)?
Onde se aprende essas tolices todas da Rússia?

anónimo russo disse...

Jest nas Wielu,

ninguem não quer nada daqueles quem não quer nada de nós, fique quieto.
Não tenho tempo de ler, infelizmente.

anónimo russo disse...

Jest

Por sinal, Jest, os meus parentes não são nenhum "mito".
Acalma-te.

anónimo russo disse...

Jest

Decidi sempre abrir. Está a mentir de novo? Parece, é um blog de um nacionalista ucraniano anti-russo, que não domina "mova"(ucraniano). Coitado.

anónimo russo disse...

Raphael,

"O banco central russo já deu 100 bi u$ ao Sberbank e VTB (que são estatais) para ajuda-los porque estavam com dívidas no exterior"

Voce tem a certeza de que Sberbank e VTB, bacos estatais (!), tinham dívidas no exterior, quando o estado tinha tantas reservas? Parece, que alguem aqui está simplesmente mal informado.

Francisco disse...

O Senhor anónimo Russo noutro local deste blog respondeu ao meu comentário sobre a crise na Rússia e diz que não vê a situação tão má como muitos a descrevem. Eu também não disse que estava tudo completamente paralisado (isso seria a catástrofe antecipada). Disse apenas que a situação estava complicada já existem muitas empresas paradas. Citei-lhe casos concretos que conheço. Funcionários públicos que não recebem os vencimentos, desemprego galopante, os preços dos bens de consumo a subirem, ordenados e pensões de miseráveis………
Perdoe-me, mas não vai tentar convencer-me que perante esta situação, tudo está bem pois não? Ou considera normal um gigante industrial como a GAZ (sector automóvel) estar à beira da rotura, como lhe referi o director financeiro suicidou-se há poucos dias. Outro grande complexo industrial da mesma região a Borckii Steklozavod (fabricava vidro para veículos de toda a CEI) também está com dificuldades. O Senhor considera normal uma cidade com cerca de dois milhões de habitantes como é o caso de Nijni Novogorod a quase totalidade das empresas funcionarem 4 dias por semana? Mas as paralisações não se restringem apenas a esta cidade, já atingem toda a região do Volga até Samara, como é o caso das fábricas de veículos em Togliatti há muito tempo que estão a trabalhar a meio gás. Perante tudo isto o Senhor diz-me que ainda não viu sinais de crise.
Talvez a comece a notar apenas quando os Americanos enviarem rações de combate dos seus soldados para alimentar o povo Russo como aconteceu em 1993?
Caro anónimo a situação na sua Rússia está tão complexa que para a descrever não bastam umas quantas linhas como nós aqui fazemos. Teríamos que recuar muito no tempo para fazer-mos uma analise mais detalhada. Ultimamente os dirigentes Russos habilidosamente têm conseguido encobrir esse quase caos com as receitas da venda das matérias primas. Mas a bonança acabou, e por muito que se apregoe os enormes recursos de que dispõem, isso pouco ou nada conta. Como lhe citei ontem, os preços não são estabelecidos na Rússia, dependem da procura externa. E como não é segredo para ninguém e muito menos para o Senhor o parque industrial Russo está obsoleto, as infra-estruturas ferroviárias estão caducas, a Rússia não dispõe de uma rede viária em condições, a vossa rede de transporte fluvial (o grande orgulho Soviético) está totalmente degradado. O ensino em muitas regiões é quase inexistente, não tem apoios do estado, ao ponto de em certos locais já aparecerem bolsas de analfabetismos, noutros casos os alunos terem que levar até as cadeiras para as escolas. As condições de apoio social além de muito má qualidade estão desadequadas para as necessidades das populações, por isso não admira que a mortalidade infantil tenha disparado vertiginosamente e esteja acima de certos países do terceiro mundo, a esperança média de vida baixou cerca de vinte anos. O alcoolismo e as drogas afectam milhões de Russos. Segundo dados da UNICEF vagueiam nas cidades Russas mais de um milhão de crianças sem protecção familiar. A corrupção é generalizada, não existe um sistema fiscal justo e eficiente na Rússia. O coeficiente de GINI é dos mais elevados a nível mundial (reflecte a distribuição da riqueza).

Com todo este descalabro não é de admirar as razões da alarmante quebra demográfica Russa. A frota mercantil e pesqueira de Murmanrsk era jóia da coroa Soviética e uma das maiores do mundo, cobria uma área de mais de 3500 milhas,em 1987 quando estava no auge transportou mais de 7 milhões de toneladas ao longo das águas geladas que se estendia até às minas de Norilsk. Murmansk na actualidade é o maior paraíso de piratas e criminosos, transformou-se na sede dos mafiosos marítimos Russos. A Tortuga do século XXI.
Para inverter esta situação teria que se despender muito mas muito dinheiro e ao mesmo tempo mexer nos interesses obscuros que controlam a vida na Rússia. Isso é absolutamente impossível. Portanto a deriva vai continuar!
O regime Soviético era reprovável em muitos aspectos, um deles não satisfazia as necessidades dos seus cidadãos dispondo de riquezas incomensuráveis, não havia qualquer justificação para a escassez de bens essenciais. Com o seu desmantelamento não se concretizou a criação de uma democracia como é entendida pelos nossos padrões. Na medida em que a Rússia carecia dos componentes para instalar uma sociedade liberal, livre e justa. O desmoronamento do regime comunista deixou um vazio de poder que ninguém conseguiu colmatar. Seguiu-se um período de cegueira eufórica por parte da população que permitiu a muitos dos antigos dirigentes e a grupos mafiosos organizados pilhar os bens que pertenciam ao estado, o que algum tempo depois culminou com o agravamento das condições de vida da maioria da população. Este encandeamento nada tem de surpreendente; sabemos que pior que más leis só a ausência delas. A libertinagem é pior que a tirania porque substitui a arbitrariedade de um por a arbitrariedade de muitos. Portanto foram estas as vicissitudes por que passou a Rússia na década de 90.

A Rússia foi ferida e humilhada no seu orgulho, em todos os aspectos desde as derrotas sofridas na Tchetchenia, às agressões contra os seus irmãos Eslavos (Jugoslávia) a maneira como era menosprezada nos fóruns internacionais. Quando Putin recebeu o poder da forma nada democrática (tipo Coreia do Norte) das mãos de Yeltsin estava consciente desta situação, nada melhor que começar por restaurar o orgulho perdido do povo Russo. Ora sabendo ele(Putin) que a humilhação sofrida ou imaginada é a mãe de todas as retóricas, não podia encontrar melhor panaceia para conquistar os corações dos Russos. E desta forma tem governado autoritariamente o país com um disfarce democrático.

Senhor anónimo sem tentar ferir o seu patriotismo, mas a governação de Putin faz lembrar-me aquela lenda de Potiomkim Skaiá Derevná (aldeia de Pontemkin em Português)
Cin.naroda

Wandard disse...

"O PIB Russo decresce 8% e é o fim do Mundo; O Real perde metade do seu valor num dia e "é normal em tempos de crise".
Só isto mostra a parcialidade e a "incultura" dos Brasileiros que aqui deixam comentários. E é por isto que o Brasil nunca sairá da serpa torta..."

Afonso Henriques,

Sempre com comentários sem base, ou baseado em informações da internet.

O Brasil, assim como todos os países também está sentindo a crise, também está ocorrendo demissões e já existe um certo acúmulo do índice de desempregados, a contar do início da crise, mas os números ainda são muito inferiores aos de "outros" países desenvolvidos ou emergentes.

Quando a "incultura", vejo aqui muito pouca demonstração desta condição depreciativa que o senhor se referiu, da parte dos poucos brasileiros que por aqui se aventuram, quando comparado aos que não são brasileiros e resolvem falar do Brasil sem sequer conhecer bem o país para tecer comentários, por sinal eu não sabia que o governo do meu país era comunista, acho que só o sr sabe, vai uma dica, não conte para ninguém, podem achar que há alguma coisa de errado.

Caro anônimo russo, a opinião e a visão de alguns, de forma alguma reflete a visão de um povo, porém a liberdade de opinião e expressão é um direito de todos. A Rússia é vista de forma diferente pela grande maioria.

Abraço,

anónimo russo disse...

Francisco,

desculpe, agora não tenho tempo de responder agora, só vou dizer umas palavras.

1. Não tento convencer ninguem, só falo daquilo que tenho diante dos olhos e da minha própria experiéncia tambem.

2. O que voce descreveu, parece muito a propaganda que distribui o Partido Comunista da Federação Russa e pouco corre corresponde à realidade. Mais tarde, vou responder mais concretamente.

3.
"O Senhor considera normal uma cidade com cerca de dois milhões de habitantes como é o caso de Nijni Novogorod a quase totalidade das empresas funcionarem 4 dias por semana"

a economia rússa não se restringe apenas a empresas grandes. Mesmo nas empresas grandes nem tudo está tão triste, tudo depende de cada caso concreto.

4."O ensino em muitas regiões é quase inexistente, não tem apoios do estado, ao ponto de em certos locais já aparecerem bolsas de analfabetismos, noutros casos os alunos terem que levar até as cadeiras para as escolas"

Tolice completa, eu tenho parentes que trabalham nessa área.

5.
"que a mortalidade infantil tenha disparado vertiginosamente e esteja acima de certos países do terceiro mundo, a esperança média de vida baixou cerca de vinte anos"

No ano passado o decréscimo populacional começou a diminuir.

