quinta-feira, março 26, 2009

Rússia na luta pelo gás turcomeno


A Rússia e o Turquemenistão assinarão novos acordos na esfera do gás, declarou na quarta-feira Dmitri Medvedev, Presidente da Rússia, depois de um encontro com o seu homólogo turcomeno, Gurbanguli Berdimukhamedov.
“Analisámos pormenorizadamente a problemática da cooperação no sector energético, nomeadamente a realização de acordos tão importantes como o acordo intergovernamental sobre o gasoduto Cáspio, de uma série de outros projectos. Estão a ser preparados novos documentos, novos projectos na esfera gasífera, penso que, dentro em breve, iremos assiná-los”, declarou Medvedev.
Serguei Prikhodko, assessor do Presidente Medvedev para assuntos internacionais, precisou as palavras do dirigente do Kremlin.
“O ministro da Energia da Rússia, Serguei Chmatko, visitará brevemente Achkhabad (capital turcomena) para finalizar a preparação do texto do acordo sobre a contrução do gasoduto “Oriente-Ocidente”, que irá ligar os poços gasíferos do nordeste do Turquemenistão e o gasoduto Cáspio. Os dirigentes dos dois países planeiam assinar esse documento no próximo encontro”, declarou Prikhodko aos jornalistas.
Porém, a imprensa russa de quinta-feira chama a atenção para o facto de a assinatura desse documento ter sido anunciada para ontem e ter sido adiada. O diário económico "Vedomosti", citando uma fonte da direcção da Gazprom, escreve que o acordo não foi assinado por acordo de ambas as partes. O Presidente do Turquemenistão não quis por motivos políticos, porque existem projectos de gasodutos que irão ladear a Rússia: o Transcáspio para a Turquia e o Nabucco para a Europa. A "Gazprom" não tem "dinheiro livre", porque os preços do gás irão cair.
Segundo o "Vedomosti", "a fonte está convencida de que o mais provável é que renunciem a esse acordo".
Quanto ao gasoduto Cáspio, projecto realizado conjuntamente pelo Turquemenistão, Rússia e Cazaquestão, a sua construção deverá começar em 2009. O novo tubo, que pretende concorrer com o projecto Nabucco, apoiado pela União Europeia, terá 1700 quilómetros de comprimento e capacidade anual para transportar cerca de 30 mil milhões de metros cúbicos de gás turcomeno até à costa do Cáspio, de onde será transportado para a Europa através de gasodutos russos.
Segundo os peritos, esta obra irá custar cerca de 800 milhões de euros.
Medvedev e Berdimukhamedov manifestaram também o seu apoio à realização de uma conferência internacional sobre transporte de combustíveis.
“Os chefes dos Estados... manifestaram o seu apoio à realização, em Abril de 2009, em Achkhabad, uma conferência internacional para discutir questões do transporte fiável e estável de combustíveis para os mercados mundiais”, lê-se numa declaração conjunta publicada após as conversações no Kremlin.
Os dirigentes dos dois países apoiaram também a continuação do processo de conversações com vista à delimitação do fundo do Mar Cáspio entre os países ribeirinhos.
“Neste contexto, foi assinalada a necessidade do cumprimento rápido de todas as decisões do encontro dos presidentes dos Estados do Cáspio em Teerão, o que criaria premissas para a convocação da quarta cimeira em Baku”, lê-se na declaração conjunta.

17 comentários:

PortugueseMan disse...

Caro José Milhazes,

...A "Gazprom" não tem "dinheiro livre", porque os preços do gás irão cair...

Esta é uma afirmação sua, ou alguém disse isto?

Na minha opinião eu não acredito que a Rússia não avance. A Gazprom vai entrar ali e o dinheiro terá que aparecer.

Há aqui um "jogador" que não está a ser tomado em conta neste artigo. A China.

O problema do Cáspio não é só a questão da Rússia ter ou não capacidade de investir ou ver quem ganha se os pipelines russos ou o americano o Nabucco.

O Nabucco para ser viável necessita dum mínimo de fornecedores.

O Turquemenistão é uma peça chave para o Nabucco.

Ora mas existe um problema, a China com as suas necessidades energéticas crescentes está a procurar em todos os cantos novas fontes de energia, tendo já "apanhado" vários fornecedores dos EUA e começado desviar a energia para si.

Se o Turquemenistão vira para o Nabucco a China não verá nenhum gás para si.