6.
"as infra-estruturas ferroviárias estão caducas, a Rússia não dispõe de uma rede viária em condições, a vossa rede de transporte fluvial (o grande orgulho Soviético) está totalmente degradado"

mais uma tolice.

Enfim, mais detalhadamente vou responder mais tarde. Mas pelas suas palavras vê-se que alguem que o sr. conhece na Rússia é do Partido Comunista. Porque aquilo tudo que você escreveu corresponde quase a cem por cento àquilo que comunistas gritam por aqui.

Sérgio disse...

Eu gostaria apenas de dizer que gostei muito do comentário do Francisco, deve-lhe ter exigido muito esforço, mas a resposta que obteve foi a de sempre, quando faltam os argumentos em contrário.

Amigo Wandard, espero que esteja tudo bem consigo depois do Carnaval, era apenas para lembrar ao amigo que a maioria nem sempre está certa, independentemente de existir aqui ou não. Grande abraço.

p.s. Caro anónimo russo, um conselho se me permite, comente as observações do Francisco á forma como o seu país é dirigido pelas suas elites politicas. Já estou mesmo a ver, está tudo bem, onde foi buscar essa informação, ai meu Deus, nós só conhecemos a democracia, podemos dizer o que nos vai na cabeça...

Cristina Mestre disse...

A propósito da redução de pessoal do Kremlin:

KREMLIN VAI DISPENSAR 100 PESSOAS (RBC Daily)
Das 1.500 pessoas que trabalham actualmente na Administração Presidencial da Rússia, pelo menos 100 irão ficar sem emprego proximamente, escreve o jornal RBC Daily.
A respectiva ordem de serviço prevê também um corte nos gastos relacionados com a manutenção do “aparelho”, em particular no dos representantes do chefe de Estado nos diversos distritos federais.
“Suspendemos as contratações (...) e reduzimos o quadro da Administração”, admitiu Natalia Timakova, porta-voz do presidente russo.
Em Dezembro passado, o primeiro-ministro russo Vladímir Putin exigiu a redução, em 15% no mínimo, das despesas do poder legislativo e executivo. Alguns responsáveis públicos apressaram-se a sacrificar uma série de regalias, nomeadamente carros de serviço pessoais, viagens ao estrangeiro ou voos em classe executiva.
O novo governador da região de Kirov, Nikita Belykh, ex-líder da União de Forças de Direita, declarou-se disposto a usar o seu veículo particular para ir para o trabalho, abdicando do seu carro de serviço, um Lexus que valia quatro milhões de rublos.
Contudo, funcionários do “aparelho” não sentem ainda grandes efeitos reais da nova política de austeridade. “Sim, de facto agora há menos papel de impressora”, confessou um empregado na sede do Governo. Um seu colega no Senado admitiu ter recebido menos em Janeiro do que antes. “É difícil dizer até que ponto foi reduzido o salário, porque ele inclui vários subsídios”, assinalou.
Alexei Makarkin, vice-presidene do Centro de Tecnologias Políticas, pensa que o Kremlin, ao reduzir o quadro de pessoal da Administração em 100 pessoas, “deu uma orientação clara aos funcionários de todos os níveis”. “É uma proporção que se torna compreensível para todos os organismos públicos”, disse.

Sérgio disse...

esqueci-me do "nem tudo está triste", ainda bem para os Russos, digo eu, que se estão a aguentar tão bem. Que continuem, eles lá no grande canto deles, e nós aqui no nosso.

anónimo russo disse...

Francisco e outros, coloco aqui a minha mensagem do outro tema, mas que deve estar aqui.

Tenho de repetir, tudo depende de cada caso concreto. Eu não vivo em Moscovo nem em São Petersburgo, mas, felizmente, por enquanto não vejo nenhuma tragédia à minha volta. Sim, ouço que alguns sectóres da indústria e de serviços são mais afectados, outros - menos. Tambem conheço pessoas que trabalham num jardim de infáncia, mas até hoje recebiam salario a tempo, e eu não estou a inventar nada.
Quanto às reservas acumuladas, ouvi várias opiniões, inclusive aqueles, que diziam, que só devido as reservas acumuladas a Rússia conseguiu evitar um colapso bancário. Mas eu costumo contar com as minhas proprias forças, sendo um microempresário, e não costumo contar com as reservas do estado:) Tambem trabalho na área de construção, (na área mais ligada ao conserto dentro dos edificios, ou como dizer melhor), os meus clientes são pessoas comuns, e, por enquanto, felizmente, não senti uma quebra da procura ou algo semelhante.

anónimo russo disse...

Sérgio,

"quando faltam os argumentos em contrário"


os argumentos não faltam, falta-me o vocabulário em português e o tempo.

Sérgio, não tenho tempo nem desejo para comentar para voce alguma coisa. Tanto mais que sabe tudo sempre de antamão.

Quanto ao comentário do Fransisco, ele expôs aqui a propaganda tipica do partido comunista da Federação Russa (ainda bem se não do partido de Anpílov). E, ainda por cima, citou umas razões, que estes partidos costumam de alegar, não-actuais, dos anos 90 do sec passado.

Sérgio, você é um comunista russo? Não sabia.

Sérgio disse...

Caro anonimo russo sem me alongar muito, há uns tempos atrás a esse seu comentário, eu diria-lhe que se isso significa estar contra a forma como a Russia é dirigida pela classe politica, mas mais gravoso, a forma como trata os vizinhos e restantes países Europeus, eu então seria comunista russo como diz, se eles pensassem da mesma forma, mas desconfio muito que assim não seja pelas atrocidades cometidas durante a URSS. Hoje, que tive oportunidade de pensar melhor nestes assuntos, de tomar conhecimento das opiniões de Russos anónimos comuns, digo-lhe o seguinte, a minha opinião actual é de que façam o que bem entenderem no vosso país, e sigam o vosso caminho, que nós faremos o mesmo. Sem qualquer rancor, mas também sem qualquer relação especial de amizade. Não é por nada, mas acho que a UE não deve aceitar qualquer um...

Wandard disse...

Amigo Sérgio,


O carnaval como sempre foi maravilhoso, alegre e muito divertido, em todas as suas versões e formatos, pois a festa tem variações em cada cidade ou estado do país onde é comemorado (não ocorre em todo o país), e como tudo tem seu lado bom e seu lado ruim, mas agradeço a lembrança e como sempre estou muito bem.

Concordo com você que a maioria nem sempre está certa e é como disse, a opinião de alguns não representa a opinião de um povo, é que fica difícil segurar, quando me deparo com constantes ataques depreciativos, quando o foco da discussão é outro, e o que mais me espanta é que os ataques ocorrem de pessoas de países "desenvolvidos", que tanto se vangloriam de sua educação e cultura, mas o bom exemplo de que não representa a totalidade é você mesmo, que sempre mantém o equilíbrio e a educação, o Pippo, Manuel e o próprio Sr. Milhazes, mesmo com a discordância de opiniões.


Grande abraço,

anónimo russo disse...

Francisco, por sinal, aquele director desgraçado se suicidou há uns dois meses, aínda no ano passado.

Sérgio, se alguem me declarar, que a terra tem a forma de um quadrado, eu tambem não vou gastar o tempo para desmentir isso com uma monte de factos, apenas direi, que náo é assim.

Wandard disse...

"Hoje, que tive oportunidade de pensar melhor nestes assuntos, de tomar conhecimento das opiniões de Russos anónimos comuns, digo-lhe o seguinte, a minha opinião actual é de que façam o que bem entenderem no vosso país, e sigam o vosso caminho, que nós faremos o mesmo. Sem qualquer rancor, mas também sem qualquer relação especial de amizade. Não é por nada, mas acho que a UE não deve aceitar qualquer um..."

Caro Sérgio,

Será que o que mais complica o estabelecimento de uma relação amigável com a Rússia não seja o próprio posicionamento da UE? Sei que talvez você não tenha acesso a certas informações, ou talvez tenha não sei, mas o certo é que cidadãos comuns, que não estejam ligados a qualquer orgão estatal da UE/Otan, pouco sabem o que foi praticado nos anos 90, mas publicamente o alargamento da organização, a adição dos novos integrantes e o próprio comportamento hostil e provocativo destes novos integrantes ou candidatos (ex-satélites soviéticos), são exemplos contundentes deste comportamento. É claro e mais que normal que os europeus enxergarão sempre o seu lado e os russos enxergarão o deles. O período soviético foi nefasto mes nunca se esqueça que o comportamento antes da guerra, por parte da Inglaterra principalmente e França que eram as potências européias na época já desdenhavam da Rússia e a humilhação imposta na reunião de Potsdam só contribiuiu para sedimentar o que viria pela frente, pois Stalin teve de engolir a Little Boy e voltar para casa com os falidos territórios do Leste e 60% do país destruído sem a reparação que lhes era cabível, além do maior saldo de mortos de toda a guerra. Na minha opinião a Rússia deveria ter se retirado para o seu território, quero dizer a área geográfica do país e desocupado todos os outros e deixado a conta para os aliados, talvez hoje a situação fosse outra, mas isto é passado e não tem mais volta.


Grande abraço,

Sérgio disse...

Wandard como é que explica a ambição territorial da Russia, a sua arrogancia e o desprezo pelos mais fracos. É isso que nos separa, mais nada. Wandard podiamos falar de muitas coisas, recorda-se do incidente de Berlim quando os Americanos tiveram que alimentar a cidade por ponte aerea, qual acha que foi a intenção Soviética nessa altura, senão a de subjugar os seus adversários. A Russia podia ter retirado ao longo dos anos dos territorios ocupados e nunca o fez, antes pelo contrario, recorda-se de Praga. Até acabaram por invadir o Afeganistão já no final do império. Mais recentemente, o querer imiscuir-se nos assuntos da Ucrania, ter apoiado desde o inicio, logo que caiu a URSS, as regiões separatistas da Geórgia, e depois ainda dizem que a culpa disso acontecer foi a do actual Presidente, quando de facto a Geórgia já não controlava nada, actuou em desespero de causa e de uma forma infantil pelo seu presidente (sem autorização dos EUA, ao contrário do que muitos afirmavam), que acabou por perder direito às suas reinvidicações quer na Ossétia, e repare, surpresa das surpresas, na Abcásia onde os georgianos nem sequer interviram, mas como convinha aproveitar. Wandard, como tantas vezes aqui disse, não tenho nada contra o povo Russo, mas se e como disse muito bem, os seus interesses continuarem a ser os deles e em nada coincidirem com os nossos, lamento muito mas não vou defender quem não me é nada. Se os Russos algum dia mudarem de posição, os Interesses deles passarem a coincidir com os dos Europeus.... e fizerem avanços nos campos da democracia e direitos humanos, quem sabe. Porque acha que os Europeus têm uma relação privilegiada com os EUA, porque existe essa coincidencia de interesses. Olhe, na minha opinião, mais importante para a UE e para Portugal do que a relação com a Russia, e ao contrário do que muitos pensam, é a relação com o Brasil e o continente Americano, os Russos continuarão a vender-nos petroleo e gás independentemente de serem Europeus ou Asiáticos se quiserem ganhar dinheiro.

Raphael disse...

Anónimo russo

"Nada disso, nós temos várias fontes de informação. Na internet até, por exemplo, temos mais que muitos outros: tem dois sitios muito vizitados, onde se colocam as traduções dos artigos da imprensa mundial sobre a Rússia. Assim, mesmo quem não saiba linguas estrangeiras, pode ler opiniões mais variadas. Infelizmente, você, parece, como muitos outros, desconhece totalmente a realidade Rússa.

P.S. Eu, por exemplo, como milhoes e milhões dos outros, graças a deus, ainda não "acabei muito mal". Sabe, quantos russos viajam (pelo menos viajavam antes da crise, agora, igualmente como para os brasileiros que eu conheço, fica mais caro)?
Onde se aprende essas tolices todas da Rússia?"

Não te acabarás mal num país democrático!

Não sei o porquê de tanto cinismo... Sabes muito bem que não quis referir-se as pessoas comuns que são minorias que sabem das sujeiras do Kremlin, e sim de jornalistas e políticos de oposição russos que vivem com medo das mãos de ferro do governo.

Não sou conhecedor da realidade (embora eu conheça a Rússia, pois meus avós eram judeus russos e já tive a oportunidade de fazer várias viagens a este país)e nem da irrealidade, se nem mesmo os russos o são (por causa semi-dictadura), imagina eu...
As tolices que leio vem de sites russos e ocidentais; fontes respeitadas.
Mas não entenda as críticas ao governo como críticas ao país ou povo russo. Esse é o grande problema de muitos russos que entendem governo, país, povo como uma coisa só.

Abraços!

PortugueseMan disse...

"...e depois ainda dizem que a culpa disso acontecer foi a do actual Presidente, quando de facto a Geórgia já não controlava nada, actuou em desespero de causa e de uma forma infantil pelo seu presidente (sem autorização dos EUA, ao contrário do que muitos afirmavam), que acabou por perder direito às suas reinvidicações quer na Ossétia, e repare, surpresa das surpresas, na Abcásia onde os georgianos nem sequer interviram, mas como convinha aproveitar..."

Considero fantástico este modo de ver, actuou em desespero de causa e de um modo infantil.

Coitado do homem que mandou bombardear. O homem estava com problemas na vida e fêz isto como um desabafo. Só lhe faltava umas pancadinhas nas costas e uns olhares de compreensão com o pobre do homem.

Sem dúvida uma maneira "sui generis" de ver a situação.

e já agora como é que sabe que foi sem autorização dos EUA?

Os EUA estiveram a modernizar e a treinar as forças deles para quê? para paradas militares?

E não interviram na Abcásia? engraçado, mas algúem precisa de uma bola de cristal para se adivinhar para onde a Geórgia se iria dirigir depois de "pacificar" a Ossétia do Sul?

É claro que foram abrir uma segunda frente, que outra coisa seria de esperar.

Sérgio disse...

Port. vá estudar a história dessas regiões e depois diga-me quem é que começou esses conflitos. O presidente georgiano precipitou-se, agiu de forma infantil nessa altura, disse apenas isto mais nada. O resto foi um oportunismo russo e abcasio a actuar, isso para mim é perfeitamente nitido.

PortugueseMan disse...

precipitou-se.

É o que tem a dizer dum presidente que manda bombardear.

Para você é compreensível.

Eu não preciso de estudar seja o que fôr.

Eu até já estou a aprender sobre como certas pessoas estão dipostas a "compreender" certas atitudes, desde que sejam identificados como do "nosso" lado.

O homem não é infantil, o homem não é uma criança, o homem mandou matar.

Mas claro, há balas más e balas boas.

uma bala georgiana não mata, possivelmente liberta. uma russa, ui isso é do piorio.

Enfim, cada um vê como quer.

Sérgio disse...

Ó Port. eu não condenei nem defendi o Presidente da Geórgia. Até porque para o meu raciocinio nem sequer preciso de fazer esse tipo de julgamento. Tire as conclusões que bem entender que isso não me afecta em nada. De qualquer forma os meus argumentos mantêm-se apesar desse seu nervosismo, entendo eu.

Sérgio disse...

E se puder já que não percebi, quem na sua opinião afinal abriu a segunda frente na Abcasia, já que a primeira não resta dúvidas de quem foi, não é?

Wandard disse...

Caro Sérgio,

Em termos de ambição territorial, arrogância e desprezo pelos mais fracos temos um empate técnico tanto para os europeus quanto para os americanos e russos, no caso dos europeus a segunda guerra foi o limite para as grandes potências, mas algumas regiões ainda perduraram sob domínio europeu por mais um tempo e não se pode esquecer das atrocidades cometidas por estes governos nestes países. Quanto aos americanos, estes sim continuaram com suas investidas, sempre travestidas pela hipócrita bandeira da "democracia e liberdade", por trás dos interesses econômicos, territoriais e estratégicos, afinal quem é que plantou mais de 800 bases militares em 130 países foram os russos ou os americanos? Quais foram os países que ainda em pleno século xx possuiam colonias que se tornaram independentes após constante ação das guerrilhas? Quem foi que atacou, invadiu, ocupou ou seja promoveu 178 guerras, invasão, ataque, tentativa de invasão etc... vale citar: Vietnã, Coreia, Laos, Cambodja, Granada, Guatemala, Líbia, El Salvador, Granada, Panamá, Somalia, Sudão, Nicarágua, Iugoslávia, Cuba, Afeganistão, Iraque, totalizando em torno de 10 milhões de pessoas destes países mortas, foi a Rússia ou os Estados Unidos. Quem está ocupando o Iraque indevidamente?

Sim a Rússia podia ter se retirado, terminou por sair com o esfacelamento do império soviético e depois disso, os Estados Unidos e aliados pararam? recuaram? se retiraram? Não, avançaram com voracidade, e esta é a verdade pura e simples. Jamais procurei defender e jamais defenderei os erros soviéticos, e talvez na minha condição imparcial, pois não sou cidadão de nenhum dos lados possa ter uma opinião distinta, sem emoções ou nacionalismos de qualquer espécie, e como historiador principalmente observo os fatos e primo pela construção da história verdadeira sem os ocidentalismos com os quais fui obrigado a crescer.

Quanto a atitude do presidente georgiano, infelizmente você está errado. Washington deu o ok sim, achavam que as ameaças russas eram somente bravatas, que apenas rosnariam como aconteceu no Kossovo ou no Iraque, ou você realmente acredita que a Georgia com sua minúscula estrutura militar se atreveria a desafiar a Rússia sem apoio? Claro que não só que a águia careca recuou pelos motivos que se tornariam públicos meses depois e pronto. Os Europeus assim como qualquer nação que atender aos interesses americanos terão uma relação privilegiada com estes, se os desafiarem entram para a lista negra muito simples.

PortugueseMan disse...

"Ó Port. eu não condenei nem defendi o Presidente da Geórgia."

Pois não. eu devo ter um problema de perceber português quando alguém me fala em comportamentos infantis de um presidente.

Isto quando aplicado a ordens de bombardeamento.

E não é a minha opinião é um facto.

A Abcásia abriu uma segunda frente quando a Ossétia do Sul foi atacada, tal como já tinha indicado anteriormente, caso viesse a acontecer algo do género.

Sérgio disse...

Eu admito os erros dos Americanos, dos Europeus, não consigo compreender como isto leva algumas pessoas a querer ver na Russia o estado imaculado e salvador da Europa e Humanidade.

Wandard falou dos erros da Russia do passado, mas eu referi alguns actuais, na geórgia não foi o apoio da Russia desde os anos noventa que fomentou o separatismo nas regiões em causa da Geórgia?

Os Europeus apesar do seu passado fizeram durante as últimas decadas um esforço no sentido de se regerem por pricipios diferentes daqueles que guiaram as suas acções no passado. Na minha opinião a Russia vai em sentido contrário. Os EUA também desrespeitaram o direito internacional nos últimos anos, e então? Uma coisa deve legitimar a outra?