Portanto a China nesta zona tem que ser virar para a Rússia de duas maneiras, respeitar e reconhecer que esta zona é a sua àrea de influência e como tal agirá em conformidade e apoiará financeiramente caso seja necessário de modo a garantir que a energia flua para si.

Com o recuo dos americanos na Àsia Central (fecho de bases e problemas no Afeganistão) e o aumento do poderio da Rússia mais China, o Turquemenistão terá que analisar cuidadosamente as suas opções.

Na minha opinião o acordo irá surgir e Gazprom irá entrar em força e o dinheiro irá aparecer via algum banco.

A Sinopec poderia entrar e apoiar directamente a Gazprom, mas a China tem feito os seus movimentos o mais discretamente possível.

É aguardar para ver.

Jose Milhazes disse...

Caro Portuguese Man, leia com atenção. Trata-se de palavras de um dirigente da Gazprom citado pelo diário económico Vedomosti.
Aqui não é segredo para ninguém que a Gazprom vive tempos difíceis, como outras empresas, e que a redução da extracção de gás e do preço do combustível estão a criar ainda mais problemas a essa empresa.
Isso é apenas uma peça do complexo xadrez na Ásia Central.

PortugueseMan disse...

Mas eu li.

E do que li depreendi o seguinte:

Que o jornal cita uma fonte anónima e que não está claro quem disse aquela afirmação e como tal coloquei a questão a si.

Se calhar também estou enganado e não é uma fonte anónima.

Pode-me esclarecer se isto é uma posição oficial de um dirigente da Gazprom?

E volto a insistir, os problemas da Gazprom são os problemas de qualquer empresa energética.

A Gazprom além de ser uma empresa energética é também estratégica e como tal e desde que o país assim o veja, a Gazprom fará o que tem a fazer e o dinheiro aparecerá, seja por meios próprios, seja por intervenção governamental, seja por investidores externos, seja por empréstimo.

Você reparou que a Gazprom está para gastar quase 5 Biliões para apanhar 20% da Gazprom Neft que estão nas mãos dos italianos, não estamos a falar de trocos e o dinheiro aparece.

...Isso é apenas uma peça do complexo xadrez na Ásia Central.

É uma maneira muito redutora de ver a questão.

As nossas opiniões de facto divergem bastante.

Jose Milhazes disse...

No post está escrito: "O diário económico "Vedomosti", citando uma fonte da direcção da Gazprom,", o que significa que se trata de uma fonte anónima que não pretende revelar o seu nome.
Quanto ao dinheiro, vamos ver. Uns dizem que o copo está meio cheio, outros dizem que já está meio vazio...

PortugueseMan disse...

Estando esclarecido a questão do anonimato, considero esse tipo de citações de fontes anónimas o mesmo que "tirar nabos da púcara".

Muita imprensa faz isto no meu entender de modo a "chocalhar" a situação e a ver se alguém sai da toca para falar.

E por esta mesma razão ainda tinha achado mais estranho a tal afirmação de que a A "Gazprom" não tem "dinheiro livre", porque os preços do gás irão cair"

Fico esclarecido, vamos a ver como fica a situação do Turquemenistão .

Afonso Henriques disse...

Tenho de reconhecer que continuo a vir a este blog pois é muito útil para compreender essa parte do mundo, pelo menos os "insights" do PortugueseMan.

PortugueseMan, porque não um PortugueseMan's blog?

Quanto ás fontes anónimas, aqui deixo o que diz um dos nossos "maiores" em diversos sentidos no que toca a politiquices. Deixo-o para os incautos que para os Comunas o mundo (dos MSM) vai como querem:

http://abrupto.blogspot.com/2009/03/indice-do-situacionismo-79-jornalismo.html

Reparem no último parágrafo de José Pacheco Pereira:

"Repito o que já disse antes: se a maioria dos portugueses soubesse efectivamente como são feitas as "notícias", não comprava um jornal, não via um noticiário, a não ser como entretenimento, ou como obra de ficção."

E continue PortugueseMan que tem quase que prestado um serviço público de excelência.

Anónimo disse...