No dia em que os interesses dos EUA não mais coincidirem com os dos Europeus, a Europa deve agir em conformidade com essa nova situação. Até lá, são nossos aliados.

anónimo russo disse...

Raphael,

"são minorias que sabem das sujeiras do Kremlin, e sim de jornalistas e políticos de oposição russos que vivem com medo das mãos de ferro do governo"

E você, o que sabe de tudo isso e de onde? Dos jornais ocidentais, eu suponho. E essas coisas dos seus avos, não significam nada. Eu conheço brasileiros descendentes dos russos que vivem aqui por um tempo prolongado mas continuam a ter as dificuldades com o idioma russo até. Mas, felizmente, a quem eu conheço não discursam sobre a politica, porque têm a corajem de reconhecer, pelo menos, que não dominam a lingua o suficiente para se tornar "peritos". Queria chamar muitos aqui a seguirem o exemplo deles.

anónimo russo disse...

Sergio,

A Geórgia e a Ucrânia foram parte do estado russo durante séculos, e não foram algumas colónias africanas. Têm ligações culturais fortes com a Rússia (mas, segundo eu entendo, os georgianos (que vivem na Geórgia) já começam aos poucos a esquecer russo (posso estar errado). Não sofriam de opressões durante o tempo da União Soviética, segundo eu entendo (alem, talvez, da Ucrânia Ocidental atual). Olhe os paises balticos, a atitude da Rússia com eles - é totalmente diferente. Porque todos entendem muito bem que foram ocupados nos meados do sec XX, e ninguem espera deles uma amizade ou alguma coisa semelhante. Mas o comportamento da Geórgia e da Ucrânia (ou das suas elites) de hoje, do ponto de vista meramente humano, é considerado pelos russos como uma traição. Aqui, pelo que parece, as pessoas têm muito menos hostilidade aos ucranianos, por exemplo, que certos ucranianos têm pelos russos. (eu ainda posso entender os ucranianos ocidentais, mas nem todos russofobos, como se ve, são das areas ocidentais da ucrânia) Ainda há uns dois-tres anos muitos aqui torciam pelas equipes de futebol ucranianas como pelas suas.

anónimo russo disse...

Raphael,

Li uma coisa. 50 Bi daquela dívida corporativa são dividas da Gazprom. Por isso, pode tirar essa quantia daquelas 400 Bi, porque a Gazprom, parece, será capaz de resolver os seus problemas sem recorrer às reservas (o preço de gaz, ligado ao do petróleo, ainda não baixou (segue o preço do petróleo com um atraso de 6-7 meses mais ou menos, segundo eu lembro.
Por sinal, porque A Gazprom? - em russo é masculino.

Wandard disse...

"na geórgia não foi o apoio da Russia desde os anos noventa que fomentou o separatismo nas regiões em causa da Geórgia?"

Amigo Sérgio,

É certo que foi o apoio russo, mas em contrapartida quem foi que fomentou o apoio à Georgia e a todas os ex-satélites soviéticos?

Só tem uma coisa que não só você, assim como todos os europeus estão enganados, não são os interesses de ambos que coincidem, mas enquanto o interesse americano se mantiver, principalmente para manter o teatro de operações longe do território deles, é só imaginar no caso de uma nova guerra em qual continente ela se desenvolverá. Os Estados Unidos provocam os russos, estimulam o alargamento da Otan, querem instalar escudo anti-míssil e tudo isso ocorre em qual continente? De qual continente são as tropas não americanas que ocupam o Iraque e Afeganistão? Em que continente se encontram baseados bombardeiros estratégicos americanos? Agora me diga, quais são os equipamentos militares europeus que estão instalados em solo americano? Posso responder, nenhum. A Europa será um parceiro interessante enquanto servir aos interesses americanos, se em um conflito a situação europeia se complicar, pode ter certeza que a primeira coisa que os americanos farão é dar no pé recuando todas as suas forças para o seu território, como Roma fez quando começou a enfraquecer.

anónimo russo disse...

Sérgio, as questões da Abházia e da Ossétia do Sul são inseparaveis. A Georgia preparava um ataque contra a Abházia tambem, perto da fronteira com a última foi encontrado muito armamento, e o facto da consentração das forças georgianas perto da fronteira com ela foi notório. Alem disso, existia um acordo de ajuda militar entre as duas republicas.
Por sinal, porque ninguem na imprensa ocidental não escreve que o governo da Abházia, por exemplo, não é nada "fantoche"? Nas eleições presidenciais de lá, que aconteceram há uns dois anos, Moscovo tinha um candidato, a quem dava apoio e no qual apostava, mas venceu Bagapsh. Na altura foi considerado por alguns analistas mais uma derrota de Moscovo no espaço pos-sovietico ou uma inabilidade da politica russa nesta área (especialmente depois da derrota do candidato pro-russo devido á revolução alaranjada na Ucrânia).
Claro que Bagapsh não é nada um politico anti-russo, especialmente agora, mas tambem não é nenhum "fantoche"

Jest nas Wielu disse...

Essa última do camarada russo foi o máximo!

1. Então, diga qual é a diferença entre a entrada da Geórgia / Ucrânia no império russo e a entrada de, por exemplo, Cabinda no império português?

2. Se a colectivização forcada, Holodomor, as repressões políticas, deportações em massa entre outros na linguagem russa se chama “não sofrer as opressões”, então o que significa sofre-las?

3. Boa, nem todos os patriotas ucranianos nasceram / vivem na Galiza? Mas que isso meu, amigo, é uma blasfémia, veja lá, você tem a obrigação de CRER que TODOS os ucranianos que não adoram o Kremlin são da Ucrânia Ocidental, ou pelo menos são uns emigrantes dos EUA / Canada ou Brasil. Mas como pode?...

4. Torcedores: bem, já que nenhum Spartacus vosso 2 – 3 anos atrás mostrava a coisa do jeito, então eram obrigados a torcer pelo Dynamo Kyiv / Shahtar, mas agora já podem torcer de volta :-)

5. Os russo – tropicalistas adoram falar sobre a “extrema pobreza” na Ucrânia e “bom nível da riqueza” na Rússia, proponho algumas fotos da província russa, nos arredores da cidade São Petersburgo:
http://polar-bird.livejournal.com/357013.html

Anónimo disse...

Caro anónimo russo

Até quando continuaremos nós a pactuar com estes seus ataques informativos?Você dá-se ao trabalho de responder a toda e qualquer afirmação que seja crítica da Rússia! Foi isso que o chefe lhe mandou fazer?
Deixe-me dizer-lhe que a sua actuação "negacionista" neste blogue tem provocado uma onda de agressividade verbal da parte dos seus oponentes (onde me incluo). Mais valia você estar calado. Prestava um melhor serviço ao seu país.

Sérgio disse...

Wandard amigo, como disse e bem só quem passa pelas coisas é que sabe verdadeiramente o que se sente. Da mesma forma que defendo os interesses do meu país e UE á qual pertencemos, em detrimento de certos países como a Russia, também já reparei que o amigo não gosta mesmo nada dos EUA, seus vizinhos, tal como a Russia é nossa vizinha, e se me diz que os Europeus devem ter um posicionamento diferente para com os Russos, eu exorto-o e aos seus compatriotas a fazer o mesmo em relação aos EUA, se calhar será o posicionamento do Brasil que não será o mais adequado para permitir essa aproximação. Os EUA de certeza que pensarão assim.

A seguir no que o Wandard vê semelhanças, eu não as consigo vislumbrar, se não repare, nas regiões separatistas da Geórgia, estamos a falar de um assunto interno de um país soberano, a Russia até poderia ser convidada a participar na resolução do problema, mas nunca em ser parte dele. Já imaginou o que seria se a UE e o mundo Ocidental no geral que condenam a falta de liberdade no Tibete começasse a patrocinar um movimento armado nessa região, acho que teríamos aí a causa da terceira guerra mundial. A Russia agiu deliberadamente para fomentar o separatismo de duas zonas que pertenciam a um estado soberano amigo ou irmão, e depois admiram-se de encontrarem ódio onde antes era só amizade. Os países de Leste que fizeram parte da URSS e aderiram á UE e NATO exerceram esse mesmo direito de soberania e fizeram uma escolha, azar o da Russia se acabou por ver a sua esfera de influencia diminuida. Ó Wandard repare naquilo que pretenderia, negar o desenvolvimento a milhões de pessoas só para que os Russos não ficassem chateados, se sentissem seguros com as suas zonas tampão de segurança e continuassem a serem pessoas muito importantes porque mantinham os coitadinhos da sua zona de influencia sobre o seu dominio. Desculpe-me por escrever desta forma, mas não me mai dizer que a Russia depois do fiasco do Comunismo, apresentaria aos países vizinhos melhores perspectivas de integração e desenvolvimento do que a UE.

Por fim relativamente à questão de uma nova Guerra, apesar de não ter a sua experiencia militar, na minha opinião a existir uma terceira guerra mundial ela não será com a Russia, aliás como aqui já o disse. Aquilo que o incomoda e a muitos de existirem bases americanas por todo o lado, mesmo em Portugal, a mim não incomoda nada, foram elas que asseguraram o período de paz dos últimos cinquenta anos á Europa e ao mundo.

Só para terminar Wandard, os EUA nos dias que correm só sofrem ataques e criticas, é natural já que são ainda a potencia dominante ainda que em declinio, só espero que a senhora que se seguir seja se não for melhor pelo menos igual, mas não me parece que assim será. Só a titulo de curiosidade já alguma vez pensou o que teria sido de diferente se a Alemanha Nazi tivesse ganho a guerra ou a União Soviética, de certeza que não estaríamos aqui a ter esta conversa.

Wandard disse...

Amigo Sérgio,

A forma que escreve é sempre sincera e equilibrada, externa seus pensamentos e convicções com clareza e sem rodeios e isto com toda a certeza são características de uma pessoa íntegra e educada, e são pessoas assim que admiro e respeito.

Entendo perfeitamente o seu posicionamento, e apesar de minha oposição ao imperialismo americano, não odeio os Estados Unidos e muito menos deixo de reconhecer a sua contribuição para o mundo em vários setores e sou um grande admirador da sua constituição e da declaração de independência, embora saiba que na realidade, os direitos estabelecidos nestes dois documentos não foram devidamente extendidos a determinadas fatias da então sociedade americana e não o foram até depois da década de 60 do século xx. Mas a própria História dos Estados Unidos e a forma pela qual este país ampliou seu território literalmente roubando terras do México, sua intervenção nos países vizinhos instalando e apoiando ditaduras sanguinárias, não só na América Central mas como também o seu apoio aos golpes militares da América do Sul até o famigerado esquema da Operação Condor. O absurdo comportamento racista que leva ao tratamento de descendentes de imigrantes que para lá foram ajudar a desenvolver o país como: Ítalo/Luso/Hispano/Nipo/Sino.....Americanos, ou o mais absurdo de todos que é o racismo contra os negros que levaram os Estados Unidos ao ponto de criarem um país na África para exportarem sua população negra. Uma nação que após sua independência iniciou um processo expansivo com a sempre pretensa bandeira de ajuda e acabou fincando bases militares em todos os cantos do mundo, dando a eles a condição de intervir aonde quiserem. Se são tão bons porque não se retiram daqui, pois a retirada da base já foi discutida no Congresso, mas tivemos que recuar em virtude de ameaças de sanções, ou seja bloqueio da entrada de nossos produtos em território americano e quem sabe na UE. Se são tão bons porque vem nos atrapalhando no mercado Latino Americano, simplesmente porque estão defendendo os interesses deles é claro e para os demais restam as migalhas. São vizinhos sim, mas tenho certeza que ninguém gosta que o vizinho venha colocar pregos na sua parede ou comece a invadir o seu quintal.

A questão da Geórgia, assim como das diversas repúblicas do Cáucaso são seculares. O grande problema é que o processo de independência com a queda da União Soviética, não foi algo acertado e discutido de comum acordo, pois desde a Presidência de Gorbatchev a Rússia foi obrigada a ceder de forma incondicional às exigências impostas pelos Estados Unidos e UE/Otan em troca de ajuda financeira, desculpe citar desta forma, mas fica difícil distinguir quem está a agir quando o assunto é a Rússia. No governo Yeltsin é que a permissividade descambou para o descontrole total, existiram vários incidentes envolvendo questões militares, em relação a armamentos que não posso citar, e que não foram e nunca serão divulgados pela imprensa, mas até hoje fico admirado como é que alguns integrantes de órgãos governamentais russos conseguiram conter, resolver, recuperar, evitar e proteger estes equipamentos no meio daquele caos, talvez se isso não tivesse ocorrido, hoje a Rússia seria o que os Estados Unidos e a UE querem, mas felizmente para os Russos e minha opinião, felizmente para o mundo isso não aconteceu. Digo isso porque como Historiador considero que uma Roma, já foi por demais nociva para a Humanidade.

Quanto à possível 3ª Guerra, ela certamente não será deflagrada com a Rússia e o teatro de operações inicial não será a Europa, mas seguirá para este continente, sinceramente espero que nunca aconteça, mas sou mais realista que otimista.

A Alemanha jamais ganharia a guerra, é claro que muito se discute os erros estratégicos de Hitler e as decisões que ele tomou que culminaram na derrota das forças nazistas, mas também a limitação geográgica e a dependência de recursos naturais já haviam levado a Alemanha à exaustão mesmo antes da Batalha de Kursk, além do desgaste causado pela abertura de vários fronts. Quanto à questão da União Soviética, quem apertou o gatilho para a Guerra Fria, primeiro foi Churchill, perdeu as eleições e deixou a reunião de Potsdam, mas a atitude dos líderes aliados e claro a ameaça atômica dos Estados Unidos selaram o destino da Guerra Fria e do comportamento Europeu até os dias de hoje. É claro que o regime soviético foi terrível, não tenho nenhuma simpatia pelo regime comunista, mas este comportamento isolacionista em relação à Rússia é muito mais antigo e a catequese da população funcionou bem.

Pois é ficamos do lado da "Democracia", não tivemos pogroms, cartões com cotas de racionamento etc... Mas aqui tivemos tudo o que era bom para os EUA, só não foi bom para o Brasil.

Grande abraço,

Sérgio disse...

Wandard da forma como o Brasil olha para os EUA,não se admire que a UE olhe da mesma forma em relação à Russia. Há desconfiança em ambas as situações, que será muito dificil de ultrapassar. Relativamente ao periodo apos Guerra Mundial acho que lidar com uma URSS com um líder como Estaline não deveria ser nada fácil. Até porque após a sua morte houve um melhorar de relações. Abraço.

Sérgio disse...

Wandard aqui está um bom artigo,

http://www.marinha.pt/revista/index.asp?revista=ra_set_out2008/default.html

Francisco disse...

Caro anónimo Russo eu tinha decidido fechar a minha participação neste debate sobre as condições politico/sociais da Ucrânia, que acabou por ser desviado para questões Russas. Sim até porque a Ucrânia já tem pouco para discutir, talvez seja só com a ajuda do povo as coisas fiquem decididas. O facto é que no xadrez Ucrâniano há muito que o jogo começou agora vamos ver quem melhor vai mover as pedras para vencer (Rússia ou NATO). Talvez para tranquilidade de todos, o melhor seria o povo Ucraniano vencer a partida. Uma Ucrânia não alinhada tipo Áustria, Finlândia ou Suécia era óptimo.
Como atrás referi tinha decidido fechar a minha participação neste tema para partir para outro. Vou responder aos seus comentários. Caro anónimo; sabe que pior que não fazer qualquer coisa é faze-la muito mal, isso foi o que aconteceu. O Caro anónimo não só não foi capaz de responder ás questões que lhe coloquei sobre a Rússia ( porque sabe que a realidade em certas regiões vai muito para além disso) como ainda me acusou de eu fazer a propaganda do Partido Comunista (se há mais que uma fonte a relatar o mesmo dado isso só vem reforçar a verdade dos factos)

Ou a Olga Sobolevskaia também está a usar informação dos comunistas quando denuncia o terrível drama de milhares de crianças que são vendidas anualmente ou adoptadas por estrangeiros na Rússia? Desconhece a tragédia de Vika Bajenova uma menina adoptada por um casal de Americanos , foi espancada até à morte por a mãe adoptiva (uma alcoólica). No espaço de 6 anos foi a 13ª criança morta no estrangeiro por os pais adoptivos, outras crianças nunca mais se sabe delas perde-se-lhe o rasto. Desconhece que na Rússia existem centenas de agencias privadas que tratam da adopção (venda ) de crianças? É desconhecer muito quando são aos milhares as crianças que saiem anualmente do seu país!
Vladimir Simonov também está ao serviço dos comunistas quando analisa algumas das causas porque muitos jovens aderem aos skinheads? A determinado passo diz: O que foi que se passou no país nos últimos anos que fez com que os skinheads tivessem proliferado a ritmos assustadores? As causas não faltam! Uma delas é o que se costuma englobar no conceito de “revolução liberal”. A passagem súbita de uma economia altamente centralizada para uma economia de mercado selvagem, transformou milhões e milhões de pessoas em desempregados e marginalizados. Os pais, concentrados só na sobrevivência e subsistência, distanciaram-se da educação dos filhos. E o mal estar familiar, os problemas e conflitos gerados pela pobreza , deixaram sem apoio mais de 4 milhões de adolescentes.___ Depois diz; na rua viram-se os “filhos das reformas”, absolutamente confundidos, psicologicamente desnorteados, sem educação, abertos a qualquer apelo primitivo à violência. Em toda a parte começaram a surgir grupos e bandos onde os jovens eram aglutinados por uma ideia simples__ ou seja , o ódio aos “estranhos”. Isto escreveu Vladimir Simonov. Não ver estas coisas é estar muito alheio ao que se passa.
Sobre os outros assuntos de natureza económica falta de lei e de ordem. Também não vai dizer que David Satter, Petter Keinez, Paul Krugman, Loretta Napolleoni e muitos mais são comunistas? Pois são essas algumas das minhas fontes de informação. Além da imprensa que leio, também contacto com amigos na Rússia.
Mas para sossega-lo digo-lhe que não estou afecto a qualquer partido . Russofobo ainda muito menos , admiro o povo Russo a sua cultura, e agradeço o acolhimento que me têm dispensado sempre que aí vou. É por esse motivo mesmo que não posso ficar indiferente aos sacrifícios que continuam a ser submetidos muitos milhões de Russos, sabendo-se ainda que a riqueza produzida tem apenas servido para beneficiar uma pequena minoria extravagante.
As causas disso devem-se ao governo que autoritariamente controla o país. O Senhor vivendo na Rússia sabe melhor que eu que Putin com jogos nada claros (somas enormes de dinheiro do povo) arrasou a oposição, a Duma não é mais que uma delegação do governo, os partidos que se dizem da oposição têm que não fazer mesmo oposição nenhuma, ou são silenciados(mas fazem falta para dizer que na Rússia existe pluralismo). Os órgãos de informação (midia) principais estão ao serviço do governo. Os Governos regionais são quase por absoluto dirigidos do Kremlin. O povo o que pode fazer? Vai aplaudindo!
Isso é inteiramente aceitável, são situações que demoram décadas a mudar. O povo Russo saiu de um sistema totalitário centralizado (comunismo), passou abruptamente para outro totalmente desorganizado sem regras (Yeltsin), para cair neste sistema controlado por um grupo de amigos. Também não nos devemos admirar, porque o povo Russo ao longo da sua história sempre adorou viver sob a protecção de um messias (pai) talvez o eleito neste momento seja o Veliki (grande) Putin?
Cin.naroda

Wandard disse...