Depois da festa, a ressaca A Rússia está entre as economias emergentes mais duramente afetadas pela recessão mundial. Entre 2003 e 2008, o PIB do país cresceu à média anual de 7%. A previsão para 2009 é uma retração de 2,2%. Trata-se de uma estimativa otimista. Se o preço do barril do petróleo, responsável por quase um quarto do PIB russo, continuar a diminuir, a economia poderá encolher mais de 5%. As duas principais bolsas de valores do país perderam 80% do volume de negócios desde o ano passado e o rublo desvalorizou mais de 30% em relação ao dólar. Apenas em janeiro, mais de 300 000 russos saíram do mercado de trabalho e a taxa de desemprego aproxima-se agora dos 10%. Até o momento, as várias medidas de emergência para combater a recessão e reduzir os gastos públicos soam como meros paliativos diante da gravidade da situação. Recentemente, o governo anunciou um corte de 15% no orçamento militar. O facão nos gastos públicos não poupou nem a organização dos Jogos Olímpicos de Inverno, que serão realizados na cidade russa de Sochi em 2014 e tiveram uma redução de 15% no orçamento.

Afonso Henriques disse...

Em resposta ao anónimo:

Nos tempos de Yeltsin a Rússia como economia era uma potência média. Hoje em dia a Rússia é a SÉTIMA MAIOR ECONOMIA DO MUNDO em termos de Produto Interno Bruto em Paridade do Poder de Compra. Este indicador é o mais útil para comparar o poder económico dos Estados Nações. O Ranking actual é o seguinte:

1º ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA (com maior população que a Rússia)
2º CHINA (com maior população que a Rússia)
3º JAPÃO
4º ÍNDIA (com maior população que a Rússia)
5º ALEMANHA
6º REINO UNIDO
7º Rússia.

Dos países á frente da Rússia apenas países "riquíssimos" como o Japão a Alemanha e o Reino Unido têm um Produto Interno Bruto em Paridade do Poder de Compra superior á Rússia tendo uma população menor, o que significa que todos os outros Estados partem com uma vantagem sobre a Rússia pois possuem mais agentes criadores de riqueza (nomeadamente a Índia a China e os Estados Unidos).

Atrás da Rússia estão grandes potências com um PIB ppc superior a um trilião de dólares como:

- a França
- a Itália
- o Brasil
- o Canadá
- a Espanha
- o México
- a Coreia do Sul
e inclusivé a Arábia Saudita e os Países do Golfo com todo o seu petróleo e riqueza "caída do céu".

Dos grandes países emergentes (BRIC?) a Rússia é aquele com melhor qualidade de vida e o mais "Europeu". Dos BRIC, apenas a Rússia e a China têm uma PIB ppc superior ao Russo mas apesar disso, ambos os países têm uma população pelo menos dez vezes superior á Rússia, o que significa que têm cada um dez veses mais potenciais criadores de riqueza.

A Rússia conta também com uma das melhores máquinas militares do mundo e com um dos arsenais de destruição maçiça mais poderosos do planeta.

De todas as vinte principais potências mundiais em termos de PIB ppc, a Rússia é aquele que conta com maior satisfação da sua população em relação aos seus dirigentes apesar do grande tráfico de influências, corrupção e assassínios relacionados com o poder. (Sim, o Putin é mais adorado que o Obama. E esta, hein?)

----------------------------

E para mais, no futebol até foram ás meias finais do Euro!

Anónimo disse...

hahaha..melhor qualidade de vida do BRIC...só pra citar, o IDH brasileiro é maior que o russo...e
enquanto um homem brasileiro vive em média 76 anos e um chinês 72 anos...um russo vive no máximo 59 anos...que bela qualidade de vida!!!!Tem muito besta aqui que vive em Moscou ou São Pete e acha que toda a Rússia é assim...o interior desse país é terceiro mundo, minha gente!!!Isso porque o governo putiniano faz com que todas as riquezas do país sejam drenadas pra capital...

não se iludam, 90% do que esse afonso disse é pura mentira...

sérgio

Anónimo disse...

"Dos BRIC, apenas a Rússia e a China têm uma PIB ppc superior ao Russo"

HAHAHAHAHA...vou dizer o que?Conforme esse afonso, a Rússia é tão poderosa e rica que consegue superar o PIB dos russos...realmente você estava delirando quando escreveu isso

zé carlos

Afonso Henriques disse...

Para o anónimo que me chama caluniosamente de mentiroso quer deixar aqui uma coisa bem claro:

TERCEIRO MUNDO É O BRASIL, A ÍNDIA E A CHINA. A Rússia já é discutível. Não me lembro de ninguém considerar a Rússia com "Terceiro Mundo" ipso facto assim como nâo me lembro de ninguém que não considerasse a RÚSSIA TERCRIRO MUNDO!!!

Quanto ao IDH que é apenas um mero indicador como qualquer outro, no que toca aos BRIC o Brasil e a Rússia teriam ambos 806 em 2008.