Sérgio,

Agradecido pela postagem do artigo. Já conhecia a revista, e o comissionamento do Tridente, apesar da Marinha não ser a minha arma, mas mesmo antes de participar de operações conjuntas envolvendo as tres forças, já era um pesquisador de todos os meios militares, afinal é tradição familiar desde o império.

Grande abraço

Wandard disse...

"Wandard da forma como o Brasil olha para os EUA,não se admire que a UE olhe da mesma forma em relação à Russia."

Sérgio,

Meu posicionamento perante aos EUA, são claros em virtude de todas as suas atitudes nocivas que estão bem documentadas na História, em relação ao seu intervencionismo, ataque e ocupação de nações soberanas cujo número é extremamente considerável. A formação da Rússia Imperial, não é diferente da de nenhum império europeu, me refiro à questão de guerras, disputas territorias e domínios de outros povos, com a diferença que a Rússia não se lançou a estabelecer colônias em outros continentes distantes de sua localização e que mesmo no período soviético, não buscou fincar bases pelo mundo afora como os EUA. Agora excetuando-se a ocupação dos países do leste europeu com o advento da segunda guerra, salvo questões como a Polônia, Ucrania, ou até mesmo as atuais repúblicas do caucáso que são de séculos anteriores. A Rússia nunca atacou a Europa, houve claro a disputa com a Suécia que resultou no controle de Kalinigrado e a Guerra da Criméia que neste caso envolvia como sempre os interesses da Inglaterra, França e do então Império Otomano, que no caso era o controle de acesso ao estreito de Bósforos e Dardanelos e os Balcãs. Fora estes dois conflitos, toda esta desconfiança e em muitos casos russofobia europeia é fruto do contraste de ideologias?

Se for possível me tire esta dúvida.

Grande abraço,

Sérgio disse...

Wandard não me considero russofobo portanto não serei a pessoa mais indicada para lhe responder à sua pergunta. Mas deixe-me que lhe diga que os seus argumentos não são justos, os Russos não precisaram de ocupar territórios noutras áreas porque os tinham à porta. No tempo soviético ocupou todos os países Europeus que lhe foi possivel e instalou o comunismo onde conseguiu, é verdade que não conseguiram o comunismo global como inicialmente pretendiam. Se a Russia nunca atacou a Europa, eu nunca ouvi dizer que os EUA tivessem atacado o Brasil, e nisso tenho a certeza. Há as falhas na sua teoria como apontou e muito bem como foram as guerras empreendidas pela Russia mesmo antes do Comunismo para tentar chegar a aguas quentes a sul e a portos de aguas oceanicas a Norte. Calhou a Sul nessa altura serem os Turcos a lá estarem, mas independentemente de quem o fosse os Russos avançariam na mesma. Por fim será tudo isto condenável, não o fizeram o mesmo os restantes países Europeus, claro que sim. O daí eu considerar apenas, mais do que condenar, que os interesses Russos nunca coincidiram com os Europeus e não é agora que as coisas mudaram e como tal...(não me vou estar sempre a repetir).
Grande abraço.
p.s. como pode ver no meu entender as ideologias não são para aqui chamadas, assiste-se à construção de uma nova entidade como é a UE, e parte deste crescimento é feito a expensas da influencia Russa, é claro que isto causa uma certa animosidade entre os blocos.

anónimo russo disse...

Francisco,

não sei onde voce busca a informação, ou o que vê, quando vizita a Rússia, mas eu vivo em um outro pais, então. Não tenho muito tempo para responder, por isso só digo: quase tudo o que voce descreveu não corresponde à realidade (estou a falar da sua mensagem anterior). Digo isso porque vivo, trabalho aqui e, acho que conheço a realidade à minha volta melhor que voce.

Quanto às crianças adoptadas que voce mencionou, são órfãos e existe esse problema, sim. Mas, segundo eu sei, é o desejo dessas crianças - ser adoptados.
Quanto aos skean-heads, não sei o que o sr. lé, mas o que voce escreve, é uma grande exageração. E, mais uma vez, aueles "filhos de reforma" ou como, isso já é dos anos 90.
Eu pediria ao senhor daqui em diante, quando fala da "pobreza do povo" etc., dar os números, quanto da estatistica oficial (dos salários), tanto da não oficial (porque, na realidade, muitas vezes as pessoas ganham mais) tendo em conta a paridade de compra.
Repito, eu trabalho na área de construção. Os trabalhos, que faz a minha micro-empresa, digamos, não são da primeira necessidade e custam, em média, 30 mil rublos (antes da crise, um pouco mais de mil dólares, agora - um pouco menos). Pois, antes de começar a trabalhar nessa àrea, nunca pensei que tantas pessoas (das mais simples) pudessem se permitir tais gastos. E, felismente, continuam a poder permitir. (O volume dos trabalhos que nós fazemos não é grande). Tambem o sr. sabia a quantidade de carros, por exremplo, impordados para a Rússia (a Rússia, se não é o maior importador da Europa, fica num dos primeiros lugares). E, garanto-lhe, as pessoas que compram tudo isso não são nenhuns "oligarcas"
Quero-lhe perguntar mais uma vez: o sr realmente esteve aqui, viu, como as pessoas aqui vivem? A julgar pelas suas palavras, não. Porque o qeu descreve, é um outro pais numa cituação horrivel, que eu desconheço.
Para desmentir, o que eu devo fazer? Expor toneladas de factos e estatisticas aqui? Não tenho tanto tempo.

anónimo russo disse...

P.S.
Francisco, esse Vladimir Simonov, segundo acabo de ler, nem vive na Rússia já há muitos anos.

anónimo russo disse...

Francisco,

1."Os Governos regionais são quase por absoluto dirigidos do Kremlin"


Não corresponde à realidade. O processo da centralização so está a começar. E, na minha opinião, isso é totalmente correto, vai ajudar a consolidação do pais e combater a corrupção.

2." O Senhor vivendo na Rússia sabe melhor que eu que Putin com jogos nada claros (somas enormes de dinheiro do povo) arrasou a oposição, a Duma não é mais que uma delegação do governo, os partidos que se dizem da oposição têm que não fazer mesmo oposição nenhuma, ou são silenciados(mas fazem falta para dizer que na Rússia existe pluralismo). Os órgãos de informação (midia) principais estão ao serviço do governo."

Não havia, alem de comunistas, uma oposião, que tivesse um apoio da população mais ou menos significativo. Portanto, o Putin não "arrasou" ninguem (se não contar esse ex- oligarca Hodorkovski, que nem tive tempo para se tornar um politico, mas, dizem, quis intervir na politica. Não imagino, com que apoio e de quem contava ele (Hodorkovski), pois, como ele próprio confessou há pouco numa carta ao jornal Time, os partidos, a que pretendia financear, poderiam obter no maximo 15 porcento de votos. Não sei se voce entende, mas o governo atual tem o apoio real da maioria da população, e não porque gostamos de messias ou "pais", mas porque a qualidade de vida das PESSOAS COMUNS melhorou.

E, se começarmos a falar nos messias, podiamos ir longe, supondo que os alemãos podiam gostar de uma "mão dura" porque adoravam o Hitler no seu tempo, os Italianos - Mussolini, e os portugueses tambem passaram não há muito por uma ditadura. As coisas não são tão simples.

anónimo russo disse...

Anónimo disse...
Caro anónimo russo

Até quando continuaremos nós a pactuar com estes seus ataques informativos?Você dá-se ao trabalho de responder a toda e qualquer afirmação que seja crítica da Rússia! Foi isso que o chefe lhe mandou fazer?
Deixe-me dizer-lhe que a sua actuação "negacionista" neste blogue tem provocado uma onda de agressividade verbal da parte dos seus oponentes (onde me incluo). Mais valia você estar calado. Prestava um melhor serviço ao seu país.

08:44

Não é contigo dizer-me o que valia ou não valia a pena fazer. Podes ficar tranquilo, vou deixar aqui os meos coment´
arios até que isso for interessante para mim.

Por sinal, se voce não sabe, as pessoas aqui me pediram continuar a comentar.

Voce não pode ser mais inteligante para entender, que eu realmente não tenho nenhum "chefe"?

anónimo russo disse...

Jest nas Wielu disse...
Essa última do camarada russo foi o máximo!

1. Então, diga qual é a diferença entre a entrada da Geórgia / Ucrânia no império russo e a entrada de, por exemplo, Cabinda no império português?"


A diferença é que nenhum negro nunca governou Portugal, e um georgiano e dois ucranianos dirigiram a União Soviética

Mas, se falarmos a sério, existe uma diferença enorme. Só que não tenho tempo.

2.2. Se a colectivização forcada, Holodomor, as repressões políticas, deportações em massa entre outros na linguagem russa se chama “não sofrer as opressões”, então o que significa sofre-las?

Tudo isso sofreu a Rússia e outras republicas tambem, a Ucrânia não foi nenhuma exepção.

3."que TODOS os ucranianos que não adoram o Kremlin são da Ucrânia Ocidental, ou pelo menos são uns emigrantes dos EUA / Canada ou Brasil"

Eu não estou a ver aqui um ucraniano que "luta contra o Kremlin" e, sim, um tipo que odeia os russos (embora tenhamos saido todos da mesma aldeia).

anónimo russo disse...

Jest,

5. Os russo – tropicalistas adoram falar sobre a “extrema pobreza” na Ucrânia e “bom nível da riqueza” na Rússia, proponho algumas fotos da província russa, nos arredores da cidade São Petersburgo:


Eu ouvi a opinião das pessoas que estiveram na Ucrânia, que a Ucrânia de hoje é muito parecida com a Rússia dos anos 90:)

Wandard disse...

"Se a Russia nunca atacou a Europa, eu nunca ouvi dizer que os EUA tivessem atacado o Brasil, e nisso tenho a certeza."

Sérgio,

Em relação a esta questão o ataque de fato não ocorreu porque o golpe militar foi bem sucedido, mas a esquadra americana estava a postos para agir caso desse errado. Neste caso se isto houvesse ocorrido certamente não estaríamos tendo esta conversa, acho que fica bem claro que o impedimento não seria nem dos nazistas, nem dos soviéticos.

Caro amigo, não sei se foi a forma que falei ou diferenças nas expressões usadas no Brasil em relação a Portugal, mas não me referi a você como russófobo, me expressei de forma generalizada à europa.

Como você deixou claro, o posicionamento é uma questão de "interesses" e é isto que rege o mundo. Sinceramente não vejo inocentes nesta disputa, todos têm alguma culpa e todos tem telhado de vidro, todos os lados envolvidos tem esqueletos dentro dos armários.

Os Estados Unidos foram implacáveis no seu expansionismo e continuam sendo, avançaram e ocuparam muito mais que a Rússia e continuam fazendo até hoje, em termos proporcionais não dá nem para comparar, se colocado no banco dos réus os EU tem infinitamente o maior número de acusações quando comparada a qualquer país.

Grande abraço,

Jest nas Wielu disse...

Ao anónimo camarada russo

1. Bom, essa coisa do que o negro nunca governou Portugal e alguns ucranianos (Chernenko), pessoas da origem ucraniana (Gorbachov) ou que fizeram a carreira na Ucrânia (Khrushov, Brejnev) dirigiram a URSS até tem uma pontinha da verdade. A minha pergunta é seguinte: será que vocês não eram capazes ou será que todos aqueles dirigentes trabalhavam para engrandecer o império culturalmente russo (e não vou discutir isso, pois podíamos discutir muito tempo).

2. Veja lá o que escreveu na sua postagem anterior, eu acredito que existe uma diferença colossal entre “Não sofriam de opressões durante o tempo da União Soviética, segundo eu entendo” e “a Ucrânia não foi nenhuma exepção.” Há que ter um critério único: ou sofreu ou não sofreu. Não pode existir duas situações diferentes ao mesmo tempo. Pois, errado, no raciocínio dos russo – tropicalistas pode sim, senhora...

3. Outra vez a situação anedótica: “não adorar Kremlin” e “luta contra o Kremlin” será que significa o mesmo? No meu português definitivamente não. Mas posso estar enganado.

4. Um dos meus familiares adorava a frase: “Dizem que em Moscovo as vacas são mungidas”. Quer dizer, enquanto eu disponibilizo as fotografias, você disponibiliza o que exactamente?

5. O grupo de rock folclórico ucraniano, Vopli Vidopliasova anuncia o momento mais esperado na Europa Central nos últimos meses, nesta noite o longo Inverno finalmente terminou e deu lugar à Primavera.

Canção “Vesna” (Primavera) no YouTube:
http://www.youtube.com/watch?v=jc3HmcQcN4c

anónimo russo disse...

Jest,

1." Veja lá o que escreveu na sua postagem anterior, eu acredito que existe uma diferença colossal entre “Não sofriam de opressões durante o tempo da União Soviética, segundo eu entendo” e “a Ucrânia não foi nenhuma exepção.” Há que ter um critério único: ou sofreu ou não sofreu. Não pode existir duas situações diferentes ao mesmo tempo. Pois, errado, no raciocínio dos russo – tropicalistas pode sim, senhora..."

Se quiser, sofreram igualmente.

2."3. Outra vez a situação anedótica: “não adorar Kremlin” e “luta contra o Kremlin” será que significa o mesmo? No meu português definitivamente não. Mas posso estar enganado."

O sentido da frase pouco muda.

3."Um dos meus familiares adorava a frase: “Dizem que em Moscovo as vacas são mungidas”. Quer dizer, enquanto eu disponibilizo as fotografias, você disponibiliza o que exactamente?"

Não fui eu quem começou. Não acho necessário disponibilizar alguma coisa, porque podiamos disponibilizar até ao fim do mundo. Mas se alguem quiser, pode ver as mais diversas estatisticas económicas. Tambem, não venho a este blog para lutar com a Ucrânia.

Wandard disse...

jest,

Quem são os Russo-Tropicalistas?

Abraço,

Jest nas Wielu disse...

2 camarada anónimo / Wandard

1. Ok, já é um progresso colossal da sua parte.
2. “Eu não sou apreciador da vodka russa” e “eu odeio a vodka russa” me parece que são as coisas bem diferentes.
3. Se não quer lutar contra a Ucrânia, fica calado da próxima vez quando eu colocar cá algum link com as fotografias ou com alguma estatística. Assim fica mais equilibrado. E se quiser contrapor, apresente alguma coisa palpável, do tipo números, etc.
4. Para perceber o sentido do termo russo – tropicalistas, é preciso saber o que era o lusotropicalismo (em poucas palavras: a teoria do que os portugueses eram únicos europeus que estabeleceram um relacionamento muito especial, da proximidade e de carinho para com os africanos).

anónimo russo disse...

Jest,

"Se não quer lutar contra a Ucrânia, fica calado da próxima vez quando eu colocar cá algum link com as fotografias ou com alguma estatística. Assim fica mais equilibrado. E se quiser contrapor, apresente alguma coisa palpável, do tipo números, etc.

Ficar eu calado ou não, não é da sua conta, camarada.
Quanto aos números, são de domínio público, basta acessar alguma wikipedia ou algum site mais sério. Eu digo que não estou aqui a lutar contra Ucrãnia exatamente porque não acho necessário colocar aqui cada vez alguma sujeira, como você faz quando se trata da Rússia. Eu não oceio os ucranianos (só despreso alguns idiotas mais radicais).

Anónimo disse...

odeio

Wandard disse...

"Para perceber o sentido do termo russo – tropicalistas, é preciso saber o que era o lusotropicalismo (em poucas palavras: a teoria do que os portugueses eram únicos europeus que estabeleceram um relacionamento muito especial, da proximidade e de carinho para com os africanos)."


Jest,

Se entendi isto refere-se à aproximação dos portugueses com os russos, ou melhor, aos portugueses que têm simpatia para com os russos, e possuem uma opinião diferente dos que são contrários à Rússia.

Se puder me exclarecer uma dúvida agradeceria, não quero com isso de forma alguma entrar na sua intimidade.

Você nasceu na Ucrania e mudou-se ainda recém nascido ou criança para Moçambique? Pergunto porque em uma postagem anterior você citou ter aprendido ucraniano depois dos vinte anos. Se entendi errado desculpe-me.

Grande abraço,

Wandard disse...

Caros Anonimo russo e Jest,

Permitam-me uma opinião sincera.

No momento vocês são os únicos cidadãos de suas nações que frequentam este blog, e além dos estrangeiros residentes ou que residiram na Rússia (não tem nenhum que tenha morado na Ucrania, que eu saiba), são os que mais podem falar dos seus países, com mais propriedade. Cada um tem seus motivos, seus posicionamentos e suas opiniões e apesar das diferenças e disputas que hoje permeiam suas nações acho que vocês podem e muito contribuir, para o entendimento de toda a situação, se segurarem um pouco o emocional, evitando os ataques mútuos e aos países de cada um e de certa forma tirando os argumentos dos que só fazem achacar ou criticar os vossas nações.

Grande abraço,

Jest nas Wielu disse...

2 camarada anónimo

Engraçada a sua reacção exagerada sobre a minha sugestão de ficar calado, pois você me da conselhos toda a hora, sobre o tipo do meu comportamento num blog alheio...

2 Wandard

Entendeu mal. Isso refere-se ao facto, do que alguns imperialistas russos (a quem eu chamo de russotropicalistas), usam o mesmo tipo de argumentos que os imperialistas portugueses (conhecidos como lusotropicalistas, veja no Google o significado do termo lusotropicalismo) amplamente usavam antes do 1975.

Também entendeu mal, eu disse que aprendi ucraniano mais tarde, não no berço.

Marcha dos neo – nazis russos em Moscovo:
http://community.livejournal.com/ru_politics/19987891.html

Francisco disse...

O anónimo Russo disse:
(Quanto às crianças adoptadas que voce mencionou, são órfãos e existe esse problema, sim. Mas, segundo eu sei, é o desejo dessas crianças - ser adoptados).