Afonso Henriques disse...

Zé Carlos,

eu queria obviamente dizer Índia e China em vez de Rússia e China. A Índia e a China têm um PIB ppc superior ao da Rússia.

Mas têm também uma população mais de dez vezes maior e ambos - tal como o Brasil - têm um PIB per Capita inferior ao Russo, o que quer dizer que das populações destes quatro países, a Russa é a menos empobrecida.

Anónimo disse...

afonso, deixa eu te ensinar um pouco...porque seu amor por Putin te cega às vezes

pib per capita é um pobre indicador de qualidade de vida de uma população...você nunca pode dizer que quem tem menor PIB per capita é mais pobre...isso é uma conta besta!!!ou vocês acham que Guiné Equatorail com Renda per capita de mais de $ 30.000 tem melhor qualidade de vida que a Nova Zelândia ($ 28,500)? Renda per capita é pegar todo o PIB e dividir por toda a populaçao do país....hoje, o melhor indicador, reconhecidamente, é o IDH...claro, que alguns moluscos vão dizer que o melhor indicador é aquele que o Putin diz que é o correto heheehhe


sérgio

Anónimo disse...

qual será o futuro da Rússia quando o Putin deixar de governar?

ronivon

Anónimo disse...

O país caminha a passos largos para o Terceiro Mundo. Aliás, o primeiro passo já foi dado: não há investimentos sociais ou de infraestrutura. Talvez em mais uma década, o país seja figurante permanente nos índices de miséria da ONU.O motivo dessa redução drástica é queda da qualidade de vida que ficou a cargo do nascente capitalismo. Segundo a revista norte-americana Newsweek a Rússia é um dos piores lugares para homens jovens viverem. Por que será?
O primeiro sinal da hecatombe pós-soviética é a taxa de natalidade e a expectativa de vida. Com o alto padrão social herdado do período soviético, a Rússia já estava na terceira fase da transição demográfica. Com uma população idosa grande, o crescimento vegetativo estava em queda e, agora, a situação é mais perigosa. A população da Rússia estimada atualmente em 141 milhões de habitantes, ficará reduzida em 2050 a pouco mais de 70 milhões de habitantes. Segundo a revista norte-americana Newsweek a Rússia é um dos piores lugares para homens jovens viveram. Por que será? Desde o início da década de 90, a expectativa de vida russa caiu de 67 anos (1991) para 59 anos (2008). A Rússia está atrás do Brasil, da Ucrânia e do Paquistão. A explicação para essa desgraça é o aumento de doenças como tuberculose, sífilis e hepatite, além do alcoolismo. Em relação a fertilidade, 30% das mulheres jovens são estéreis. A Aids caminha como um epidemia na população russa. O principal meio de transmissão do vírus HIV é a utilização de drogas injetáveis que aumentou 12 vezes desde o fim da URSS. Em 1999 ocorreu um aumento de 350% nos casos de Aids.
Certamente o quadro desesperador da Rússia traz a felicidade de muita gente. Os antigos dirigentes socialistas se apoderaram das melhores empresas e hoje compõem o staff avançado dos interesses capitalistas.A máfia russa controla vários setores da economia e exerce com tranqüilidade a sua prática comercial: vende drogas para um grande mercado de consumidor, além de controlar toda a atividade ilícita do país.
Podemos parabenizar sem dúvida alguma o sucesso da "receita" ocidental para a Rússia. Formou-se uma uma sociedade decadente, miserável e podre de preceitos morais. Do totalitarismo político evoluiu-se para o totalitarismo do mercado, da minoria abjeta que traz em bojo o que há de mais degradante nos seres humanos: a falta de compaixão e a busca incessante pelo lucro fácil.

sandrinho

Anónimo disse...

O problema dos costumes na Rússia é revelador de um grande atraso e pobreza.As mafias que escravizam e traficam mulheres e o próprio estendal de corpos à venda por todo o lado que está institucionalizado revelam o baixissimo nível cultural e económico das desgraçadas sem direitos e tratadas ao pontapé. Vejam o que está acontecer com a recém eleita Miss Rússia.Haverá alguma moça por lá que não tenha feito o mesmo ou pior? Naquele país as mulheres são mesmo carne para canhão...sexual. Grande atraso, de facto. Mesmo com todos os defeitos, bendito Ocidente.

Nuno Bento disse...

O Mar Cáspio sempre é um mar ou um lago?