Caro anónimo Russo este seu comentário se não se trata-se de um assunto tão sério e dramático; pois envolve os seres mais frágeis e indefesos da sociedade, que são as crianças, era cómico. Mas do modo como o está a pôr, reconhecendo que na realidade essa vergonha existe na Rússia , no mínimo o que me resta dizer é que a sua resposta é tão miserável como as misérias que o Putinismo tenta encobrir.
O senhor tem o descaramento de publicar para quem tiver acesso a nível mundial que por desejo próprio uma criança com menos de cinco anos ou um bebé de meses, podem decidir os seus destinos? Hó homem ao menos tenha um pouco de respeito por essas vitimas desprotegidas. Não se sabendo qual é o destino de muitas. Tratando-se de milhares anualmente. Haja ao menos dignidade, remeta-se ao silencio, se aceita essa monstruosidade, não o venha para aqui defender.
Fique ciente que embora não consiga fazer absolutamente nada para impedir essa tragédia. É meu dever como ser humano denunciar esses crimes.
Sobre o comentador Valletin Simonov, não me interessa absolutamente nada onde ele se encontra (mais uma voz incomoda que imigrou?) apenas refiro o que ele escreveu sobre a violência racista na Rússia Putiniana. Até parece que não têm havido agressões brutais a cidadãos estrangeiros, estudantes mortos? E principalmente contra os (escravos) que usam Tiubeiteika, já apareceu aqui alguém a denunciar esses actos de exclusão que são vitimas.


Anónimo disse:____ tambem o sr. sabia a quantidade de carros, por exremplo, impordados para a Rússia (a Rússia, se não é o maior importador da Europa, fica num dos primeiros lugares).

Foi mesmo por essa boa gestão dos dinheiros provenientes das receitas de venda das matérias primas que a economia se encontra no estado em que está.
Não foram só carros foi tudo o que pudesse satisfazer o apetite voraz consumista dos Russos. Dou-lhe este exemplo ;___ Não sabe que Moscovo é a cidade mais cara do mundo? Onde a luxúria e a ostentação da riqueza deixam para trás qualquer outra capital. Tal como o vinho corria pelas ruas de Roma no auge do império, em Moscovo e Sanpetersburgo exibe-se tudo quanto de mais caro e extravagante existe.
Caro anónimo além do que já o confrontei e que o Senhor apenas tentou desmentir sem apresentar elementos contraditórios credíveis, muito mais havia para dizer sobre o seu el dourado Putinista e dos seus pares, tenho já a absoluta certeza que o Senhor anónimo é um fiel apoiante.

Porque ainda não lhe falei (nem vou falar) das experiencias das multinacionais farmacêuticas com pessoas nas zonas remotas e mais pobres da Rússia, não lhe falei do flagelo da SIDA (AIDS), não lhe falei do trafico de mulheres, e quem fornece a chamada auto-estrada E-55 e uma parte do chamado Mercado do Arizona, que abastece de jovens toda a Europa (esta também serve para o Senhor JEST), as máfias organizadas .São muitas coisas que o seu pobre país sofre e lhes é escondido. Há também lhe podia indicar algumas das regiões onde a pobreza na Rússia é mais notória, mas é desnecessário porque para o Senhor são coisas que não o incomodam nem o perturbam.
Cin.naroda

anónimo russo disse...

Francisco,

1.
"São muitas coisas que o seu pobre país sofre e lhes é escondido"

Não consigo entender porque algumas pessoas do estrangeiro, que nem conseguem citar corretamente as palavras, frases e nomes russos acham, que sabem alguma coisa melhor que nos. Realmente. Eu sou um dos milhões que têm acesso a toda a informação exposta na internet. Mas lhe digo, que a melhor fonte de informação é viver aqui.

2.
"Porque ainda não lhe falei (nem vou falar) das experiencias das multinacionais farmacêuticas com pessoas nas zonas remotas e mais pobres da Rússia"

Não imagino o que me pode falar, porque eu tenho parentes, que trabalham exatamente nas miltinacionais farmaceuticas. Se existe alguma coisa ilícita, deve ter proporções insignificantes. Não sou um especialista, mas dos meus parentes não ouvi nada daquilo que voce disse.

3.
Sobre os neo-nazis, eu, primeiro, quase acreditei nas palavras do senhos sobre os "filhos das reformas etc." Mas depois me lembrei, que eu próprio era adolescente no início dos anos 90 e estudante em meados dos anos 90. Posso lhe afirmar: as universidades estavam superlotadas, como o ensino era (e é) gratuito aqui. Não havia nenhuma catastrofe, nenhum abandono do lado dos pais (exepto, talvez, alguns alcoolicos, que existiram em todos os tempos). Acredite, eu vivi no meio de tudo isso. Quanto aos próprios skeen-heads, é um outro problema, pouco tem a ver, na minha opinião, com as condições materiais das pessoas ou com a pobreza. Como já disse num tema deste blog sobre os ataques rascistas, a Rússia é grande e, parece, que esses movimentos têm tanto desenvolvimento só em Moscovo, por que tem tudo lá: a maior quantidade de homossexuais e de outra gente semelhante.

4.
Sobre as crianças dos orfanatos, a cituação, primeiro, não tem tantas proporções horriveis. Segundo, ninguem esconde nada, guando surge algum problema, fala-se muito pela televisão etc. Terceiro, não é proibido pela lei, segundo eu entendo, a adoção de crianças pelos estrangeiros.
Não é a culpa do "putinismo\medvedismo"\não-sei-mais-que-ismo. Tambem acho, que a cituação com os orfanatos está melhorando. Porque, por exemplo, aqui não longe do lugar onde eu vivo, tem um orfanato para crianças deficientes. pois no ano passado, foi totalmente rteconstruido e passou uma reparação geral.
Mas, enfim, eu não entendo, o que voce quer da Rússia? Será que em portugal não tem crianças desprotegidas, não há casos de assassinatos de crianças (que eu vejo as vezes pela vossa RTP)? Na escala da Rússia não sei se a percentagem dos acontecimentos desse tipo na Rússia é maior que em Portugal, por exemplo. Porque a esmagadora maioria das pessoas aqui são mormais e cuidam bem dos seus filhos (segundo as pessoas que eu conheço e que vivem na europa (russos) aqui os pais muitas vezes dão mais atenção aos filhos que na Alemanha, por exemplo (não sei se é verdade ou é uma opinão subjetiva).

Ao resto das questões que voce mencionou, respondo um pouco mais tarde. Só quero dizer, que não sou apoiante fiel de ninguem.

anónimo russo disse...

Francisco,

1.
"não lhe falei do flagelo da SIDA (AIDS)"

As medidas de prevenção da SIDA todos conhecem muito bem. Aqui as pessoas são bastante bem educadas, por isso é a responsabilidade de cada um.

2. Voce queria factos. Numa das mensagens anteriores voce disse que o sistema de transporte aqui está num estado catastrofico. Devo-lhe dizer que: 1 trabalhei na área de transporte dois anos (autotransporte) e posso dizer que, pelo menos antes da crise, a área estava se desenvolvendo muito depressa, a quantidade de camiões aqui cresceu muito nos últimos anos. 2. O crescimento do PIB rússo nos últimos anos é notório. Então, como podia acontecer esse crescimento, se não existisse um sistema de transporte adequado (inclusive ferroviário e fluvial). Porque o crescimento de PIB significa o crscimento de transporte de mercadorias e matérias-primas.
Tambem, a cidade onde eu vivo é um nó ferroviário importante, e eu muitas vezes vejo com os meus próprios olhos que tudo funciona. Az vezes eu utiliso este tipo de transporte. Por isso as suas declarações para mim se tornam ainda mais surpreendiveis.

Francisco disse...

Anónimo Russo disse;____ O crescimento do PIB rússo nos últimos anos é notório.



Mas o que tem a ver o PIB com as condições de vida das populações? Um país pode apresentar um PIB per capita elevado e atingir altos níveis de rendimento, sem que isso signifique que as suas populações tenham boas condições de vida, desde que a riqueza esteja concentrada numa pequena minoria! Um facto indesmentível na Rússia. Veja o coeficiente de GINI Russo que é um dos mais elevados do mundo, isso por si só diz tudo. A diferença entre os mais ricos e os mais pobres é superior a 14 .
Agora já o compreendi; são os estudos e relatórios internacionais que estão errados, mentem e estão contra a Rússia.
Obviamente que Putin tinha que melhorar as condições da Rússia com tanto dinheiro devia ter feito muito mais. Na hecatombe em que Yeltsin mergulhou a Rússia, se a situação não tivesse melhorado de certeza que a ONU já tinha talvez mais uns cem países.
Um prestigiado historiador Americano escreveu sobre a Rússia; Nunca na história, em tempo de paz se assistiu a um descalabro de tamanhas dimensões.
Quando Putin acedeu ao poder existiam cerca de 40 milhões de pessoas a viver abaixo do limiar da pobreza. Ele (Putin) estabeleceu como meta reduzir esse número para 15 milhões e em 2015 os Russos igualarem o nível de vida dos Portugueses. Alguma vez o irá conseguir?
O tavaris anónimo Russo, vê tudo dourado. Pois vá defendendo Putin que a factura um dia vai chegar.
Cin.naroda

Anónimo disse...

Moscou e São Pete não representam toda a Rússia. No interior e pequenas cidades é um país muito pobre...todo mundo sabe que 90% da riqueza flui pra essas 2 cidades. Passando uma imagem errada desse país pobre.

hoje da minha janela em Moscou vi 2 mendigos russos comendo lixo


carlos